Contábeis o portal da profissão contábil

15
Aug 2018
09:37
DIA 13 SEGUNDA

O Maior Evento Online Brasileiro de Contabilidade

Gratuito 100% online

VEJA AS PALESTRAS DE HOJE

DIA 13 SEGUNDA

13 a 17 de agosto de 2018

www.conbcon.com.br

O Maior Evento Online Brasileiro de Contabilidade

100% online Gratuito
Cláudio Miranda

Cláudio Miranda

Formação Profissional

Turnover de pessoal e qualidade de vida no trabalho nas Empresas de Auditoria Externa

Fátima Roden

Fátima Roden

Tributário e Trabalhista

Alterações a partir de 2018 em relação ao ISS e ISS fixo no Simples Nacional

Vanildo Veras

Vanildo Veras

Empreendedorismo

Excelência ou sorte, eis a questão

Fernanda Rocha

Fernanda Rocha

Empreendedorismo

Contabilidade Consultiva: o Caminho da Riqueza e da Prosperidade

Gilberto Cunha

Gilberto Cunha

Empreendedorismo

Quero comprar de você

Marcelo Voight Bianchi

Marcelo Voight Bianchi

Gestão Empresas Contábeis

Empresa Contábil: Um Grande Negócio do Século XXI

Adriano Vermolhem

Adriano Vermolhem

Gestão Empresas Contábeis

Marketing Digital na prática para Escritório Contábeis

Gabriel Manes

Gabriel Manes

Tecnologia

Como conquistar produtividade, satisfação do cliente e crescimento

Domingos Vasco

Domingos Vasco

Tributário e Trabalhista

Aspectos Legais e Gerais do eSocial

Divane Alves

Divane Alves

Normas Contábeis

Normas Contábeis - Surgimento e Aplicação

Rogério Fameli

Rogério Fameli

Gestão Empresas Contábeis

Marketing Digital de Performance e Captação de Clientes de Contabilidade

Mauro Negruni

Mauro Negruni

Tributário

Resultados do novo modelo da DCTFWeb

Fernando Almeida

Fernando Almeida

Formação Profissional

Como elaborar um projeto de pesquisa?

Alizete Alves

Alizete Alves

Tributário e Trabalhista

16:00 - eSocial - Impactos e ações para uma entrega de sucesso

Christiano Santos

Christiano Santos

Normas Contábeis

CPC/IFRS 17 Contratos de Seguros

Isis Abbud

Isis Abbud

Empreendedorismo

Contadores conseguem inovar?

Gilmar Duarte

Gilmar Duarte

Gestão Empresas Contábeis

Honorários Contábeis: Segredos da precificação

Vinicius Roveda

Vinicius Roveda

Tecnologia

Transformação do mercado contábil: de 2015 a 2020

José Luiz Fondacaro

José Luiz Fondacaro

Tributário e Trabalhista

Fim do Emissor do Cupom Fiscal - E Agora?

Paulo Vaz

Paulo Vaz

Gestão Empresas Contábeis

Contabilidade Digital e on-line: Aspectos de Estratégicos

Simoní Pechebela

Simoní Pechebela

Tributário

Código GTIN validação e obrigatoriedade aplicada a NF-e e NFC-e

Hélio Donin

Hélio Donin

Tecnologia

Contabilidade e as ferramentas tecnológicas da atualidade

PERDEU AS PALESTRAS DE ONTEM? CLIQUE AQUI

MAIS PALESTRAS DE HOJE

« »

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


DIFAL entre Matriz (RJ) e Filial (SP)

5respostas
799acessos
  

Antonio Marcos

Usuário Frequente

profissãoAssistente Fiscal
mensagens62
pontos789
membro desde27/04/2015
cidadeItaborai - RJ
Postada:Segunda-Feira, 28 de maio de 2018 às 09:24:02
Bom dia

Caros Colegas,

Estou realizando uma transferência de mercadoria de minha Matriz (RJ) para a Filial (SP), a empresa é do Simples Nacional.

Minha dúvida seria a seguinte: é devido o Difal na entrada para mercadorias para revenda, mesmo que a mesma seja de transferência de Matriz e Filial?

Aqui no RJ nessas situações não a DIFAL para revenda de mercadoria, mas não conheço bem a legislação de SP.

" Aprender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende"
Ruben Cunha

Usuário 4 Estrelas Novas

profissãoConsultor(a) Tributário
mensagens376
pontos2.231
membro desde15/07/2014
cidadeSanto Andre - SP
Postada:Sexta-Feira, 1 de junho de 2018 às 09:53:42
Bom dia ,

Não há previsão legal sobre essa cobrança sob transferência , mas peço que entre com uma consulta tributária perante ao fisco de SP , por segurança !!

Att.
Assessoria & Consultoria Fiscal
fiscal.emissaoja@gmail.com
11 98302-5553 Whatsapp
Antonio Marcos

Usuário Frequente

profissãoAssistente Fiscal
mensagens62
pontos789
membro desde27/04/2015
cidadeItaborai - RJ
Postada:Sexta-Feira, 1 de junho de 2018 às 11:57:26
Obrigado

Ruben.

" Aprender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende"
Jose Flavio da Silva

Usuário 2 Estrelas Douradas

profissãoAtendente
mensagens1.584
pontos8.953
membro desde24/10/2017
cidadeFortaleza - CE
Postada:Sexta-Feira, 1 de junho de 2018 às 15:20:29
Dando minha opinião, entendo que o ICMS é devido a favor de São Paulo!
Que as optantes pagam ICMS diferencial (quando adquirem para revenda, industrialização, imobilizado, não é novidade, art. 2º, XVI, combinado com o art. 115-A, todos do RICMS/SP), ainda que remetidas por outro optante do simples.
É que temos que observar que os estabelecimentos são autônomos para efeitos tributários, ver art. 15, §2º, RICMS/SP:

"Artigo 15 - É de responsabilidade do respectivo titular a obrigação tributária atribuída pela legislação ao estabelecimento (Lei 6.374/89, art. 15).
..
§ 2º - Para efeito de cumprimento de obrigação tributária, entende-se autônomo cada estabelecimento do mesmo titular, ainda que simples depósito".

E esse procedimento não é à toa pois os Fiscos sabem muito bem que existem esquemas de contribuintes, que muitas vezes se instalam em outros Estados justamente para sonegarem, buscarem benefícios fiscais irregulares em outros Estados, etc. prejudicando o Estado onde as mercadorias de fato irão ficar. Por exemplo, imagine que não existisse DIFAL nessa operação, então, o contribuinte optante iria abrir uma filial no RJ apenas para transferir ao estabelecimento de SP, nunca pagando o DIFAL para SP. Ele nunca iria vender um centavo no RJ pois a abertura seria apenas para transferir as mercadorias e lesar o erário de São Paulo (aqui é apenas um exemplo, um alerta do que os contribuintes são capazes).
Mesmo quando os Estados percebem a fraude e tentam cassar a inscrição estadual (fechar o estabelecimento) os contribuintes mal intencionados buscam o Judiciário e se mantém com ordem judicial (liminares) perpetuando a sonegação.

Obs. Agora, o colega Rubem Cunha orientou uma consulta, faça isso, mas aconselho a pagar o ICMS DIFAL antes da resposta à consulta. Caso seja favorável ao Fisco então já pagou e não deve nada, caso seja desfavorável ao Fisco a própria resposta irá determinar que seja restituído os valores pagos.
Antonio Marcos

Usuário Frequente

profissãoAssistente Fiscal
mensagens62
pontos789
membro desde27/04/2015
cidadeItaborai - RJ
Postada:Terça-Feira, 5 de junho de 2018 às 11:18:30
Bom dia

Jose Flávio,

Isto realmente me causou uma grande dúvida, fiz uma pesquisa e vi a resposta escrita da Sefaz para um determinado contribuinte:

RESPOSTA À CONSULTA TRIBUTÁRIA 17287/2018, de 06 de Abril de 2018.



Disponibilizado no site da SEFAZ em 11/04/2018.


Ementa


ICMS – Transferência de mercadoria procedente de outro Estado com destino a estabelecimento de optante pelo Simples Nacional localizado neste Estado.

I.O imposto correspondente ao diferencial de alíquotas (artigo 13, § 1º, XIII, “h”, da Lei Complementar 123/2006) é devido apenas nas aquisições de bens ou mercadorias efetuadas em outros Estados e no Distrito Federal, o que compreende apenas as aquisições de terceiros, não compreendendo as transferências entre estabelecimentos de um mesmo titular.

Relato

1.A Consulente, optante pelo Simples Nacional e tendo por atividade principal o “comércio varejista de artigos esportivos”, conforme CNAE (47.63-6/02), informa que “irá receber mercadorias em processo de transferência de sua filial estabelecida em SC, através do CFOP 6152”.


2.Pergunta se “será devido por ela o imposto correspondente ao diferencial de alíquotas (artigo 13, § 1º, XIII, “h”, da Lei Complementar 123/2006”.

Interpretação

3.Assim prevê o artigo 13, VII, § 1º, XIII, “h”, e §5º, da Lei Complementar n° 123/2006:


“Art. 13. O Simples Nacional implica o recolhimento mensal, mediante documento único de arrecadação, dos seguintes impostos e contribuições:

(...)

VII - Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - ICMS;


(...)



§ 1o O recolhimento na forma deste artigo não exclui a incidência dos seguintes impostos ou contribuições, devidos na qualidade de contribuinte ou responsável, em relação aos quais será observada a legislação aplicável às demais pessoas jurídicas:

(...)

XIII - ICMS devido:

(...)

h) nas aquisições em outros Estados e no Distrito Federal de bens ou mercadorias, não sujeitas ao regime de antecipação do recolhimento do imposto, relativo à diferença entre a alíquota interna e a interestadual;

(...)

§ 5º A diferença entre a alíquota interna e a interestadual de que tratam as alíneas g e h do inciso XIII do § 1º deste artigo será calculada tomando-se por base as alíquotas aplicáveis às pessoas jurídicas não optantes pelo Simples Nacional.

4.Conforme se verifica do dispositivo transcrito, o imposto correspondente ao diferencial de alíquotas é devido pelo contribuinte optante pelo Simples Nacional apenas nas aquisições de bens ou mercadorias efetuadas em outros Estados e no Distrito Federal, o que compreende apenas as aquisições de terceiros não compreendendo as transferências entre estabelecimentos de um mesmo titular, que não se caracterizam como aquisições.

5.Assim nas transferências de mercadorias procedentes de outro Estado com destino a estabelecimento optante pelo Simples Nacional situado neste Estado, não ocorre o fato gerador previsto no artigo 2º, XVI, do RICMS/2000, de maneira que, não é devido o diferencial de alíquotas na situação trazida à análise.

Como ela só tem valor para quem perguntou, eu também fiz a mesma pergunta e assim que obtiver resposta coloco aqui para vcs.

" Aprender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende"
Jose Flavio da Silva

Usuário 2 Estrelas Douradas

profissãoAtendente
mensagens1.584
pontos8.953
membro desde24/10/2017
cidadeFortaleza - CE
Postada:Terça-Feira, 5 de junho de 2018 às 11:49:47
Antônio Marcos, entendo que tem valor para todos! O procedimento para um contribuinte, tem que valer para os demais. Imagine, que para um contribuinte não paga ICMS, para outro paga ICMS (só porque a SEFAZ não gosta desse outro contribuinte?)!
A resposta para um, vale para todos, é o entendimento da SEFAZ desse Estado!

Essa resposta não é válida para outros Estados, mas para os contribuintes do mesmo Estado é válida sim. Não pode ter dois tratamentos tributários!

Obs. Fica claro que o Estado de São Paulo não quer esse ICMS, nas transferências o Estado não quer esse ICMS e pronto!

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

conheça mais

Facebook


x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César