PARTICIPE

O Maior Evento Online Contábil do País - Inscrições gratuitas

19 a 23 de junho de 2017

www.conbcon.com.br
x

Contábeis o portal da profissão contábil

24
May 2017
18:31
você está em:

Conteúdo » Notícias

Diretoria do BNDES apresenta novo modelo de cálculo da TJLP

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apresentou nos últimos dias para o conjunto de superintendentes da instituição de fomento o novo modelo de cálculo da TJLP, taxa de juros usada nos empréstimos do banco

postado 19/01/2017 11:12:55 - 628 acessos

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apresentou nos últimos dias para o conjunto de superintendentes da instituição de fomento o novo modelo de cálculo da TJLP, taxa de juros usada nos empréstimos do banco, segundo duas fontes que falaram sob condição de anonimato.

A proposta é vincular a TJLP à taxa das NTN-Bs, títulos públicos atrelados à inflação, como revelou o jornal O Estado de S. Paulo no fim do ano passado. Após a reunião com os superintendentes, o novo modelo é tido como oficial nas conversas de corredor do BNDES, conforme uma das fontes ouvidas. A redação do projeto de lei, com participação ativa da diretoria do banco de fomento, estaria avançada. Procurada, a assessoria de imprensa do BNDES informou nesta quarta-feira, 18, que o banco não se pronunciará sobre o assunto.

Os estudos para mudar a forma de cálculo da TJLP envolvem diretores do BNDES e do Banco Central (BC), além do Ministério da Fazenda. O novo formato incluiria uma transição, com o objetivo de, ao longo de alguns anos, a taxa do BNDES ser a mesma cobrada nos títulos do Tesouro.

As informações que circulam no BNDES também reforçam a ideia de que os empréstimos já concedidos ou que estão em processo de análise ainda seguiriam o modelo atual da TJLP, segundo uma das fontes ouvidas pela reportagem. Atualmente, a TJLP é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), formado pelos ministros da Fazenda e do Planejamento e pelo presidente do Banco Central, a cada trimestre.

No ano passado, ao anunciar um plano de medidas, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, disse que o órgão atuaria para mexer no “crédito direcionado”, como são classificados os empréstimos que não são balizados pela Selic, a taxa básica de juros. Economistas críticos desse tipo de política argumentam que o excesso de empréstimos subsidiados pela TJLP retira a potência das decisões da autoridade monetária. Na prática, como as altas e baixas da Selic não afetam o crédito direcionado, o BC precisa subir mais os juros para ter o mesmo efeito de arrefecimento da inflação.

Fonte: Estadão

Notícia enviada por

ACOMPANHE NOSSAS NOTÍCIAS

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Notícias

WebContábeis Conteúdo contábil atualizado e de qualidade em seu site.

Desconto de 10% na mensalidade dos planos básicos de conteúdo.

conheça mais

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.06 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César