ASSISTA AGORA

SEMANA MEI 2018: WEBINAR | Previdência Social para Microempreendedor Individual

Contábeis o portal da profissão contábil

23
May 2018
15:27

artigo

Recorde de arrecadação de impostos chega a 1.8 trilhão em 2014

Foram pagos em 2014 cerca de 9 mil reais de tributos por cada brasileiro

06/01/2015 16:20

3.623 acessos

Diante do aumento dos principais impostos incidentes sobre o preço final das mercadorias, tivemos em 2014 um índice de inflação maior, o que consequentemente gerou crescimento na arrecadação tributária. O painel do impostômetro instalado em 2005 no centro de São Paulo estima o total de impostos federais, estaduais e municipais pagos pelos brasileiros direcionados a União, marcou na tarde da última segunda-feira (29) do ano, mais de 1,8 trilhão arrecadados, pela primeira vez.

Em 2013 a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) informou por meio do impostômetro que foi arrecadado cerca de R$1,7 trilhão, onde podemos ver que a soma de 2014 passa realmente a ser um recorde. De acordo com a Receita Federal, a carga tributária do Brasil em 2005 representava 33,38% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2013 passou a ser 35,95%, e o IBPT calculou 34,13% para 2005 e 36,42% para 2013. A diferente entre o cálculo desses, é que o Instituto considera tributos, multas e outras taxas, enquanto a Receita avalia apenas os tributos.

Para ter-se mínima noção, com todo o dinheiro pago em impostos, seria possível construir mais de 19 milhões de quilômetros de redes de esgoto, 130 milhões de salas de aula equipadas, 51 milhões de casas populares de 40 metros quadrados ou comprar mais de 66 milhões de carros populares ou 900 milhões de TVs Led.

Mesmo que a população se revolte com esse aumento de impostos, tem de ser levado em consideração o atual estado da economia brasileira. Explicando melhor, o Banco Central precisou aumentar a meta da taxa de juros Selic como um remédio inflacionário, pois, uma vez em que a inflação adquire força é necessário o aumento da taxa de juros para reduzir o nível de atividade econômica e conter o avanço da inflação, da qual se caracteriza desvalorização da nossa moeda.

Escrito por

José Carlos Braga Monteiro

Advogado formado pela universidade Unisinos, pós-graduado em Gestão Empresarial pela FGV e Presidente Fundador do Grupo Studio, rede com mais de 18 anos de expertise na área tributária, detentora dos modelos de negócio Studio Fiscal, Studio E-Fiscal, Studio Brokers e Studio Law.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César