FÓRUM CONTÁBEIS

TRIBUTOS FEDERAIS

respostas 5

acessos 216

Retenção INSS // Simples Nacional

Afonso Oliveira

Prata DIVISÃO 2, Contador(a)
há 10 semanas Segunda-Feira | 11 fevereiro 2019 | 16:43

Boa tarde, to com uma duvida que não sei como resolver, espero que alguem consiga me ajudar.


Estou com uma empresa que presta serviços de obras consertando problemas em edifícios da MRV ou outras construtoras, porem essas construtoras ao realizarem o pagamento do serviço ao meu cliente ela retem sempre 3,5% do valor da nota como retenção de INSS e faz o recolhimento.

A duvida é: a empresa do meu cliente esta enquadrada no anexo IV do simples nacional cuja aliquota não engloba o imposto INSS/CPP então como eu posso fazer a compensação desse imposto retido? Posso compensar no recolhimento do INSS da empresa no SEFIP?

Ezequiel dos Santos Amaral

Prata DIVISÃO 3, Contador(a)
há 10 semanas Terça-Feira | 12 fevereiro 2019 | 00:05

Afonso boa noite!
A sua empresa adotou a substituição dos 20% de INSS sobre a folha de pagamento pela desoneração da folha de pagamento.
Assim no SEFIP você deve compensar os 20% de INSS e informar em compensação, além disso informar esta retenção dos 3,5% para crédito e abatimento do valor retido.

Na dúvida oriento a leitura do Ato Declaratório Executivo CODAC n° 093/2011.

Bacharel em Ciências Contábeis - CRCSP nº 263290
Graduado em Gestão Financeira - CRASP nº 6-004301


E & A CONTABILIDADE®
http://www.eacontabilidade.com.br
# A NOSSA EXPERIÊNCIA FAZ A DIFERENÇA.

Aparecida Mota

Ouro DIVISÃO 2, Consultor(a) Contabilidade
há 9 semanas Quarta-Feira | 13 fevereiro 2019 | 11:26

Pode compensar sim. Porém o percentual correto para a empresa que não faz a desoneração é de 11%

APARECIDA MOTA

CONSULTORIA: CONTABILIDADE IMOBILIÁRIA para a
- VENDA DE IMÓVEIS
- INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA - RET

contaimobi@gmail.com

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL

cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.