Contábeis o portal da profissão contábil

26
Jul 2016
07:07

Login

entrar lembrar
Cadastre-se Grátis
você está em:

Informações » Notícias

7 ilusões sobre empreendedorismo que só te atrapalham

Erros de principiante: empreendedores inexperientes podem acreditar em ideias erradas sobre ter seu próprio negócio

postado 20/01/2016 12:13:31 - 1.302 acessos

Aqueles que sonham em ter o próprio negócio muitas vezes idealizam o universo do empreendedorismo e acreditam em ideias que nem sempre estão certas.

São comuns os relatos de quem quer empreender para se livrar das cobranças do chefe, ou ainda empreendedores de primeira viagem que escondem sua ideia de negócio com medo da concorrência. Será que essas são boas concepções para quem está começando? Para os especialistas ouvidos por EXAME.com a resposta é clara: não são.

Você está interessado em abrir sua empresa? Então veja abaixo uma lista de ilusões que atrapalham a vida de quem quer empreender (e livre-se delas o quanto antes):

1 – Esconder a ideia para que ninguém a copie

O mito mais nocivo para o futuro empreendedor, segundo os especialistas é você achar que não deve contar sua ideia de negócio para ninguém, sob pena de ser copiado. “Esse mito é mais nocivo porque, na medida em que o empreendedor não conversa sobre sua ideia, ele deixa de conhecer as falhas daquele negócio. Aí só vai conhecer esses problemas com a empresa montada, o que é muito mais caro”, explica Alessandro Saade, professor da BSP (Business School São Paulo).

"Quanto mais ele trocar, mais chance o negócio tem de sobreviver", afirma Gustavo Marujo, da Endeavor. Segundo pesquisa promovida pela entidade, 74% dos empreendedores de sucesso tiveram mentores engajados quando estavam montando o negócio. 

2 – Achar que não precisa de capacitação (ou que ela não existe)

Outro erro de empreendedores inexperientes é acreditar que não precisam estudar antes de começar o negócio. “Às vezes vejo as pessoas começarem sem preparo nenhum. É preciso que se faça um estudo de viabilidade do negócio para ver se existe público para ele.”, aconselha o empreendedor Wilson Giustino, fundador do Cebrac (Centro Brasileiro de Cursos).

Outro equívoco é pensar que não existem no Brasil cursos e materiais adequados para ajudar esse empreendedor. “Achar que é muito difícil se capacitar, que precisa ir para Harvard, ou que todo conteúdo está em inglês é outro mito”, afirma Marujo, da Endeavor. Segundo ele, há ótimos materiais para consulta disponíveis no Sebrae e na própria Endeavor.

3 – Reclamar que falta dinheiro para o seu negócio

Você é daqueles que acham que no Brasil não existe dinheiro disponível para quem quer empreender? Pois saiba que você está errado. De acordo com Marujo, o dinheiro está disponível, sim, apenas é preciso estar no lugar certo para consegui-lo.

“O dinheiro existe, só que ele está muito concentrado nas grandes capitais, em especial São Paulo. Por isso, talvez seja preciso que o empreendedor se desloque para conseguir contato com investidores”, explica. Outro ponto são as condições para aprovação de crédito nos bancos, que são bastante burocráticos e afastam empreendedores menos preparados.

4 – Esperar as condições perfeitas para tirar sua ideia do papel

Muitos aspirantes a empreendedores acreditam que precisam de condições ideais para iniciar o negócio. O resultado é que boa parte deles acaba esperando sua chance chegar pelo resto da vida. “Se ele espera começar só quando estiver tudo certo só quando tiver todo o dinheiro ou toda a infraestrutura ele não vai começar nunca”, afirma Saade, da BSP. Em vez de esperar, o conselho do professor é começar com uma operação pequena. “Em geral, o negócio que dá certo começa pequeno, como parte da ideia”, explica.

5 – Querer empreender para fugir do chefe

Quem já não ouviu alguém dizer que está cansado do próprio chefe e vai abrir um negócio para “ter mais sossego”? Se é assim que você pensa, é bom rever essa concepção. “É mito achar que empreendedor não tem chefe. Os chefes dele são os clientes, os investidores, e até os funcionários, que compraram aquele sonho”, afirma Gustavo Marujo, da Endeavor.
Portanto, não se iluda: as cobranças virão mesmo que você não tenha um chefe, e podem ser até piores, já que sua responsabilidade será maior.

6 - Pensar que dá conta de tudo sozinho

Uma ilusão comum entre empreendedores inexperientes é a chamada “síndrome de super-homem”. O empreendedor tem a ideia e acredita que por isso consegue tocar todo o negócio sozinho.

“Todo mundo tem algumas áreas em que tem mais habilidade, e outras em que tem menos. O empreendedor deve que perceber as competências necessárias para o sucesso do seu negócio, saber quais delas ele não domina e procurar alguém que o faça”, aconselha Saade.

Segundo o professor, essa ajuda pode vir de um sócio, um consultor ou mesmo um funcionário contratado para lidar com aquele problema. O importante é saber que você sempre precisará de ajuda.

7 – Acreditar que seu negócio é único (e que ele está pronto)

Um empreendedor em geral é apaixonado pela sua ideia. Mas isso não pode fazer com que ele não enxergue o mercado ao seu redor. “É comum o empreendedor pensar que ninguém faz aquele serviço como ele. Ele se apaixona tanto pela ideia que não percebe que seu negócio não tem tantos diferenciais assim”, afirma Saade. “O fato de ele achar que não tem concorrentes faz com que ele relaxe na comunicação e na definição de estratégias”, completa. 

Outro erro parecido é pensar que seu negócio não precisa de ajustes. "Na maioria das vezes uma ideia precisa de ajustes. Porque o mercado muda, a economia muda, a tecnologia muda. Então você precisa se adaptar. Se ficar apegado à ideia original fica difícil", conclui Saade.  

Fonte: Exame.com

Notícia enviada por

ACOMPANHE NOSSAS NOTÍCIAS

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Notícias

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.1 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César