FÓRUM CONTÁBEIS

TRIBUTOS ESTADUAIS/MUNICIPAIS

respostas 27

acessos 7.627

CTe vinculado a NFe já utilizada anteriormente

Carolini Camargo

Bronze DIVISÃO 2, Coordenador(a) Marketing
há 1 ano Terça-Feira | 8 agosto 2017 | 10:14

Há alguma lei que diga explicitamente que uma nota não pode ser usada em mais de um CTe?

Pergunto para situações como a seguinte:
Transportadora gerou o CTe com o tomador (contribuinte de ICMS) errado, gerou o MDFe e fez o encerramento (o que já impede o cancelamento do CT-e). Depois de alguns dias percebe que o CTe foi emitido errado, e não pode cancelá-lo, fazer carta de correção ou emitir CTe de Substituição, já que o erro encontra-se no tomador do serviço.

Neste caso não resta outra alternativa a não ser emitir um novo CTe com a informação correta, porém fazendo uso da mesma nota fiscal do CTe anterior. Aquele que não pôde ser cancelado e permanecerá como autorizado. Os contadores aconselham a não emitir outro CTe fazendo uso da mesma nota, este caso pode ser considerado como uma exceção? Onde posso encontrar na legislação a informação de que não deve ser utilizada a mesma nota em mais de um CTe, visto que a própria SEFAZ autoriza esse procedimento?

Obrigada desde já.

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Terça-Feira | 8 agosto 2017 | 15:43

Prezada Ana Carolini de Camargo, boa tarde.

Emissão de mais de um CT-e para a mesma NF, só nos casos de recusa de mercadoria (somente para alguns Estados).

Para este seu caso específico, o correto é solicitar ao tomador do serviço (errado) a NF de anulação de valor de serviço de transporte, informando no campo de observações a numeração do CT-e emitido errado e o motivo do erro.

A transportadora utilizará o XML da NF de anulação para anular o CT-e emitido com erro e na mesma operação deverá emitir o CT-e substituto já com os dados corretos.

Esta é a unica saída Legal.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Carolini Camargo

Bronze DIVISÃO 2, Coordenador(a) Marketing
há 1 ano Terça-Feira | 8 agosto 2017 | 16:59

Edmar, obrigada pela sua resposta.

Porém, não é possível gerar CTe de Substituição para casos em que a informação errada seja o tomador. A NFe de anulação será útil apenas para os registros fiscais (uma entrada e uma saída no mesmo valor), todavia para resolver a questão do CTe que precisa ser emitido corretamente, isso não será útil, já que eu não poderia fazer a substituição, e sim fazer a emissão de um novo. Realmente é uma situação onde a opinião sumária é que não deve ser emitido outro CTe com a mesma nota usada anteriormente, porém eu não consigo encontrar um embasamento legal para essa operação.

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Terça-Feira | 8 agosto 2017 | 17:40

Ana Carolini Penteado de Camargo, boa tarde.

O que não pode ser emitido para alterar informação errada do tomador é a carta de correção. O CT-e de anulação é justamente para os casos em que não se pode emitir CC-e, CT-e complementar e nem cancelar o Ct-e, pois este 3 últimos são para outros caos específicos.

este fato está fundamentalmente comprovado do Ajuste SINIEF 02/2008 e no Artigo 247 do RICMS/PR.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Carolini Camargo

Bronze DIVISÃO 2, Coordenador(a) Marketing
há 1 ano Quarta-Feira | 9 agosto 2017 | 09:13

Bom dia Edmar.

Perdão por insistir neste assunto, mas acredito que não estamos falando da mesma operação.

Ambos os fundamentos que você mencionou acima, dizem: "b) após receber o documento referido na alínea "a", o prestador de serviço de
transporte deverá emitir outro Conhecimento de Transporte, citando o original emitido com
erro, consignando a expressão "Este documento está vinculado ao documento fiscal número
... e data ... em virtude de (especificar o motivo do erro)";"

Ou seja, a legislação informa que deve ser gerado outro CT-e, e não o CTe do Tipo 3 - CT-e de Substituição, visto que ao tentar validar o CTe de Substituição dessa forma, a SEFAZ retorna com a rejeição "O CNPJ/CPF do tomador do CT-e substituto deve ser igual ao informado no CT-e substituído."

Esta rejeição é prevista no Manual CTe 3.0 página 50 código G147, e da mesma forma é apresentado na versão 2.0 que ainda está em vigência.

Em suma, é correto afirmar que o CTe de Substituição não pode ser emitido para corrigir o tomador do serviço, deve ser gerado em casos onde o valor da prestação esteja errado, haja vista que o CTe Complementar só pode ser emitido em casos de valor menor do que o correto.

Então volto à minha dúvida da primeira mensagem, há algum embasamento legal para afirmar que uma NFe não pode ser vinculada a mais de um CTe?

Agradeço pela ajuda!

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Quarta-Feira | 9 agosto 2017 | 10:48

Bom dia Ana Carolini.

O fato de você conhecer o manual do CT-e ficará mais fácil de explicar.

Como você mesma citou de forma correta o CT-e tipo 3 (substituto) usa-se somente para os casos em que o valor foi digitado a maior.

Quando eu citei anteriormente que após a anulação do CT-e anterior você deveria emitir o CT-e substituto, peço desculpas, mas eu não quis me referir ao CT-e tipo 3, eu apenas me referia que deveria ser emitido outro CT-e, mas acabei usando a expressão errada.

Então vamos lá...

Vou pôr aqui minuciosamente os passos que devem ser adotados nos casos em que o CT-e for emitido com o tomador errado, usando como base a própria Legislação do Estado do Paraná, cujo texto se repete nas demais legislações Estaduais, pois este Normativo foi extraído do Ajuste SINIEF 02/2008.

"Art. 247. Para a anulação de valores relativos à prestação de serviço de transporte de cargas, em virtude de erro devidamente comprovado, e desde que não descaracterize a prestação, deverá ser observado (Ajuste SINIEF 02/2008):
I - na hipótese de o tomador de serviço ser contribuinte do ICMS:
a) o tomador deverá emitir documento fiscal próprio, pelo valor total do serviço, sem destaque do imposto, consignando como natureza da operação "Anulação de valor relativo à aquisição de serviço de transporte", informando o número do documento fiscal emitido com erro, os valores anulados e o motivo da anulação, devendo a primeira via do documento ser enviada ao prestador de serviço detransporte;
b) após receber o documento referido na alínea "a", o prestador de serviço de transporte deverá emitir outro Conhecimento de Transporte, citando o original emitido com erro, consignando a expressão "Este documento está vinculado ao documento fiscal número ... e data ... em virtude de (especificar o motivo do erro)".


Relativamente a alínea "a", o fato do tomador emitir a NF de anulação de serviço de transporte, o Fisco caracteriza que a prestação do serviço realmente não aconteceu, sendo assim, a transportadora utilizará o XML desta nota de anulação e anulará o CT-e emitido com erro, desta forma, o CT-e emitido com erro não sofrerá tributação tendo todos os efeitos anulados.
Em Seguida, com base na alínea "b" a transportadora emitirá outro conhecimento de transporte (tipo 0 (norma), pois não poderá emitir o tipo 3 (substituto) uma vez que o erro foi o tomador do serviço) citando o original emitido com erro, consignando a expressão mencionada na alínea "b". Este processo não descaraterizará a prestação, que é o que determina o caput do artigo. Inclusive, neste novo CT-e será usado a chave de acesso na NF utilizada para digitação do primeiro CT-e, o qual foi emitido com erro.

Se a dúvida persistir, volte a postar.



Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Carolini Camargo

Bronze DIVISÃO 2, Coordenador(a) Marketing
há 1 ano Sexta-Feira | 11 agosto 2017 | 13:34

Obrigada pela resposta, Edmar.

Entretanto, ainda permaneço na dúvida de qual é o embasamento legal para que possa se afirmar que uma NFe não pode ser vinculada a mais de 1 CTe. Isso em situações diferentes desta mencionada acima.

Pergunto porque vários contadores afirmam que não é possível, porém nunca encontrei nada que alegasse essa informação. Você conhece algum artigo que trate deste assunto?

Agradeço desde já.

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Sexta-Feira | 11 agosto 2017 | 15:48

Boa tarde Ana Carolini Penteado de Camargo.

Quanto ao embasamento Legal para a sua dúvida, ele é distinto para cada Estado, pois vai constar no Regulamento do ICMS de cada UF, como por exemplo, o Estado do Sergipe não permite, mas o do Ceará já permite somente para os casos de recusa de mercadoria, onde o CT-e para retornar com a mercadoria recusada deve ser emitido com a chave de acesso da NF de origem.
Mas isto não é algo que você possa encontrar facilmente na internet.
A forma mais fácil é que seja realizado uma consulta tributária formal para este fim.

Mas vou tentar te explicar algo:

Tirando os casos de recusa de mercadoria, não há mais outra situação em que seja preciso emitir dois CT-e para a mesma chave de acesso da NF, pois para quaisquer outros fatos há sempre um procedimento Legal que deva ser seguido, e nenhum outro envolve a emissão de mais um CT-e para a mesma Nota.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Sexta-Feira | 11 agosto 2017 | 16:00

Ana Carolini Penteado de Camargo.

Eu já recebi uma Intimação do fisco de Sergipe a respeito da emissão de mais de um CT-e para a mesa NF, onde estava informando a base Lega, porém não consegui achar.

Assim que eu encontrar postarei aqui, ou se você desejar, entre em contato por e-mail.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Patricia

Prata DIVISÃO 1, Contador(a)
há 1 ano Terça-Feira | 29 agosto 2017 | 09:40

Bom dia pessoal,

Conforme o Ajuste Sinief 08/2017 que trata do procedimento para tomador incorreto, nos diz que:

- O tomador deverá fazer a nota fiscal de anulação;

- Posteriormente, emitimos um cte de 0,01 para vincular esta nota fiscal de anulação (conforme parag. II do Ajuste);

- Por fim emitimos o cte substituto conforme o parag. III.

Vocês também procedem assim?

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Terça-Feira | 29 agosto 2017 | 10:11

Bom dia.

Este ajuste foi retificado, não consta estas informações.
portanto deverá ser adotado o seguinte procedimento:

Para este seu caso específico, o correto é solicitar ao tomador do serviço (errado) a NF de anulação de valor de serviço de transporte, informando no campo de observações a numeração do CT-e emitido errado e o motivo do erro.

A transportadora utilizará o XML da NF de anulação para anular o CT-e emitido com erro e na mesma operação deverá emitir o CT-e substituto já com os dados corretos.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Patricia

Prata DIVISÃO 1, Contador(a)
há 1 ano Quarta-Feira | 30 agosto 2017 | 17:23

Boa tarde Edmar,

Analisando a legislação, entendi que o AJUSTE SINIEF 09/2007 é o que foi retificado, valendo o AJUSTE 08/2017. Não entendi porque se referiu que não está mais valendo o último ajuste, caso realmente tenha sido retificado, por qual foi?

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Quarta-Feira | 30 agosto 2017 | 18:04

Desculpa Patricia.

Me referi ao que você expressou:

- Posteriormente, emitimos um cte de 0,01 para vincular esta nota fiscal de anulação (conforme parag. II do Ajuste);


Não vi este texto no Ajuste 09/2017, por isso disse que foi retificado.

Enfim, para anular o CT-e você precisa da NF-e de anulação com o valor do frete que foi emitido com erro.
No seu sistema deve ter uma campo especifico de anulação do CT-e.
Lá tu vais preencher os campos "numero da NF de anulação, série, modelo, data de emissão, valor do frete, cfop e a chave de acesso". Só isso, automaticamente o Ct-e emitido com erro será anulado e ficará com valor zerado.
A partir daí você poderá emitir um novo CT-e, informando os dados corretos, podendo ser, tomador, valor, peso, quantidade, ou seja, CT-e de anulação são para os casos em que não é permitido emitir carta de correção ou cancelar o Conhecimento.

Espero que sua duvida esteja sanada, mas se preferir, pode entrar em contato comigo por e-mail.





Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Patricia

Prata DIVISÃO 1, Contador(a)
há 1 ano Sexta-Feira | 1 setembro 2017 | 11:10

Bom dia Edmar,

Fizemos o procedimento da emissão do ct-e de 0,01 porque o nosso sistema não está adequado para o procedimento de vínculo da anulação. Portanto hoje nós fizemos o procedimento que você citou acima: CTE ERRADO >>NOTA DE ANULAÇÃO>>CTE CORRETO.
Porém fiquei na dúvida do texto do AJUSTE SINIEF 08/2017 em que nos traz na CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - A, INC. II: I - após o registro do evento referido no inciso I, o transportador deverá emitir um CT-e de anulação para cada CT-e emitido com erro, referenciando-o, adotando os mesmos valores totais do serviço e do tributo, consignando como natureza da operação "Anulação de valor relativo à prestação de serviço de transporte", informando o número do CT-e emitido com erro e o motivo;

Entendi assim, que além de eu ter que emitir CTE ERRADO >>NOTA DE ANULAÇÃO>>CTE CORRETO também terei que emitir um CT-E DE ANULAÇÃO.

Você teve o mesmo entendimento?

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Sexta-Feira | 1 setembro 2017 | 11:22

Sim, só que o CT-e de anulação corresponde a este processo:

Lá tu vais preencher os campos "numero da NF de anulação, série, modelo, data de emissão, valor do frete, cfop e a chave de acesso". Só isso, automaticamente o Ct-e emitido com erro será anulado e ficará com valor zerado.


Ou seja, no seu sistema ERP, quando você entrar no CT-e emitido com erro, deve ter a opção: CT-e anulação e, lá você preencherá os campos informados na NF de anulação do serviço de transporte.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 1 ano Quinta-Feira | 19 abril 2018 | 17:15

Tiago Sote Ribeiro

Se a mercadoria ainda não saiu, pode sim!
Mas é preciso encerrar o MDF-e e aguardar pelo menos 3 horas.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Tiago Sote Ribeiro

Bronze DIVISÃO 2, Almoxarife
há 52 semanas Sexta-Feira | 20 abril 2018 | 14:59

boa tarde Edmar,
realmente a mercadoria não saiu, acabamos de cancelar um mdf-e e na Sefaz/MG ainda não consta como cancelado o Mdf-e dentro da nf-e, já no portal nacional a nf-e já apresenta com o Mdf-e cancelado.....vou aguardar o prazo que me disse pra conferir novamente.....

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 51 semanas Segunda-Feira | 23 abril 2018 | 11:08

E então Tiago, deu certo?

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Tiago Sote Ribeiro

Bronze DIVISÃO 2, Almoxarife
há 51 semanas Terça-Feira | 24 abril 2018 | 13:41

boa tarde Edmar......desculpe a demora em responder......mais uma vez obrigado, esperamos quase 3 horas pra que o mdf-e mudasse o status na Sefaz/MG, mas conseguimos sim cancelar a nota.....

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 51 semanas Terça-Feira | 24 abril 2018 | 14:26

Certo... Esse é o tempo médio para que a SEFAZ possa processar a solicitação.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Sabrina Santiago

Prata DIVISÃO 1, Assistente Fiscal
há 23 semanas Terça-Feira | 6 novembro 2018 | 16:38

Edmar Favacho Galvão,

Boa tarde! Tenho uma dúvida sobre a questão do CT-e anulado quando for SIMPLES NACIONAL.
Ex: no mês 10/2018 houve a emissão do CT-e com erro, a declaração das receitas foi feita no SIMPLES NACIONAL e o DAS apurado. No mês 11/2018 descobriu-se o erro no CT-e e o processo de anulação e substituição foi feito. A declaração da receita do mês 10 deverá ser retificada no SIMPLES NACIONAL?



" A parte que ignoramos é muito maior que tudo aquilo que sabemos. " Platão

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 23 semanas Quarta-Feira | 7 novembro 2018 | 11:07

Sabrina Santiago, bom dia.

Isso mesmo, Visto que o DAS da competência 10-2018 ainda não foi recolhido, a empresa deverá retificar a declaração excluindo a receita proveniente do CT-e anulado.

Como houve nova emissão de documento fiscal em substituição ao anulado, o valor correspondente deve ser tributado no período de apuração relativo a prestação/emissão do documento original, que no caso é 11-2018.

Particularmente prefiro realizar o processo desta forma.

Base Legal: artigo 18 da Resolução CGSN nº 140, de 2018.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

Patricia

Prata DIVISÃO 1, Contador(a)
há 23 semanas Sexta-Feira | 9 novembro 2018 | 12:46

Bom dia Edmar,

Sobre o processo de anulação que você citou acima, não terá uma nota fiscal de anulação vinculada ao CT-e incorreto? Se tiver e você excluir o CT-e anulado a operação não fecha, concorda comigo?

Edmar Favacho Galvão

Ouro DIVISÃO 1, Consultor(a) Contabilidade
há 22 semanas Segunda-Feira | 12 novembro 2018 | 09:37

Patricia

Sim, deve haver o processo de anulação e substituição normalmente.

Edmar Galvão - CRC: PA-020864/O
Operações Logística e Transporte - Assessoria Contábil e Tributária
Especialista em Direito Tributário - Auditoria e Controladoria-FGV
Mestrando em Administração
E-mail: controladoria.bel@pexlog.com.br

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL

cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.