Contábeis o portal da profissão contábil

27
Jun 2017
04:07
você está em:

Conteúdo » Notícias

Grupo de profissionais contábeis discute normas para clubes de futebol

Um grupo especial formado por entidades esportivas para discutir a adequação de normas contábeis para os clubes de futebol brasileiros esteve reunido esta semana pela primeira vez em Brasília. O encontro aconteceu na sede do Conselho Federal de

postado 22/05/2017 09:24:13 - 595 acessos

Um grupo especial formado por entidades esportivas para discutir a adequação de normas contábeis para os clubes de futebol brasileiros esteve reunido esta semana pela primeira vez em Brasília. O encontro aconteceu na sede do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e entre os assuntos debatidos foram abordados temas como, a transferência de atletas, os custos de formação desses profissionais, a contabilização das luvas de transmissão de TV nos balanços e os direitos de imagem.

Pela legislação brasileira, os clubes de futebol são considerados como entidades sem fins lucrativos e, por conseguinte, precisam ter a mesma transparência de entidades públicas.

Gestão contábil do futebol

 O Grupo Especial de Entidades Esportivas (GE) foi criado em abril deste ano com a finalidade de estudar alterações em algumas normas contábeis, especialmente a ITG 2003. Essa norma estabelece critérios e procedimentos específicos de avaliação, de registros contábeis e de estruturação das demonstrações contábeis para entidades de futebol profissional. O GE é formado por profissionais de contabilidade que atuam nos clubes de futebol, além de auditores e representantes da Apfut (Autoridade Pública de Governança do Futebol), criada em 2015 para fiscalizar a manutenção de um programa visando a gestão e a responsabilidade fiscal do futebol brasileiro. Além desses representantes, participam também alguns integrantes do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

Benny Kessel, coordenador geral de fiscalização da Apfut e profissional de contabilidade, apresentou durante o encontro a minuta de um manual de contabilidade para os clubes de futebol começou a ser discutida entre os participantes. Kessel informou que a partir de agora todo o material contábil para o setor só será publicado com aprovação do GE e houve consenso entre o grupo que os requisitos devem ser apresentados de forma clara e objetiva.

O coordenador do GE, João Alfredo, que é também conselheiro do CFC, ressaltou que a adequação dos clubes às normas contábeis atende a uma necessidade de atualização das informações tonando claros os esclarecimentos sobre itens onde ainda aparecem divergências nos balanços contábeis. Como exemplo ele citou casos onde há registros contábeis de uma mesma operação feitos de maneira diferente pelas entidades esportivas. “Essas diferenças de critérios afetam o entendimento das informações contábeis e dificultam a comparabilidade entre as entidades.

Compliance

Para o auditor Cristiano Oliveira, do Ibracon, os clubes precisam ter um ambiente de “compliance” não só com as normas contábeis, mas também com as estruturas de controle interno. O termo “compliance” tem origem no verbo em inglês to comply, que significa agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido, ou seja, estar em “compliance” é estar em conformidade com leis e regulamentos externos e internos.

Oliveira considera que existe um mix de operações nos clubes. “Por isso, é preciso redesenhar os controles internos para atuação com ações preventivas e detectivas”, avalia.

O contador Pedro Alberto de Souza, responsável técnico pela contabilidade do Clube Atlético Mineiro, apontou no encontro que devido à complexidade e variedade das atividades dos clubes de futebol do País é preciso adaptar as normas contábeis à realidade. “O futebol é um segmento do mercado brasileiro e mundial que exige atenção e este grupo vem atender a essa necessidade”, destacou.

Já o coordenador do Comitê Administrador do Programa de Revisão Externa de Qualidade (CRE), Rogério Rokembach, apontou que a adaptação das normas precisará passar por revisões periódicas. “Temos que criar uma estrutura com critérios de aplicabilidade que possam ser revisados de acordo com a dinâmica do mercado”, observa.

A próxima reunião do GE está prevista para o final de junho e deve aprofundar o debate sobre os principais pontos que podem gerar alterações nas normas, entre eles, o reconhecimento de receita com “luvas” de transmissão de TV, detalhamento dos requisitos de divulgação em notas explicativas e o custeio de formação dos atletas.

Fonte: CFC - Conselho Federal de Contabilidade

Notícia enviada por

ACOMPANHE NOSSAS NOTÍCIAS

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Notícias

WebContábeis Conteúdo contábil atualizado e de qualidade em seu site.

Desconto de 10% na mensalidade dos planos básicos de conteúdo.

conheça mais

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.06 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César