Contábeis o portal da profissão contábil

20
Feb 2018
20:33

Tributário

Streaming - ISS

ISS: Mudança na Lei Complementar Nº 116, alterada pela Lei Complementar Nº 157

29/01/2018 08:19

1.831 acessos

A Lei Complementar Nº 157 de 29 de dezembro de 2016, traz nova interpretação sobre a Lei Complementar 116, no que diz respeito a cobrança do Imposto sobre Serviço – ISS, Item 1.09 da Lista anexa a Lei.

Diz : 1.09 - Disponibilização, sem cessão definitiva, de conteúdos de áudio, vídeo, imagem e texto por meio da internet, respeitada a imunidade de livros, jornais e periódicos (exceto a distribuição de conteúdos pelas prestadoras de Serviço de Acesso Condicionado, de que trata a Lei no 12.485, de 12 de setembro de 2011, sujeita ao ICMS) .

Sabemos que o Fato Gerador do ISS, é a Prestação de Serviço, ou seja, Obrigação de Fazer. Ora se não há o elemento que condicione a ativação do fato gerador, porque o ISS neste caso é devido?

Para entendermos melhor o item 1.09, devemos buscar a compreensão do termo “Disponibilização”, disponibilizar a outrem algo, ou seja, deixar acessível, sem que haja esforço humano (no meu entendimento, ausência da materialidade do tributo), sendo assim, entendo, como semelhança de uma Locação.

Disse Aires F. Barreto, “o aspecto material da hipótese de incidência do ISS é a conduta humana (prestação de serviço) consistente em desenvolver um esforço humano a adimplir uma obrigação de fazer”

O Art. 565 do Código Civil de 2002, reza sobre o que se considera locação:

Na locação de coisas, uma das partes se obriga a ceder à outra, por tempo determinado ou não, o uso e gozo de coisa não fungível, mediante certa retribuição.”

Contudo, a cobrança do ISS sobre os streaming, aqui listados como Netflix, Spotify e dentre outros, é inconstitucional, por se tratar de uma simples locação ou como dito pelo próprio item 1.09 “Disponibilização”, o que me leva a defender, o afastamento do tributo.

Tão logo, não seria posto a tributação do ICMS-comunicação, uma vez que a relação entre o cedente e o cessionário, não configura uma relação de comunicação, mas como foi dito, apenas uma relação de disponibilização da coisa.

Fontes de Pesquisa:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LCP/Lcp116.htm

http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/2002/L10406.htm

BARRETO, Aires F. Curso de Direito Tributário Municipal. Saraiva. 2009, p. 320

 

 

Escrito por

Ivan Ribeiro

IVAN RIBEIRO | Financial Advisor / Senior Analyst Tributos em Espécie - Escola Paulista de Direito -EPD (2018) MBA em Controladoria e Planejamento Tributário - Ibmec

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César