Contábeis o portal da profissão contábil

16
Jan 2018
05:48

Carreira

Reputação da empresa prejudica ex-funcionários

Mesmo que o candidato não tenha se envolvido em atos ilegais, ter trabalhado em organizações que passaram por escândalos atrapalha futuras contratações

16/08/2017 09:21

2.356 acessos

A revista Harvard Business Review de abril traz um artigo intitulado O Efeito do Escândalo, no qual aborda a conse­quên­cia para os indivíduos quando a empresa em que trabalham se envolve num problema e como isso respinga em sua carreira.

Apesar de não fazer referência ao Brasil, o texto não poderia ser mais oportuno diante da enxurrada de casos de corrupção envolvendo grandes companhias e governo.

Uma pesquisa realizada pelos autores do artigo revela uma dura realidade: executivos em cujo currículo constam empresas contaminadas por um escândalo são prejudicados no mercado, mesmo que não tenham se envolvido na questão. Quando recolocados, eles recebem remuneração 4% inferior à dos colegas do mesmo nível que não trabalharam em organizações com a reputação abalada.

Esse “filtro” nos processos seletivos acontece nas contratações feitas tanto por headhunters quanto por profissionais de recursos humanos. Alguns caça-talentos afirmam ter descartado candidatos oriundos de companhias manchadas simplesmente porque não conseguiriam justificá-los a seus clientes.

Destaco aqui uma frase repetida pelo amigo e professor Luiz Carlos Cabrera: “Os valores antecedem e são guarda-chuva para que você possa ter a condição de empregabilidade. Não importa quanto você tem de conhecimento, de competências ou de rede de relacionamento — se você rompeu com valores, a continuidade de sua carreira será afetada”.

Existe aí um dilema moral: se o profissional não rompeu com seus valores, não compactuou com ato ilícito e não recebeu benefício indevido, por que ele está sendo punido? É possível recuperar sua imagem ou ele carregará essa pedra para sempre?

É possível — mas o custo é alto. O tamanho do impacto dependerá de fatores como o momento de carreira, suas habilidades, o setor de atuação, a situação do mercado, a própria honestidade e a transparência ao lidar com o tema. Executivos da área financeira, por exemplo, sentem um baque maior do que os demais, segundo o estudo, assim como as mulheres.

Agora eu pergunto: qual o papel de nossa área de RH nesses casos? Podemos ajudar as equipes de atração de talentos a estabelecer um processo que as permita separar o joio do trigo? Sim, porque entender o que cada pessoa que trabalhou numa empresa envolvida em escândalo estava fazendo lá naquele momento e como ela se posicionou pode ajudar a quebrar estigmas. E, mais ainda, evitar grandes injustiças.

Fonte: Você Rh

Enviado por

Andrei Fernandes da Costa

Evoluir sempre!

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César