ASSISTA AGORA

SEMANA MEI 2018: LIVE | Dúvidas do Microempreendedor Individual

Contábeis o portal da profissão contábil

26
May 2018
14:49

Tributário

Comércio atacadista de bebida alcoólica pode aderir ao Simples Nacional?

Comércio atacadista de bebidas alcoólicas não produtor não poderá aderir ao Simples Nacional

06/11/2017 08:31

5.533 acessos

A Lei Complementar nº 155/2016, autorizou as vinícolas aderir ao Simples Nacional a partir de 2018. Além das vinícolas, o governo incluiu outros setores de produção no  regime, como é o caso das micro e pequenas cervejeiras, e destilarias. Mas a atividade de comércio atacadista de bebidas alcoólicas também pode aderir?

Somente poderão optar pelo Simples Nacional (Art. 17, inciso X “c” e § 5º da LC 123/2006):

  • micro e pequenas cervejarias
  • micro e pequenas vinícolas
  • produtores de licores
  • micro e pequenas destilarias
  • Assim, somente poderão aderir ao Simples a partir de 2018 as empresas que produzam estas bebidas alcoólicas.

Não poderão optar atacadistas que não produzam essas bebidas.

 

A empresa que apenas revende no atacado bebida alcoólica não poderá aderir ao Simples Nacional. A autorização prevista na Lei Complementar nº 155/2016 contempla apenas os produtores.

Comércio atacadista de bebidas alcoólicas não produtor

O comércio atacadista de cerveja não poderá optar pelo Simples, também não poderá aderir o comércio atacadista de vinhos.

Simples Nacional x Substituição Tributária

As empresas optantes pelo Simples Nacional não estão livres da Substituição Tributária do ICMS.

Assim, os fabricantes de bebidas alcoólicas devem ficar atentos, isto porque deverão atender as regras Substituição Tributária ainda que opte pelo Simples Nacional.

Para saber quais são produtos que o Confaz autorizou os Estados e Distrito Federal cobrar ICMS através da Substituição Tributária, consulte a relação anexa ao Convênio ICMS nº 52/2017.

Ainda que o produto conste do Convênio ICMS nº 52/2017 o contribuinte deve consultar a legislação do Estado de destino da mercadoria.

2018: Novo limite e alíquotas

A Lei Complementar nº 123/2006 foi alterada pela Lei Complementar nº 155/2016, que aumentou de R$ 3,6 milhões para 4,8 milhões o valor da receita bruta anual, reduziu de 6 (seis) para 5 (cinco) Anexos que tratam das Alíquotas, reduziu de 20 (vinte) para 6 (seis) faixas de receita bruta acumulada e criou a figura da parcela a deduzir.


Por Josefina do Nascimento

Fonte: Siga o Fisco

Enviado por

Josefina do Nascimento Pinto

Trabalhou por quase 20 anos em escritório contábil Lançou em 2011 o Blog Siga o Fisco, neste mesmo ano constituiu a empresa Siga o Fisco Solução Empresarial Atualmente é consultora tributária, palestrante, instrutora de cursos, articulista do Blog Siga o Fisco e Influenciadora Digital

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César