Contábeis o portal da profissão contábil

26
Out 2014
07:27
você está em:

FÓRUM CONTÁBEIS » Contabilidade

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


Construcoes em Andamento

31   respostas
23.270   acessos
  

mostrando página 1 de 2
1 2

POSTS RELACIONADOS

Ricardo Andrade

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 12 de março de 2008 às 14:47:35
4. IMOBILIZADO EM ANDAMENTO

4.1 - Construções em Andamento
Nessa conta são classificados todos os gastos com materiais, mão-de-obra direta e indireta e outros gastos que a empresa incorrer na construção e instalação, até o momento em que os bens entram em operação, quando são reclassificados para as contas específicas do grupo Imobilizado em Operação.


Boa Tarde!

Consultei no portal o item acima referente à Construções em Andamento. No que diz respeito à outros gastos que a empresa incorrer na construção, como por exemplo: despesas com servicos de terceiros (gastos com copias, plotagem, elaboraçoes de projetos, etc.), poderão ser classificados para a conta construcoes em andamento ou poderei classificá-las diretamente para despesa?
Sei que após o termino das obras, deverei analisar todas as entradas reclassificando-as conforme critérios contábeis, porém, fiquei com dúvidas quanto à este tipo de despesa/gasto. Classifico-as para Despesa ou para Conta do Imobilizado (edificações)?
Alguém poderia me ajudar?
Agradeço desde já!
Claudio Rufino

Moderador

postada em: Quarta-Feira, 12 de março de 2008 às 15:14:16
Caro amigo Ricardo Andrade, boa tarde e obrigado por utilizar o Forum, a seguir um trabalho completo sobre todo o ativo imobilizado, pode ser que você venha precisar mais tarde.

Ativo Imobilizado - Considerações Gerais
Conceituando
-Classificação Contábil Das Contas do Ativo Imobilizado
-Imobilizado em Operação
-Terrenos
-Edificações
-Instalações
-Máquinas e Equipamentos
-Equipamentos de Processamento de Dados
-Móveis e Utensílios
-Veículos
-Ferramentas e Peças de Reposição
-Marcas e Patentes
-Reflorestamentos e Jazidas
-Benfeitorias em Propriedade de Terceiros
-Direito de Uso de Linha Telefônica
-Bens do Ativo Imobilizado de Pequeno Valor
-Imobilizado em Andamento
-Construções em Andamento
-Consórcios
-Importações em Andamento
-Custo de Demolições
-Critérios de Avaliação do Ativo Imobilizado
-Bens Adquiridos
-Bens Construídos
-Bens Recebidos em Doação ou Subvenções Para Investimento
-Bens Incorporados ao Capital
-Reparos, Manutenções e Substituição de Partes ou Peças
-Bens Obsoletos ou Sucateados

Conceituando temos:

O Ativo Imobilizado é formado pelo conjunto de bens e direitos necessários à manutenção das atividades da empresa, podendo apresentar-se tanto na forma tangível (edifícios, máquinas, etc.) como na forma intangível (marcas, patentes, etc.). O Imobilizado abrange, também, os custos das benfeitorias realizadas em bens locados ou arrendados.
São classificados ainda, no Imobilizado, os recursos aplicados ou já destinados à aquisição de bens de natureza tangível ou intangível, mesmo que ainda não em operação, tais como construções em andamento, importações em andamento, etc.
Ressalte-se que as inversões realizadas em bens de caráter permanente, mas não destinadas ao uso nas operações, deverão ser classificadas no grupo de investimentos, enquanto não definida sua destinação.

Partindo para a classificação contábil das contas do ativo imobilizado

As contas no grupo Imobilizado devem ser segregadas por espécie de ativo, segundo a sua natureza, para que possa ter o controle do custo e da depreciação, amortização ou exaustão relativo a cada bem.
Em função dessas necessidades é que cada empresa deve elaborar seu plano de contas, segregando o Imobilizado da seguinte forma:
a) Imobilizado em operação, que são todos os bens já em utilização na atividade objeto da sociedade;
b) Imobilizado em andamento, que são classificadas todas as aplicações de recursos de imobilizações, mas que ainda não estão operando.
Quando a empresa tiver filiais ou diversas fábricas e mesmo que a contabilidade seja centralizada, deverá segregar as contas por estabelecimentos, para efeitos de controle e apropriação da depreciação, amortização ou exaustão para fins de custeio.


Daqueles imobilizados em Operação

Terrenos
Nesta conta são registrados os valores relativos aos terrenos de propriedade da empresa e que são utilizados em suas operações, tais como: terrenos onde se localizam a fábrica, a administração, as filiais, os depósitos. Os terrenos sem uma destinação específica devem ser classificados no grupo investimentos.

Edificações
Abrange os edifícios que estão em operação, os imóveis ocupados pela administração, fábrica, depósitos, filiais de propriedade da empresa.
Não devem ser incluídos nessa conta os valores relativos às instalações elétricas, hidráulicas, etc., que fazem parte da conta instalações.

Instalações
Nessa conta são registrados os equipamentos, materiais e custos de implantação, relativos a instalações hidráulicas, sanitárias, de vapor, de ar-comprimido, de comunicações, de climatização, etc., com a característica de serviços indiretos e auxiliares ao processo produtivo da empresa, que apesar de fazerem parte dos edifícios, devem ser segregadas, uma vez que a sua vida útil e a depreciação são diferentes.

Máquinas e Equipamentos
Engloba o conjunto de máquinas, aparelhos e equipamentos utilizados no processo de produção de bens ou serviços da empresa, ou seja, não são auxiliares, mas diretamente utilizados como base para a realização da atividade da empresa.

Equipamentos de Processamento de Dados
Incluem-se nessa conta as unidades centrais de processamento, as unidades periféricas, bem como as impressoras e terminais.
No caso dos programas e aplicativos ("software") adquiridos ou desenvolvidos pela empresa, devem ser apropriados ao resultado se o seu valor não for relevante. No entanto, nos casos de grandes sistemas, envolvendo valores significativos, devem ser registrados no Ativo Diferido e amortizado em função dos períodos a serem beneficiados.

Móveis e Utensílios
Essa conta engloba os valores relativos às mesas, cadeiras, arquivos, máquinas de calcular, máquinas de escrever, etc., que tenham vida útil superior a 1 (um) ano.

Veículos
Classificam-se nessa conta todos os veículos de propriedade da empresa, utilizados pelo pessoal do departamento administrativo, de vendas, ou de transporte. Os veículos utilizados no processo produtivo, tais como empilhadeiras, tratores e similares, podem ser registrados na conta de equipamentos.

Ferramentas e Peças de Reposição
As ferramentas de uso na empresa, de vida útil superior a 1 (um) ano, podem ser registradas nessa conta. No entanto, é aceitável a prática de lançar diretamente em despesas as ferramentas de pequeno valor unitário, mesmo quando a vida útil seja superior a um ano.
Nessa conta também são registradas as peças de reposição em estoque destinadas à substituição ou manutenção das máquinas, equipamentos, veículos, etc., classificados no Ativo Imobilizado. Essas peças, quando utilizadas, serão contabilizadas como adição ao imobilizado em operação, e o valor das peças substituídas deve ser baixado dessa conta.
Por outro lado, os estoques mantidos pela empresa, representados por material de consumo, ferramentas e peças que serão utilizados no processo produtivo ou utilizados nas operações normais da empresa, devem ser classificados no grupo de Estoques - Almoxarifado, e à medida que são utilizados ou consumidos serão apropriados como custo ou despesa.

Marcas e Patentes
Nessa conta são registrados os ativos intangíveis, ou seja, os gastos com registro de marca, nome, invenções próprias ou contratos de uso de marcas e patentes de terceiros.
Reflorestamentos e Jazidas
Classificam-se nessa conta custos relativos a projetos de florestamento e reflorestamento de propriedade da empresa, bem como os custos incorridos na obtenção de direitos de exploração de jazidas de minério e pedras preciosas.

Benfeitorias em Propriedade de Terceiros
São classificados nessa conta os valores relativos às construções em terrenos arrendados e as instalações e benfeitorias em imóveis alugados, sejam de uso do setor administrativo ou produtivo da empresa, que forem incorporados ao imóvel arrendado, e revertam ao proprietário do imóvel no término do contrato. As benfeitorias serão amortizadas em função da vida útil estimada ou no período de vigência do contrato de locação ou arrendamento, dos dois o menor.

Direito de Uso de Linha Telefônica
A aquisição de direito de uso de linha telefônica pode ocorrer através da companhia telefônica ou através de terceiros. No primeiro caso, são emitidas ações a favor do assinante, as quais são classificadas no Ativo Permanente subgrupo Investimentos, quando a empresa tiver a intenção de mantê-las em caráter permanente. Se houver intenção de aliená-las, a empresa deve classificá-las no Ativo Circulante. A diferença entre o valor do depósito obrigatório e o valor das ações é classificada no Imobilizado como "Direito de Uso de Linha Telefônica". No caso de aquisição junto a terceiros, sem o recebimento de ações, o valor da transação é classificado no Imobilizado.

Bens do Ativo Imobilizado de Pequeno Valor
A critério da empresa, poderá ser lançado como custo ou despesa operacional o valor de aquisição de bens do Ativo Permanente, cujo prazo de vida útil não ultrapasse 1 (um) ano ou o valor unitário não seja superior a R$ 326,61 (Art. 301 do RIR/1999 e art. 30 da Lei nº 9.249/1995).

Do Imobilizado Em Andamento

Construções em Andamento
Nessa conta são classificados todos os gastos com materiais, mão-de-obra direta e indireta e outros gastos que a empresa incorrer na construção e instalação, até o momento em que os bens entram em operação, quando são reclassificados para as contas específicas do grupo Imobilizado em Operação
.

Consórcios
São classificados nessa conta os adiantamentos por conta de fornecimento de bens, destinados ao Ativo Permanente, por meio de consórcios antes do recebimento dos mesmos. Quando do recebimento do bem, o valor constante dessa conta será transferido para uma conta específica do grupo Imobilizado em Operação. Os reajustes do valor das prestações a pagar, após o recebimento do bem, serão reconhecidos contabilmente, tendo como contrapartida a conta de resultado intitulada Variações Monetárias Passivas.

Importações em Andamento
Serão registrados nessa conta todos os gastos incorridos desde a assinatura do contrato de câmbio (tais como: fretes, comissões, seguros, impostos não recuperáveis, tarifas aduaneiras, etc.), até o efetivo desembaraço aduaneiro dos bens importados destinados ao Ativo Permanente.
Quando os bens importados forem desembaraçados, será efetuada a transferência dos valores registrados nessa conta para a conta específica, do grupo Imobilizado em Operação.
As variações cambiais passivas ocorridas até a data do desembaraço aduaneiro serão registradas como custo na conta de Importação em Andamento. A partir da entrada dos bens importados na empresa, devem ser registradas como despesa operacional, mediante obediência ao princípio contábil da competência.

Custo de Demolições
Nos casos de aquisição de terreno que possui imóveis a serem demolidos, o custo total da aquisição é atribuído exclusivamente ao terreno.

Critérios De Avaliação Do Ativo Imobilizado
A base de avaliação dos bens componentes do Ativo Imobilizado é o seu custo de aquisição, ou seja, todos os gastos relacionados com a aquisição dos bens e os necessários para colocá-lo em local e condições de uso no processo operacional da companhia.

Bens Adquiridos
No caso de compra, o custo compreende o preço faturado pelo fornecedor acrescido de todos os gastos necessários para poder efetivar a compra e instalar o bem, tais como: frete, seguro, comissões, desembaraço aduaneiro, custos de instalação e montagem, custos com escritura e outros serviços legais e os impostos pagos, exceto quando ensejarem crédito fiscal.

Os valores relativos a encargos financeiros decorrentes de empréstimos e financiamentos, bem como os juros nas compras a prazo de bens do Ativo Imobilizado, não devem ser incluídos no custo dos bens adquiridos, mas lançados como despesas financeiras no resultado ou no ativo diferido, se em fase de construção.

Ressalte-se que perante a legislação do Imposto de Renda (Parecer Normativo CST nº 02/1979), o Imposto de Transmissão na Aquisição de Imóveis pago pela pessoa jurídica na aquisição de bens do Ativo Permanente poderá, a seu critério, ser registrado como custo de aquisição ou deduzido como despesa operacional. No entanto, para efeitos contábeis, tal procedimento não é válido, uma vez que esse tributo faz parte do valor aplicado na aquisição do bem.

Bens Construídos
O custo dos bens construídos corresponde aos gastos por aquisição dos materiais aplicados, o da mão-de-obra e seus encargos e outros custos diretos e indiretos relacionados com a construção, incorridos até a data da colocação dos mesmos em atividade.

Bens Recebidos em Doação ou Subvenções Para Investimento
No caso de bens recebidos em doação ou subvenção para investimento, sem ônus para a empresa, devem ser contabilizados pelo preço praticado no mercado, a crédito da conta específica de Reserva de Capital (Art. 182, § 1º, letra "d", da Lei nº 6.404/1976).
As demais doações recebidas pela empresa serão apropriadas ao resultado do período como receita.

Bens Incorporados ao Capital
Os bens que forem incorporados ao Patrimônio Líquido da empresa para formação do capital social serão registrados pelo seu valor de avaliação, estabelecido por três peritos ou por empresa especializada e aprovado em assembléia geral (Art. 8º da Lei nº 6.404/1976).

Reparos, Manutenções E Substituição De Partes Ou Peças

Os gastos incorridos com melhorias, alterações, recuperações e reparos para manter ou recolocar os ativos em condições normais de uso serão agregados à conta que registra o bem no grupo do Ativo Permanente e depreciados conforme prazo de vida útil previsto, sempre que forem de valores relevantes e aumentarem a vida útil originalmente prevista para o bem. Caso contrário, serão lançados como despesas, à medida que os gastos são incorridos.
Perante a legislação do Imposto de Renda pode ser lançado como custo ou despesa operacional o valor de aquisição de bens para o Ativo Permanente, cujo prazo de vida útil não ultrapasse um ano ou o valor unitário seja inferior a R$ 326,61 (trezentos e vinte e seis reais e sessenta e um centavos) (Art. 301 do RIR/1999 e art. 30 da Lei nº 9.249/1995).

Bens Obsoletos Ou Sucateados

Tratando-se de bens obsoletos, sucateados ou totalmente depreciados, deverão permanecer registrados contabilmente, pois a baixa contábil deve ser concomitante à baixa física do bem, ou seja, com sua efetiva saída do patrimônio da empresa, e o valor de alienação, caso haja valor econômico apurável, servirá para apuração da receita eventual ou do valor efetivo da perda.

Não as franquias de serviços contábeis
Professor de Contabilidade
http://www.contabilidadesemsegredos.com.br
http://professorclaudiorufino.blogspot.com/
twitter @claudio_rufino
skype : c_rufino
@FCSContabeis
http://www.facebook.com/fcscontabeis
Rafael H

Usuário Iniciante

postada em: Domingo, 10 de maio de 2009 às 23:18:26
Boa noite pessoal,

Trabalho em um Grupo de 06 empresas.

Em uma das coligadas, há construções em andamento.

Por exemplo:

- Na coligada 01, estamos montando um Posto de Abastecimento, e sempre compramos e locamos mão de obra.
Porém nosso Depto. de Compras, andou comprando na coligada 2.

Como faço p/ transferir os gastos p/ a coligada 1?
Fazer uma NF de Transferencia de Ativo Imobilizado?
Kell Feitosa

Usuário Estrela Nova

postada em: Quinta-Feira, 3 de junho de 2010 às 21:58:37
Boa noite a todos!

Pesquisando no forum sobre o assunto, encontrei o excelente texto acima, do qual destaquei parte abaixo.

"Construções em Andamento
Nessa conta são classificados todos os gastos com materiais, mão-de-obra direta e indireta e outros gastos que a empresa incorrer na construção e instalação, até o momento em que os bens entram em operação, quando são reclassificados para as contas específicas do grupo Imobilizado em Operação.
Bens Construídos
O custo dos bens construídos corresponde aos gastos por aquisição dos materiais aplicados, o da mão-de-obra e seus encargos e outros custos diretos e indiretos relacionados com a construção, incorridos até a data da colocação dos mesmos em atividade."

Preciso só confirmar se entendi direito.
Exemplo: Sindicato tal adquiriu um imovél no valor de 30.000,00, demoliu e construiu uma nova sede, onde gastou uns 50.000,00 com material para construção, mão de obra, etc, etc....
1-Pergunto: todos os valores gastos mais o valor com a aquisição do imovel seram classificados em >>> Construções em andamento >> imóveis, e depois do término do mesmo, será transferido esse valor total para >>Imobilizdo em operação>> imóveis??

2-E no caso acima, o terreo ficou pronto e já se mudaram para lá, mas continuam construindo o 1º andar. Como procedo?

Muito agradecida desde já.
Kell
Reginaldo Teixeira da Silva

Usuário Iniciante

postada em: Sexta-Feira, 4 de junho de 2010 às 00:27:01
Bom dia, Kell

Espero ajudar com o meu posicionamento sobre seu questionamento:

A princípio o valor de R$ 30.000,00 entendo que deve ser registrado como Imobilização em Operação - Terrenos.

Os demais custos com as futuras instalações de R$ 50.000,00 por sua vez classificados na rubrica Imobilização em Andamento - Construções em Andamento.

Opcionalmente no momento da utilização do 1º Andar, transfira para Imobilização em Operação - Edificações (especificadamente que se trata do 1º Andar das novas instalações) e posteriormente, ao término do 2º Andar, proceda da mesma forma. Agindo dessa forma, dependendo de como seja disposto o layout de toda a construção, num momento futuro, sendo dado outro destino a estas instalações, senão para o funcionamento do Sindicato, você já tem os espaços 1º e 2º Andar já contabilizados individualmente.

Espero que tenha sido de importante valia.

Reginaldo Teixeira
Contador
Marcia

Usuário Frequente

postada em: Terça-Feira, 1 de fevereiro de 2011 às 16:46:24
Boa Tarde a todos!!

Amigo Claudio Rufino.
Belíssimo trabalho o seu!!!Estava mesmo precisando muito de uma orientação sobre como são classificados os bens do imobilizado.
Muito Obrigada mesmo!
Abração
Edson Maciel

Usuário Iniciante

postada em: Quinta-Feira, 24 de fevereiro de 2011 às 19:59:28
Caros colegas.
A pj comtra um terreno de 100.000,00 e nesse terreno ela gasta mais 200.000,00 na obra. Essa obras demorou 18 meses .
Os gasto lançei em obras complementar e agora quando o predio ja esta em fucionamento ja posso depreciar ?
Uma vez a obra predio ja em funcionamento tenho que transferi os 200.000,00 pra predio (Imobilizado) ou deprecio em obra complementa ?
Marcos Vinicius Araujo Moura Silva

Usuário Estrela Dourada

postada em: Sexta-Feira, 25 de fevereiro de 2011 às 08:47:43
Caro Edson

Considerando que as obras já foram concluídas e que o prédio já esta em funcionamento o procedimento a ser adotado é o seguinte:

- Transferir o montante gasto para a conta "Construções e Edificações", na data do termino da obra;
- Iniciar a depreciação pela data de inicio da utilização do imóvel, salientando que a taxa para tal tipo de imobilizado é de 5% a.a.

Espero ter ajudado a solucionar suas duvidas.

At.
Marcos Vinicius
Herlly Folly

Usuário Novo

postada em: Sexta-Feira, 25 de fevereiro de 2011 às 09:18:02
Bom dia!

Trabalho em uma construtora, e gostaria de saber como contabilizo o IPTU do imovel em construcao? Despesa ou custo? Foi parcelado.

obrigada.
Renato Guindani

Usuário Frequente

postada em: Sexta-Feira, 25 de fevereiro de 2011 às 15:40:10
Herlly boa tarde

Eu contabilizaria como custo já que a obra ainda nao esta concluida.

Att
Marcos Vinicius Araujo Moura Silva

Usuário Estrela Dourada

postada em: Sexta-Feira, 25 de fevereiro de 2011 às 15:59:34
Caro Herlly

Isso é um bom questionamento, a principio concordo com o nosso companheiro Renato, contudo, tal gasto (ITPU) não faz parte dos itens que consta num possível orçamento para a construção de tal imóvel, bem como, não agrega em nada o seu valor. Portanto, eu compreendo que seja classificado como despesa de impostos e taxas. Contudo o que vale é o bom senso.

At.
Marcos Vinicius
Renato Guindani

Usuário Frequente

postada em: Sexta-Feira, 25 de fevereiro de 2011 às 17:41:51
Marcos

Lembrando que para custos orçados temos que contabilizar tambem o custo realizado, ou seja devemos contabilizar esse custo como realizado e comparando com o custo orçado a empresa teria uma perda, mas geralmente as construtoras trabalham com o custo orçado bem acima do custo realizado, quando digo custo orçado estou me referindo ao custo apurado atraves do CUB, mas é algo pertinente.

um abraço
Herlly Folly

Usuário Novo

postada em: Sábado, 26 de fevereiro de 2011 às 18:17:46
Ok, muito obrigada pelas explicações, entendo assim , como custo.

Obrigada mesmo!
Alexio Britto

Usuário Frequente

postada em: Sábado, 5 de março de 2011 às 15:46:39
Boa tarde a todos.

compra de bens com subvenções, ou seja recursos c/ restrição destinados a compra de bens, como devo lançar, C- banco D- AP, como fica o lançamento no passivo/PSe na conta de resultado.

Obrigado
Hugo Ribeiro

Moderador

postada em: Sábado, 5 de março de 2011 às 15:58:01
Alexio, boa tarde.

Confesso que não conseguí entender seu questionamento.

Se puder ser mais abrangente e coeso, o entendimento ficaria melhor.

Por exemplo, não decifrei seus dizeres/siglas:

C- banco D- AP
passivo/PSe na conta de resultado


Att

Hugo.
Washington Luiz Afonso

Usuário Novo

postada em: Segunda-Feira, 7 de março de 2011 às 18:37:09
Boa noite Senhores.

Estou atualizando a contabilidade de uma empresa prestadora de serviços de transporte optante pelo simples nacional, porem ela esta fazendo aquisição de materiais de construção (tais como telha, cimento etc..)para aumentar as suas instalações. como faço para lançar contabilmente essas operações?

Desde já agradeço a atençao de VSa.

Renato Guindani

Usuário Frequente

postada em: Quarta-Feira, 9 de março de 2011 às 17:07:30
Caro Washington

Esses materias devem ser contabilizados em construção em andamento no Imobilizado.

D - Construção em Andamento (ANC - Imobilizado)
C - Caixa (AC) ou Fornecedores (PC)

Depois que a obra estiver pronta deve transferir para a conta de Edificações, Prédios enfim o nome que achar melhor.

D - Edificações (ANC - Imobilizado)
C - Construções em Andamento (ANC - Imobilizado)
Washington Luiz Afonso

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 9 de março de 2011 às 17:51:10
muito obrigado sr. renato. me ajudou bastante
Elisangela Santos

Usuário Novo

postada em: Terça-Feira, 22 de março de 2011 às 09:53:27
Bom dia Claudio Rufino, vi em umas de suas explicações:
Instalações
Nessa conta são registrados os equipamentos, materiais e custos de implantação, relativos a instalações hidráulicas, sanitárias, de vapor, de ar-comprimido, de comunicações, de climatização, etc., com a característica de serviços indiretos e auxiliares ao processo produtivo da empresa, que apesar de fazerem parte dos edifícios, devem ser segregadas, uma vez que a sua vida útil e a depreciação são diferentes.

A empresa é atacadista e vai vender carne, construiu uma câmara frigorifica, a principio classifiquei esses materiais em Obras em andamento, agora no término terei que transferi-la para instalações?
Rogerio de Souza Santos

Usuário Estrela Dourada

postada em: Terça-Feira, 22 de março de 2011 às 10:07:56
Caro colega Ricardo Andrade,

Todo gasto c/construção em andamento(projetos, materais ou quaisquer outros) deverão ser lançados em Construção em Andamentos.
Os valores em questão não poderão ser lançados em despesas, porque primeiro, vai alterar o resultado final do exercicio(incorretamente, pois não é despesas, causando prejuizos ao leão), e depois disto não poderá mais retornar p/ o imobilizado, porque a conta já estará zerada, no final do exercicio, se passar de um exercicio p/outro.Sendo assim o certo é lançar em construções em andamento.
Esta é apenas a minha opinião, de acordo com a minha experiencia profissional já a muitos anos.

um abraço,

Rogério,

Rogerio de Souza Santos
Ana Cristina da Rocha

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 20 de abril de 2011 às 10:40:18
Como dar baixa em um bem (véiculo) vendido em janeiro de 2011. Obem foi incorporado no ativo em 06/2008,R$ 7.150,00 foi depreciado até a data da venda R$ 3.618,55, e vendeu por R$ 4.500, 00. Como faço esses lançamentos?
Fernando de Castro

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 20 de abril de 2011 às 11:04:06
Cara amiga ana Sua pergunta não refere-se ao tópico, mas tudo bem;

Os lançamentos pela baixa do imobilizado são:

D - (-) depreciação acumulada (Ativo Permanente) R$ 3.618,55
D - Perdas na alienação do Imobilizado (Conta de resultado) R$ 3.531,45
C - Veiculos (Ativo Imobilizado) R$ 7.150,00

Pela venda:

D - Caixa/banco/dup. a receber (Ativo circulante) R$ 4.500,00
C - Receitas não operacionais (conta de resultado) R$ 4.500,00

Contabilizada...

Resultado positivo de (4.500-3.531,45 = 968,55)

Até mais Fuiiii....
Andre

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 31 de agosto de 2011 às 16:36:00
Boa tarde.

Uma empresa está construindo duas novas fábricas. uma ficará pronta em novembro/2011, e a outra em maio/2012.

Os gastos com mao-de-obra e materiais utilizados nessas obras devem ser lançados na DRE do final de 2011?

desde já muito obrigado!
abs
andre
Rogerio de Souza Santos

Usuário Estrela Dourada

postada em: Quinta-Feira, 1 de setembro de 2011 às 07:49:30
André,
Construções em andamento faz parte do ativo imobilizado, ela vai p/conta Construções em Andamento no Ativo pra quando do término da mesma, ser transferida p/conta imóveis ou outra qualquer no mesmo ativo imóbilizado, sendo assim, não é despesas.

Construções é um investimento e não despesas, se você lançar como despesas, como você irá compor o valor do imóvel no ativo imobilizado, deu p/entender?

Um abraço,

Rogerio de Souza Santos
Camila Melo

Usuário Ativo

postada em: Quinta-Feira, 6 de outubro de 2011 às 10:26:00
Bom dia!

Com base na postagem do Claudio em 12/03/2008, onde ele demonstrou as contas do Ativo Imobilizado, percebi que entre as conta tem "Bens do Ativo Imobilizado de Pequeno Valor ", no caso iremos utilizar essa conta quando um bem tivesse seu valor menor que R$ 326,61 porem sua vida util fosse superior a 1 ano?

Obrigada,

Camila Melo
Rogerio de Souza Santos

Usuário Estrela Dourada

postada em: Quinta-Feira, 6 de outubro de 2011 às 13:57:49
Camila,

É isso mesmo; eu entendo que o Claúdio faz estes lançamentos separadamente para deixar mais claro a sua contabilidade distinguindos dos outros bens normais, isto não quer dizer que você não poderá lançar todos os outros bens na mesma conta.


Um abraço,

Rogerio de Souza Santos
Camila Melo

Usuário Ativo

postada em: Quinta-Feira, 6 de outubro de 2011 às 14:30:09
Gostei de ter uma conta dessa dentro do Ativo Imobilizado, realmente fica mais claro.

Rogerio, nesse caso essa conta terá vários tipos de bens, com isso, deverei ter um controle paralelo desses itens e aplicar a depreciação de acordo com bem em questão?

É que estou com vários casos na empresa onde trabalho e gostaria de fazer um trabalho bem legal com o imobilizado.

Obrigada,

Camila Melo
postada em: Quarta-Feira, 25 de julho de 2012 às 08:51:56
Pessoal, preciso tirar uma dúvida:
Na conta construção em andamento pode lançar bens como cadeira e ar condicionado que estão sendo utilizados na obra? Estão sendo utilizados em container locado nessa obra.
Entendo que deveria ser classificado em moveis e utensílios e maquinas e equipamentos.
Preciso de uma orientação.

Obrigada!
Marcos Vinicius Araujo Moura Silva

Usuário Estrela Dourada

postada em: Quarta-Feira, 25 de julho de 2012 às 08:57:30
Prezada Sandra,

Tais equipamentos são distintos da construção, portanto, devem ser contabilizados como imobilizado independente de tal abro, conforme você mesmo comentou.

At.
Marcos Vinicius
postada em: Quarta-Feira, 25 de julho de 2012 às 09:06:27
Obrigada Marcos, queria apenas ter certeza desse entendimento.

Abraços,

Sandra Dutra.

mostrando página 1 de 2
1 2

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Receba Novidades


Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 1.32 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César