Contábeis o portal da profissão contábil

13
Dec 2017
20:45

Tributário

Recebendo sem vender: A outra face da moeda

O problema não está em receber os valores, mas em não justificar a origem da entrada desses valores, pois como é que estou recebendo dinheiro em minha conta se para o fisco (Receita Federal, SEFAZ, Prefeitura) estou "sem movimento"??

30/11/2017 08:28

1.809 acessos

Ultimamente está sendo comum alguns empresários utilizarem a maquineta de cartão para receberem valores a débito e a crédito o que facilita para o seu cliente dando mais opções para o pagamento e parcelamento, proporcionando uma maior entrada de dinheiro. E onde está problema nisso?
                O problema não está em receber os valores, mas em não justificar a origem da entrada desses valores, pois como é que estou recebendo dinheiro em minha conta se para o fisco (Receita Federal, SEFAZ, Prefeitura) estou “sem movimento”?? Afinal empresa sem movimento não deve pagar imposto (quem nunca escutou essa frase)
                Se para o fisco (Receita Federal, SEFAZ, Prefeitura) estou quebrado, porém para as operadoras de cartão sou um cliente em potencial, o que essa situação pode me causar de ruim? Costumo chamar essa situação de Vantagem desvantajosa vamos ver apenas os 3 pontos mais relevantes para chama-la dessa forma.
  1. Pelo recebimento sem origem, a empresa poderá ser enquadrada em omissão de receita (venda sem nota)
  2. As operadoras de cartão prestam informações para o mesmo “fisco” que o seu, a diferença é que elas (operadoras de cartão) estão informando que tiveram movimentos e quem são os seus clientes.
  3. Quando a empresa realiza uma venda (com ou sem nota) será inevitável a diminuição no estoque, afinal o cliente literalmente pagou pelo o produto
O que fazer agora???
 
Regularize essa situação o mais breve possível, pois algumas empresas já chegaram a “quebrar” por não terem recursos para pagar as multas e ainda manter o dinheiro para o capital de giro. E como sugestão para regularizar essa situação, coloquei alguns pontos para serem visto antes que o fisco venha a cobrar a parte que lhe cabe por meio de fiscalização ou monitoramento.
  • Retificações das declarações enviadas “sem movimento”
  • Recolhimento dos tributos devidos nas operações.
  • Controle das vendas de cartão. 
Procure um contador para que ele possa fazer um diagnóstico da sua empresa e propor melhorias que irão diminuir essas situações, realizando um planejamento junto a empresa para gerar um maior retorno de forma segura. Você escolheria qualquer médico para cuidar da sua saúde? Acredito que não. Saiba que o contador é uma espécie de “médico” para cuidar da “saúde” financeira da sua empresa.
 
A propósito se você quiser a minha ajuda, terei um enorme prazer em poder te ajudar e trocarmos experiências.
 
Um grande abraço e até a próxima. 

Skype: willame.gondim

Escrito por

Willame Gondim

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.05 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César