Contábeis o portal da profissão contábil

24
Apr 2018
09:31

artigo

Entenda o Refis e a reabertura da sua anistia tributária

Reabre o prazo de parcelamentos de débitos fiscais

25/11/2014 17:19

4.220 acessos

Em via de dúvidas, a anistia é um ato do poder legislativo do qual se faz extinguir as consequências de um fato do qual em tese seria punível; esta provoca certo esquecimento das infrações cometidas, como um perdão geral. No caso do Refis a anistia é concedida como um parcelamento de dividas frente ao poder público.

Objetivando regularizar a relação entre a pessoa jurídica e a Secretaria da Receita Federal (SRF), a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e o instituto Nacional de Seguro Social (ISS), o Programa de Recuperação Fiscal (Refis) permite o parcelamento de débitos fiscais advindos de acumulo de tributos e contribuições não pagos.

Tendo finalizado em agosto, o programa conhecido como Refis da Copa foi reaberto com novo prazo para adesão até o dia 1° de dezembro no site da Receita. Vale lembrar que é concedida permissão de parcelamento em até 180 meses dos débitos vencidos até 31/12/2013 ou ao pagamento deste à vista com utilização de prejuízo fiscal ou base de cálculo negativa da CSLL. A adesão ao Refis deverá ser solicitado exclusivamente nos sítios da RFB ou da PGFN.

Sobre esta versão é importante ressaltar que dependendo do total da dívida a adesão esta condicionada à antecipação de valores que variam de 5% a 20%. A multa de mora, multa isolada, juros e encargos variam de 100%, 40%, 45%, 100%, respectivamente. O pagamento dessas divida ocorrerão com os descontos e prazos especiais previstos no art. 1º da Lei n° 11.941/2009, conforme a tabela:


refis

Nesse parcelamento a adesão está condicionada ao pagamento de antecipação equivalente a:

I – 5% se o valor total da dívida a ser parcelada for menor ou igual a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais);

II – 10% se o valor total da dívida a ser parcelada for maior que R$ 1.000.000,00 e menor ou igual a R$ 10.000.000,00;

II – 15% se o valor total da dívida ser parcelada for maior que R$ 10.000.000,00 e menor ou igual a R$ 20.000.000,00; e

V – 20% se o valor total da dívida a ser parcelada for maior que R$ 20.000.000,00.

De fato o governo está esperando um grande valor a ser arrecadado; cerca de R$ 1 bilhão para o cofre municipal. Basta saber se esse dinheiro realmente será destinado aos caminhos certos para reaquecer a nossa economia. A permissão de reparcelamento de débitos também prorrogado facilitará a vida de esperadas 300 mil pessoa jurídicas optantes pelo Refis.

Escrito por

José Carlos Braga Monteiro

Advogado formado pela universidade Unisinos, pós-graduado em Gestão Empresarial pela FGV e Presidente Fundador do Grupo Studio, rede com mais de 18 anos de expertise na área tributária, detentora dos modelos de negócio Studio Fiscal, Studio E-Fiscal, Studio Brokers e Studio Law.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César