Contábeis o portal da profissão contábil

21
Jan 2018
12:51

Estado introduz alterações no RICMS

Decreto-SE 30825/2017

data: 25/09/2017 - 307 acessos

DECRETO 30.825, DE 21-9-2017
(DO-SE DE 22-9-2017)

REGULAMENTO - Alteração

Estado introduz alterações no RICMS
Estas modificações no Decreto 21.400, de 10-12-2002 - RICMS-SE,  dispõem, em especial, sobre o recolhimento do imposto e o cadastro de contribuintes.


O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, no uso das atribuições que lhe são conferidas nos termos do art. 84, incisos V, VII e XXI, da Constituição Estadual; de acordo com o disposto na Lei nº 7.950, de 29 de dezembro de 2014,
Considerando o disposto no art. 82 da Lei n° 3.796, de 26 de dezembro de 1996, que dispõe quanto ao Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - ICMS, Considerando o disposto na Lei n º 8.273, de 06 de setembro de 2017;
DECRETA:
Art. 1º Fica alterado o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 21.400, de 10 de dezembro de 2002, que passa a ter a seguinte redação:
“Art. 100. ...
Parágrafo único. Quando não houver expediente bancário no prazo de vencimento estabelecido na legislação, o ICMS deverá ser pago até o último dia útil imediatamente anterior.
(Lei nº 8.273/17)
......................................................................................................
..............................
Art. 165. …
I - …
......................................................................................................
..............................
XII - quando o contribuinte deixar de cumprir a obrigação principal na forma e prazo estabelecidos em regime especial de fiscalização;
XIII - outras, conforme critério definido em ato do Secretário de Estado da Fazenda.
.....................................................................................................
...............................
TÍTULO II
DO CADASTRO DE CONTRIBUINTES
...................................................................................................
CAPÍTULO II
DA INSCRIÇÃO
.....................................................................................................
...............................
Seção VIII
Da inaptidão
Art. 171-A. Para efeito deste Regulamento, considera-se inapto o contribuinte que:
I - tenha débito inscrito na Dívida Ativa;
II - não esteja em dias com suas obrigações principais e acessórias;
III - deixar de recolher o ICMS dentro dos prazos regulamentares;
IV - deixar de comunicar a perda, extravio, deterioração, destruição ou inutilização de livros e documentos fiscais;
V - utilizar irregularmente livros, documentos ou equipamentos fiscais;
VI - deixar de entregar informações econômico-fiscais;
VII - esteja submetido a Regime Especial de Fiscalização;
VIII - tenha cheque devolvido, emitido em favor da Secretaria de Estado da Fazenda;
IX - esteja com inscrição suspensa no CACESE, a pedido ou de ofício;
X - não tenha atendido Notificação emitida pelo Fisco Estadual;
XI - não tenha atendido os prazos estabelecidos na legislação estadual, para utilização do Equipamento Emissor de Cupom Fiscal e da solução TEF;
XII - esteja com a inscrição provisória com prazo expirado;
XIII - deixar de autenticar livro fiscal nos prazos previstos neste Regulamento;
XIV - tiver correspondência enviada pela SEFAZ, através de Aviso de Recebimento-A.R., devolvida pelos Correios em virtude da não localização do mesmo;
XV - não promover a reconstituição da sociedade no prazo de 180 (cento e oitenta
dias), nos termos do art. 1033 do Código Civil.
......................................................................................................
..............................
Art. 651-F. ...
I - for considerado inapto perante a SEFAZ, na forma do art. 171-A deste Regulamento;
......................................................................................................
..............................
Art. 674-A ...
......................................................................................................
.............................
§ 6º O contribuinte que for considerado inapto perante a SEFAZ/SE, conforme dispõe o art. 171-A deste Regulamento, deve recolher a complementação de que trata este artigo na primeira repartição fazendária por onde transitarem as mercadorias ou bens, a partir do 10º (décimo) dia contado da data em que a SEFAZ/SE constate a causa da inaptidão, caso o contribuinte não tenha sanado a pendência junto àquele órgão.
......................................................................................................
Art. 782. O contribuinte inscrito no CACESE que for considerado inapto perante a Secretaria de Estado da Fazenda deve recolher o ICMS antecipado, referente às aquisições interestaduais e internas de mercadorias, na primeira repartição fazendária por onde as mesmas transitarem.
§ 1º O prestador de serviço obrigado ao recolhimento do ICMS, considerado inapto perante a SEFAZ, deve recolher o ICMS, relativo à prestação no CEAC de seu domicílio fiscal antes do início da prestação, ou na primeira repartição fazendária por onde transitar.
§ 2º O recolhimento antecipado do ICMS de que trata este artigo somente deverá ser exigido a partir do 10º (décimo) dia contado da data em que a SEFAZ/SE constate a causa da inaptidão, caso o contribuinte não tenha sanado a pendência junto àquele órgão.
......................................................................................................
............................
Art. 831. ...
......................................................................................................
..............................
VII-A - ...
a)...
a-1) deixar, de enviar, na forma e nos prazos estabelecidos pela legislação estadual, os arquivos relativos à Escrituração Fiscal Digital - EFD, multa de: (Lei nº 8.273/17)
1 - 10 (dez) UFP/SE, por arquivo, para o contribuinte que, no exercício anterior ao da omissão, auferiu a receita bruta estabelecida para o Microeempreendor individual - MEI;
2 - 30 (trinta) UFP/SE, por arquivo, para o contribuinte que, no exercício anterior ao da omissão, auferiu a receita bruta estabelecida para a Microempresa-ME ou Empresa de
Pequeno Porte-EPP ;
......................................................................................................
Art. 834. ...
§ 1º ...
§ 2º O Regime Especial de Fiscalização deve ser aplicado ao contribuinte que perder, extraviar, deteriorar, destruir e inutilizar livros e/ou documentos fiscais, praticar qualquer ato tipificado como infração no art. 831 ou for considerado devedor contumaz e deve consistir em:
I ‑ ...
......................................................................................................
..............................
§ 3º Também será aplicado o Regime Especial de Fiscalização quando julgado necessário pela Administração Fazendária, podendo ser adotadas, isoladas ou cumulativamente, as providências previstas no § 2º deste artigo, por meio de ato do Secretário de Estado da Fazenda.
§ 4º Para efeitos do disposto no § 2º deste artigo, considera-se devedor contumaz o contribuinte que, alternativamente:
I - deixar de recolher, no todo ou em parte, o ICMS declarado ou informado:
a) na EFD - Escrituração Fiscal Digital;
b) na Guia Nacional de Informação e Apuração do ICMS Substituição Tributária-GIA-ST;
c) no Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional -Declaratório - PGDAS-D;
d) no Demonstrativo do ICMS Antecipado - DIA;
II - que tiver debito inscrito em dívida ativa no Estado em valor superior a 30%( trinta por cento) do faturamento anual declarado na EFD ou PGDAS-D, exceto se os créditos estiverem com exigibilidade suspensa, nos termos do art. 151 do CTN.
§ 5º Para efeitos do disposto no inciso I do § 4º deste artigo a falta de recolhimento deve corresponder a 05 (cinco) períodos de apuração do imposto, consecutivos ou não, nos últimos doze meses.
§ 6º Para efeitos do disposto no inciso II do §4º deste artigo, considera-se faturamento anual o total das operações de saída ou prestações de serviço, promovidas no âmbito do ICMS, efetuadas no período.
.....................................................................................................
...............” (NR)
Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, exceto em relação ao disposto no parágrafo único do art. 100, que produz seus efeitos a partir de 1º de novembro de 2017.
Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário, especialmente o § 1º do art. 834 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 21.400, de 10 de dezembro de 2002.
JACKSON BARRETO DE LIMA
GOVERNADOR DO ESTADO
Josué Modesto dos Passos Subrinho
Secretário de Estado da Fazenda
Benedito de Figueiredo
Secretário de Estado de Governo


Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

Facebook

Consulta de NFes direto da Sefaz Com download automático de XMLs de NFes e NFSes, DANFes e mais

20% de desconto nos primeiros 6 meses! Descontos especiais para escritórios contábeis.

conheça mais

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César