Contábeis o portal da profissão contábil

21
Abr 2014
04:05

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


ativo imobilizado ou uso e consumo

8respostas
5.997acessos
  

POSTS RELACIONADOS

Selma Aparecida Guio Zanni

Usuário Iniciante

profissãoContador(a)
mensagens55
pontos533
membro desde10/08/2010
cidadeSao Paulo - SP
Postada:Segunda-Feira, 10 de outubro de 2011 às 17:12:11
Uma empresa do SIMPLES NACIONAL adquire um equipamento emissor de cupom fiscal, a nota fiscal deste equipamento, emitida com código CFOP 5405.
O lançamento desta nota será entrada, como CFOP 1406 ou 1407?
profissãoSócio(a) Proprietário
mensagens4.392
pontos63.854
membro desde13/07/2010
cidadeBelo Horizonte - MG
Postada:Segunda-Feira, 10 de outubro de 2011 às 17:58:19
Boa tarde Selma,

Utilizar:

1.406 - Compra de bem para o ativo imobilizado cuja mercadoria está sujeita ao regime de substituição tributária

Classificam-se neste código as compras de bens destinados ao ativo imobilizado do estabelecimento, em operações com mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária.

"O conhecimento é a única riqueza que quando é dividida, automaticamente se multiplica"
Kely Gonçalves

Usuário 5 Estrelas

profissãoAuxiliar Contabilidade
mensagens158
pontos1.126
membro desde02/06/2010
cidadeRedencao - PA
Postada:Segunda-Feira, 7 de novembro de 2011 às 15:53:27
Boa tarde! Em alguns casos fico em dúvida se lanço determinada compra em Ativo Imobilizado ou Material de Uso e Consumo, na Escrita e na Contabilidade.
Por exemplo:
- materiais de construção (tinta, caixa d'água, ferragens, lixa.
- bens de pequeno valor (estabilizador de computador, chave de fenda, ventilador)

Lembrando que a empresa não é Lucro Real. Mas se fosse, pelo que sei só iría ter importância o valor do produto no momento das Adições para o Lalur.
Preciso da ajuda de vocês, amigos do Fórum.

Abraço
profissãoSócio(a) Proprietário
mensagens4.392
pontos63.854
membro desde13/07/2010
cidadeBelo Horizonte - MG
Postada:Segunda-Feira, 7 de novembro de 2011 às 16:33:23
Boa tarde Kely,


Para fins de imobilização, ver a seguir, Artigo 301 do Decreto 3.000/99 (RIR/99):

Aplicações de Capital

Art. 301. O custo de aquisição de bens do ativo permanente não poderá ser deduzido como despesa operacional, salvo se o bem adquirido tiver valor unitário não superior a trezentos e vinte e seis reais e sessenta e um centavos, ou prazo de vida útil que não ultrapasse um ano (Decreto-Lei nº 1.598, de 1977, art. 15, Lei nº 8.218, de 1991, art. 20, Lei nº 8.383, de 1991, art. 3º, inciso II, e Lei nº 9.249, de 1995, art. 30).

§ 1º Nas aquisições de bens, cujo valor unitário esteja dentro do limite a que se refere este artigo, a exceção contida no mesmo não contempla a hipótese onde a atividade exercida exija utilização de um conjunto desses bens.

§ 2º Salvo disposições especiais, o custo dos bens adquiridos ou das melhorias realizadas, cuja vida útil ultrapasse o período de um ano, deverá ser ativado para ser depreciado ou amortizado (Lei nº 4.506, de 1964, art. 45, § 1º).

"O conhecimento é a única riqueza que quando é dividida, automaticamente se multiplica"
Kely Gonçalves

Usuário 5 Estrelas

profissãoAuxiliar Contabilidade
mensagens158
pontos1.126
membro desde02/06/2010
cidadeRedencao - PA
Postada:Segunda-Feira, 7 de novembro de 2011 às 17:18:22
Mário, esta instrução é a penas para efeito de cálculo do Lucro Real, não é?
O que eu queria saber é como considerar os produtos que citei como exemplo.

Kely
profissãoSócio(a) Proprietário
mensagens4.392
pontos63.854
membro desde13/07/2010
cidadeBelo Horizonte - MG
Postada:Segunda-Feira, 7 de novembro de 2011 às 17:46:25
Kely,


Independente do regime de tributação, o critério para imobilização é o citado na legislação acima.



- materiais de construção (tinta, caixa d'água, ferragens, lixa.
- bens de pequeno valor (estabilizador de computador, chave de fenda, ventilador)



Estes materias/bens, podem sim ser lançados como despesas, analisando individualmente cada item e obedecidos os critérios de imobilização, citado na legislação.

Exemplo :


Se adquiriu tinta, caixa d´água, ferragens ect, para aplicação em uma construção nova, deve imobilizar, caso for para manutenção, lançar em despesas.

"O conhecimento é a única riqueza que quando é dividida, automaticamente se multiplica"
Kely Gonçalves

Usuário 5 Estrelas

profissãoAuxiliar Contabilidade
mensagens158
pontos1.126
membro desde02/06/2010
cidadeRedencao - PA
Postada:Segunda-Feira, 7 de novembro de 2011 às 17:57:30
Mensagem Editada por Kely Gonçalves em 07/11/2011 18:08:05
Ah, sim, agora ficou claro!
Grata, caro Mário.

Kely Gonçalves
Dalila

Usuário Novo

profissãoAuxiliar Escrita Fiscal
mensagens15
pontos214
membro desde13/08/2010
cidadeCarapicuiba - SP
Postada:Quinta-Feira, 10 de novembro de 2011 às 09:09:55
Bom dia

Gostaria de saber se :

meu cliente comprou um caminhao fora do estado de Sao Paulo.
A principio sei que vou lançar na escrita fiscal como compra de ativo.
Mas ele pagaria diferencial de aliquota, por ter comprado fora do estado, mesmo sendo ativo imobilizado ?
Rogerio de Souza Santos

Usuário 5 Estrelas de Prata

profissãoTécnico Contabilidade
mensagens902
pontos5.621
membro desde17/03/2011
cidadeCarlos Chagas - MG
Postada:Quinta-Feira, 10 de novembro de 2011 às 09:26:15
Kelly,
Só complementando a resposta do Mário, depende também da atividade da empresa:

compra revenda: Mercadorias
compra p/industrialização: matéria prima ou materiais auxiliares
manutenção: despesas
itens destinados ao funcionamento da empresa(mais ou menos isto) c/durabilidade mais de 12 meses(imobilizado).

OBS;bens de pequeno valor(até 350,00) que provavelmente vão ser acabados na própria empresa e que a gente não vê possibilidade de venda futuramente lanço em despesas, o importante é analizar cada bem na hora do lançamento.

Um abraço,

Rogerio de Souza Santos

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

Facebook

Receba Novidades


POSTS RELACIONADOS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

Quem participa

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 0.32 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César