Contábeis o portal da profissão contábil

25
Mar 2017
00:58

Fazenda dispõe sobre benefício para atacadistas

Portaria SEFAZ-MA 117/2016

data: 11/04/2016 - 382 acessos

PORTARIA 117 SEFAZ, DE 5-4-2016
(DO-MA DE 8-4-2016)

ESTABELECIMENTO ATACADISTA - Benefício Fiscal

Fazenda dispõe sobre benefício para atacadistas
Esta Portaria estabelece critérios para o credenciamento de atacadista para fruição dos benefícios fixados pelo Decreto 31.287, de 9-11-2015.


O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, no uso das atribuições que lhe confere o art.. 69, II,da Constituição Estadual,
RESOLVE:
Art. 1º Estabelecer critérios para a obtenção de credenciamento à utilização do benefício concedido ao comércio atacadista, de que trata o Decreto nº 31.287, de 9 de novembro de 2015.
Art. 2º Para o credenciamento do comércio atacadista será observado o que segue:
I - o contribuinte que possui credenciamento ativo, o prazo de vigência será até a data do seu vencimento;
II - os pedidos de credenciamento serão formalizados via SEFAZ.net, anexando as seguintes peças em PDF:
a) requerimento de credenciamento disponibilizado no sítio da Secretaria de Estado da Fazenda -SEFAZ, assinado pelo sócio ou representante legal, com firma reconhecida;
b) estatuto ou contrato social e suas alterações registrados na Junta Comercial;
c) cédulas de identidade e CPF dos sócios, diretores no caso de empresa S.A. e dos contabilistas;
d) registro imobiliário do imóvel onde se situa o estabelecimento e, se alugado, com contrato de locação com firma reconhecida do locador e locatário;
e) última conta de energia elétrica do imóvel onde se situa o estabelecimento;
f) três últimos recibos de declaração de imposto de renda dos sócios entregues à Receita Federal do Brasil;
g) cópia autenticada da última Relação Anual de Informações Sociais - RAIS entregue ao Ministério do Trabalho;
h) contrato dos serviços do contador pela empresa atacadista, identificando o contratante e o contratado, devidamente registrado em cartório;
i) cópias dos certificados de registro e licenciamento, quando houver, ou contrato de locação da frota de veículos a serviço da empresa, sendo que 80% dessa frota deve ter, obrigatoriamente, emplacamento no Estado do Maranhão.
III - o credenciamento será concedido pela Secretaria Adjunta, que emitirá parecer com base nas informações e documentos apresentados pelo contribuinte e verificação pertinente no banco de dados da SEFAZ;
IV - o termo de credenciamento concedido pela primeira vez produzirá efeitos a partir do 1º dia do mês subsequente ao de sua expedição e cessará no último dia do mês em que ocorrer a sua expiração ou revogação.
Art. 3º Considera-se fator impeditivo para a concessão do credenciamento a ocorrência de pelo menos uma das situações a seguir:
I - o não atendimento a qualquer uma das exigências previstas no inciso II do artigo 2º;
II - inadimplência;
III - omissão de Declaração de Informações Econômico-Fiscais-DIEF;
IV - omissão de Escrituração Fiscal Digital-EFD;
V - inscrição em dívida ativa;
VI - não ser emitente regular de Nota Fiscal Eletrônica-NFe;
VII - não emissão de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica-NFC-e ou NF-e em operações com não contribuintes;
VIII - falta de entrega de documentos fiscais, quando exigidos em processo de fiscalização;
IX - entregar a Escrituração Fiscal Digital-EFD em desacordo com a legislação;
X - não possuir, neste Estado, instalações físicas com capacidade de armazenamento de mercadorias compatíveis com as atividades de atacadista cadastradas na SEFAZ;
XI - no caso de realizar vendas fora do estabelecimento, não possuir frota própria ou terceirizada, com no mínimo 80% dos seus veículos licenciados no Estado do Maranhão, ainda que o estabelecimento tenha filial em outra unidade federada;
XII - ter praticado ação caracterizada como crime contra a ordem tributária;
XIII - está enquadrada no artigo 1º da Portaria nº 271/GABIN, de 19 de maio de 2015,ou se tiver nos 12 (doze) meses antecedente ao pedido compras valor contábil superior as vendas valor contábil;
XIV - em se tratando de empresa com regime normal, não credenciada como atacadistater recolhimento inferior a7% (sete por cento)de ICMS sobre as vendas de produtos tributáveis normais, no período de 12(doze) meses antecedentes ao pedido de credenciamento;
XV - empresas credenciadas como atacadistas ter recolhido no mínimo 2% (dois por cento) de ICMS sobre as vendas de produtos tributáveis normais, no período de 12(doze) meses antecedentes ao pedido ou renovação de credenciamento;
XVI - faturamento anual mínimo de R$ 5.400.000,00 (cinco milhões e quatrocentos mil reais) ou a média mensal correspondente a R$ 450.000,00 (quatrocentos e cinquenta mil reais), para empresas com menos de 01(um) ano de atividade;
XVII- estabelecimento em território maranhense que tiver recebido em transferências nos últimos doze meses antecedentes ao pedido mais de 90%(noventa por cento)de produtos da matriz ou das demais filiais, localizadas em outras unidades da federação.
§ 1º A ocorrência de qualquer situação prevista nos incisos II ao XVII implicará suspensão imediata do credenciamento concedido.
§ 2º Em se tratando de empresa em início de atividade, a situação prevista no inciso XVI será aferida nos 6 (seis) primeiros meses de atividade.
§ 3º Se, após a aferição prevista no §2º deste artigo, for observada média mensal de faturamento inferior a R$ 450.000,00 (quatrocentos e cinquenta mil reais), o credenciamento será suspenso de imediato.
§ 4º O estabelecimento enquadrado no inciso XVII do art. 3º, para efeito de credenciamento, deverá comprovar, através da RAIS, a existência de pelo menos 50 (cinquenta) funcionários com registro em carteira.
Art. 4º Não havendo fator impeditivo para a concessão do credenciamento, a SEFAZ expedirá Termo de Credenciamento, que terá validade pelo período de 1 (um) ano, contendo, no mínimo, as seguintes informações:
I - identificação do contribuinte credenciado;
II - número e data da expedição do termo;
III - período de vigência do credenciamento
Parágrafo único. O prazo previsto no caput deste artigo não se aplica às empresas em início de atividade, que terão o credenciamento concedido pelo prazo de 6 (seis) meses.
Art. 5º Constatada a ocorrência dos fatores impeditivos de que tratam os incisos de II a XVII do artigo 3º, o credenciamento será revogado automaticamente.
§1º Revogado o credenciamento, seus efeitos ocorrerão a partir do primeiro dia do mês subsequente à ocorrência de qualquer fator impeditivo.
§2º A SEFAZ procederá análise anual da situação fiscal das empresas credenciadas e notificará eletronicamente o contribuinte, quando da revogação do benefício fiscal.
§3º A notificação eletrônica de que trata o § 2º deste artigo será encaminhada ao endereço eletrônico do contribuinte constante do seu cadastro junto à SEFAZ.
§4º Será disponibilizada no sítio da SEFAZ, na internet, a relação das empresas que terão os seus credenciamentos revogados.
Art. 6º Sendo o benefício revogado nos termos desta Portaria, somente poderá ser novamente concedido no exercício seguinte e desde que todas as pendências tenham sido saneadas.
Art. 7º Fica revogada a Portaria nº 34, de 22 de janeiro de 2016.
Art. 8º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
MARCELLUS RIBEIRO ALVES
Secretário de Estado da Fazenda
Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

Facebook

Consulta de NFes direto da Sefaz Com download automático de XMLs de NFes e NFSes, DANFes e mais

20% de desconto nos primeiros 6 meses! Descontos especiais para escritórios contábeis.

conheça mais

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.08 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César