Contábeis o portal da profissão contábil

23
Nov 2017
21:58

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


Incidencia inss sobre aviso previo

38respostas
2.859acessos
  

mostrando página 1 de 2
1 2
Janaina

Usuário Novo

profissão
mensagens14
pontos193
membro desde03/11/2014
cidadeSorocaba - SP
Postada:Sexta-Feira, 10 de março de 2017 às 09:56:13
Bom dia Pessoal!

fique sabendo que o aviso prévio Indenizado não tem mais incidência de INSS , isso procede?

grata

Jana Costa
Fredson Lopes

Usuário Estrela Vermelha

profissãoGestor(a)
mensagens4.600
pontos26.049
membro desde10/06/2013
cidadeSalvador - BA
Postada:Sexta-Feira, 10 de março de 2017 às 09:57:56
Janaina bom dia!

Veja, clique aqui

Fredson Lopes
Analista em Recursos Humanos


''Quando um homem cava um poço muitas pessoas conseguem água''....Não retenha o conhecimento...
Janaina

Usuário Novo

profissão
mensagens14
pontos193
membro desde03/11/2014
cidadeSorocaba - SP
Postada:Sexta-Feira, 10 de março de 2017 às 10:09:00
Mensagem Editada por Janaina em 10/03/2017 10:14:24
bom dia !!

Ai continua com incidência mais recebi da minha consultoria que mudou .

A Nota da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e Coordenação-Geral da Representação Judicial da Fazenda Nacional (CRJ) n° 485/2016, que dispôs sobre o assunto, foi publicada no site da PGFN em 02.06.2016, conforme consta no link http://dados.pgfn.fazenda.gov.br/dataset/notas/resource/0004852016.

Entretanto, não há uma data específica a ser adotada como um marco de início da isenção previdenciária aludida. Isto porque, após a data da publicação do citado ato da PGFN, não há como saber quando efetivamente a RFB inseriu em seu site o tema envolvendo o aviso prévio indenizado e a não incidência da contribuição previdenciária respectiva.


http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/pagamentos-e-parcelamentos/emissao-e-pagamento-de-darf-das-gps-e-dae/calculo-de-contribuicoes-previdenciarias-e-emissao-de-gps/tabela-de-incidencia-de-contribuicao


profissãoContador(a)
mensagens6.954
pontos44.913
membro desde07/11/2009
cidadeRio Grande - RS
Postada:Sexta-Feira, 10 de março de 2017 às 10:50:41
Janaina,

No eSocial dos domésticos, o sistema não calcula o INSS sobre o API. E no Manual do eSocial para as empresas há a referência que só incide FGTS.



Simone Sgarbi

Usuário 3 Estrelas Novas

profissãoAssistente Depto. Pessoal
mensagens308
pontos2.882
membro desde29/07/2015
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 09:49:09
Bom dia colegas,

Este assunto tem gerado uma dúvida imensa aqui no escritório, eu acho que não deve haver incidência, já meus superiores, sim.
Em contato com nossa consultoria, nos foi informado que há incidência. Realmente não sei mais o que fazer...

Simone Sgarbi
Assistente Depto. Pessoal
Rio de Janeiro - RJ


Estefania Drechsler

Usuário 5 Estrelas Douradas

profissãoTécnico Contabilidade
mensagens3.538
pontos19.876
membro desde09/09/2015
cidadeErechim - RS
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 09:59:13


Existe uma grande polemica, já que tal período deve contar para fins de tempo de contribuição então o INSS discute que deve ter incidência, a Receita diz que não por se tratar de uma indenização, na dúvida recolho....
Quelia Cardoso

Usuário Novo

profissãoAssistente Contabilidade
mensagens11
pontos174
membro desde09/01/2017
cidadeGuarulhos - SP
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 10:02:14
Mensagem Editada por Quelia Cardoso em 04/04/2017 10:04:27
Bom dia,

Tem uma solucao da Cosit ( http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/imprimir.action?visao=anotado&idato=81514 ) publicada em 27/03/2017 que diz que não há a incidência de inss sobre aviso prévio, começa a valer a partir da data de publicação? Tenho duas rescisões, que o aviso foi indenizado e dado depois dessa data da publicação, se valer a partir da publicação vou precisar alterar urgente, alguém pode me ajudar a como proceder?

Obrigada.

Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.
Sócrates
Fredson Lopes

Usuário Estrela Vermelha

profissãoGestor(a)
mensagens4.600
pontos26.049
membro desde10/06/2013
cidadeSalvador - BA
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 10:04:34
Mensagem Editada por Fredson Lopes em 04/04/2017 10:08:13
Bom dia pessoal!

Vejamos; diário oficial Nº 59, segunda-feira, 27 de março de 2017

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL
DO BRASIL

SUBSECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO
E CONTENCIOSO
COORDENAÇÃO-GERAL DE TRIBUTAÇÃO
SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 99.014, DE 18 DE OUTUBRO DE 2016
ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁ-
RIAS
EMENTA: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁ- RIAS. AVISO PRÉVIO INDENIZADO.
Nos termos da NOTA PGFN/CRJ/Nº 485/2016, de 30 de
maio de 2016 (aprovada em 2 de junho de 2016), e com esteio no
artigo 19, inciso V, parágrafos 4º, 5º e 7º da Lei n.º 10.522, de 2002,
e no artigo 3º, parágrafo 3º da Portaria Conjunta PGFN/RFB n.º 1, de
2014, o aviso prévio indenizado, exceto seu reflexo no 13º salário,
não integra a base de cálculo para fins de incidência das contribuições
sociais previdenciárias
incidentes sobre a folha de salários.
CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS. FÉ-
RIAS INDENIZADAS.
As importâncias pagas a título de férias indenizadas e respectivo
adicional constitucional não integram a base de cálculo para
fins de incidência de contribuições sociais previdenciárias. SOLUÇÃO DE CONSULTA VINCULADA À SOLUÇÃO
DE CONSULTA N.º 137 - COSIT, DE 2 DE JUNHO DE 2014. CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS. FÉ-
RIAS GOZADAS. TERÇO CONSTITUCIONAL.
As férias gozadas acrescidas do terço constitucional integram
a base de cálculo para fins de incidência das contribuições sociais
previdenciárias. SOLUÇÃO DE CONSULTA VINCULADA À SOLUÇÃO
DE CONSULTA N.º 188 - COSIT, DE 27 DE JUNHO DE 2014. CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS. AUXÍ-
LIO-DOENÇA PAGO NOS PRIMEIROS 15 (QUINZE) DIAS DE
AFASTAMENTO DO EMPREGADO.
Integra o conceito de salário de contribuição para fins de
incidência das contribuições sociais previdenciárias a importância paga
pelo empregador, a título de auxilio-doença, nos primeiros 15
(quinze) dias de afastamento do empregado. SOLUÇÃO DE CONSULTA VINCULADA À SOLUÇÃO
DE CONSULTA N.º 126 - COSIT, DE 28 DE MAIO DE 2014. CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS. COM- PENSAÇÃO.
A pessoa jurídica que apurar crédito relativo à contribuição
previdenciária prevista no inciso I do artigo 22 da Lei n.º 8.212, de
1991, e que for passível de restituição, poderá utilizá-lo na compensação
de contribuições previdenciárias correspondentes a períodos
subsequentes, a ser informada em Guia de Recolhimento do Fundo de
Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social
(GFIP) na competência de sua efetivação, nos termos dos artigos 56
a 59 da Instrução Normativa RFB nº 1.300, de 2012. SOLUÇÃO DE CONSULTA VINCULADA À SOLUÇÃO
DE CONSULTA N.º 188 - COSIT, DE 27 DE JUNHO DE 2014.
DISPOSITIVOS LEGAIS: Constituição Federal de 1988, artigo
195, inciso I, alínea "a"; Lei n.º 8.212, de 1991, artigos 20, 22,
inciso I, 28, inciso I, parágrafo 9º, alíneas "d" e "e", item 6, e 89; Lei
n.º 8.213, de 1991, artigos 59, 60, parágrafo 3º, e 86, parágrafo 2º;
Lei n.º 10.522, de 2002, artigo 19; Consolidação das Leis do Trabalho
(CLT), artigo 487, parágrafo 1º; Regulamento da Previdência Social
(RPS), artigos 104, parágrafo 6º, e 214, parágrafo 4º e 14; IN RFB n.º
1.300, de 2012, artigos 56 a 59; IN RFB n.º 971, de 2009, artigo 56,
inciso IV; Instrução Normativa RFB n.º 1.396, de 2013, artigos 8º,
"caput", e 22 (na redação introduzida pela Instrução Normativa RFB
n.º 1.434, de 2013); Portaria Conjunta PGFN/RFB n.º 1, de 2014;
Solução de Consulta n.º 188 - Cosit, de 2014; Solução de Consulta n.º
137 - Cosit, de 2 de 2014; Solução de Consulta n.º 15 - Cosit, de
2013; e Solução de Consulta n.º 126 - Cosit, de 2014.


FONTE file:///C:/Users/contador.JMMC/Downloads/INPDFViewer%20(1).pdf

Fredson Lopes
Analista em Recursos Humanos


''Quando um homem cava um poço muitas pessoas conseguem água''....Não retenha o conhecimento...
Simone Sgarbi

Usuário 3 Estrelas Novas

profissãoAssistente Depto. Pessoal
mensagens308
pontos2.882
membro desde29/07/2015
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 11:21:35
Quelia Cardoso ,

Minha dúvida partiu exatamente deste ponto.

Fredson, muito obrigada, mas se puder me ajudar ainda fica esta dúvida : Começa a valer a partir da data de publicação?

Simone Sgarbi
Assistente Depto. Pessoal
Rio de Janeiro - RJ


profissãoContador(a)
mensagens6.954
pontos44.913
membro desde07/11/2009
cidadeRio Grande - RS
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 11:50:41
Bom dia!

Art. 9º A Solução de Consulta Cosit e a Solução de Divergência, a partir da data de sua publicação, têm efeito vinculante no âmbito da RFB, respaldam o sujeito passivo que as aplicar, independentemente de ser o consulente, desde que se enquadre na hipótese por elas abrangida, sem prejuízo de que a autoridade fiscal, em procedimento de fiscalização, verifique seu efetivo enquadramento. (Redação dada pelo(a) Instrução Normativa RFB nº 1434, de 30 de dezembro de 2013)

Entendo que a vigência começa a partir de 27/03/2017.

1 pessoa aprovou esta mensagem.

Rafael

Usuário 3 Estrelas Douradas

profissão
mensagens2.093
pontos21.396
membro desde11/06/2014
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 14:02:42
Eu aconselho neste caso contatar o sindicato afim de saber o entendimento, se os mesmo adotaram a questão, pois não ha lei que determina e sim uma solução de consulta.



''Aproveite cada minuto, pois o tempo não volta. O que volta é a vontade de voltar no tempo...''
Sueli Mitikichuki Correia da Silva

Usuário Estrela Dourada

profissãoAnalista Recursos Humanos
mensagens1.044
pontos6.779
membro desde24/07/2009
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 14:32:43
Aqui no escritório meu sistema continua cobrando INSS sobre indenizado preferimos recolher porque vai que depois vem cobrança e juros são absurdos até onde sei é uma liminar que derruba a cobrança e se essa liminar for revogada? após fechamento folhas vou pesquisar melhor mas prefiro cobrar doque depois vem a bomba

Sueli M.Correia da Silva
profissãoContador(a)
mensagens6.954
pontos44.913
membro desde07/11/2009
cidadeRio Grande - RS
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 16:42:05
Liminar foi o que alguns sindicatos obtiveram, há um tempo atrás, suspendendo o desconto sobre o API pago aos seus representados.

Ano passado, a PGFN já tinha publicado uma Nota Explicativa afirmando que não iria mais recorrer ou contestar decisões contrárias à incidência.

Agora, a RFB publica uma SC determinando a não incidência.

Na Tabela de Incidências, no site da RFB, o API consta como isento.







Simone Sgarbi

Usuário 3 Estrelas Novas

profissãoAssistente Depto. Pessoal
mensagens308
pontos2.882
membro desde29/07/2015
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Terça-Feira, 4 de abril de 2017 às 16:47:49
Obrigada Márcio Padilha.

Simone Sgarbi
Assistente Depto. Pessoal
Rio de Janeiro - RJ


Marcos de Oliveira

Usuário 2 Estrelas de Prata

profissãoEncarregado(a) Pessoal
mensagens660
pontos4.614
membro desde23/09/2009
cidadeMaringa - PR
Postada:Quarta-Feira, 5 de abril de 2017 às 08:05:52
Bom dia.

A incidência previdenciária sobre o API aviso prévio indenizado é prevista em decreto de lei , porém a receita diz através de sua SC Solução de Consulta que não precisa recolher, que não considera o API base para recolhimento, existe uma instabilidade, mesmo porque se não há incidência, devemos recuperar os valores pagos indevidamente nos últimos cinco anos, mas com base em SC acho difícil sustentar.

Mesmo diante da instabilidade optaremos em tirar da base de calculo da previdência o API, conforme SC.

1 pessoa aprovou esta mensagem.

profissãoContador(a)
mensagens6.954
pontos44.913
membro desde07/11/2009
cidadeRio Grande - RS
Postada:Quarta-Feira, 5 de abril de 2017 às 09:13:38
Bom dia!

Lembrando que a maioria das decisões dos Tribunais (inclusive o STJ) consideram o API não sujeito à incidência de contribuição previdenciária, mesmo com a edição do Decreto 6.727/2009, que o teria considerado verba remuneratória (sujeito à incidência).

Só a Receita Federal que insistia com essa cobrança, embora determine que não se deve informar o valor do API na GFIP, uma coisa estranha ...

Elisangela Mello Medeiros

Usuário 5 Estrelas Novas

profissãoCoordenador(a) Recursos Humanos
mensagens474
pontos6.882
membro desde28/05/2012
cidadeIjui - RS
Postada:Quarta-Feira, 5 de abril de 2017 às 09:57:11
Bom dia!!!!

Essas coisas me confundem demais, mas tem mais a questão da GFIP que não fechar com a Guia de GPS, isso tbm não poderá dar problemas futuros.

Por que na guia de GPS vai aparecer o valor do recolhimento e na GFIP não vai constar, não irá bater os valores.


Obrigado

Elisangela
profissãoContador(a)
mensagens6.954
pontos44.913
membro desde07/11/2009
cidadeRio Grande - RS
Postada:Quarta-Feira, 5 de abril de 2017 às 13:27:59
Elisangela,

Boa tarde. Pois é, além de não bater os valores GFIP x GPS, como é que a Previdência vai "saber" que determinado funcionário contribuiu sobre o API?
A IN 925/2009 continua em vigor ...

Cada responsável pela folha de pagamento vai ter de definir qual procedimento adotará. Eu já mudei a configuração do sistema de folha que utilizo, retirando a incidência do INSS.
profissãoTécnico Contabilidade
mensagens195
pontos2.226
membro desde03/08/2007
cidadePetropolis - RJ
Postada:Sexta-Feira, 2 de junho de 2017 às 17:18:23
Mensagem Editada por César Augusto Albuquerque Araújo em 02/06/2017 17:30:24
Janaina

Usuário Novo

profissão
mensagens14
pontos193
membro desde03/11/2014
cidadeSorocaba - SP
Postada:Segunda-Feira, 5 de junho de 2017 às 06:57:57
Previdenciária – Aviso Prévio Indenizado

O aviso prévio indenizado sofre a incidência da contribuição previdenciária?


Não. Recentemente, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), com fundamento na Nota PGFN/CRJ n° 485/2016, recomendou aos seus Procuradores que não apresentem contestação ou recurso quando questionada a incidência de contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado.

Além disso, incluiu o tema na lista de dispensa de contestar e recorrer de decisões no sentido da não incidência de contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado, devido ao fato do assunto versar sobre matéria decidida de modo desfavorável à Fazenda Nacional pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), no julgamento do Recurso Especial nº 1.230.957/RS, no sentido de não ser possível conferir caráter remuneratório ao aviso prévio indenizado, porque a verba seria um meio de reparação de um dano e não decorrente da retribuição do trabalho, impossibilitando a incidência de contribuição previdenciária sobre a referida parcela.

Entretanto, foi ressalvado que o entendimento firmado pelo STJ não abrange o reflexo do aviso prévio indenizado no 13º salário, por possuir natureza remuneratória. Assim, sobre esta parcela, permanece o entendimento de que há a incidência da contribuição previdenciária.

Ainda, por força do disposto nos §§ 4º, 5º e 7º, do art. 19, da Lei nº 10.522/2002, a Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) deverá observar o entendimento do STJ contido no RE 1.230.957/RS quanto à impossibilidade de incidência de contribuição previdenciária quanto ao aviso prévio indenizado.

Neste sentido, a RFB, em seu site, já incluiu o tema envolvendo o aviso prévio indenizado e a não incidência da contribuição previdenciária, estando, portanto, vinculada ao entendimento disposto na citada Nota PGFN/CRJ 485/2016.

Ademais, o Manual de Orientação do eSocial para o Empregador Doméstico (Nova Versão 1.8.2, de Maio/2017) traz a previsão da não incidência da contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado. Desta forma, não faz sentido o empregador doméstico estar isento da aludida contribuição e as demais empresas não.
Neste mesmo sentido, é o disposto na recente Solução de Consulta da RFB nº 99.014/2017, publicada no DOU de 27.03.2017.

Portanto, considerando o entendimento do STJ contido no Recurso Especial (RE) nº 1.230.957/RS quanto à impossibilidade de incidência de contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado, visto esta ser considerada verba indenizatória, sem caráter remuneratório, no âmbito da PGFN e da RFB, este é o posicionamento que passa a ser adotado.

Com isso, os empregadores não devem efetuar o desconto e o recolhimento da contribuição previdenciária incidente sobre o aviso prévio indenizado dos empregados, inclusive sobre os dias adicionais do aviso prévio proporcional, trazido pela Lei n° 12.506/2011. Tal entendimento aplica-se também à contribuição previdenciária patronal, a qual também não deverá ser recolhida.

Ademais, as empresas poderão, inclusive, compensar os valores recolhidos nos últimos cinco anos, na forma da IN RFB n° 1.300/2012.

No entanto, sobre o reflexo do aviso prévio indenizado no 13º salário, por esta verba possuir natureza remuneratória, deverá continuar incidindo a contribuição previdenciária, de forma convencional.

Por fim, é importante ressaltar que a legislação previdenciária não sofreu qualquer alteração neste sentido até o momento, porém as empresas deverão deixar de efetuar os recolhimentos da contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado. Eis que a Receita Federal do Brasil não efetuará mais qualquer cobrança neste sentido.

Fonte: CPA

1 pessoa aprovou esta mensagem.

profissãoAuxiliar Depto. Pessoal
mensagens4
pontos33
membro desde07/07/2017
cidadeCatanduva - SP
Postada:Quinta-Feira, 24 de agosto de 2017 às 11:22:41
Receita Federal altera regras sobre geração e preenchimento de GPS em relação ao aviso prévio indenizado

Instrução Normativa (IN) RFB nº 1730/2017 esclarece que a contribuição previdenciária não incide sobre o aviso prévio

http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/2017/agosto/receita-federal-altera-regras-sobre-geracao-e-preenchimento-de-gps-em-relacao-ao-aviso-previo-indenizado
Ana Lisboa

Usuário Novo

profissão
mensagens28
pontos296
membro desde05/09/2012
cidadeJoao Pessoa - PB
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 11:34:58
Instrução Normativa (IN) RFB nº 1730/2017 esclarece que a contribuição previdenciária não incide sobre o aviso prévio
Bem, minha pergunta é: O aviso prévio indenização incide para fgts. Na sefip, como devemos proceder?
Fredson Lopes

Usuário Estrela Vermelha

profissãoGestor(a)
mensagens4.600
pontos26.049
membro desde10/06/2013
cidadeSalvador - BA
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 11:36:43
Ana Lisboa bom dia!

O fgts deve ser recolhido via grrf.

Fredson Lopes
Analista em Recursos Humanos


''Quando um homem cava um poço muitas pessoas conseguem água''....Não retenha o conhecimento...

1 pessoa aprovou esta mensagem.

Ana Lisboa

Usuário Novo

profissão
mensagens28
pontos296
membro desde05/09/2012
cidadeJoao Pessoa - PB
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 11:48:34
Fredson Lopes, já foi recolhido sim, mas quando é transferido para o sefip, na minha folha tá levando o aviso prévio, então os valores ficam diferentes. INSSXFGTS
Fredson Lopes

Usuário Estrela Vermelha

profissãoGestor(a)
mensagens4.600
pontos26.049
membro desde10/06/2013
cidadeSalvador - BA
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 11:51:20
Ana Lisboa,

O que esta dando divergência não é o inss?

Fredson Lopes
Analista em Recursos Humanos


''Quando um homem cava um poço muitas pessoas conseguem água''....Não retenha o conhecimento...
Ana Lisboa

Usuário Novo

profissão
mensagens28
pontos296
membro desde05/09/2012
cidadeJoao Pessoa - PB
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 12:11:53
(Regra 14) Mensagem digitada em CAIXA ALTA (CAPS LOCK) ou totalmente formatada (negrito, itálico, etc). por Márcio Padilha Mello em 13/09/2017 13:54:32
È sim, porque quando o aviso vai para a sefip, de imediato É adicionado o inss. entÃo o inss da folha nÃo bate com o do sefip, esse mÊs vou retirar o aviso prÉvio da sefip manualmente, sÓ assim, vai bater folhaxsefip.
Marcos de Oliveira

Usuário 2 Estrelas de Prata

profissãoEncarregado(a) Pessoal
mensagens660
pontos4.614
membro desde23/09/2009
cidadeMaringa - PR
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 13:10:49
Boa tarde.

Acredito que falte parametrizar a verba do API na folha de pagamento, configurando sim para base de calculo do FGTS e não para o INSS
Fredson Lopes

Usuário Estrela Vermelha

profissãoGestor(a)
mensagens4.600
pontos26.049
membro desde10/06/2013
cidadeSalvador - BA
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 13:13:24
Ana Lisboa boa tarde!

Normalmente o que acontece é o inverso, quando temos rescisão com aviso indenizado o sistema faz o desconto do inss mais não leva para o sefip, para que fique certo você tem 2 alternativas;

1ª) Veja o que diz a IN RFB nº 1730/2017, o aviso prévio indenizado, exceto seu reflexo no 13º salário, não integra a base de cálculo para fins de incidência das contribuições sociais previdenciárias incidentes sobre a folha de salários. clique aqui

2ª) Se você deseja que continue a sofrer incidência de inss sobre o aviso indenizado, deveras lançar manualmente no sefip o valor do aviso para que faça o desconto do inss e fique correto com a folha.

Fredson Lopes
Analista em Recursos Humanos


''Quando um homem cava um poço muitas pessoas conseguem água''....Não retenha o conhecimento...
profissãoContador(a)
mensagens6.954
pontos44.913
membro desde07/11/2009
cidadeRio Grande - RS
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 13:50:42
Ô, Fredson, que orientação é essa?!

2ª) Se você deseja que continue a sofrer incidência de inss sobre o aviso indenizado, deveras lançar manualmente no sefip o valor do aviso para que faça o desconto do inss e fique correto com a folha.

O API não deve ser lançado na GFIP. Nem quando a RFB insistia na incidência previdenciária deveria ser informado, conforme Instrução Normativa 925/2009:
Art. 6º As pessoas jurídicas ou os contribuintes equiparados que efetuarem rescisão de contrato de trabalho de seus empregados e pagarem aviso prévio indenizado, deverão preencher o SEFIP da seguinte forma:
I - o valor do aviso prévio indenizado não deverá ser informado; e


Ana Lisboa

Usuário Novo

profissão
mensagens28
pontos296
membro desde05/09/2012
cidadeJoao Pessoa - PB
Postada:Quarta-Feira, 13 de setembro de 2017 às 13:55:12
Mensagem Editada por Ana Lisboa em 13/09/2017 14:47:59
Gente, muito obrigada pela informação!

O API não deve ser lançado na GFIP. Nem quando a RFB insistia na incidência previdenciária deveria ser informado, conforme Instrução Normativa 925/2009:
Art. 6º As pessoas jurídicas ou os contribuintes equiparados que efetuarem rescisão de contrato de trabalho de seus empregados e pagarem aviso prévio indenizado, deverão preencher o SEFIP da seguinte forma:
I - o valor do aviso prévio indenizado não deverá ser informado; e


Nesse caso acima é para empresas que não descontaram inss é? Mas e as empresas que descontaram, se não informar o aviso prévio, o inss na sefip, não vai bater com a folha de pagamento.

mostrando página 1 de 2
1 2

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

Consulta de NFes direto da Sefaz Com download automático de XMLs de NFes e NFSes, DANFes e mais

20% de desconto nos primeiros 6 meses! Descontos especiais para escritórios contábeis.

conheça mais

Facebook


x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.4 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César