Contábeis o portal da profissão contábil

23
Set 2014
15:20
você está em:

FÓRUM CONTÁBEIS » Contabilidade

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


Honorários Contábeis

77   respostas
35.907   acessos
  

mostrando página 1 de 3
1 2 3

POSTS RELACIONADOS

Vinicius Lima Martins

Usuário 5 Estrelas

postada em: Terça-Feira, 19 de agosto de 2008 às 09:43:13
Gostaria da opinião dos colegas, sobretudo dos prestadores de serviços contábeis, sobre a cobrança de honorários.

Ultimamente estive repensando sobre esse assunto, e vejo que muitas vezes faltam parâmetros para a cobrança dos honorários, alguns sindicatos e CRCs têm proposto algumas tabelas, que quando não estão defasadas não correspondem as peculiaridades locais.

bom, a questão é; Qual o parâmetro que os colegas normalmente usam na cobrança desses honorários contábeis e quais as formas usuais do reajuste contratual?

Percebo que muitos prestadores de serviços reajustam seus contratos pelo salário mínimo, o que causa uma corrosão significativa nas receitas do escritório.

gostaria de saber a opinião dos colegas sobre esta questão

saudações

Vinicius Lima Martins
Contador
(77) 8809 1088
Beatriz Maria Baldissera

Usuário Iniciante

postada em: Quarta-Feira, 20 de agosto de 2008 às 13:56:57
Aqui em Florianópolis o SESCON - sindicato das empresas serviços contabeis divulga uma tabela que se baseia basicamente em nº de lançamentos e nº de funcionários.

Aplicamos ela e até hoje funcionou muito bem!!!

abçs.
Gisele S. Luiz

Usuário 5 Estrelas Novas

postada em: Quarta-Feira, 20 de agosto de 2008 às 14:10:08
Bem, no escritório que estou agora a contadora baseia no número de funcionários, número estimado de lançamentos contábeis e tributação... parece que também está dando certo, apesar de as vezes perdemos empresas para contadores e contabilistas que cobram menos da metade. Acredito que isso só atrapalhe aos próprios contadores barateiros, pq se vc presta um serviço de qualidade duvidosa(cobrando muito muito barato não dá pra ter todo o material, assessoria e etc.) vc vai ter que arcar com as consequências no futuro.

Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar.
Vinicius Lima Martins

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quarta-Feira, 20 de agosto de 2008 às 15:04:32
e com realação aos ajustes contratuais?? quais as cláusulas de rejuste e os índices utilizados?

Vinicius Lima Martins
Contador
(77) 8809 1088
Beatriz Maria Baldissera

Usuário Iniciante

postada em: Quarta-Feira, 20 de agosto de 2008 às 15:07:58
Aqui usamos o salário mínimo mesmo.

Só é feito algum outro tipo de ajuste qdo há algum crescimento fora dos padroes da empresa ou algo assim. MAs aí é outra história; no contrato é salario mínimo!
Vinicius Lima Martins

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quarta-Feira, 20 de agosto de 2008 às 15:49:37
Beatriz,

Acredito ser essa uma questão de extrema importância, tivemos um reajuste do mínimo depois de quase 2 anos. Levando-se em conta que esse aumento não corresponde a inflaçõ real, nossos honorários são corroidos gradativamente ao longo do tempo.

alguem conhece ou pratica alguma outra forma de reajuste??

saudações

Vinicius Lima Martins
Contador
(77) 8809 1088
Claudio Rufino

Moderador

postada em: Quarta-Feira, 20 de agosto de 2008 às 16:04:40
Boa tarde a todos.

Vejamos o seguinte.

O Decreto-Lei nº 9.295/46 que criou os Conselhos de Contabilidade não contempla os aspectos quanto a mensuração dos honorários profissionais dos contabilistas.

Contudo, o Código de Ética Profissional do Contabilista aprovado pela Resolução CFC nº 803/96, em seu Art. 6 determina que o contabilista deve formaliza o contrato de prestação de serviço estabelecendo previamente o valor pelos serviços profissionais prestados.

"Art. 6º O Contabilista deve fixar previamente o valor dos serviços, por contrato escrito, considerados os elementos seguintes:

I) a relevância, o vulto, a complexidade e a dificuldade do serviço a executar;

II) o tempo que será consumido para a realização do trabalho;

III) a possibilidade deficar impedido da realização de outros serviços;

IV) o resultado lícito favorável que para o contratante advirá com o serviço prestado;

V) a penalidade de tratar-se de cliente eventual, habitual ou permanente;

VI) o local em que o serviço será prestado. "

Recentemente, foi aprovada a Resolução CFC nº 987/03 que reforçou a obrigatoriedade da formalização do contrato de prestação de serviço, com as despesas de honorários previamente estabelecidos. Diz o Art. 2º:

" Art. 2.º O Contrato de Prestação de Serviços deverá conter, no mínimo, os seguintes dados:
a) a identificação das partes contratantes;
b) a relação dos serviços a serem prestados;
c) duração do contrato;
d) cláusula rescisória com a fixação de prazo para a assistência, após a denúncia do contrato;
e) honorários profissionais;
f) prazo para seu pagamento;
g) responsabilidade das partes;
h) foro para dirimir os conflitos."

Notemos que os sindicatos dispõe de uma tabela( sem querer ser redundante) todavia, cabe a cada profissional adequar da melhor forma os aludidos valores bem como os ditos reajustes.

Não as franquias de serviços contábeis
Professor de Contabilidade
http://www.contabilidadesemsegredos.com.br
http://professorclaudiorufino.blogspot.com/
twitter @claudio_rufino
skype : c_rufino
@FCSContabeis
http://www.facebook.com/fcscontabeis
Marcos Kuntz

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 16 de setembro de 2008 às 17:26:42
O sindicato de SP não possui nenhuma tabela....é difícil mesmo.
Wanderley B. Rodrigues

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 16 de setembro de 2008 às 23:29:24
Colegas

A Constituição Federal fala em seu artigo 7º que o salário minímo não pode ser usado como indexador.

No endereço abaixo, encontrarão vídeo comentando o assunto em decisão recente.

http://www.lfg.com.br/public_html/article.php?query=ifgnews&story=20080514090259711

Espero que ajude.
Emilio Rossi

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 2 de fevereiro de 2010 às 15:03:55
Ola, quero aproveitar o topico e solicitar se alguem tiver um modelo de carta de comunicado de aumento de honorarios, e tambem um modelo de recibo, ou em excel ou world, se alg puder me ajudar fico muito agradecido.
Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Quinta-Feira, 29 de julho de 2010 às 22:55:06
Boa noite amigos,

Gostaria de trocar idéias de como devo cobrar honorários para executar serviços por etapa.
Explicando melhor: Mantive contato com um cliente que deseja encerrar atividade de duas empresas que estão inativas a mais de 5 anos.
Ambas estão com problemas que deverão ser sanados antes do distrato.
O cliente sugeriu que eu cobrasse por cada etapa (acertos contáveis, acertos com a Receita Federal, Estadual e Municipal) e depois cobrar quando for finalmente encerrar.
Estou sem parâmetro para custear meu serviço e também reconheço que o caso não cabe honorário mensal.
Será que algum dos colegas tem noção de como devo proceder?
Aguardo opiniões e sugestões.
Muito obrigada,
Regina

Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

Leandro R.f.

Usuário Ativo

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 00:21:48
Regina,

Eu cobro, nesse caso, por serviços executados e de preferência pesquisar antes em cada ambito, qual a gravidade dos problemas e as dificuldades que enfrentarei pra depois dar o preço.

Ou outras vezes passei o preço dos serviços e deixei o cliente alertado que ao aparecer maiores despesas e dificuldades que tomaria tempo, o valor seria alterado.
Washington Oliveira

Usuário Novo

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 08:45:41
Regina,

Eu utilizo o mesmo critério do Leandro, também pesquiso a gravidade e dificuldade do problema e passo o preço.

So que na cidade onde resido e trabalho, a deslealdade com relação a mensalidade de clientes é absurda. Fiz a minha tabela de honorarios com a realizade de minha cidade com o custo devido a meus honorarios.
Dessse jeito está dando certo.

Abraços

Washington Oliveira.
Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 14:46:40
Prezados colegas Leandro e Washington, agradeço as opiniões e desta vez vou orçar meu trabalho dentro daquilo que é certo.

Aqui no RJ de um modo geral a concorrência é igualmente desleal. Chegam a cobrar R$ 600,00 para legalizar uma empresa e muitas vezes cobram honorário de R$ 50,00, acreditam?

Na maioria das vezes os empresários cooperam com isso. Querem pagar pouco e não pensam nas consequencias.

Abraços e bom fim de semana

Regina Vitoria

Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

Hugo Ribeiro

Moderador

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 15:16:37

Prezados (as),


Sobre a questão dos honorários contábeis estarem sendo nivelados por baixo (o que ocorre com mais frequencia do que imaginamos) e consideramos que trabalhamos muito, pelo pouco que recebemos e sendo o contador solidário pelos serviços prestados junto às diversas fiscalizações, a algum tempo tenho colocado em prática algumas atitudes que tomei em relação ao meu escritório, cfe abaixo:

1 - Seletivar minha carteira de clientes, para que possa ter tempo disponível para estudo e visitas aos mesmos.

2 - Devolví aquelas empresas que não davam retorno financeiro;

3 - Devolví aquelas empresas com deficiência de controle da documentação;

4 - Transferí algumas empresas para outros colegas, mas tirando a minha responsabilidade técnica e recebendo por isso, ou seja, fiz parceria.

5 - Procuro manter a estabilidade no meu quadro de funcionários, excluindo aqueles com dificuldade de relacionamento.

6 - Estou procurando dar mais assistencia no estabelecimento do cliente e tentando participar mais da sua vida interna.

E considero o ítem 6 acima, o referencial para se combinar honorários justos e talvez seja o grande diferencial ao se pleitear novas combinações financeiras: a proximidade com meu cliente.

O caminho é longo, árduo e que depende de muita persistencia. Acredito não ter chegado nem na metade desse objetivo, mas dei o primeiro passo e estou satisfeito com o frutos colhidos.

Abç

Hugo




Leandro R.f.

Usuário Ativo

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 15:30:10
Hugo,

Muito bacana a forma que vem trabalhando ai em seu escritório e o seu item 6, eu sinceramente não consigo fazer, se saio muito deixo a desejar na execução dos serviços em si, apesar de ter um quadro de funcionários excelente.

Já fiz mais visitas no passado e confesso que era só dor de cabeça e quando parei, os clientes reclamaram até cansar... por isso não fiz mais, senão terei que ficar só na rua.

As empresas que não dão retorno financeiro eu aos poucos estou me livrando, está difícil, mas está dando certo.

Muito bacana, trocarmos essas informações, assim conseguimos enxergar melhor como estão nossos colegas praticando a atividade.

Abraço.
Hugo Ribeiro

Moderador

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 15:51:21

Oi Leandro...

Ainda complementando o ítem 6... como disse acima, tenho procurado manter estabilidade na minha equipe de trabalho, e tenho um funcionário c/ 8 anos de casa.

Aí surge uma outra qualidade indispensável em qualquer relação: CONFIANÇA.

Aos poucos fui passando meus conhecimentos a esse funcionário e na minha ausência, ele consegue resolver bem questões com clientes, já que eu não posso, não devo e nem quero tornar insubstituível...

Também levei minha esposa para trabalhar comigo (está lá a dois anos, cuida do atendimento (filtragem, né?) e do financeiro.

Enfim, inúmeras tentativas devem ser feitas até acertar o ponto certo.

Abç.

Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 17:21:06
Amigos,


Eu espero poder alcançar a mesma estabilidade que vocês alcançaram.
Ainda não consegui sequer contratar um empregado.
No início fazia tudo sozinha. Agora faço a parte interna e meu esposo faz a parte de rua.
Adoro o que faço mas sinto-me cansada.
Entretanto, ao ler os comentários de vocês criei mais ânimo e vou tentar achar o ponto certo também.

Um grande fim de semana para todos

Regina


Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

Hugo Ribeiro

Moderador

postada em: Sábado, 31 de julho de 2010 às 21:48:55

Oi Regina,

Ironicamente e felizmente, devido a tantas mudanças desse mundo globalizado e cheio de tecnologias, talvez essa estabilidade a que se refere não exista em nosso ramo, pois as inovações surgem numa velocidade inacredítável. Digo felizmente para que nunca nos sintamos acomodados.

Hoje ainda existem profissionais que se perderam no tempo e ficaram com labirintite em meio a esse redemoinho todo, ou seja, não conseguiram se adequar aos avanços exigidos...

Não sei quanto tempo voce tem de contabilidade (eu tenho mais de 25 anos no ramo) e acredito que temos condições de manter a engrenagem no ponto certo com trabalho, persistência e com algumas tentativas de mudança... aquele novo que nos amedronta tanto, né?

E dentro da sua realidade, voce já consegue de alguma forma, departamentalizar o seu escritório, ou seja, mesmo sendo só voce e seu marido, cada um já sabe qual é o seu ofício dentro da empresa.

Mas temos que ter o coringa para emergências: para o caso de doença, viagens, cursos, contratempos e porque não dizer, para que possamos tirar alguns dias de descanso no ano, algo imprescindível para a recarga de baterias. E com o passar do tempo, a idade nos torna mais experientes, porém com menos paciência.

Torço para que logo consiga uma pessoa bem legal para auxiliar voces, pois com a demanda de serviço, impossível fazer tudo internamente sozinha.

Eu não consigo tirar férias por mais de 1 semana por ano... mas estou batalhando para reverter isso... se nem tanto por mim, mais pela família.

É isso, bom debatermos experiencias comuns por aquí, né?

Abç

Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Segunda-Feira, 2 de agosto de 2010 às 13:55:37
Olá Hugo,

Bom trocar idéias com alguém que compreende perfeitamente como funciona a nossa área.
Estou na área desde os 24 anos, já são 30 anos ...
Realmente a velocidade das mudanças é espantosa e se a gente não tiver mente aberta afunda.
Estou e vou tentando arrumar um coringa para poder tirar um descanso.

Um grande abraço e tenha ótima semana,

Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Segunda-Feira, 2 de agosto de 2010 às 15:17:09
Boa tarde,

As exigências cada vez mais vorazes do fisco, as multas confiscatárias capazes de fechar escritórios e as novas práticas contábeis, serão os responsáveis pela depuração lógica e natural dos serviços contábeis e da equivalência entre os honorários hoje cobrados.

Se não em pouco tempo, antes que mesmo de que possamos imaginar teremos dois tipos de contadores:

Os que cobram valores irrisórios e se fecharão na própria insignificância, restringindo-se prestar serviços à empresas optantes pelo Simples Nacional de preferência com pouquissimo movimento, e

os que prestam serviços à qualquer tipo de empresa independentemente do porte ou de sua opção tributária. São os que não fazem mais do que suas obrigações, mas fazem-nas corretamente. Os que consideram em seus honorários o conhecimento empregado, o planejamento tributário, o acompanhamento da saúde financeira de seus clientes e o crescimento profissional de seus colaboradores.

Temos já vigentes o Sped Contábil e Fiscal, o EFD PIS-Cofins, a NF-e, o e-LALUR, FCont e uma série de novas Declarações com multa exorbitantes, que natural e paulatinamente impedirão a cobrança de honorários irrisórios.

Atrasar (por exemplo) a entrega da DMed ou da ECD por um único dia significa ter que pagar quase dez salários mínimos. Vale dizer que cobrar menos do que três para manter a contabilidade de empresas a elas obrigadas, é correr o risco permanente de se ter que pagar para trabalhar.

O dinheiro para o programa contábil que atenda as exigências da elaboração de dezenas de Declarações e Demonstrativos anuais, para pagar consultoria eletrônica, para cursos de especialização, etc., deve advir de seus honorários.

Em um futuro breve, ou você considera tudo isto e valoriza seus serviços para ter condições de crescer, ou se fecha no ostracismo de trabalhar muito para continuar "pequeno".

...
Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Segunda-Feira, 2 de agosto de 2010 às 17:53:48
Prezado Saulo,


Quando vejo as suas respostas aos tópicos lembro muito do meu mentor. Se hoje consigo trabalhar por conta própria agradeço a ele. E, claro que fui boa aluna e carinhosamente abracei a área.

Trabalhei 15 anos como contadora em indústrias com tributação pelo Lucro Real.

Hoje minha carteira é 80% ME e 20% LP. Só tenho um cliente que é comércio. Os demais são prestadores de serviços. Não tenho muitos clientes. Mas todos que tenho são escriturados igualmente.

Ainda não consegui ter um empregado para ajudar e isso está dificultando a captação de novos clientes.

Você é um profissional muito bom. Percebo isso lendo os comentários e respostas aos tópicos dos colegas aqui do Forum.

Agradeço muito a Deus por encontrar pessoas iguais a você aqui.

Grande abraço,

Regina



Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

Hugo Ribeiro

Moderador

postada em: Segunda-Feira, 2 de agosto de 2010 às 21:26:00

Caro colega Saulo, boa noite!!!

Sempre coerente e preciso em seus comentários... com argumentos e fundamentações que dão mais preciosidade ao nosso fórum.

Voce tocou naquele ponto sobre a nossa responsabilidade em arcar com erros e omissões que somos obrigados a assumir, diante de serviços, muitas vezes executados por nossos funcionários e que nem sempre temos tempo de conferir.

E em tese, os honorários deveriam cobrir esses riscos, mas isso normalmente só ocorre quando somos assolados por uma situação em que temos que bancar multas perante nosso clientes.

Saulo, e importante seletivar também a nossa cadeia de clientes, pois aqueles enrolados, tomam-nos um tempo enorme que não são deles, em prejuízo aos bons clientes.

Devemos estudar a cada dia mais, tendo uma equipe de trabalho também muito bem estruturada, já que se descuidarmos por um momento, ficamos só na parte operacional.

Abraço.

Hugo
E que os nossos clientes possam também estar cientes de que o fisco hoje, possuiu inúmeros elementos para análise da sua contabilidade e diante de todas as informações que prestamos, imagino que num dia não muito distante, as DIRPJ já virão prontas com os dados que fornecemos.

Muito útil e proveitoso seus comentários nesse fórum, Saulo.

Abç

Hugo.
Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Segunda-Feira, 2 de agosto de 2010 às 23:38:03
Hugo,


Agora mesmo entrei no site para fazer a senha WEB da NF Carioca e notei que os sistemas estão realmente integrados.
A cada mês que passa você nota o quanto a RFB sabe da vida de todos os contribuintes. Sejam PF ou PJ.
E ainda tem gente que acredita poder burlar o fisco.

Sabe, depois de conversar aqui contigo e com o Saulo vou rever minha carteira de clientes e ajustar algumas contas.

Obrigada,

Regina

Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

Leandro R.f.

Usuário Ativo

postada em: Terça-Feira, 3 de agosto de 2010 às 11:09:55
Pessoal,

Nem preciso dizer que os comentários e colaborações de todos aqui, é de extrema ajuda à todos.

Trocar essas experiências é algo muito proveitoso diante de tantas obrigações que temos.

O que o Saulo citou, sobre muitas vezes até fechar um escritório por ocasião de multas que temos que arcar por falhas e erros, é uma grande verdade. Já vi muitos contadores largarem a profissão por não aguentarem mais, e muitas vezes adoecer e ter que se forçar a mudar de ramo ou se aposentar. E isso é uma coisa que poucos clientes sabem, são raros os que percebem quanta responsabilidade temos, por isso, devemos aprender a cobrar bem.

Estou disposto a fazer uma reforma geral nos honorários e largar certos costumes que só me faz mal, como por exemplo, sem "bonzinho" demais com os clientes e isso não dá certo, pois não levam em consideração o que fazemos de bom e só lembram em poucos segundos o que fazemos de ruím, isso na visão deles, pois mtas vezes ao cobrarmos uma homologação de empregados, já é o suficiente em dizer que somos careiros.

É isso ai!

Abraço

Hugo Ribeiro

Moderador

postada em: Terça-Feira, 3 de agosto de 2010 às 14:22:17

Oi Regina, nossos problemas são comuns e essa troca de informações é mesmo prá um ir passando experiencia para o outro, só assim seremos uma classe forte e respeitada.

Leandro, sobre a questão se "ser bonzinho, tenho um cliente que sempre diz que empresa não têm coração... têm CNPJ.

Abraço a todos.

Hugo
Elismar Pereira Magalhães

Usuário Frequente

postada em: Terça-Feira, 3 de agosto de 2010 às 20:52:09
De fato esse é um dos problemas sérios que todo profissional iniciante de contabilidade passa. É cliente que chega, outros que sai e por ai vai. Estou cada dia apredendo e colocando em pràtica. ENTRE O CONTADOR E O CLIENTE TEMOS APENAS UMA RELAÇÃO COMERCIAL. NADA MAIS......
Abraços a todos.

Elismar
Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Terça-Feira, 3 de agosto de 2010 às 22:54:28
Amigos,

Se analisarmos o que cada de um nós postou, chegamos a conclusão de que temos uma batata quente nas mãos.
Na verdade, cada cliente é um caso a parte.
Tenho clientes de 1 nota; alguns emitem de 5 a 10 notas; e outros mais de 20 notas fiscais ao mês.
Também possuo clientes sem empregados.
E os que têm empregados não tem rotatividade.
Então analisava de forma prática e distribuia meu custo de forma que os menores pagavam menos.
Agora, todos dão o mesmo trabalho. Não importa se emite 1 ou 100 notas por mês. Por enquanto, o único diferencial é aquele não tem empregados.
Concluindo, se nós levarmos a ferro e fogo iremos ficar com a carteira de clientes baixa. Não devemos esqueçer que muitos escritórios contábeis começaram a crescer porque o mercado de pessoal terceirizado (exatamente o cliente de 1 nota só) contratado como PJ para prestar serviço a um único cliente, começou o boom de legalização de empresas em todo o Território Nacional. E até hoje ainda acontece essas aberturas de empresas que mascaram na verdade um empregado que deveria ser CLT.
Também fui prejudicada por ser "boazinha". Mas consegui devolver muitas empresas.
Hoje tenho uma aqui com mais de 6 caixas box; não recebo honorários a mais de 2 anos; e, não consigo devolver os documentos porque o responsável vem me enrolando e eu não quero ter despesa com correio.
De vez em quando depositavam R$ 250,00 e logo depois pediam informações de impostos em atraso ou pediam cálculo de recolhimentos de FGTS ou Previdência em atraso. Eu até estava sendo ingênua e atendia. Mas de uns tempor pra cá, cortei. E quando fizeram o último depósito e pediram o cálculo do FGTS em atraso,sugeri que o sócio administrador fosse a CEF munido de documentos e procurasse levantar o débito da Empresa.
Claro que tenho tudo por escrito e protocolado.
Mas é responsabilidade demais manter a empresa aqui.
E espero que agora eles venham e retirem as caixas.

Bem, este é um pequeno resumo do que já aconteceu aqui.
Não vou cansar vocês com um relato maior ainda.

Só acho que temos que ser cautelosos. Melhor ter 100 clientes pagando pouco e em dia do que 50 clientes com honorários altos e dando calote. Quanto a qualidade do nosso serviço é coisa de profissionalismo. Nós temos que ter o senso de responsabilidade ao assumirmos a escrituração de um cliente. Seja micro, pequeno, lucro presumido ou lucro real, o tratamento tem que ser igual. E o trabalho feito com zelo.
Se praticarmos aquilo que aprendemos não deixando tudo para a última hora não iremos amargar com prejuízos.

Outro detalhe importante é que o contador sempre será um empregado e todo empregado deve vestir a camisa da empresa. Assim pensando, a relação cliente/contador deve ser amistosa. Principalmente porque ele é o conselheiro do empresário. Daí nasce sempre um vínculo de amizade que não deve ser deprezado. Se você trabalhar direito terá a credibilidade, confiança e amizade do seu cliente. Quando isso ocorre, dificilmente algum colega irá tirar esse cliente do seu escritório. Minha carteira é pequena (tenho 27 clientes) e nenhum deles deseja sair do meu escritório. E sempre indicam meu escritório para quem procura um contador.

Não sou nenhuma expert ou fera como muitos dos amigos que nos ajudam no Fórum. Mas procuro ser melhor a cada dia que passa porque gosto do que faço e dependo do meu trabalho porque sou a mantenedora da família.

Uma coisa eu aprendi, cliente não pode atrasar mais de 30 dias. Caso isso aconteça eu começo a cobrar insistentemente e mando circular informando paralização de serviço se os atrasos persistirem. Agindo assim consegui um retorno bom. Mesmo com a minha carteira pequena, nenhum deles quer trocar de contador. Faz muito bem ao ego você escutar um cliente dizer pra alguém que antes de fechar qualquer negócio tem que falar com o Contador. Isso é confiança, gente!

Desculpem-me se falei demais ou se disse algo que pode ofender ou atingir alguém. Só coloquei o que eu penso sobre o que é ser Contador.

Tenham uma ótima noite.

Um forte abraço em todos

Regina

Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil

postada em: Sábado, 21 de agosto de 2010 às 16:27:29
Boa Tarde a Todos,


Gostaria de uma orientação sobre como iniciar meus serviços nesse mundo tão complexo, uma vez que não tenho experiência no ramo mais almejo ter meu escritório de contabilidade, no entanto como este post é relacionado a valores será que existe alguma tabela de preços para São Paulo??? e alguem pode me dá uma orientação sobre meu sonho de empreender??



Muito Obrigado.
Regina Vitoria Rastrelli Teixeira

Usuário 3 Estrelas Novas

postada em: Quinta-Feira, 23 de setembro de 2010 às 17:48:44
Boa tarde Glaydson,


Em todos os Estados do Brasil tem um Sindicato que oferece uma tabela básica para o profissional da área contábil.
Acredito que em SP tem o mesmo sistema que o RJ tem.

Abraços,

Regina

Regina Rastrelli
Rastrelli Assessoria Contábil


mostrando página 1 de 3
1 2 3

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Receba Novidades


Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 1.39 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César