Contábeis o portal da profissão contábil

22
Jun 2018
21:53

Contábil

Como contabilizar recursos na área de produção

Devemos fazer uma análise de cada situação para não se deixar levar pela simplificação do tipo "tudo o que ocorre na área de produção de bens e serviços é classificado como custo".

27/02/2018 08:47

1.679 acessos

CUSTOS FORMAÇÃO DE PREÇO

Devemos fazer uma análise de cada situação para não se deixar levar pela simplificação do tipo “tudo o que ocorre na área de produção de bens e serviços é classificado como custo” e deve ser levado para a conta patrimonial ‘estoque’, e aquilo que ocorre fora dessa área é despesa, devendo ser 100% registrado no resultado do período. Existem gastos ocorridos na área de produção que não são classificados como custos, e outros ocorridos fora dessa área que são custos.

Custo é o gasto aplicado na elaboração de bens e serviços destinados à venda, tenha ele ocorrido – ou não – na área física que a empresa destina à produção.

Abaixo cito alguns exemplos de gastos ocorridos fora da área de produção e classificados como custos:

a. Remuneração a outra empresa que executa uma etapa da elaboração de bens que se destinam à venda;

b. Transporte de matéria-prima e de componentes, efetuado fora da área de produção, tem o gasto correspondente classificado como custo;

c. Remuneração de técnico que inspeciona, fora da empresa, a qualidade do material adquirido para aplicar na elaboração do bem destinado à venda;

d. Gasto com o deslocamento de técnico na execução da tarefa do item “c”;

e. Gasto com transporte (próprio ou terceirizado) de pessoal alocado às atividades de elaboração de bens.

Temos também exemplos de gastos ocorridos dentro da área de produção e não classificados como custos:

a. Parcela do recurso aplicado correspondente à ociosidade nos períodos em que ela ultrapasse os limites da normalidade. Pois, o custo referente a essa anormalidade deve ser levado diretamente para despesa não operacional, a título de item extraordinário, segundo Ofício-Circular da Comissão de Valores Mobiliários – CVM, em consonância com o estabelecido na Norma Internacional de Contabilidade IAS 2 e no Boletim de Pesquisa Contábil ARB 43;

b. Recursos despendidos na elaboração de um bem de vida útil de longa duração, não destinado à venda, mas para ser utilizado pela própria empresa na elaboração de outros bens, devem ser classificados como imobilizado;

c. Recursos aplicados na produção de bens destinados à venda e, portanto, classificáveis como custo, que foram perdidos em um acidente operacional, devem ser classificados como perda.

A essência deve sempre prevalecer sobre a forma. Portanto, conclui-se que podem existir recursos aplicados fora da área de produção classificados como custos, e, por outro lado, podem existir aqueles que, embora ocorridos dentro da área de produção, não são classificados como custos.

por René Gomes Dutra

 

Fonte: Gennegociosegestao.com.br

Enviado por

Wellington dos Santos

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César