Contábeis o portal da profissão contábil

30
Out 2014
21:48
você está em:

FÓRUM CONTÁBEIS » Contabilidade

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


Contabilização - Construção Civil

75   respostas
26.063   acessos
  

mostrando página 1 de 3
1 2 3

POSTS RELACIONADOS

Solange

Usuário Novo

postada em: Segunda-Feira, 26 de março de 2007 às 09:18:16
Prezados;

Estou começando a trabalhar com contabilidade agora e estão surgindo algumas duvidas como;

1 - Qual lançamento preciso fazer no inicio do exercicio, pois antes a contabilidade estava num escritorio e em 2007 sera feito na propria empresa, quais lançamentos precisam ser observados?

2 - Quando faço os lançamentos de compras de material para utilizar nas obras, faço a seguinte provisão-

D - Materias aplicados (ativo)
c - Fornecedores (Passivo)

Pagamento

D - fORNECEDOR (Passivo)
C - CX OU BCO (Banco)

A duvida seria em qual momento este valor se torna um lançamento no grupo da conta Custa ou despesa.

Aguardo retorno....
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Segunda-Feira, 26 de março de 2007 às 18:55:44
Boa noite Solange,

Se a contabilidade estava sob a responsabilidade de um Escritório Contábil e a partir de 2007 deverá ser elaborada na empresa, a primeira providência a ser tomada deverá ser a transferência dos saldos das contas do Balanço Patrimonial mais precisamente do Balancete Analítico para seu Plano de Contas.

Elabore um Plano de Contas que atenda as necessidades da empresa ou, se acostumados, peça permissão para o pessoal do Escritório e use as mesmas contas usadas por eles para dar continuidade à contabilidade.

Vale dizer (em resposta a sua pergunta) que os primeiros lançamentos a serem feitos no seu caso, são os de transferência de saldos para o novo plano de contas.
Luiz José

Moderador

postada em: Segunda-Feira, 26 de março de 2007 às 22:46:01
Com relação a seu questionamento sobre os lançamentos, tenho a dizer o seguinte:

Seria um bom procedimento que seus insumos primeiro entrassem no estoque, e posteriormente fossem alocados na conta Custo de Produção, visto que nem sempre os materiais adquiridos são absorvidos de uma só vez em tal ou qual unidade de produção, porém como cada caso é um caso, cabe a você decidir. No entanto, sua pergunta final, justifica o meu ponto de vista, porque somente quando o material é solicitado para aplicação em tal e qual produto, nesse momento é que ele deixa de ser material e passa ser custo daquele produto.

Fora esse detalhe, os outros lançamentos estão corretos, se ainda houver dúvidas volte a postar aqui forum.

AVISO AOS NAVEGANTES: Qualquer pessoa tem o direito de presumir–se inocente até a sua culpabilidade ser provada. Cabe a cada um ser reto em suas ações para que seja sempre inocente.
Solange

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 27 de março de 2007 às 08:30:20
Muito Obrigado ao Srº Saulo e Srº Luiz Jose ambas as respostas foram de grande ajuda.

Fiquem na Paz.... Solange
Solange

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 27 de março de 2007 às 13:32:29
Luiz....

Então posso desconsiderar a conta custo no balanço da empresa, uma vez que as compras se realizam conforme necessidade da obra. Temos um programa a parte onde controla o custo por tipo de materia prima comprada.

Aguardo Retorno...

Solange
Luiz José

Moderador

postada em: Terça-Feira, 27 de março de 2007 às 15:59:02
Solange, você não pode desconsiderar a conta "custos" no balanço da empresa, porque ele é um componente do Resultado do Exercicio, sendo necessário dar conhecimento do seu montante perante os esforço para conseguir uma receita. Lembrando que no processo produtivo seja ele qual for, não é somente os materiais aplicados (custos diretos) que fazem parte do custo, também os custos indiretos e gastos gerais, portanto, se existe uma conta que a princípio poderia ser desconsiderada, seria a conta de estoques, nesse caso a compra de materiais seria alocados diretamente ao custo, ja que como você mesmo diz, as compras se realizam conforme a necessidade da obra. Você pode usar os relatórios gerados pelo seu programa para efetuar os lançamentos na contabilidade.

AVISO AOS NAVEGANTES: Qualquer pessoa tem o direito de presumir–se inocente até a sua culpabilidade ser provada. Cabe a cada um ser reto em suas ações para que seja sempre inocente.
Claudio Rufino

Moderador

postada em: Terça-Feira, 27 de março de 2007 às 16:14:40
solange, Complementando o que o nosso amigo Luiz diz, na prática você poderá fazer os seguintes lançamentos, levando em conta que as compras são efetuadas de acordo com a necessidade da obra:

Pelas compras no mês:

D - Material para uso na obra do cliente(custos - CR)
C - Fornecedores(PC)..... 120,00

Veja, já tive uma empresa que era semelhante a essa ai sua, e sempre fizemos as contabilização dessa forma, já que os procedimentos adotados eram justamente os mesmos, ou seja, as aquisições de materiais aconteciam de acordo com a necessidade da obra.

Espero ter colaborado e havendo mais dúvidas poste aqui novamente.

Não as franquias de serviços contábeis
Professor de Contabilidade
http://www.contabilidadesemsegredos.com.br
http://professorclaudiorufino.blogspot.com/
twitter @claudio_rufino
skype : c_rufino
@FCSContabeis
http://www.facebook.com/fcscontabeis
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Terça-Feira, 27 de março de 2007 às 21:51:12
Boa noite Solange,

Chamou minha atenção a troca de informações mantida por você neste tópico e me ocorreu que talvez não estejam falando a mesma "linguagem".

Esclareça (por favor) uma questão pertinente ao assunto:

Ao mencionar "compras de material para utilizar nas obras" e empresa de "construção civil", você estava se referindo a uma incorporadora?

Qual é exatamente a atividade da sua empresa, ela constrói obras apenas sob contratos ou constrói (também) para venda?
Solange

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 28 de março de 2007 às 08:19:41
Srº Saulo... Bom Dia


O carro chefe da empresa é construção com condominio fechado. Onde toda as obrigações são nossas por Administrar a obra, inclusive a contabilidade.

Mais os socios da empresa estao construindo uma obra por SCP, onde a contabilidade sera feita a parte da "matriz".

Aguardo retorno;

Solange
Saulo Heusi

Usuário VIP

postada em: Quarta-Feira, 28 de março de 2007 às 11:36:33
Bom dia Solange,

Ao que tudo indica, parece que minhas "suspeitas" estavam certas. A chamada construção em condomínio fechado nada mais é do que a construção de imóveis em um loteamento único ou "fechado".

Considere no entanto, que neste tipo de atividade estão implícitos o loteamento e a construção de imóveis que caracterizam a incorporação.

Se incorporadora é, os lançamentos contábeis não são tão simples como se demonstrou, haja vista que há a necessidade do registro contábil dos custos orçados e de sua realização sob pena de ter sua contabilidade desclassificada pelo fisco.

Por oportuno cabe lembrar que as empresas cujas atividades seja a compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis cujas operações imobiliárias não estejam concluídas e para as quais hajam custos orçados, não podem optar pela tributação na sistemática do Lucro Presumido.

Vale dizer que havendo os registros contábeis de custos orçados e não realizados (obras não concluídas) a empresa estará obrigada à tributação pelo Lucro Real Trimestral ou por Estimativa Mensal.

É o que determina o Artigo 2º da IN SRF 025/1999 publicada no DOU do dia 01 de Março daquele ano, que em parte abaixo transcrevo;

Art. 1º Nas atividades de compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis, as variações monetárias a que se refere o art. 9° da Lei n° 9.718, de 27 de novembro de 1998, para efeitos do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro líquido, terão o seguinte tratamento:

...

Art. 2° As pessoas jurídicas que exerçam as atividades referidas no artigo anterior não poderão optar pelo lucro presumido enquanto não concluídas as operações imobiliárias para as quais haja registro de custo orçado.


Confira;

http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/ins/ant2001/1999/in02599.htm

Face ao exposto, é importante que você tome providências neste sentido, analisando a contabilidade existente e ou indagando os responsáveis sobre a exata posição da empresa em relação as suas atividades e a forma de tributação adotada.
Eduardo

Usuário Novo

postada em: Quinta-Feira, 23 de agosto de 2007 às 17:18:29
Boa tarde

Na verdade gostaria de saber qdo é que reconhecemos os Custos/Despesas no seguinte caso e se durante os anos como será a apuração do Lucro ou Prejuizo.

Empresa de Construção, onde adquiriu o terreno e está construindo casas ( cond.fechado ) para serem vendidas, nesse condominio terá a area em comum ( lazer ) e diversas casas.

Pelo que entendi todos os materiais devem ser contabilizados em uma conta de Imoveis a comercializar no Ativo. Isso ocorreu durante todo o ano de 2006 e vai ocorrer nos proximo dois anos, pois só em 2009 que será feita a conclusão da obra e com isso a venda ( reconhecimento da receita ).
Quais são os lançamentos corretos nesse caso. E qdo e como será feita a apuração dos lucros, e quais são os impostos a serem pagos.

Obrigado
postada em: Sexta-Feira, 30 de abril de 2010 às 15:57:06
Boa tarde

Estou fazendo os lançamentos contábeis de uma construtora (constrói edifícios e vende os aptos), gostaria de saber como faço o lançamento da compra de 2 elevadores que serão utilizados na obra atual de 1 edifício. Existe o contrato de compra efetuado em Janeiro/2010 dos 2 elevadores, aonde consta os valores das prestações e as datas de pagamento( 12 prestações), e a data de entrega dos elevadores e instalação: elevador 1: 20/12/2010; elevador 2: 20/01/2011. Portanto, ocorreu a compra, mas não a entrega e instalação, como faço o lançamento dessa compra?

Obrigado
Washington Luiz Ramos Cruz

Usuário 3 Estrelas de Prata

postada em: Terça-Feira, 4 de maio de 2010 às 13:59:30
Oi Mônica, ficará assim:

Imobilizado

Equipamentos (D)

Banco ou Caixa (C), obs.será lançado os valores quando pago as prestações.

Se já tem o contrato de compra e venda com está data deve ser lançado de acordo com o contrato.

Pesso que vc se informe mais se eu estiver equivocado.

Abraços.

Washington Luiz Ramos Cruz
http://mw-contabilidade.negociol.com/
email:washingtoncontabilidade@hotmail.com
Jesus Cristo é o único salvador.
Carlos Cobraterra

Usuário Iniciante

postada em: Terça-Feira, 4 de maio de 2010 às 16:14:44
Prezada Mônica, espero que ainda esteja em tempo para ajudá-la. Nosso amigo Washington infelizmente se equivocou ao não atentar-se ao fato de se tratar de uma construtora, mas ainda sim devemos agradecer seu esforço. No seu caso, seu elevadores integraram o custo de sua obra, devendo ser, no momento de sua entrega, contabilizado no estoque correspondente a incorporação. Inicialmente, por ocasião da assinatura do contrato de compra dos elevadores, você poderá contabilizá-los no Ativo, no subgrupo "Outros Créditos" em conta que poderá denominar-se "Contratos com Fornecedores", como se fosse "adiantamentos a fornecedores", entende? Quando ocorrer o recebimento do equipamento, a ser instalado em sua obra, devidamente acompanhado das Notas Fiscais, então você poderá dar baixa desta conta "Contratos com Fornecedores", lançando a contra-partida em Estoque, na conta da Incorporação. Exemplificando:

- Na contratação da compra dos elevadores (observar grupo/subgrupo/conta):

D: Ativo/Circulante/Outros Créditos/Contratos com Fornecedores...
C: Passivo/Circulante/Fornecedores...

- No recebimento dos elevadores:

D: Ativo/Estoque/Incorporação...
C: Ativo/Circulante/Outros Créditos/Contratos com Fornecedores...

Espero ter ajudado e peço que sinta-se a vontade para perguntar sempre.
Atc.
postada em: Quarta-Feira, 5 de maio de 2010 às 09:04:50
Obrigada pela ajuda!!
Anselmo

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 5 de maio de 2010 às 21:15:18
Prezados!!!

Estou contabilizando uma empresa que compra imoveis, constroi e vende. Contabilizei o terreno no estoque (AC) e os custos em materiais consumidos (AC), apropriei o contrato Promessa de Venda no (PC) e conforme estou recebendo as parcelas pela venda Lanço como Receita de Vendas(Regime de Caixa).A minha duvida é como devo apropriar os custos e o terreno (imovel) onde foram contruidas cinco casas, tenho que fazer rateio pelo recebimento???Contabilizo no momento do contrato como Promessa de Venda???Ou quando sair a escritura definitiva pois trata-se de financiamentos pela caixa.
Carlos Cobraterra

Usuário Iniciante

postada em: Quinta-Feira, 6 de maio de 2010 às 09:34:46
Caso as vendas ainda não estejam efetivadas (contratos devidamente assinados) você pode contabilizar os recebimentos como "Adiantamentos de Promitentes" (PC), o que neste caso adia a tributação destes recebimentos até efetivação da venda. Quando da efetivação da venda, você contabiliza o valor total do contrato em conta de "Clientes" (AC), e a contra-partida em conta de "Receitas Diferidas/Resultados de Exercícios Futuros" (PñC). Os recebimentos passariam, a partir daí, a ser contabilizados em 2 lançamentos, da seguinte forma:

D:Caixa/Bancos (AC)
C: Clientes

D: Receitas Diferidas/Resultado Exercícios Futuros (PñC)
C: Receitas de Vendas (CR)

Fique atento que, caso recebimentos tenham sido lançados em "Adiantamentos de Promitentes" (PC), antes da efetivação da venda, os mesmos devem ser baixados, por ocasião da efetivação da venda, procedendo os lançamentos como demonstrados acima, porém, substituindo a conta "Caixa/Bancos" (AC) pela conta "Adiantamento de Promitentes" (PC).

Quanto aos custos do imóvel vendido, por ocasião da efetivação da venda, o custo total, acumulado na conta estoque, deve ser lançado em conta de "Custos Diferidos/Resultado de Exercícios Fututros" (PñC) em contra-partida a conta "Estoque" (AC).
Estes custos serão apropriados (lançados no resultado) proporcionalmente aos valores efetivamente recebidos, aplicando-se o percentual obtido na razão "custo/venda", através do seguinte lançamento:

D: Custos de Vendas (CR)
C: Custos Diferidos/Resultado de Exercícios Futuros (PñC).

Além das particularidades acima, ainda existem as questões relativas a correção contratual, que trará alterações nos valores a receber (contas "Clientes"/"Receitas Diferidas"). Atente-se ao fato de que, caso haja esta correção prevista em contrato, os custos diferidos deverão ser corrigidos proporcionalmente, sendo que, neste caso, o valor dessa correção será lançado em contra-partida em conta de "resultado financeiro" e estará sujeito a tributação nos moldes desta classificação.

Quanto ao critério para reconhecimento da venda (efetivação, para apropriação de receitas e despesas e apuração tributária), se será pela promessa (contrato particular) ou escritura definitiva, é prudente que seja feito no primeiro momento (promessa) principalmente se as cláusulas desse contrato particular garantir a entrega do imóvel. Caso não haja contrato particular ou escritura definitiva, esta efetivação também deve ser reconhecida por ocasião da entrega do imóvel.

Espero ter ajudado.
Até...
Anselmo

Usuário Novo

postada em: Quinta-Feira, 6 de maio de 2010 às 22:46:04
Obrigado pela ajuda Carlos!!!
Pela compra do imovel foi feito contrato de promessa de venda, financiamento pela caixa e escritura definitiva.Adotei o regime de caixa
Pelo contrato de promessa de venda Lancei:

D:Clientes/Receitas a Apropriar
C:Receitas Diferidas/Resultado Exercícios Futuros (PñC)

e pelo recebimento:

D:Caixa/Bancos (AC)
C: Clientes/Receitas a Apropriar

D: Receitas Diferidas/Resultado Exercícios Futuros (PñC)
C: Receitas de Vendas (CR)
A minha maior duvida é quanto aos custos, pois fiz os seguites lançamentos:
Pela aquisição do terreno

D: Imoveis em construção (AC-Estoque)
C: Caixa/Bcos

E pelos materias consumidos mensalmente:

D: Materiais Consumidos (Custo)
C: Fornecedores (PC)

e no final do mes, transferencia:

D: Materiais Consimidos Construção (AC-Estoque)
C: Materiais Consumidos (Custo)

Desse terreno foram construidas 5 casas, terei de fazer o rateio por unidade/valor e somar com o material consumido por cada unidade e fazer a proporcionalidade com o recebimento????até atingir o recebimento total por unidade????
Carlos Cobraterra

Usuário Iniciante

postada em: Sexta-Feira, 7 de maio de 2010 às 10:00:51
Exatamente! O valor total dos custos (terreno+material+serviços) deverá ser dividido por cada casa construída, com base na fração ideal de cada unidade, sendo que, por ocasião da venda, esse custo unitário deverá ser diferido, passando a ser apropriado proporcionalmente aos recebimentos.

Exemplificando os lançamentos correspondentes aos custos:
(Sugiro que você lance os custos diretamente no estoque correspondente )

1. Compra do terreno por R$100.000,00
D: Estoques/Imóveis em Construção/Empreendimento/Terreno (AC)
C: Bancos (AC)

2. Compra de materiais para aplicação na obra R$200.000,00
D: Estoques/Imóveis em Construção/Empreendimento/Materiais Aplicados (AC)
C: Fornecedores (PC)

3. Utilização de serviços na execução da obra R$200.000,00
D:Estoques/Imóveis em Construção/Empreendimento/Serviços Executados(AC)
C: Fornecedores (PC)

4. Rateio dos custos acumulados pelas unidades, considerando que cada casa corresponda a fração ideal de 20%
D: Estoques/Imóveis Concluídos/Empreendimento/Casa 1 (AC) - R$100.000,00
D: Estoques/Imóveis Concluídos/Empreendimento/Casa 2 (AC) - R$100.000,00
D: Estoques/Imóveis Concluídos/Empreendimento/Casa 3 (AC) - R$100.000,00
D: Estoques/Imóveis Concluídos/Empreendimento/Casa 4 (AC) - R$100.000,00
D: Estoques/Imóveis Concluídos/Empreendimento/Casa 5 (AC) - R$100.000,00
C: Estoques/Imóveis em Construção/Empreendimento/Terreno (AC) - R$100.000,00
C: Estoques/Imóveis em Construção/Empreendimento/Materiais Aplicados (AC) - R$200.000,00
C: Estoques/Imóveis em Construção/Empreendimento/Serviços Executados (AC) - R$200.000,00

5. Venda da Casa 2, pelo valor de R$200.000,00, diferimento do custo da unidade no valor de R$100.000,00:
D: Resultado de Exercícios Futuros/(-)Custos Diferidos/Empreendimento (PñC)
C: Estoques/Imóveis Concluídos/Empreendimento/Casa 2 (AC)

6. Recebimento da parcela de sinal/entrada p/venda da Casa 2, no valor de R$50.000,00; apropriação do custo correspondente na proporção do recebimento, ou seja, no valor de R$25.000,00
D: Custo dos imóveis vendidos (CR)
C: Resultado de Exercícios Futuros/(-)Custos Diferidos/Empreendimento (PñC)

E assim por diante...

Observe que as contas são apenas sugestões, no seguinte formato "Grupo/Subgrupos/Contas", visando somente uma melhor ilustração para facilitação do entendimento.

Isto é apenas um exemplo simplificado. Espero ter ajudado mais uma vez.
Até...
Anselmo

Usuário Novo

postada em: Sábado, 8 de maio de 2010 às 11:23:24
Muito obrigado pelas orientações!!!
Muito util essa troca de conhecimentos.
Washington Luiz Ramos Cruz

Usuário 3 Estrelas de Prata

postada em: Terça-Feira, 11 de maio de 2010 às 16:32:52
Pesso perdão por não ter observado que era uma construtora, e sendo assim usar a conta estoque pois será utilizado na construção como venda.

Abraços Washington.

Washington Luiz Ramos Cruz
http://mw-contabilidade.negociol.com/
email:washingtoncontabilidade@hotmail.com
Jesus Cristo é o único salvador.
Marilia Carvalho

Usuário Novo

postada em: Segunda-Feira, 17 de maio de 2010 às 10:56:06
Não é resposta. Preciso saber mais detalhes sobre a seguinte afirmação:

"atividades de compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis, não podem optar pelo lucro presumido enquanto não concluídas as operações imobiliárias para as quais haja registro de custo orçado (Art. 2º,IN SRF nº 31/2001).

que vem a ser este custo orçado?
Aguardo respostas.
Carlos Cobraterra

Usuário Iniciante

postada em: Segunda-Feira, 17 de maio de 2010 às 17:36:36
Na construção civil se destacam 3 modalidades de custos:
- custos incorridos: neste método, o controle de custos baseia-se no registro dos gastos efetivos para execução de um empreendimento. Nota: Aceita Lucro Presumido.
- custos contratados: neste método, o incorporador contrata uma construtora para execução total ou parcial de um empreendimento. O valor deste contrato integrará o custo, total ou parcial, do empreendimento, a ser controlado. Nota: Aceita Lucro Presumido.
- custos orçados: neste método, o controle de custos baseia-se no registro do orçamento, total ou parcial, para execução do empreendimento. Ou seja, o custo ainda não é o efetivo e será registrado em contabilidade com base em um orçamento. Na medida em que os custos forem sendo efetivados, procede-se os lançamentos de baixa dos custos orçados. Os valores excedentes na relação custo orçado/custo efetivo são sujeitos a tributação com base no lucro real. Enquanto a empresa construtora mantiver operações imobiliárias para as quais haja registro de custo orçado, não poderá optar pelo Lucro Presumido.

Desculpe se acabei complicando ou se me expressei de forma inadequada. Se mais algum usuário puder contribuir com informações mais claras, seremos sempre gratos.

Fique a disposição para perguntar sempre.
Adriana Correia da Silva

Usuário Novo

postada em: Domingo, 3 de julho de 2011 às 23:04:25
bom dia,

tenho uma dúvida alguem poderia ajudar-me, tenho um escritorio de contabilidade, tenho empresa dentro da construçao civil e este meu cliente compra mercadoria para uso na obra, pórem as notas fiscais demora meses, para ser encaminhada para eu lançar o que devo fazer e qual a penalidade que o meu cliente sofre com relação a essa demora.


desde já agradeço..

Adrina Correia da Silva
Rogerio de Souza Santos

Usuário Estrela Dourada

postada em: Segunda-Feira, 4 de julho de 2011 às 08:53:52
Adriana,

Eu faria uma comunicação por escrito e protocolada p/seu cliente alertando sobre a documentação a ser enviada p/o escritório para que seja contabilizada; aí você passaria a responsabilidade p/ele. Há vários tipos de penalidades, falta de registro das n.fiscais no caso de fiscalização, pode acontecer um estouro de caixa(falta de receitas), sem falar na contabilidade irreal(sem todos os documentos),que não condiz c/a realidade da empresa.
Hoje, estou preocupando muito apenas com a minha parte, desde que cientifico o cliente das suas obrigações, claro e ajudando-o no que for possível.

Um abraço,

Rogerio de Souza Santos
Vagner Chaves Porto

Usuário Frequente

postada em: Sexta-Feira, 28 de outubro de 2011 às 16:08:18

Boa tarde turma do fórum contábil.
Estou fazendo um lançamento venda de imóvel
gostaria de saber se o lançamento está correto
Eu fiz dessa forma:

DESCRIÇÃO VALOR DATA
VENDA DE IMOVEL
D RESULTADO EXERCIO FUTURO (PASSIVO) 100.000,00 15/09/2003
C VENDA DE IMOVEL (CR) 100.000,00 15/09/2003

D CONTA CLIENTE (ATIVO) 100.000,00 15/09/2003
C RESULTADO EXERCIO FUTURO (PASSIVO) 100.000,00 15/09/2003

D CAIXA OU BANCO 100.000,00 15/09/2003
C CONTA CLIENTE (ATIVO) 100.000,00 15/09/2003


Grato pela ajuda.
Vagner Chaves Porto

Usuário Frequente

postada em: Sexta-Feira, 28 de outubro de 2011 às 16:12:36
a onde esta 15/09/2003
considera 15/09/2011.
Daniela Maria Batista

Usuário Novo

postada em: Quinta-Feira, 3 de novembro de 2011 às 14:25:53
Boa tarde!

Vale ressaltar que o saldo existente no REF desde 31/12/2008 ( resultado do exercício futuro) deveria ser reclassificado para o passivo não circulante em conta representativa de receita diferida,deduzido do custo diferido correspondente - art 299 LSA.

Att

Daniela
Welton Menezes Gomes

Usuário Novo

postada em: Sábado, 5 de novembro de 2011 às 14:15:26
Prezados Amigos

uma construtora que foi constituida em 2009, ela começou a construção de um predio de apartamento em 05/2009, construiu em 2010 e apenas aogra em 2011 começou a receber pelas vendas dos apartamentos, logo não haverá DRE, nos anos de 2009 e 2010, pois não existe receitas, visto que não se utiliza mais o DIFERIDO, onde posso contabilizar as despesas administrativas (taxas, juros/mora) nos anos de 2009 e 2010?, posso deixa-la com prejuizos?
os custos com o aconstrução eu sei que tenho que contabilizar na conta de cada emprendimento, mas minha duvida é o que fazer com as despesas administrativas?
favor me ajudem.
obrigado
Gilberto C. Olgado

Consultor Especial

postada em: Terça-Feira, 8 de novembro de 2011 às 09:34:38
Bom dia Welton !

Mesmo não havendo Receitas na empresa neste período citado, o Balanço Patrimonial deve ser fechado, bem como contabilizado todas as operações financeiras.

Além da integralização do Capital Social, deve haver despesas neste período como, energia elétrica, água, telefone, enfim, despesas administrativas e legais para que a empresa possa existir.

Não há problemas em haver prejuízo neste período por conta destas despesas administrativas.

Verifique a situação da empresa, bem como as Declarações obrigatórias perante a Receita Federal.

Bom trabalho

A vida não é medida pela quantidade de vezes que respiramos, mas pelos momentos que nos tiram a respiração...
" VIVA INTENSAMENTE CADA MINUTO "

mostrando página 1 de 3
1 2 3

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Receba Novidades


Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 1.5 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César