ASSISTA AGORA

SEMANA MEI 2018: LIVE | Dúvidas do Microempreendedor Individual

Contábeis o portal da profissão contábil

26
May 2018
18:39

Sefaz altera regras relativas ao parcelamento de débitos fiscais

Instrução Normativa RE-RS 43/2017

data: 13/12/2017 - 363 acessos

 INSTRUÇÃO NORMATIVA 43 RE, DE 2017
(DO-RS DE 13-12-2017)

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA – Alteração

Sefaz altera regras relativas ao parcelamento de débitos fiscais
=> Esta alteração da Instrução Normativa 45 DRP, de 26-10-98, estabelece normas para parcelamento de débitos de ICMS, IPVA e demais tributos, dentre as quais destacamos as seguintes:
os procedimentos para pagamento de débitos inscritos ou não na dívida ativa;
o número máximo de parcelas, a entrada mínima, as garantias e o local de apresentação do pedido de parcelamento, que poderá ser feito pela internet ou nas unidades da Receita Estadual; e
– a dispensa da entrada mínima e das garantias, nos casos de pedido de parcelamento solicitado por hospitais sem fins lucrativos e cooperativas.
Cabe esclarecer que os contribuintes que possuírem débitos parcelados por meio dos programas especiais especificados neste Ato, podem solicitar o parcelamento em até 48 prestações mensais, incluída a parcela inicial, dispensadas as garantias.

O SUBSECRETÁRIO DA RECEITA ESTADUAL, no uso de atribuição que lhe confere o artigo 6º, VI, da Lei Complementar nº 13.452, de 26/04/10, introduz as seguintes alterações na Instrução Normativa DRP nº 45/98, de 26/10/98 (DOE 30/10/98): 
1. No Capítulo XIII do Título III:
a) o quadro do item 1.1 passa a vigorar com a seguinte redação:
"


"
b) é dada nova redação aos subitens 1.1.2 e 1.1.3 e ficam acrescentados os subitens 1.1.4 e 1.1.5, conforme segue:
"1.1.2 - Na hipótese de crédito tributário constituído em decorrência do programa especial de fiscalização referente à antecipação do recolhimento do imposto - SIMPLES NACIONAL, identificado pelo código 04170 do Programa de Ação Fiscal (PAF), o parcelamento poderá ser deferido em até 48 (quarenta e oito) meses, incluída a prestação inicial, dispensadas as garantias.
1.1.3 - Os hospitais sem fins lucrativos ficam dispensados da entrada mínima e das garantias previstas no item 1.1, na hipótese de pedido de parcelamento de créditos não tributários em até 60 (sessenta) meses, incluída a prestação inicial.
1.1.4 - As cooperativas ficam dispensadas da entrada mínima e das garantias previstas no item
1.1, na hipótese de pedido de parcelamento de créditos tributários provenientes do ICMS, relativos a fatos geradores com vencimento até 30 de novembro de 2017, desde que o pedido seja efetuado até 31 de março de 2018, em até 60 (sessenta) meses, incluída a prestação inicial.
1.1.5 - Os contribuintes que tiverem seu pedido de recuperação judicial deferido poderão requerer o parcelamento conforme previsto no Capítulo XXVI."
c) fica acrescentado o item 1.8.6 com a seguinte redação:
"1.8.6 - No caso de apresentação de seguro-garantia, carta fiança bancária ou hipoteca, o Auditor Fiscal da Receita Estadual poderá dispensar ou reduzir as entradas mínimas previstas no item 1.1, nos parcelamentos de até 60 (sessenta) meses."
d) fica acrescentado o item 1.9 com a seguinte redação:
"1.9 - O Auditor-Fiscal da Receita Estadual poderá vedar o parcelamento de créditos que tenham sido objeto de denúncia criminal pelo Ministério Público."
e) no item 4.1, é dada nova redação ao "caput" e à alínea "b", mantida a redação da alínea "a", conforme segue:
"4.1 - Para os pedidos de parcelamento por meio da Internet previstos no item 1.1 o devedor deverá, no "site" da Secretaria da Fazenda na Internet http://www.receita.fazenda.rs.gov.br:"
"b) acessar o item "Parcelamentos" no acesso rápido do site ou consultar a Carta de Serviços da Receita Estadual, nas hipóteses de empresa não inscrita no CGC/TE, com inscrição baixada ou de pessoa física."
f) no item 8.2, a alínea "f" passa a vigorar com a seguinte redação:
"f) a constatação, pelo Auditor-Fiscal da Receita Estadual, de que a dívida pode ser paga em uma única parcela ou em número de parcelas inferior ao solicitado pelo contribuinte."
g) o item 11.3 passa a vigorar com a seguinte redação:
"11.3 - O devedor deverá emitir mensalmente as respectivas guias de arrecadação no "site" da Secretaria da Fazenda na Internet http://www.receita.fazenda.rs.gov.br buscando pelo assunto "Pagamento de Tributos (Guia de Arrecadação) - Pagamento de débitos em cobrança: Autos de Lançamento e Dívida Ativa"."
2. No Capítulo XXVI do Título III, fica acrescentado o item 1.3.2 com a seguinte redação:
"1.3.2 - Os débitos devidos até a data do deferimento da recuperação judicial poderão ser
parcelados em até 84 (oitenta e quatro) meses e os débitos devidos entre a data do deferimento da recuperação judicial e a data do pedido de parcelamento poderão ser parcelados em até 60 (sessenta) meses, observado o disposto nos itens 1.1 e 1.8 do Capítulo XIII."
3. Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

MARIO LUIS WUNDERLICH DOS SANTOS,
Subsecretário da Receita Estadual.



Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

Facebook

conheça mais

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César