PARTICIPE

O Maior Evento Online Contábil do País - Inscrições gratuitas

19 a 23 de junho de 2017

www.conbcon.com.br
x

Contábeis o portal da profissão contábil

25
Apr 2017
17:21
você está em:

Conteúdo » Artigos

A tomada de decisão na era tecnológica: o empresário rural, a contabilidade e o fisco

A facilidade de acesso à informação gerada pela tecnologia agiliza a tomada de decisão do empresário rural, contribuindo para a maximização dos resultados, mas também acelera a evolução dos órgãos fiscalizadores.

postado 05/12/2016 09:35:55 - 1.522 acessos

Na mesma velocidade em que avançam as tecnologias na produção rural, evoluem os mecanismos de coleta de dados e informações. Da mesma forma com que os avanços da biotecnologia aumentam a produtividade, possibilitando maior resistência a danos de herbicidas, pragas, insetos e doenças, o avanço da tecnologia da informação incrementa a velocidade e a facilidade com que as informações circulam entre os usuários dos dados contábeis.

Dentre os usuários dos dados contábeis, encontra-se principalmente a figura do gestor da propriedade rural. Diariamente, em seu papel de gerente do negócio, necessita tomar inúmeras decisões, sobre a utilização ou não de novas tecnologias, quando e quanto investir e quais insumos utilizar, entre outras questões importantes, chegando até à decisão sobre a formação do preço final de venda dos produtos e sobre o momento certo para a comercialização. Essas tarefas exigem conhecimentos de teoria econômica e de mercado, além de muita experiência. 

Diante dessa realidade, o desenvolvimento contínuo de novas tecnologias no agronegócio faz com que os empresários rurais necessitem manter-se informados com relação às constantes mudanças, sejam elas técnicas, sejam legislativas ou mercadológicas. Além disso, para a tomada de decisão ideal, o empresário rural precisa ter amplo conhecimento do seu negócio, vislumbrando as oportunidades e os problemas a serem solucionados, para, então, buscar a solução adequada para cada situação. Podemos dizer que até a opção por não fazer nada, deixando o negócio como está, é uma importante decisão tomada pelo gestor, pois, como qualquer outra, trará reflexos a curto ou longo prazo.
 
Em suma, diante de tantas tomadas diárias de decisão, a contabilidade torna-se uma importante ferramenta de auxílio à gestão do empresário rural, seja através do fornecimento de dados gerenciais ou tributários-fiscais. A contabilidade é fundamental, especialmente em duas etapas lógicas envolvidas em qualquer tomada de decisão: planejamento e controle.
 
O planejamento é a etapa do ato da tomada de decisão que analisa dentre as alternativas encontradas qual se apresenta como a melhor opção para a busca da solução de um problema ou aproveitamento de uma oportunidade. O controle é a penúltima etapa da tomada de decisão, pois possibilita monitorar os impactos da decisão tomada, sendo este monitoramento essencial para a última etapa, que é a avaliação dos resultados positivos ou negativos ocasionados pela decisão escolhida.
 
Até para adquirir um software contábil é necessária uma tomada de decisão que envolve, entre outras questões, a avaliação de três quesitos: conhecimento de contabilidade por parte de quem operará o sistema; tamanho e complexidade do negócio rural; e volume de informações necessárias para a tomada de decisão gerencial.
 
Mas, assim como os dados contábeis são importantes para um dos usuários, que é o gestor, também são relevantes para um outro usuário que se encontra, de certa forma, do lado oposto da cadeia: o Fisco. Da mesma forma que o gestor necessita das informações para o planejamento e controle do negócio, o Fisco as necessita para o planejamento e controle da arrecadação. Voltando à evolução das tecnologias, o gestor necessita de um sistema eletrônico que gerencie as informações de maneira ampla e que possibilite fácil acesso aos dados - com o Fisco não seria diferente. Se o gestor do agronegócio precisou evoluir o controle buscando "softwares" que atendessem às suas necessidades específicas, o Fisco também buscou a mesma evolução com a criação do ambiente de dados virtual denominado SPED (Sistema Público de Escrituração Digital).

O objetivo principal do Fisco com a criação do ambiente SPED, foi a integração, em um sistema unificado, das diversas obrigações acessórias que o contribuinte constituído como pessoa jurídica - em alguns casos também como pessoa física - eve apresentar anualmente ou mensalmente. Visa-se, assim, facilitar a coleta dos dados para a efetuação dos cruzamentos de informações por parte do agente fiscalizador, agilizando a verificação de inconsistências, visto que as informações transmitidas obrigatoriamente ao ambiente SPED estão à disposição do Fisco sem a necessidade de solicitação prévia ao contribuinte.
 
Portanto, a facilidade de acesso à informação gerada pela tecnologia agiliza a tomada de decisão do empresário rural, contribuindo para a maximização dos resultados, mas também acelera a evolução dos órgãos fiscalizadores. Uma tomada de decisão equivocada - do ponto de vista tributário - pode dar uma ideia de aumento do resultado. Entretanto, a facilidade de acesso por parte do fisco à possível informação inconsistente acarreta em um risco de impacto tributário negativo muito maior do que o ilusório impacto positivo inicial, o que reforça a importância da manutenção de um acompanhamento tributário especializado na operacionalização do negócio rural que evite transtornos com o fisco, contribuindo para que o empresário rural otimize o seu tempo, aplicando-o apenas nas importantes tomadas de decisão estratégicas do negócio.
 
 
Hugo Monteiro da Cunha Cardoso
hugo@safrasecifras.com.br
Contador, Especialista em Direito Tributário e Consultor da Safras & Cifras
Artigo enviado por
Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Artigos

WebContábeis Conteúdo contábil atualizado e de qualidade em seu site.

Desconto de 10% na mensalidade dos planos básicos de conteúdo.

conheça mais

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.07 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César