Contábeis o portal da profissão contábil

23
Nov 2017
22:09
você está em:

Conteúdo » Artigos

Oferta e demanda: Entenda como estes dois conceitos podem interferir na eficácia de seu negócioN

Neste artigo serão apresentados conceitos importantes acerca da oferta e demanda e sua relevância para os pequenos negócios brasileiros.

postado 07/11/2016 09:39:52 - 1.094 acessos

 

Amigo gestor, talvez você ainda não tenha notado, mas existem uma gama de fatores que podem interferir em seus resultados financeiros. Alguns fatores sobre o aumento ou diminuição do poder de compra e inflação num dado período podem ser percebidos de forma mais imediata, mas, você sabe o grau de interferência de tais fatores sobre o seu ramo de atividade? Pois bem, hoje iremos falar sobre oferta e demanda e sua importância para os pequenos negócios no Brasil.

Inicialmente, é importante que realizemos uma breve explicação sobre estes dois conceitos básicos: oferta e demanda.

A oferta se caracteriza pela quantidade de um determinado produto no mercado em um dado período. Vamos tomar como exemplo uma pequena fábrica de roupas: de acordo com dados fatores da economia que iremos explicar mais adiante, a fábrica pode produzir em maior ou menor escala. Se a fábrica produzir mais peças, teremos um aumento da oferta de roupas no mercado. Se a fábrica produzir menos peças, teremos uma diminuição da oferta de roupas no mercado.

Este é o conceito de oferta. E a demanda? Como ela se caracteriza?

A demanda irá consistir na animosidade das pessoas para consumir determinado produto ou serviço num dado período. Se voltarmos ao exemplo anterior e formos pensar na demanda da fábrica de roupas, iremos entender que, de acordo com determinados fatores, as pessoas poderão consumir mais ou menos, ou seja, demandarem um maior ou menor consumo de roupas. A sucumbência à oferta, iremos chamar de demanda.

Mas, nosso objetivo aqui não é apenas explicar o que são estes dois conceitos tão importantes para a nossa economia. Tencionamos também relaciona-los a realidade do mercado e assim, fazer com que o leitor compreenda como ocorrem tais fatores. Para tanto, é necessário explicar quais são os critérios utilizados pelas pessoas para a realização de suas compras.

Por que as pessoas compram?

Você já parou para pensar por que as pessoas compram? O que leva uma pessoa a escolher algo e pagar por ele? Bom, são consideradas algumas razões que levam uma pessoa a optar por uma compra. São elas:

Em primeiro lugar, somos dotados de vontades ilimitadas, frente a recursos limitados. Se você perguntar para uma mulher o que ela gostaria de comprar como o seu salário ela poderia dizer: gostaria de renovar os sapatos, comprar uma meia dúzia de vestidos e completar o meu estoque de maquiagem. Sim, talvez eu também dissesse isso.

Mas, na realidade, essa mesma mulher, possui contas de agua e luz para pagar, aluguel atrasado e a fatura de cartão de crédito a vencer. Se pelo seu trabalho, ela recebesse um pagamento no valor de R$ 1.000,00 ela iria conseguir realizar todos os desejos existentes? Comprar roupas, sapatos, maquiagem e ainda pagar as contas de agua, luz, cartão de crédito e aluguel? Receio que não. Por isso, é indicado que haja uma racionalização, a fim de priorizar os gastos essenciais em detrimento dos gastos supérfluos.

Assim, se as pessoas possuírem um poder de compra mais baixo, quer seja por um salário menor, quer seja através de uma moeda mais desvalorizada, consequentemente elas iriam reduzir os seus padrões de consumo também.

Mas, deixemos de lado os salários recebidos e as vontades expostas em nosso exemplo anterior e comecemos a pensar no poder de produção de um determinado estabelecimento. Digamos que uma determinada empresa produza um componente importantíssimo para a preparação de um chá de emagrecimento. Como todos sabemos as pessoas atualmente estão se preocupando mais com a própria qualidade de vida e, por isso, estão realizando opções por hábitos de vida mais saudáveis. Digamos que uma conceituada empresa de pesquisa descobriu e divulgou para o país inteiro os resultados fantásticos que tal componente foi capaz de apresentar. Isso seria ótimo, correto?

Agora, vamos imaginar, que as pessoas iriam confiar nesta pesquisa e se empenhariam para obter a mistura produzida a fim de conseguirem resultados semelhantes no próprio corpo. Ou seja, um fator externo (pesquisa), fez com que a procura (demanda) por um determinado produto aumentasse em demasiado. Considerando que a empresa produz certa quantidade por mês para fins de controle de seu estoque, provavelmente haveria uma maior procura deste composto e, possivelmente, a empresa não conseguiria atender a todos os clientes porque não estava com o estoque preparado para tal demanda. O que irá ocorrer neste nosso exemplo? Muito provavelmente, a empresa irá aumentar o preço de venda do composto, sabem por quê? Para aproveitar a tendência. Porém, algumas pessoas podem não concordar com tal medida e podem optar por não adquirir o produto.

Constatamos, com base neste simples exemplo, duas situações relacionadas a oferta e demanda. Em primeiro lugar, a divulgação sobre as propriedades relacionadas ao emagrecimento aumentou a demanda pelo produto e em segundo lugar, o aumento do preço do produto fez reduzir a demanda por ele, já que nem todos estavam dispostos a pagar o novo preço apresentado.

Viram só quantos fatores irão influenciar os conceitos de oferta e demanda em seu negocio. Sigamos com mais alguns:

Quem aqui trocou de geladeira quando o governo anunciou aquela isenção de IPI para a linha branca em nosso país? Sim, as geladeiras ficaram mais baratas já que um importante imposto passou a não ser cobrado das indústrias por um tempo. Daí você olhou para a sua geladeira, pensou que ela estava um pouco velha, viu no noticiário que o preço havia caído nas lojas e acabou comprando uma nova, correto? Pois é, o governo pode aquecer a economia por meio de incentivos fiscais, isso irá incentivar o consumo, produzir o giro de dinheiro no país e gerar mais empregos e renda.

Vamos considerar mais alguns exemplos:

Imaginemos que em um determinado período do ano, o preço do feijão chegou mais caro nas mesas dos brasileiros. Ou seja, o preço da oferta aumentou, teremos para tal período, uma diminuição do consumo do feijão, ou seja, uma diminuição da quantidade demandada já que, devido ao aumento de preço, as pessoas podem não conseguir comprar todos os itens importantes relacionados a cesta básica. Em economia, dizemos que a curva de demanda do produto feijão, sofrerá um deslocamento para a esquerda, devido sua diminuição de consumo.

Interessante explicar também, que nossa economia compreende bens considerados de primeira linha e bens considerados de segunda linha. Os bens e primeira linha são os bens considerados de melhor qualidade e os consumimos quando o seu preço é mais baixo ou quando nossa renda aumenta. Já os bens de segunda linha, possuem qualidade inferior, mas são capazes de substituir os bens de primeira linha em períodos onde há maior dificuldade financeira. Um exemplo simples é a carne de primeira e a carne de segunda. Sabemos que a carne de primeira é mais cara que a carne de segunda. Um exemplo para as carnes de primeira poderia ser o filé, enquanto, para as carnes de segunda, poderíamos citar a sardinha.

Quando é possível perceber um deslocamento para a direita dos bens considerados como de segunda linha, será porque os bens de primeira linha estarão mais caros ou o poder de compra foi reduzido. Pela mesma análise, se há uma queda no preço do filé, a curva de demanda para este produto se deslocará para a direita e as pessoas poderão demandar mais tal carne. O importante aqui é explicar como os produtos podem ser trocados por outros e isso também pode ocorrer com a manteiga e a margarina ou um achocolatado com uma marca mais famosa e outro com uma marca não tão famosa, por exemplo.

Existem também os bens de demanda complementar. Tais bens caracterizam-se por suas características inerentes e interdependência entre si para a constituição do todo. Um bom exemplo é o carro a gasolina. Teoricamente, se o preço da gasolina sofrer uma redução, poderemos ter um aumento na venda dos carros que utilizam este combustível.

Ainda falando de carros, quando há um aumento no preço da gasolina, para os carros flex, é provável que haja um aumento no consumo do combustível álcool, se o seu preço permanecer constante. Isso ocorre, porque no caso dos carros flex, há a opção por mais de um tipo de combustível. Assim, as curvas de demanda para gasolina e álcool iriam se deslocar respectivamente para a esquerda no caso da gasolina e para a direita para os combustíveis a base de álcool.

Um ultimo exemplo visa descrever como alterações em um único produto poderão afetar o consumo em produtos distintos. Tomemos como exemplo o pão francês. Como você gosta de comer o pão francês? Alguns comem com manteiga, outros utilizam margarina, outras pessoas gostam de consumi-lo com presunto ou com queijo. Imaginemos que o preço do pão francês sofra um aumento significativo. Já sabemos que a demanda pelo pão francês irá diminuir, mas, a diminuição poderá ocorrer também com aqueles alimentos consumidos juntamente com o pão francês caso não haja uma substituição e a população realmente se incomode com os preços e modifique seus hábitos.

Pois bem, através deste artigo foi possível refletirmos sobre algumas motivações importantes que poderão fazer com que as pessoas consumam ou não produtos em seu estabelecimento. Gerir um negócio não significa simplesmente abrir uma porta e esperar o cliente entrar com sua necessidade, para então, a venda ser efetuada. Gerir um negócio vai muito além de relações amigáveis ou um bom layout porque diz respeito um universo que sofre constantemente diversas influencias seja por ordem regional, nacional ou até mundial. Portanto, é preciso que os gestores estejam atentos aos fatores que influenciam o seu ramo de atividade e tenham uma boa programação de produção, com possível previsão de vendas. Lembrando que o mercado não é estático e pode trazer alterações tanto positivas quanto negativas para você.

Assim, compreender como as pessoas consomem, por que as pessoas consomem, quais os atrativos de seus produtos, a quê eles estão condicionados, se estiverem, como anda o poder de compra das pessoas para o produto que você comercializa, o que fazer para estimular a compra em tempos de crise ou a própria situação do país se faz questão de suma importância para o sucesso e prestigio de qualquer negócio, mesmo que seja apenas uma portinha, de uma cidadezinha de qualquer lugar. Estude o mercado!

Artigo enviado por
Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Artigos

WebContábeis Conteúdo contábil atualizado e de qualidade em seu site.

Desconto de 10% na mensalidade dos planos básicos de conteúdo.

conheça mais

Facebook


x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.16 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César