Contábeis o portal da profissão contábil

17
Abr 2014
09:47

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


INSS s/ pró-labore no anexo IV do simples nacional

48respostas
29.359acessos
  

mostrando página 1 de 2
1 2

POSTS RELACIONADOS

Thiago Ferreira Gomes

Usuário Novo

profissãoAuxiliar Contabilidade
mensagens3
pontos27
membro desde28/04/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Terça-Feira, 28 de abril de 2009 às 15:06:42
Boa-tarde, amigos!

Gostaria de saber como funciona o calculo de INSS sobre pró-labore de uma empresa enquadrada no anexo IV do simples nacional (atividade de construção civil).

Já que a empresa não terá funcionários e, somente, um sócio trabalhando, deve-se recolher da empresa 20% sobre o valor pago ao sócio e mais 11% do sócio sobre o mesmo valor?

Outra coisa, o sócio não gostaria de retirar pró-labore. Existe a possibilidade de lançar somente distribuição de lucros mensalmente e informar a sefip sem movimento, com receita?

Agradeço desde já...
Jairo Guimarães Salgado

Usuário 2 Estrelas Novas

profissãoController
mensagens258
pontos1.790
membro desde19/07/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Domingo, 19 de julho de 2009 às 20:30:08
Meu caro Thiago,

O INSS sobre pró-labore para empresa enquadrada no Simples Nacional é de 11%.

Se a empresa não tem funcionário, é apenas os 11% dos sócios.

Se os sócios não retirar pró-labore, não há cobrança do INSS. Porém, precisa enviar a SEFIP, sem movimento.

Pode-se lançar a distribuição mensal, sem problema.

Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito.
Ricardo Antunes

Usuário Novo

profissãoAdvogado(a)
mensagens28
pontos294
membro desde20/07/2009
cidadeJundiai - SP
Postada:Segunda-Feira, 20 de julho de 2009 às 12:03:59
Boa tarde
Gostaria de complementar a pergunta do Thiago com a seguinte colocação:

Se recolher apenas os 11% o contribuinte não terá direito à aposentadoria por tempo de serviço. Caso queira, terá que recolher mais 9%. Isso está correto?

Um abraço
Caroline Pitter

Usuário 5 Estrelas Novas

profissãoContador(a)
mensagens452
pontos2.544
membro desde25/03/2009
cidadeMaringa - PR
Postada:Segunda-Feira, 20 de julho de 2009 às 13:40:33
Não Ricardo. Muita gente confunde essa questão dos 11% com a isenção que o governo deu para quem recolhia INSS como autônomo, facultativo, etc, onde se pode optar de ao invés de recolher 20%, passar a recolher 11%.
Para empresas do simples a alíquota de INSS para o pró-labore é de 11%, pois está isenta da parte da empresa de 20%, que estão obrigadas as empresas normais. Mas isso nada tem a ver com a aposentadoria por tempo de serviço.
Ricardo Antunes

Usuário Novo

profissãoAdvogado(a)
mensagens28
pontos294
membro desde20/07/2009
cidadeJundiai - SP
Postada:Segunda-Feira, 20 de julho de 2009 às 13:49:52
Obrigado pela Resposta, Caroline.

E quanto ao Art. 18, da LC 123/2006, que menciona que não há isenção da parte patronal para as atividades do anexo IV, como no caso de engenheiro?

Vejamos o que diz a norma:

§ 5o-C. Sem prejuízo do disposto no § 1o do art. 17 desta Lei Complementar, as atividades de prestação de serviços seguintes serão tributadas na forma do Anexo IV desta Lei Complementar, hipótese em que não estará incluída no Simples Nacional a contribuição prevista no inciso VI do caput do art. 13 desta Lei Complementar, devendo ela ser recolhida segundo a legislação prevista para os demais contribuintes ou responsáveis: (Incluído pela Lei Complementar nº 128, de 2008)

I - construção de imóveis e obras de engenharia em geral, inclusive sob a forma de subempreitada, execução de projetos e serviços de paisagismo, bem como decoração de interiores; (Redação dada pela Lei Complementar nº 128, de 2008)



Art. 13

VI - Contribuição Patronal Previdenciária - CPP para a Seguridade Social, a cargo da pessoa jurídica, de que trata o art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, exceto no caso da microempresa e da empresa de pequeno porte que se dedique às atividades de prestação de serviços referidas no § 5o-C do art. 18 desta Lei Complementar; (Redação dada pela Lei Complementar nº 128, de 2008)


Nestes casos, ainda permanece a contribuição de apenas 11%? O empresário teria direito à aposentadoria por tempo de serviço?

Obrigado mais uma vez
Adenilza Alessandra A. Barlli

Usuário 5 Estrelas

profissãoEncarregado(a) Contabilidade
mensagens157
pontos2.015
membro desde05/05/2008
cidadeVinhedo - SP
Postada:Terça-Feira, 18 de agosto de 2009 às 09:21:37
Ricardo


Quando a empresa for tributada pelo anexo IV, tem que recolher o INSS patronal.
Sandra Maria da Silva

Usuário Freqüente

profissãoAssistente Contabilidade
mensagens60
pontos409
membro desde05/12/2007
cidadeSanto Andre - SP
Postada:Terça-Feira, 18 de agosto de 2009 às 14:00:13
Boa tarde pessoal
Estou com uma grande dúvida sobre a IN 925/2009. Temos uma empresa que pertence ao anexo I e ao anexo V até 12/2008 e a partir e 01/2009 ao anexo IV. Tive a informação do meu suporte de legislação que devo entregar duas sefip's, uma com o cód 2003 para o pessoal pertencente ao anexo I e outra com o cód 2100 para o pessoal pertencente ao anexo IV. Alguém sab me dizer se esta infomação procede? Lendo a IN tive a impressão que, neste caso, devo entregar apenas sefip com cód 2003 para todo o pessoal, apenas alocando os funcionários em cada obra e deixando o administrativo na própria empresa.
E no caso do meu raciocínio estiver correto, nos meses que a empresa não emitiu notas de vendas o cód da GPS e sefip continuam sendo 2003 ou no referido mês é 2100?

Muito grata a quem puder me ajudar
profissãoTécnico Contabilidade
mensagens29
pontos444
membro desde11/09/2009
cidadePouso Alegre - MG
Postada:Terça-Feira, 29 de setembro de 2009 às 18:46:21
Caro Amigo

Minha duvida é o seguinte: Tenho uma empresa com atividade CNAE 4789-0/02 COMÉRCIO VAREJISTA DE PLANTAS E FLORES NATURAIS e atividade secundaria CNAE 8130-3/00 ATIVIDADES PAISAGÍSTICAS, conforme Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, Art. 18. § 5º-C item I, quando exerço a atividade de PAISAGISMO, recolho o INSS patronal a parte.

Mais tem mêses que não exerço essa atividade, so exerço a comercialização, como fica nesse caso a parte Patronal do INSS ?
Katia Oliveira

Usuário Novo

profissão
mensagens3
pontos65
membro desde19/05/2009
cidadePorto Alegre - RS
Postada:Quinta-Feira, 10 de junho de 2010 às 20:53:23
Olá, Pessoal.

Preciso de uma luz, uma empresa tributada pelo Simples Nacional Anexo IX, paga-se 20% da parte patronal no INSS, quando se tem funcionários e quando só tem pro-labore? Recolhe os 20% do CPP e qual o código da GPS, preciso da base legal.

Obrigada pela atenção.
Eliane Navarro

Usuário Novo

profissãoAuxiliar Escritório
mensagens15
pontos200
membro desde03/11/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Sábado, 2 de outubro de 2010 às 13:44:43
Olá pessoal!!!

Estou com a mesma dúvida em relação ao INSS do anexo IV

Empresa enquadrada no anexo IV, com apenas um sócio retirando o pro-labore. Como será feito o recolhimento do INSS?
11% sobre o pro-labore mais 20% da empresa?

A empresa não tem funcionários.

Agradeço a compreensão.
Abraços
Lílian Mendonça de Oliveira

Usuário Iniciante

profissãoContador(a)
mensagens34
pontos318
membro desde15/02/2011
cidadeVila Velha - ES
Postada:Terça-Feira, 15 de março de 2011 às 17:42:51
Estou com muitas duvidas quanto a isso.

O CPP de uma empresa enquadrada no Anexo IV, é calculado através do valor do serviço pretado o em cima da retirada pró-labore?

Abraços

Lílian Mendonça de Oliveira
LM Contabil
Tec. Contábil
Tel.: (27) 30754802
Cel.: (27) 98043193 / 88094546
Alexandre Cattani

Usuário Novo

profissãoContador(a)
mensagens14
pontos611
membro desde07/04/2011
cidadeCaxias do Sul - RS
Postada:Terça-Feira, 19 de abril de 2011 às 16:52:43
Pessoal, tbm tenho uma dúvida com relação ao Anexo IV, a empresa presta serviços de instalaçõeos elétricas e manutenção de equipamentos, possui 02 funcionários.
Qdo tiver no mês receita apenas de manutenção, enq. no anexo III, devo recolher o CPP 20% também, ou somente o que for descontado dos empregados ??

desde ja agradeço
Alexandre
Claudio Augusto Corrêa

Usuário Novo

profissãoAnalista Contabilidade
mensagens1
pontos11
membro desde27/03/2011
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Segunda-Feira, 14 de novembro de 2011 às 20:30:39
Por favor, alguém pode me ajudar? Tenho uma empresa de Paisagismo Simples nacional e não tenho funcionario. Como faço para recolher o meu INSS pela empresa? Qual obrigação acessoria, codigo, etc, devo utilizar?

Obrigado a todos.
Douglas Fernando Rosa

Usuário Novo

profissão
mensagens2
pontos15
membro desde22/11/2011
cidadeConceicao da Aparecida - MG
Postada:Terça-Feira, 22 de novembro de 2011 às 11:00:14
Bom dia pessoal,

Uma ME de sociedade ltda, enquadrada no simples nacional, é obrigatorio o recolhimento do inss de todos os socios ou é opcional?
Jairo Guimarães Salgado

Usuário 2 Estrelas Novas

profissãoController
mensagens258
pontos1.790
membro desde19/07/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Terça-Feira, 22 de novembro de 2011 às 11:14:35
Caro Douglas,

Pela legislação do INSS, pelo menos 1 dos sócios precisa recolher.

É normal a empresa alegar que os sócios não tem remuneração, mas, o INSS é irredutível em relação ao isso.

Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito.
Douglas Fernando Rosa

Usuário Novo

profissão
mensagens2
pontos15
membro desde22/11/2011
cidadeConceicao da Aparecida - MG
Postada:Quarta-Feira, 23 de novembro de 2011 às 08:35:38
Obrigado Jairo pelo esclarecimento.
Mara

Usuário Novo

profissãoEncarregado(a) Fiscal
mensagens1
pontos16
membro desde12/12/2011
cidadeJuiz de Fora - MG
Postada:Terça-Feira, 27 de dezembro de 2011 às 12:02:23
Caros colegas,

Estou com dúvidas em questão do inss de uma construtora do simples do anexo IV e com empregados.
Alguem pode me responder quais as aliquotas do inss?

Obrigada Mara
profissãoContador(a)
mensagens1
pontos24
membro desde30/10/2011
cidadeContagem - MG
Postada:Quarta-Feira, 28 de dezembro de 2011 às 13:04:01
caros colegas,

Alguem consegue me esclarecer alguma coisa sobre a conectividade social. A caixa economica está mais perdida que os usuários em relação a esse assunto.
Valéria Cristina Pedro

Usuário Iniciante

profissãoAssistente Contabilidade
mensagens32
pontos292
membro desde01/10/2009
cidadeSabara - MG
Postada:Segunda-Feira, 30 de janeiro de 2012 às 14:30:39
Preciso de uma ajuda..Empresa de representação comercial não optante pelo simples ( não enquadra) pode recolher INSS apenas de um dos sócios e qual a %..seria os 20%?
Adenilza Alessandra A. Barlli

Usuário 5 Estrelas

profissãoEncarregado(a) Contabilidade
mensagens157
pontos2.015
membro desde05/05/2008
cidadeVinhedo - SP
Postada:Terça-Feira, 31 de janeiro de 2012 às 08:28:13
Bom dia Valéria


Em uma empresa do Lucro Presumido a folha de Pró-Labore ficaria assim:

Retirada Pro-labore = R$ 1.000,00
INSS 11% (desconto)= R$ 110,00
Líquido a receber Pro-Labore = R$ 890,00

INSS 20%(parte da empresa)= R$ 200,00


Total de INSS à recolher R$ 310,00 (em guia GPS em nome da empresa).

Se no contrato social estiver descriminado que apenas um dos sócios terá direito a retirada pro-labore,você pode recolher INSS somente sobre a retirada desse sócio.
Juliana França

Usuário Novo

profissãoContador(a)
mensagens10
pontos66
membro desde13/03/2012
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Domingo, 25 de março de 2012 às 16:02:22
Pessoal,

E como fica a retenção de INSS de um empresa que possui 2 sócios e ambos retiram o pro-labore. A alíquota será aplicada para os dois? Ressalto que esta empresa é optante pelo Simples.
Jairo Guimarães Salgado

Usuário 2 Estrelas Novas

profissãoController
mensagens258
pontos1.790
membro desde19/07/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Domingo, 25 de março de 2012 às 20:31:58
Cara Juliana,

Se a empresa estiver o Regime do Simples Nacional e, ambos os sócios tiverem retirada de pró-labore, então deverá ser recolhido 11% sobre o valor da retirada, de cada um dos sócios. Neste caso, diferentemente do regime de Lucro Presumido, não há o recolhimento dos 20% relativo à empresa, pois, esta será paga quando houver o cálculo da DAS do Simples.

Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito.
Juliana França

Usuário Novo

profissãoContador(a)
mensagens10
pontos66
membro desde13/03/2012
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Domingo, 25 de março de 2012 às 21:44:42
Obrigada Jairo!

O negócio é que uma pessoa me informou que o necessário é fazer o recolhimento de somente um dos sócios... isso procede?
Jairo Guimarães Salgado

Usuário 2 Estrelas Novas

profissãoController
mensagens258
pontos1.790
membro desde19/07/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Domingo, 25 de março de 2012 às 22:23:37
CaraCaríssima Juliana,

Sim. Procede a afirmação.
O INSS obriga que numa empresa em que existam 2 ou mais sócios, pelo menos um deles recolha o imposto.
Isso se dá, porque se for Simples e a empresa não recolher o INSS para os sócios, irá recolher quando do pagamento da DAS. Então, seria como se o empresário pagasse por algo que não utiliza.

Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito.
Tathiana Oliveira

Usuário Iniciante

profissãoAnalista Contabilidade
mensagens34
pontos280
membro desde03/01/2012
cidadeLorena - SP
Postada:Sexta-Feira, 8 de junho de 2012 às 11:02:57
Bom dia pessoal!

E no caso de empresário individual.
É obrigatório retirada de pro labore e pagto de Inss? ?

Tenho visto somente comentários sobre sociedade e nada de empresário individual. Também não sei se é exatamente pro labore que se diz nesse caso.

Se alguém puder e ajudar, agradeço!!

Tathiana Oliveira
Ricardo Antunes

Usuário Novo

profissãoAdvogado(a)
mensagens28
pontos294
membro desde20/07/2009
cidadeJundiai - SP
Postada:Sexta-Feira, 8 de junho de 2012 às 14:14:08
Boa Tarde, Tathiana!

Primeiramente esclareço que não sou expert no assunto, ou seja, minha participação deve ser interpretada dentro de um contexto e uma análise mais aprofundada!

Pois bem. Entendo que o empresário não é obrigado a retirar prolabore e, via de conseqüencia, não há pagamento de INSS!

o contribuinte individual, a exemplo, o sócio, na competência em que não auferir remuneração (prolabore), poderá, por interesse próprio, contribuir na categoria de facultativo, (§ 2°, do artigo 9°, da IN/RFB n° 971/2009) informando no documento de arrecadação (GPS) o código de pagamento utilizado para essa categoria. Nessa situação, o salário-de-contribuição poderá ser qualquer valor, respeitado os limites mínimo e máximo permitidos.Veja o disposto na norma:

Art. 9º Deve contribuir obrigatoriamente na qualidade de contribuinte individual:
XII - desde que receba remuneração decorrente de trabalho na empresa:
a) o titular de firma individual urbana ou rural, considerado empresário individual pelo art. 931 da Lei nº 10.406, de 2002 (Código Civil).

Tathiana Oliveira

Usuário Iniciante

profissãoAnalista Contabilidade
mensagens34
pontos280
membro desde03/01/2012
cidadeLorena - SP
Postada:Quarta-Feira, 13 de junho de 2012 às 16:41:19
Ricardo, muito obrigada.
Sua colocação e citação me esclareceu plenamente.

Tathiana Oliveira
Ricardo Antunes

Usuário Novo

profissãoAdvogado(a)
mensagens28
pontos294
membro desde20/07/2009
cidadeJundiai - SP
Postada:Quarta-Feira, 13 de junho de 2012 às 21:45:45
Boa Noite!Fico feliz por lhe servir e ser útil. Este site é excelente!
Talita Lália C. Reis

Usuário Novo

profissãoAssistente Depto. Pessoal
mensagens12
pontos51
membro desde29/05/2012
cidadeIbirite - MG
Postada:Sexta-Feira, 22 de junho de 2012 às 15:35:53
Jairo Guimarães
Posso considerar também que Se a empresa não tem funcionário, é apenas os 11% dos sócios para empresa lucro presumido, ou te parte 20% da empresa?
Ricardo Antunes

Usuário Novo

profissãoAdvogado(a)
mensagens28
pontos294
membro desde20/07/2009
cidadeJundiai - SP
Postada:Sexta-Feira, 22 de junho de 2012 às 21:43:54
Mensagem Editada por Ricardo Antunes em 22/06/2012 22:15:44
Boa Noite! Apesar do questionamento ser direcionado ao Jairo, do qual tb gostaria de obter a opinião para reforçar, complementar ou corrigir este post, quero compatilhar o seguinte:

A empresa optante pelo simples, enquadrada no anexo IV, a exemplo, e as demais empresas, incluindo a de lucro presumido, terão que recolher a parte patronal, ou seja, não basta recolher a quantia descontada do contribuinte, seja ele empregado ou sócio. Tb já tive bastante dúvida sobre esta questão que foi respondida gentilmente pela Caroline Pitter anteriormente.

Acerca do percentual citado (11%), quero mencionar:

A Lei 8212/91 considera o empresário como contribuinte obrigatório na qualidade de contribuinte individual. Vejamos:

Art. 12. São segurados obrigatórios da Previdência Social as seguintes pessoas físicas:
(...)
V - como contribuinte individual: (Redação dada pela Lei nº 9.876, de 1999).
f) o titular de firma individual urbana ou rural, o diretor não empregado e o membro de conselho de administração de sociedade anônima, o sócio solidário, o sócio de indústria, o sócio gerente e o sócio cotista que recebam remuneração decorrente de seu trabalho em empresa urbana ou rural, e o associado eleito para cargo de direção em cooperativa, associação ou entidade de qualquer natureza ou finalidade, bem como o síndico ou administrador eleito para exercer atividade de direção condominial, desde que recebam remuneração; (Incluído pela Lei nº 9.876, de 1999).

Segundo o artigo 21 da Lei citada a alíquota de contribuição dos segurados contribuinte individual e facultativo será de vinte por cento sobre o respectivo salário-de-contribuição.

O § 2o do citado dispositivo, prevê a possibilidade de redução da alíquota, para o caso de opção pela exclusão do direito ao benefício de aposentadoria por tempo de contribuição, fixando os seguintes percentuais:
I - 11% (onze por cento), no caso do segurado contribuinte individual, ressalvado o disposto no inciso II, que trabalhe por conta própria, sem relação de trabalho com empresa ou equiparado e do segurado facultativo, observado o disposto na alínea b do inciso II deste parágrafo;
II - 5% (cinco por cento):
a) no caso do microempreendedor individual, de que trata o art. 18-A da Lei Complementar no 123, de 14 de dezembro de 2006; e
b) do segurado facultativo sem renda própria que se dedique exclusivamente ao trabalho doméstico no âmbito de sua residência, desde que pertencente a família de baixa renda.
§ 3o O segurado que tenha contribuído na forma do § 2o deste artigo e pretenda contar o tempo de contribuição correspondente para fins de obtenção da aposentadoria por tempo de contribuição ou da contagem recíproca do tempo de contribuição a que se refere o art. 94 da Lei no 8.213, de 24 de julho de 1991, deverá complementar a contribuição mensal mediante recolhimento, sobre o valor correspondente ao limite mínimo mensal do salário-de-contribuição em vigor na competência a ser complementada, da diferença entre o percentual pago e o de 20% (vinte por cento), acrescido dos juros moratórios de que trata o § 3o do art. 5o da Lei no 9.430, de 27 de dezembro de 1996.
§ 4o Considera-se de baixa renda, para os fins do disposto na alínea b do inciso II do § 2o deste artigo, a família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - CadÚnico cuja renda mensal seja de até 2 (dois) salários mínimos.
§ 5o A contribuição complementar a que se refere o § 3o deste artigo será exigida a qualquer tempo, sob pena de indeferimento do benefício.

Assim, é bom orientar o beneficiário, que a alíquota não dá direito a alguns benefícios previdenciários.

Finalmente, pelo mesmo texto legal já colacionado, entendo que ninguém, em absoluto, é obrigado a retirar prolabore. Veja que a qualidade de contribuinte obrigatório é para o empresário (na situação em debate), que recebe remuneração.

Conforme já dito anteriormente em outra postagem, o contribuinte individual, a exemplo, o sócio, na competência em que não auferir remuneração (prolabore), poderá, por interesse próprio, contribuir na categoria de facultativo, (§ 2°, do artigo 9°, da IN/RFB n° 971/2009) informando no documento de arrecadação (GPS) o código de pagamento utilizado para essa categoria. Nessa situação, o salário-de-contribuição poderá ser qualquer valor, respeitado os limites mínimo e máximo permitidos.Veja o disposto na norma:

Art. 9º Deve contribuir obrigatoriamente na qualidade de contribuinte individual:
XII - desde que receba remuneração decorrente de trabalho na empresa:
a) o titular de firma individual urbana ou rural, considerado empresário individual pelo art. 931 da Lei nº 10.406, de 2002 (Código Civil).


mostrando página 1 de 2
1 2

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

Facebook

Receba Novidades


POSTS RELACIONADOS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

Quem participa

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 1.4 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César