Contábeis o portal da profissão contábil

13
Dec 2017
18:42

Empresarial

Como precificar serviços sem preço?

Disponibilizar serviços gratuitos está virando moda, mas não pense que estas empresas sobrevivem do nada. Se há despesa é necessário haver receita (preço), pois do contrário a vida útil da gratuidade é curta.

05/09/2017 13:50

2.594 acessos

Nesta semana participei de mais um evento e tive a honra de conhecer colegas palestrantes nacionalmente renomados que apresentaram a realidade atual e a previsão do futuro das empresas contábeis. Graças ao avanço tecnológico, o formato atual de prestação dos serviços contábeis deve sofrer profundas alterações. Este fato não é nenhuma novidade para os contadores, pois já há alguns anos as entidades de classe têm batido nesta tecla em diversos eventos e as profundas mudanças trazidas pela nota fiscal eletrônica e os SPED’s, que muita dor de cabeça trouxeram para a compreensão, implantação e a conscientização dos colabores das empresas contábeis e de seus clientes, sinalizavam um futuro diferente.

Haverá mais mudanças? Certamente sim, especialmente em decorrência das duas realidades citadas acima, pois utilizar as facilidades do sistema possibilita reduzir drasticamente o tempo, consequentemente o custo, da prestação do serviço. As ferramentas e softwares estão sendo desenvolvidas e disponibilizadas para quem estiver disposto a conhecer, adquirir e implantá-las. Normalmente a etapa mais difícil é o custo da implantação, que é fundamental, como ocorreu quando, na década de 1990, os computadores começaram a fazer parte da vida das empresas. Dá para imaginar uma empresa sem computadores na atualidade?

E quanto aos preços, o que poderá ocorrer? A redução dos preços já vem acontecendo há anos. Hoje temos inúmeros serviços gratuitos, como as ferramentas de pesquisa na internet, as redes sociais (destaque para o Whatsapp, que presta excelente serviço de comunicação e nada cobra) e tantos outros aplicativos que nos atendem a preço zero, a exemplo da previsão do tempo e o GPS para orientação de trânsito, indispensáveis.

Isso quer dizer que os contadores também terão que trabalhar de graça, o que inutiliza a importância do estudo da precificação? Não, é justamente o contrário! Todos os serviços que são prestados graciosamente para o usuário final têm preço, na maioria das vezes arcado por outra pessoa ou empresa. Para exemplificar cito o caso do Facebook, que presta serviços de graça para os usuários comuns, mas está entre as empresas com maior faturamento e lucro ano após ano.

Como isto acontece? As empresas que desejam mostrar os produtos (roupa, utensílios, joias, carros, viagens etc.) pagam para o Facebook divulgar. Os contadores poderão prestar serviços de graça para os usuários finais, sejam empresas ou pessoas físicas, mas o trabalho será remunerado por alguém. Alguns dirão que o justo seria o governo pagar, pois o contador executa o trabalho de arrecadação e controle dos tributos.

Será que um dia os contadores conseguirão criar uma fonte de renda que utilizará como estratégia para atrair público a prestação de serviços às empresas e as informações serão disponibilizar a terceiros dispostos a remunerá-los?

Mesmo que isto venha a acontecer é indispensável conhecer a metodologia de precificação, composta da adoção dos três enfoques: custos, concorrência e valor percebido. Se os custos são desconhecidos, a receita necessária à sobrevivência também é desconhecida; sem a vigilância das práticas de preço da concorrência, a qualquer momento o risco de ser engolido por ela é cada vez mais real e ignorar os valores do seu serviço ou produto é ensinar o cliente a fazer o mesmo, impedindo-o de reconhecê-los e estar disposto a pagar o preço.

Se não souber atribuir o preço justo aos serviços prestados, seja lá quem for o pagador, será impossível se manter na atividade, pois mesmo quando se sabe calcular adequadamente os preços encontra-se a barreira da concorrência que muitas vezes faz loucuras.

Escrito por

Gilmar Duarte

Palestrante, autor dos livros "Honorários Contábeis" e "Como Ganhar Dinheiro na Prestação de Serviços", contador, diretor do Grupo Dygran e membro da Copsec do Sescap/PR. www.gilmarduarte.com.br ------ facebook.com/GilmarDuartePalestrante

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César