Contábeis o portal da profissão contábil

13
Dec 2017
05:16

Tributário

O PERT passou. O que fazer agora?

Após a correria de última hora que já é tradição no Brasil, várias empresas formalizaram sua adesão ao Parcelamento Especial Tributário.

17/11/2017 13:28

3.047 acessos

Após a correria de última hora que já é tradição no Brasil, várias empresas formalizaram sua adesão ao Parcelamento Especial Tributário.

Muitas o fizeram sem grandes análises, apenas no afã de regularizar-se perante o Fisco.
 
Mas e agora? O que fazer? Não é mais preciso se preocupar com nada?
 
Sugiro analisar quatro pontos importantes a seguir pelas empresas que pretendem não mais ter de passar pelo fantasma da inadimplência tributária.
 
1 - Planejamento de caixa e de negócio
 
A primeira coisa a ser feita agora é analisar as causas que levaram você ou sua empresa a chegar ao ponto da inadimplência com o Fisco e ter de se valer de um parcelamento especial.
 
É certo que o País enfrenta uma de suas maiores crises, mas é de suma importância a análise do que realmente impactou em seu negócio para que se chegasse a esse ponto.
 
Será que faltou planejamento? Sua empresa tem um plano de contingência para casos de crises internas do seu ramo de negócio ou de crises econômicas abrangentes? Você conhece seus clientes e suas fragilidades?  Consegue negociar prazos maiores e preços menores com seus fornecedores? Tem conhecimento do seu fluxo de caixa mensal e anual? Como seus processos influenciam no desempenho de seu negócio? Sua empresa pode ser mais eficiente? Pode-se cortar ou reduzir despesas/custos?
 
Também importante agora é se planejar para manter-se em dia com as contas. Lembre-se que terá de honrar com os tributos correntes e com o parcelamento. 
 
Segundo as regras do PERT* o contribuinte será excluído do parcelamento quando ocorrer, entre outros fatores:
 
*  a falta de pagamento de três parcelas consecutivas ou de seis alternadas;
*  a falta de pagamento de uma parcela, se todas as demais estiverem pagas.  
 
2 - Contabilidade e gerenciamento do negócio
 
Outro ponto importante e que muitos empresários acabam tratando como mera formalidade, mas que pode auxiliar muito na análise da saúde financeira da empresa, é a contabilidade.
 
Qual foi a última vez que você analisou com seu contador o balanço e demais demonstrativos contábeis de sua empresa? Sabe dizer se sua empresa está tendo lucro?
 
Outro ponto é saber separar os gastos próprios da empresa das despesas pessoais dos sócios. Muitos empresários acabam por confundir o patrimônio pessoal com o da empresa, de forma que a análise financeira/contábil fica prejudicada. 
 
3 - Planejamento tributário
 
Desconhecido por muitos, o planejamento tributário é de grande valor no gerenciamento do negócio. 
 
Podemos dizer que vivemos num País com uma das maiores cargas tributárias do mundo. Soma-se à isso a complexidade e a mutação constantes das leis e regras tributárias.
 
Alguns pensam por exemplo que o SIMPLES é sempre a melhor opção tributária, mas na verdade nem sempre isso é verdade. Além disso, os fatores que influenciam na melhor escolha tributária não são estáticos e é sempre necessário analisar se a atual forma tributária ainda é a mais adequada ao negócio.
 
 Essa análise tem de ser feita ao menos uma vez ao ano para que se tenha tempo hábil para mudar o rumo tributário da empresa logo que possível. 
 
 Em geral, a opção escolhida vale para todo o ano seguinte, de forma que uma má escolha poderá impactar seu negócio durante um ano inteiro.
 
Portanto, que tal conversar com seu contador ainda esse mês?
 
4 - Planejando o futuro e seguindo em frente
 
Outro ponto importante é ter metas e objetivos para médio e longo prazo. 
 
Podemos definir objetivo  como um determinado fim que se pretende alcançar em uma empreitada.
 
Por exemplo, pretende-se aumentar as vendas da empresa em 100% ao cabo de 5 anos.
 
Para se chegar aos objetivos, porém é necessário se estabelecer metas, que são pontos intermediários a se alcançar para que o objetivo seja conquistado.
 
Neste exemplo, para se chegar ao incremento de 100% nas vendas, pode-se estabelecer metas intermediárias, como aumento de 30% no primeiro ano, 20% no segundo e terceiro anos e de 15% no quarto e quinto anos.
 
Uma empresa sem metas e objetivos  fica a deriva no mercado, como um navio sem um mapa ou bússola. 
 
Então, já pensou onde quer chegar com sua empresa daqui a cinco anos?
 
Tome as rédeas de seu negócio e suas chances de sucesso aumentarão.
 
 
Referências
 
 
 
 
 
 

Escrito por

Luciano de Abreu Santos

Contador, empresário contábil, Pós Graduado em Gestão de Tributos pelo Centro Universitário Augusto Motta/RJ. Foi membro convidado da Comissão de Comunicação Social do CRC/RJ 2014/2015. Co-Administrador do Blog de Ciências Contábeis da UNISUAM. Atua a 19 anos com assessoria e consultoria contábil/fiscal à empresas prestadoras de serviço, entidades do terceiro setor, indústria e comércio.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César