PARTICIPE

O Maior Evento Online Contábil do País - Inscrições gratuitas

19 a 23 de junho de 2017

www.conbcon.com.br
x

Contábeis o portal da profissão contábil

29
Apr 2017
08:25
você está em:

Conteúdo » Notícias

Corte maior de juro contribui para retomada da economia, diz BC

Na última semana, Copom decidiu intensificar ritmo de redução de juros ao baixar taxa básica da economia de 13,75% para 13% ao ano.

postado 17/01/2017 11:14:52 - 420 acessos

De acordo com a análise da autoridade monetária, esse ritmo maior de corte de juros, porém, não implicará em desvio em relação ao objetivo de levar a inflação para a meta de 4,5% em 2017 e 2018. O BC estima que o IPCA ficará entre 4% e 4,4% no próximo ano, abaixo da meta central de inflação fixada para o período, e entre 3,4% e 4,5% no ano seguinte.

A economia brasileira passa por forte recessão, tendo o Produto Interno Bruto (PIB) encolhido 3,8% em 2015, o maior tombo em 25 anos, e com estimativa de um recuo de cerca de 3,5% no ano passado (resultado ainda será divulgado pelo IBGE). Para este ano, o governo estima um crescimento de 1%, o mercado vê uma expansão de 0,5%, mas o Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta uma alta de apenas 0,2%.

Ao mesmo tempo, os últimos indicadores mostram inflação mais controlada. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, voltou a ficar abaixo do teto de 6,5% no ano passado (somando 6,29%), depois de ter alcançado 10,67% em 2015.

"O processo contínuo de distensão do mercado de trabalho [aumento do desemprego] e a desaceleração significativa da atividade econômica podem produzir desinflação mais intensa que a refletida nas expectativas de inflação medidas pela pesquisa Focus [feita com os bancos] e nas projeções condicionais produzidas pelo Copom", avaliou o Banco Central.

O BC acrescentou que a "dinâmica mais favorável da inflação no período recente mostra sinais de desinflação mais difundida" e que a "atividade econômica aquém do esperado e a perspectiva de uma recuperação mais demorada e gradual tendem a reforçar esse processo".

Sobre as decisões futuras a respeito da taxa básica de juros, o Copom informou que a extensão do ciclo (de corte dos juros) e "possíveis revisões no ritmo de flexibilização continuarão dependendo das projeções e expectativas de inflação" e da evolução dos fatores de risco - como o comportamento da inflação, da taxa de crescimento, das reformas fiscais e de outros ajustes na economia.

Na semana passada, o mercado financeiro estimou que o Copom realizará um corte menor de juros, de 0,50 ponto percentual, em seu próximo encontro, em fevereiro, para 12,50% ao ano. Para o fim de 2017, porém, os analistas já preveem que a taxa Selic estará em 9,75% ao ano, ou seja, abaixo de 10% ao ano.

Fonte: G1

Notícia enviada por

ACOMPANHE NOSSAS NOTÍCIAS

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Notícias

Certificado Digital certificados digitais com preços promocionais para contadores

desconto de 15% em certificados digitais e pague no boleto ou parcele sem juros no cartão.

conheça mais

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.06 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César