Contábeis o portal da profissão contábil

22
Feb 2018
23:34

artigo

Formalizar ou não Formalizar?

04/02/2011 16:54

3.440 acessos


No artigo sobre “Contratos: Um Mal Necessário?”, falamos sobre a importância da realização dos contratos nas manifestações de vontades entre as pessoas jurídicas. Também comentamos que pelo fato da entidade possuir personalidade jurídica - que é aquela que se origina através do registro nos órgãos competentes, ou seja, Junta Comercial (sociedades empresárias, empresário individual e cooperativas) ou no Cartório de Registro de Pessoa Jurídicas (sociedades simples, fundações, associações, partidos políticos, entre outras) conforme consta no art.45 do Código Civil Brasileiro, ela passa a ter direitos e deveres garantidos pelo Estado em prol da sua segurança.

Mas partimos do começo, o que é uma empresa? Empresa é o seu objeto social, aquilo que ela nasceu para ser e para fazer. A Conducere Educação Corporativa nasceu para treinar, educar, levar o conhecimento ao mundo corporativo, isto é, alimentar as entidades com informações altamente competitivas para que estas consigam quebrar alguns paradigmas instalados e perceber que para haver mudanças deve ser alterada a cultura presente. A empresa pode ter milhões em equipamentos, mas se não treinar e educar as pessoas que estão atrás destes equipamentos, terá sido um gasto sem retorno lucrativo. Investir em pessoas é um ganho altíssimo para a lucratividade da empresa e não um custo como muitos gestores insistem em dizer – este é um exemplo de quebra de paradigmas.

Continuando nosso raciocínio sobre as empresas, nos questionamos da validade do registro. Será que realmente é importante registrar uma empresa? Essa resposta dependerá muito do que pensam as pessoas a frente da entidade e que informações elas possuem. Muitos ainda vivem na informalidade para evitar o pagamento da alta carga tributária que incide em nosso País. Contudo, ao criar uma empresa, o grande ganho do empresário será justamente a proteção de seu patrimônio (enquanto não registrado, os sócios respondem solidariamente e ilimitadamente pelas obrigações (art. 990), pois a partir deste registro (CNPJ) o empresário vai responder (pagar) conforme sua responsabilidade (essa responsabilidade dependerá do tipo de sociedade constituída). Trazemos o exemplo da Sociedade Limitada: – Conforme expresso no Código Civil de 2002, o sócio responderá limitadamente às suas quotas, mas solidariamente pela integralização do capital (art. 1.052). O que este artigo nos diz é que se a empresa não pagar uma duplicata, por exemplo, o sócio não terá que pagar do seu bolso o valor da dívida. Contudo, se a empresa entrar em falência ou concordata cada sócio deverá responder pelo percentual de suas quotas perante os credores. No caso de dissolução, a massa falida (o que sobrou depois de pagos os credores, previdência, impostos) é resultado do valor descontado do capital social proporcionalmente ao que o sócio tenha integralizado, mas se algum sócio não subscreveu toda a sua parte essa parte faltante todos os sócios são responsáveis (será descontado de todos, independente das quotas. Contudo, se houver prova de má-fé, a justiça irá desproteger o patrimônio social e o sócio deverá pagar com o seu próprio percentualmente às suas quotas. Caso a empresa não for registrada e um credor cobrar a dívida, o sócio (ou empresário) pagará com o seu patrimônio próprio (mesmo não comprovando a má-fé), pois ele não tem a proteção jurídica sobre o patrimônio.

Caso pensarmos meramente no registro, a empresa estará pronta para funcionar. Todavia deve-se ter um cuidado extremo no começo da atividade empresária e na continuidade da mesma. Fazer um estudo detalhado e minucioso do tipo de empresa, do objeto social, do fluxo de caixa, do enquadramento tributário, do profissional que cuidará de sua empresa, do CNAE cadastrado para a empresa, entre outros assuntos fundamentais para a continuação da corporação é “tema de casa” para qualquer organização. Engana-se e muito quem considera que planejamento é “coisa” de grandes empresas, pois não há como chegar a lugar algum se não tiver controle para onde se está indo. Portanto, embora tenha-se apenas um funcionário, o planejamento é fundamental para a continuidade do negócio, assim como as revisões contínuas do mesmo, pois isso fará o negócio ser duradouro e lucrativo ou informar aos sócios para que se reinventem agora para que não padeçam mais adiante.

Indicamos que quando houver a pretensão de iniciar um negócio jurídico é importantíssimo que seja consultado um profissional da área contábil e jurídica para um aconselhamento profundo evitando futuras surpresas. Todavia aqueles que já estão no mercado, também devem procurar fazer esse levantamento contábil e jurídico: analisar se está enquadrado na modalidade tributária correta, se o CNAE escolhido na constituição social é o que contempla a atividade exercida, entre outras questões fundamentais para o sucesso da lucratividade da empresa.

Concluo dizendo que pesquisas mostram que 95% (noventa e cinco por cento) das empresas “quebram” nos cinco primeiros anos de existência e que a falta de planejamento está associado a quase 100% (cem por cento) dos casos.


Valeska Schwanke Fontana
Bacharel em Ciências Contábeis, Graduanda em Direito, Perita Contábil, Empresária.

Escrito por

Valeska Schwanke Fontana Salvador

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César