Contábeis o portal da profissão contábil

25
Jul 2014
20:02
você está em:

FÓRUM CONTÁBEIS » Contabilidade

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


contabilização veiculo financiado

28respostas
19.773acessos
  

POSTS RELACIONADOS

Luiz Guilherme Santos

Usuário Iniciante

profissãoAuxiliar Contabilidade
mensagens55
pontos410
membro desde10/08/2006
cidadeBarreiras - BA
Postada:Quarta-Feira, 4 de abril de 2007 às 16:06:42
Caros colegas estou com uma duvida a respeito da forma de contabilizaçaão, espero que vcs me ajudem.

Tenho uma empresa e agora comprei um veiculo, só que nessa transação entrou o carro de um dos sócios e a restante vai ser financiado.

Vou relatar tal fato.

Comprei um carro de 95.000,00 e entrou o veiculo do socio no valor de 45.000,00 e ou outros 50.000,00 vai ser financiado pela empresa.

Caro colegas, como faço para fazer tal contabilização, visto que o carro que entrou é de um sócio e como fica também a contabilização da parte financiado?

Espero ter resposta, porque estou precisando dessa informação para eu poder fechar o balanço de 2006.
Desde já, obrigado.
Saulo Heusi

Usuário VIP

profissão
mensagens18.497
pontos157.177
membro desde24/07/2006
cidade
Postada:Quarta-Feira, 4 de abril de 2007 às 21:37:19
Boa noite Luiz,

A Resolução CFC Nº 750/93 de 29 de Dezembro daquele ano, que dispõe sobre os Principios Fundamentais de Contabilidade, no seu Artigo 4º enuncia:

Art. 4º. O Princípio da Entidade reconhece o Patrimônio como objetivo da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes, independente de pertencer a uma pessoa, um conjunto de pessoas, uma sociedade ou instituição de qualquer natureza ou finalidade, com ou sem fins lucrativos.

Por conseqüência, nesta acepção o patrimônio não se confunde com aqueles dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedade ou instituição. (grifos nossos).

Parágrafo único. O Patrimônio pertence à Entidade, mas a recíproca não é verdadeira. A soma ou agregação contábil de patrimônios autônomos não resulta em nova Entidade, mas numa unidade de natureza econômico-contábil


Face ao exposto e em obediência ao referido Principio da Entidade, você não pode em hipótese alguma "misturar" o patrimônio do sócio com o da empresa a despeito de a empresa, em parte, ser dele (do sócio).

Como resolver o "problema"?
Ora, se você não pode "misturar" os patrimônios a solução está em uni-los. Para tanto você tem duas alternativas:

1 - O sócio vende para empresa o veículo em questão, a preço de mercado, e mediante emissão de Nota Fiscal de Entrada, Recibo, legalização da documentação junto aos Órgãos competentes para que haja mudança da propriedade e etc.
"A preço de mercado" porque o veiculo não pode ser super valorizado sob pena de o fisco julgar a operação como "Distribuição Disfarçada de Lucros" notificando a empresa.

2 - Elaborar uma alteração Contratual onde o sócio subscreve determinado número de quotas integralizando-as com a entrega de bens móveis (veículo). Neste caso os outros sócios devem estar de acordo, uma vez que o referido aumento de capital significa alteração dos percentuais de cada um em relação ao Capital Social. Esta alternativa só será possível se o processo de compra e financiamento do veículo novo ainda não foi concluído.

Se a transação financeira já foi concluída, ou seja, se a empresa já está de posse do novo veículo, o financiamento já foi concedido e não há como voltar atrás no negócio, a solução (ainda que paliativa) será contabilizar a aquisição do veículo pela empresa em data anterior a transação bancária.

Neste caso, deverão ser contabilizadas a compra e a venda do veículo, fundamentadas em Nota Fiscal de Entrada (compra do sócio) e de Saída (venda para a revendedora de veículos). Enquanto a venda do veículo deve ser a vista (uma vez que o valor foi dado como entrada na compra do outro) a aquisição pode ser a prazo ou em parcelas. Este prazo será estipulado pelas condições de disponibilidades da empresa.

É natural que deverão ser consideradas as alterações a serem feitas na contabilidade decorrentes da emissão de Notas Fiscais com datas anteriores, entretanto, esta ainda é a alternativa mais plausível e provavelmente a que menor risco fiscal oferece.

Para exemplificar os lançamentos que envolvem o registro contábil de aquisição de bens do ativo com entrega de veículos usados como entrada e o saldo financiado, usaremos valores hipotéticos e as seguintes informações:

Custo do veículo novo - R$ 95.000,00
Custo do veículo usado dado com entrada - R$ 45.000,00
Valor Financiado - R$ 50.000,00
Encargos financeiros - 8.000,00
Taxas cobradas sobre a Operação de Crédito - R$ 415,00
Prazo do Financiamento - 10 meses
Valor da Parcela - R$ 5.800,00

Contabilmente ficaria assim:

pela aquisição do veículo novo e baixa do usado
D - Veículos Automotores (AI) - 95.000,00 (novo)
C - Empréstimos e Financiamentos (PC) - 50.000,00
C - Veículos Automotores (AI) - 45.000,00 (usado)

pelo registro dos encargos sobre o financiamento
D - Encargos Financeiros a Apropriar (AC)
C - Empréstimos e Financiamentos (PC) - 8.000,00

pelo pagamento de taxas sobre a operação de crédito
D - Despesas Financeiras (CR)
C - Bancos Conta Movimento (AC) - 415,00

pelo pagamento de cada parcela do financiamento
D - Empréstimos e Financiamentos (PC) - 5.000,00
D - Despesas Financeiras (CR) - 800,00
C - Bancos Conta Movimento (AC) - 5.800,00

Nota
- No exemplo acima, não demonstrei os lançamentos referentes a depreciação do veiculo usado, por presumir que tenha sido negociado no mesmo mês em que foi adquirido. Se isto não ocorreu, é necessário proceder aos lançamentos da depreciação e conseqüente apuração de ganhos de capital.

- A depreciação de veículos usados obedece regras diferenciadas das admitidas para depreciação de veículos novos. Assim, se for necessário registrá-la entre em contato que eu demonstro.

- A seu critério, você pode contabilizar primeiramente a venda do veículo usado, e em operação subseqüente, a compra do veículo novo com entrada em espécie, ao invés de usar o exemplo acima onde a entrada foi dada pela entrega do veiculo usado.

- Se o financiamento foi no prazo que exceda 12 meses fora o ano da realização do negócio, as parcelas excedentes deverão ser contabilizadas em contas do Passivo Exigível a Longo Prazo.

Legenda
AC - Ativo Circulante
PC - Passivo Circulante
CR - Contas de Resultado

Na dúvida, conte conosco.
César Morais

Usuário Iniciante

profissãoController
mensagens53
pontos459
membro desde06/12/2007
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Terça-Feira, 19 de fevereiro de 2008 às 09:39:17
Bom dia,

Tenho a seguinte dúvida.Ao elaborar o capital de uma nova sociedade de uma empresa prestadora de serviços que por participar em várias licitações públicas,precisa de um Capital social substancial.Com isso um de seus sócios pretende entrar com um veículo para aumentar o mesmo capital.Ele comprou um carro O KM,em 2006 por financiamento (não leasing),e assim colocarei o valor que ele tem no seu IRPF. Contudo,ele até ao momento pagou 18 parcelas das 60 totais,e assim que registrar a firma,transferirá o carro para o nome da firma.
Minha pergunta é se é legitimo esse valor ser usado para integralização de capital,uma vez que as restantes parcelas serão pagas pela empresa criada.Se alguém poder esclarecer,agradeço.
Claudia Dione Lazzarin

Usuário Ativo

profissão
mensagens108
pontos706
membro desde19/01/2008
cidadeSao Francisco do Guapore - RO
Postada:Sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 10:55:38
ola


estou com mesmo problema seu, foi dado um carro do socio pessoa fisca em entrada na aquisição de uma carros financiado


eu posso simplesmente dar de entrada em dinheiro pelo valor do veículo estaria muito errado porque ja estamos em 2008 e so agora para fehcar oBP de 2007 apareceu este problema


obrigada
Claudia Dione Lazzarin

Usuário Ativo

profissão
mensagens108
pontos706
membro desde19/01/2008
cidadeSao Francisco do Guapore - RO
Postada:Sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 10:56:16
ola


estou com mesmo problema seu, foi dado um carro do socio pessoa fisca em entrada na aquisição de uma carros financiado


eu posso simplesmente dar de entrada em dinheiro pelo valor do veículo estaria muito errado porque ja estamos em 2008 e so agora para fehcar oBP de 2007 apareceu este problema


obrigada
Saulo Heusi

Usuário VIP

profissão
mensagens18.497
pontos157.177
membro desde24/07/2006
cidade
Postada:Sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 11:34:16
Bom dia Cesar,

O fato de o veículo em questão ter sido aquirido através de financiamento não impede que seja usado para integralização do capital social pelo sócio em questão.

Contábilmente você deve registrar a subscrição de quotas pelo valor total do veículo e a integralização apenas do total das parcelas já pagas. Na medida em que o sócio quitar as outras parcelas, a contabilidade (mediante documentação) irá integralizando as quotas já subscritas.

Nota
Se o contrato de financiamento firmado com o banco para aquisição do veículo em questão tiver cláusula assescuratória alienando-o à instituição financeira, a operação acima não pode ser feita.

Isto porque mesmo que você consiga a transferência do financiamento para a empresa, será dela a obrigação de quitar as parcelas vincendas, descaracterizando neste caso, a integralização de capital.

...
Saulo Heusi

Usuário VIP

profissão
mensagens18.497
pontos157.177
membro desde24/07/2006
cidade
Postada:Sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 11:40:55
Bom dia Claudia,

Se entendi bem seu questionamento (se não corrija-me), o sócio deu seu veículo como parte de pagamento de um outro veículo adquirido em nome da empresa.

Se for este o caso, as alternativas para solução e contabilização estão descritas na resposta que dei ao questionamento do Luiz Guilherme, postadas no topo desta página.

Atente para as considerações que fiz quanto ao Princípio da Entidade.

Se seu caso é diferente daquele, por favor nos dê mais detalhes (inclusive valores) para que possamos orientá-la adequadamente.

...
César Morais

Usuário Iniciante

profissãoController
mensagens53
pontos459
membro desde06/12/2007
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Sábado, 23 de fevereiro de 2008 às 12:55:24
Muito obrigado,Saulo pela explicação.Estou esclarecido.
Edna Aparecida da Cunha

Usuário Novo

profissãoAuxiliar Escrita Fiscal
mensagens25
pontos152
membro desde18/03/2009
cidadeAtibaia - SP
Postada:Quinta-Feira, 10 de setembro de 2009 às 14:33:09
OLá pessoal, alguém pode me ajudar quanto a "depreciação".
Tenho um cliente que comprou um carro em 10/2007 e agora o mesmo quer vender!
Ouvi dizer que tem que fazer a tal da "depreciação", como é feito isso, como proceder?
O meu cliente irá pagar ICMS sobre a venda do veículo ou não?
Por favor, pessoal help...não sei como proceder
Obrigada
Edson da Costa Souza

Usuário 5 Estrelas

profissãoController
mensagens185
pontos1.297
membro desde07/04/2008
cidadeAquiraz - CE
Postada:Quinta-Feira, 10 de setembro de 2009 às 15:09:57
Edna Aparecida da Cunha

Você pode nos dar mais informações?

O Carro foi comprado novo?

Qual o valor da compra?

O carro está em nome de pessoa física ou jurídica?

Sds,

Edson Costa - Bel. C. Contábeis, pós graduação Latu Senso em Controladoria e Gestão Empresarial, Analista de Controladoria - Fresenius Kabi Brasil Ltda.

Visite nossa página: http://ecscontabil.goldenbiz.com.br/

Skype: EdsonCostaCe
Vânia Maria de O. Duarte

Usuário Freqüente

profissãoAdministrador(a)
mensagens68
pontos449
membro desde19/09/2008
cidadeUberlandia - MG
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:12:39
boa tarde,

eu tambem tenho dúvidas, a respeito desse assunto.

meu cleinte comprou um carro usado em nome da empresa , comprou a vista , gostaria de saber como contabilizar .


obrigada
vania
Edson da Costa Souza

Usuário 5 Estrelas

profissãoController
mensagens185
pontos1.297
membro desde07/04/2008
cidadeAquiraz - CE
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:20:04
Vânia Maria de O. Duarte

Esse veículo foi comprado de pessoa física ou jurídica?

O vendedor emitiu NF de venda?

Se todas as informações acima forem verdadeiras, a contabilização deve ser:

D- Veículos
C - Caixa ou Banco Conta Movimento

Edson Costa - Bel. C. Contábeis, pós graduação Latu Senso em Controladoria e Gestão Empresarial, Analista de Controladoria - Fresenius Kabi Brasil Ltda.

Visite nossa página: http://ecscontabil.goldenbiz.com.br/

Skype: EdsonCostaCe
Vânia Maria de O. Duarte

Usuário Freqüente

profissãoAdministrador(a)
mensagens68
pontos449
membro desde19/09/2008
cidadeUberlandia - MG
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:26:16
este veiculo foi comprado por pessoa juridica, no valor de 8000,00 com recibo e a vista, a maneira de contabilizar é amesma?
Edson da Costa Souza

Usuário 5 Estrelas

profissãoController
mensagens185
pontos1.297
membro desde07/04/2008
cidadeAquiraz - CE
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:32:59
Vânia Maria de O. Duarte

O Valor do lançamento nas contas mencionadas sim, contudo acho estranho uma pessoa jurídica não ter emitido NF, pois, necessáriamente deve existir a contabilização dos impostos incidentes.
Caros amigos, me corrigam se estiver errado.

Edson Costa - Bel. C. Contábeis, pós graduação Latu Senso em Controladoria e Gestão Empresarial, Analista de Controladoria - Fresenius Kabi Brasil Ltda.

Visite nossa página: http://ecscontabil.goldenbiz.com.br/

Skype: EdsonCostaCe
Vânia Maria de O. Duarte

Usuário Freqüente

profissãoAdministrador(a)
mensagens68
pontos449
membro desde19/09/2008
cidadeUberlandia - MG
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:38:16
desculpa acho que expressei mal, o veiculo foi comprado de pessoa fisica, quem cimprou foi uma empresa(juridica).
Edson da Costa Souza

Usuário 5 Estrelas

profissãoController
mensagens185
pontos1.297
membro desde07/04/2008
cidadeAquiraz - CE
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:41:59
Vânia Maria de O. Duarte

Certo! Também quando compramos de pessoa física, faz-se necessária emissão de NF que pode ser retirada junto a uma Célula da Secretaria da Fazenda do seu Estado ou pode ser emitida uma NF de entrada, pois nesta compra incide ICMS.

Edson Costa - Bel. C. Contábeis, pós graduação Latu Senso em Controladoria e Gestão Empresarial, Analista de Controladoria - Fresenius Kabi Brasil Ltda.

Visite nossa página: http://ecscontabil.goldenbiz.com.br/

Skype: EdsonCostaCe
Vânia Maria de O. Duarte

Usuário Freqüente

profissãoAdministrador(a)
mensagens68
pontos449
membro desde19/09/2008
cidadeUberlandia - MG
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:46:10
bom ele deu o recibo no nome da emspresa, ambos são da mesma cidade, , minas gerais, e tem que recolher ICMS?
Edson da Costa Souza

Usuário 5 Estrelas

profissãoController
mensagens185
pontos1.297
membro desde07/04/2008
cidadeAquiraz - CE
Postada:Quinta-Feira, 22 de julho de 2010 às 15:48:54
Vânia Maria de O. Duarte

Recibo não é documento com validade fiscal.
Independente de estar na mesma cidade, a venda de mercadorias sempre incide ICMS.

Edson Costa - Bel. C. Contábeis, pós graduação Latu Senso em Controladoria e Gestão Empresarial, Analista de Controladoria - Fresenius Kabi Brasil Ltda.

Visite nossa página: http://ecscontabil.goldenbiz.com.br/

Skype: EdsonCostaCe
Marcelo V. V. Magalhães

Usuário 5 Estrelas

profissãoEngenheiro(a) Sistemas
mensagens160
pontos1.130
membro desde07/04/2007
cidadeRio de Janeiro - RJ
Postada:Sábado, 6 de novembro de 2010 às 03:11:38
Caro Saulo,

Sei que o post é bem antigo, mas estou com uma situação parecida e lendo a sua explicação no post de 04 de abril (excelente com sempre) surgiu uma dúvida.

No seu último lançamento:

pelo pagamento de cada parcela do financiamento
D - Empréstimos e Financiamentos (PC) - 5.000,00
D - Despesas Financeiras (CR) - 800,00
C - Bancos Conta Movimento (AC) - 5.800,00

As 10 parcelas quando pagas os débitos na conta Empreéstimos e Financiamentos (PC) faram um saldo de R$ 50000,00 e os débitos na conta Despesas Financeiras (CR) faram um saldo de R$ 8000,00, ou seja, o "saldo final" da conta de financiamento será R$ 8000,00 (58000 - 8000 dos dois primeiros lançamentos). É isso mesmo? Por que esta conta ficará com este saldo de R$8000,00 credor e a conta Despesas financeiras ficará com o um saldo devedor de R$ 8000,00?

Abraços a todos.

Marcelo Magalhães - R.J.
E+D Consultores Associados
http://www.emaisd.com.br
profissãoContador(a)
mensagens9
pontos106
membro desde08/10/2010
cidadePalmitos - SC
Postada:Sexta-Feira, 19 de novembro de 2010 às 10:25:28
Mensagem Editada por Isabel Cristina Maraschini Winckler em 22/11/2010 11:48:09
Caros colegas, estou com uma situação frágil aqui na empresa:

Ela adquiriu dois veículos por meio de financiamentos (um para cada veículo) em 2009.

Iniciei a pouco tempo nesta empresa e percebi que esta aquisição foi jogada a crédito na conta fornecedores e os valores das parcelas estão sendo baixadas desta mesma, com o valor total, sem diferenciar os juros.

Acontece que agora estou tentando colocar as coisas no mais correto possível, como poderia fazer isso ref. ao período de 2009, pois 2010 ainda posso estar alterando já q a empresa recolhe o IRPJ e CSLL anual, recolhendo mensalmente, aí posso fazer as devidas correções.

o correto, no meu ver, em 2009 deveria estar evidenciado a seguinte escrituração:

Valor do veículo 95.200,00
Financiado 100% 95.200,00 / 35 = 2.720,00
as parcelas variam mes a mes
prazo 35 parcelas
1ª parcela 3.595,36

D - veículos (AC) 95.200,00
C - Emp. Finan. (PC) 43.520,00
C - Emp. Finan. (PNC) 51.680,00

No pagto

D - Emp. Finan. (PC) 2.720,00
D - Encargos s/ finac (R) 875,36
C - Cx ou Banco 3.595,36

Transferencia LP p/ CD

D - Emp. Finan. (PNC) 2.720,00
C - Emp. Finan. (PC) 2.720,00

assim por diante e, para o outro financiamento os mesmo fatos.

Minha dúvida seria se esse pensamento está correto e como faria pra arrumar o período já fechado de 2009.

Pensei em fazer o ajuste (estorno) ref. o período de 2009 em Janeiro e as despesas com juros adicionar ao lucro e os meses de 2010 eu posso corrigí-los pois ainda não foi efetuado o fechamento, pois é anual.

Abraços

Jennifer C. G. da Silva

Usuário Novo

profissãoContador(a)
mensagens1
pontos6
membro desde07/12/2011
cidadeRibeirao Preto - SP
Postada:Quarta-Feira, 7 de dezembro de 2011 às 10:06:45
Pessoal estou com algumas dúvidas..

1º A empresa aonde eu trabalho, comprou um veículo de pessoa física, porém, o mesmo foi financiado uma parte como realizo a contabilização.

2º Como a compra foi de uma pessoa física, emiti uma nota fiscal de entrada. Com o valor total final do veículo, mas sem descriminção no ICMS, Eu tenho que descrever?? Se sim, quem recolherá esse imposto a minha empresa?? Já que a nota fiscal pertence a ela??

Fico no aguardo, me ajudem por favor.

Obrigada
Luiz Carlos Manganelli

Usuário Novo

profissãoContador(a)
mensagens23
pontos171
membro desde05/10/2010
cidadeIepe - SP
Postada:Quinta-Feira, 22 de dezembro de 2011 às 16:21:15
Ola boa Tarde,
tenho uma seguinte situação:
meu cliente (pessoa juridica) comprou um veiculo de pessoa fisica e financiou integralmente no b brasil o valor de R$ 23.200,00 a ser pago em 65 parcelas de 356,92 com carencia de 6 meses para começar a pagar.
1) tenho q emitir nota fiscal de entrada? mesmo sendo financiado?
2) qual a forma de contabilização?
3) tem algum custo essa transação?

agradeço se alguem puder me ajudar...
Miria Miranda de Sá

Usuário Iniciante

profissãoAuxiliar Escrita Fiscal
mensagens44
pontos473
membro desde08/03/2010
cidadeUbatuba - SP
Postada:Quarta-Feira, 18 de abril de 2012 às 10:58:09
Bom dia a todos.
Estou com a seguinte situação:
O pai de uma cliente minha, emprestou o valor total para a compra de um veiculo para a empresa dela.A Nota fiscal já saiu em nome da empresa.
Como fazer estes lançamentos?
O emprestimo do pai, a compra do veiculo ?
Se alguem puder me ajudar. Já li as postagens anteriores,mas, ainda estou com duvidas
Marcos Vinicius Araujo Moura Silva

Usuário Estrela Dourada

profissãoContador(a)
mensagens1.041
pontos9.038
membro desde22/08/2010
cidadeRecife - PE
Postada:Quarta-Feira, 18 de abril de 2012 às 11:58:38
Prezada Miria,

A compra do veículo você procederá normalmente a qualquer outra aquisição similar, o que você necessita fazer é elaborar um contrato de empréstimo da empresa para com o terceiro (pai da sócia) e contabiliza-lo.

At.
Marcos Vinicius
Everaldo Matos

Usuário Novo

profissãoContador(a)
mensagens18
pontos307
membro desde06/01/2011
cidadeVilhena - RO
Postada:Terça-Feira, 29 de maio de 2012 às 15:58:26
Temos um financiamento que foi feito em 2011, foi pago 11 parcelas de 10.000,00. Como vou fazer agora em 2012, com esse saldo pago em 2011?
Débora Felizardo

Usuário 2 Estrelas Novas

profissãoAuxiliar Escritório
mensagens251
pontos3.423
membro desde31/03/2011
cidadeJacupiranga - SP
Postada:Segunda-Feira, 23 de julho de 2012 às 14:46:31
Se comprar veiculo de pessoa fisica e a empresa que comprou for empresa prestadora de serviço, como faço pra dar entrada desse veiculo na empresa? Só o recibo é valido? Tenho que fazer alguma declaração? Alguém pode me ajudar em como proceder?

Grata
Marcos Vinicius Araujo Moura Silva

Usuário Estrela Dourada

profissãoContador(a)
mensagens1.041
pontos9.038
membro desde22/08/2010
cidadeRecife - PE
Postada:Segunda-Feira, 23 de julho de 2012 às 15:11:18
Prezada Débora,

Nessa situação lhe aconselho a solicitar que a pessoa que vendeu o vá até uma unidade do SEFAZ do seu município para emitir uma NFA (Nota Fiscal Avulsa).

At.
Marcos Vinicius
Débora Felizardo

Usuário 2 Estrelas Novas

profissãoAuxiliar Escritório
mensagens251
pontos3.423
membro desde31/03/2011
cidadeJacupiranga - SP
Postada:Segunda-Feira, 23 de julho de 2012 às 15:47:09
A pessoa fisica iria até o SEFAZ isso?
Marcos Vinicius Araujo Moura Silva

Usuário Estrela Dourada

profissãoContador(a)
mensagens1.041
pontos9.038
membro desde22/08/2010
cidadeRecife - PE
Postada:Terça-Feira, 24 de julho de 2012 às 08:38:01
Sim, para ele solicitar a emissão da nota fiscal avulsa de venda favorecendo a empresa do seu cliente.

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

Facebook

Receba Novidades


POSTS RELACIONADOS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

Quem participa

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 0.65 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César