Contábeis o portal da profissão contábil

15
Aug 2018
00:24
DIA 13 SEGUNDA

O Maior Evento Online Brasileiro de Contabilidade

Gratuito 100% online

VEJA AS PALESTRAS DE HOJE

DIA 13 SEGUNDA

13 a 17 de agosto de 2018

www.conbcon.com.br

O Maior Evento Online Brasileiro de Contabilidade

100% online Gratuito
Gabriel Manes

Gabriel Manes

Tecnologia

Como conquistar produtividade, satisfação do cliente e crescimento

Cláudio Miranda

Cláudio Miranda

Formação Profissional

Turnover de pessoal e qualidade de vida no trabalho nas Empresas de Auditoria Externa

Fátima Roden

Fátima Roden

Tributário e Trabalhista

Alterações a partir de 2018 em relação ao ISS e ISS fixo no Simples Nacional

Domingos Vasco

Domingos Vasco

Tributário e Trabalhista

Aspectos Legais e Gerais do eSocial

Marcelo Voight Bianchi

Marcelo Voight Bianchi

Gestão Empresas Contábeis

Empresa Contábil: Um Grande Negócio do Século XXI

Divane Alves

Divane Alves

Normas Contábeis

Normas Contábeis - Surgimento e Aplicação

Vanildo Veras

Vanildo Veras

Empreendedorismo

Excelência ou sorte, eis a questão

Fernanda Rocha

Fernanda Rocha

Empreendedorismo

Contabilidade Consultiva: o Caminho da Riqueza e da Prosperidade

Gilberto Cunha

Gilberto Cunha

Empreendedorismo

Quero comprar de você

Adriano Vermolhem

Adriano Vermolhem

Gestão Empresas Contábeis

Marketing Digital na prática para Escritório Contábeis

Simoní Pechebela

Simoní Pechebela

Tributário

Código GTIN validação e obrigatoriedade aplicada a NF-e e NFC-e

Isis Abbud

Isis Abbud

Empreendedorismo

Contadores conseguem inovar?

Alizete Alves

Alizete Alves

Tributário e Trabalhista

16:00 - eSocial - Impactos e ações para uma entrega de sucesso

Mauro Negruni

Mauro Negruni

Tributário

Resultados do novo modelo da DCTFWeb

Christiano Santos

Christiano Santos

Normas Contábeis

CPC/IFRS 17 Contratos de Seguros

Vinicius Roveda

Vinicius Roveda

Tecnologia

Transformação do mercado contábil: de 2015 a 2020

Hélio Donin

Hélio Donin

Tecnologia

Contabilidade e as ferramentas tecnológicas da atualidade

Paulo Vaz

Paulo Vaz

Gestão Empresas Contábeis

Contabilidade Digital e on-line: Aspectos de Estratégicos

Fernando Almeida

Fernando Almeida

Formação Profissional

Como elaborar um projeto de pesquisa?

José Luiz Fondacaro

José Luiz Fondacaro

Tributário e Trabalhista

Fim do Emissor do Cupom Fiscal - E Agora?

Gilmar Duarte

Gilmar Duarte

Gestão Empresas Contábeis

Honorários Contábeis: Segredos da precificação

Rogério Fameli

Rogério Fameli

Gestão Empresas Contábeis

Marketing Digital de Performance e Captação de Clientes de Contabilidade

PERDEU AS PALESTRAS DE ONTEM? CLIQUE AQUI

MAIS PALESTRAS DE HOJE

« »

Tributário

Distribuição de lucros e a contabilidade - Lucro Presumido.

Ontem (20/03/2017) foi escrito por Alexandre D. Pereira e Ricardo H. Akamine no Jornal Valor web, uma matéria sobre a distribuição de lucros com base no acórdão 2202-003.018 do CARF e norma jurídica em paralelo com a norma contábil.

21/03/2017 09:20

11.014 acessos

Ontem (20/03/2017) foi escrito por Alexandre D. Pereira e Ricardo H. Akamine no Jornal Valor web, uma matéria sobre a distribuição de lucros com base no acórdão 2202-003.018 do CARF e norma jurídica em paralelo com a norma contábil. Em meu ponto de vista essa matéria é de grande relevância e rica em detalhes, ela foi compartilhada em nossas redes sociais. Com visão contábil, destaco meu ponto de vista, vejamos:
 
O acórdão do CARF 2202-003.018 que trata sobre distribuição de lucros de empresas tributada com base no lucro presumido, apuração das receitas pelo regime de caixa e contabilidade pelo regime de competência. Vale destacar que o recorrente que gerou o acórdão é uma pessoa física que recebeu lucros "isentos" de uma pessoa jurídica com atividade imobiliária que deveria reconhecer suas receitais (fiscais) com base na IN SRF n° 104 de 1998.
 
O valor distribuído à época foi de aproximadamente R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais), acima do lucro presumido,  que gerou a penalidade pecuniária de aproximadamente R$ 720.000,00 (setecentos e vinte mil reais). Entende-se como lucro presumido o valor da base de cálculo do imposto, diminuída de todos os impostos e contribuições a que se estiver sujeita a pessoa jurídica.
 
Uma das fundamentações utilizadas pelo CARF à época foi o artigo 48 da IN SRF n° 93 de 1997, posteriormente revogada pela IN  RFB 1.515 de 2014 que também foi revogada pela IN RFB n° 1.700 de 2017 que está vigente até a presente data. Entendo que não há prejuízo em destacar o que diz a norma em vigor,  o art. 238 da IN RFB n° 1.700 de 2017: 
 
"Art. 238. Não estão sujeitos ao imposto sobre a renda os lucros e dividendos pagos ou creditados a sócios, acionistas ou titular de empresa individual, observado o disposto no Capítulo III da Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013.
 
§ 1º O disposto neste artigo abrange inclusive os lucros e dividendos atribuídos a sócios ou acionistas residentes ou domiciliados no exterior.
 
§ 2º No caso de pessoa jurídica tributada com base no lucro presumido ou arbitrado, poderão ser pagos ou creditados sem incidência do IRRF:
 
I - o valor da base de cálculo do imposto, diminuído do IRPJ, da CSLL, da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins a que estiver sujeita a pessoa jurídica;
 
II - a parcela de lucros ou dividendos excedentes ao valor determinado no inciso I, desde que a empresa demonstre, com base em escrituração contábil feita com observância da lei comercial, que o lucro efetivo é maior que o determinado segundo as normas para apuração da base de cálculo do imposto pela qual houver optado. {...}"
 
 
Aplicando o entendimento do CARF no inciso II supra citado, só é permitido distribuir o lucro excedente do inciso I nos casos em que a contabilidade comercial (efeitos jurídicos ou tributário)  demonstre lucro superior ao da base do imposto diminuída dos tributos, além disse considerando a opção pelo reconhecimento da receita, regime de caixa ou competência. Em resumo seria o seguinte: se a empresa tributada com base no lucro presumido adotou-se o regime de caixa, a receita da atividade passível de reconhecimento contábil comercial é o valor efetivamente recebido. Neste caso deveria ser contabilizado a receita recebida, os tributos e demais demais despesas, custos e receita, o resultado final que é passível de distribuição segundo o CARF.
 
Para sanar essa questão, infelizmente a contabilidade deverá ter 2 (dois) controles, o societário com base nas normas do Conselho Federal e o Fiscal com base nas normas fiscais. Apenas o fiscal poderá ser distribuído, jamais o societário. 
 
Essa questão é algo que causa bastante dúvida aos contadores quando do levantamento dos lucros a serem distribuídos, cabe a cada contador seguir o principio da prudência e orientar seu cliente (empresário) a seguir o que entender correto.
 
Grande abraço!

Escrito por

Eder Gomes de Araujo

http://www.eaglecontabilidade.com.br/blog Skype: contabil_edergomes eder@eaglecontabilidade.com.br

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César