Contábeis o portal da profissão contábil

22
Nov 2014
00:48
você está em:

FÓRUM CONTÁBEIS » Contabilidade

BUSCAR NO FÓRUM

buscar


Lançamento do Custo Produto Vendido

26   respostas
5.481   acessos
  

POSTS RELACIONADOS

Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 09:54:02
Olá me tirem uma duvida... vira e mexe eu me pego pensando em algumas situações que podem ocorrer e acabo tendo duvidas em alguns assuntos...

Estava pensando em como se faz o Lançamento do Custo do Produto vendido.
Sei que na fórmula entra todos insumos, mão de obra e gastos de fabricação.

Mas no momento do lançamento de baixa do estoque tenho que englobar todas elas em uma conta só chamada CPV, ou elas ficam separadas?

Bruno dos Santos
Contabilista
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 10:21:35
Bom dia Bruno,

se você fala em CPV, fala-se em indústria (processo produtivo). Ao se lançar o CPV estamos tratando de baixar o estoque do produto acabado, totalmente formulado. Logo lança-se somente a conta de CPV a débito e o estoque a crédito. O que se deve ter maior detalhamento são nas etapas de contabilização enquanto o produto está em elaboração.

Por ocasião da compra de matéria prima:
D - Estoque de MP........20.000
C - Fornecedores.........20.000

Por ocasião da provisão da Mão de Obra (salário):

D - Salários.............10.000
C - Salários a pagar.....10.000

Por ocasião de início da produção:
D - Estoque de Produto em elaboração...30.000
C - Estoque de MP......................20.000
C - Salários...........................10.000

Por ocasião de término da produção:

D - Estoque de Produtos Acabados.......30.000
C - Estoque de Produtos em elaboração..30.000

Por ocasião da venda:
D - CPV.............................30.000
C - Estoque de Produtos Acabados....30.000

Walter Oliveira.
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 10:26:29
Deixa eu ver se entendi, quando você lançou:

provisão da Mão de Obra (salário):
D - Salários.............10.000
C - Salários a pagar.....10.000

Você debitou salário em CUSTO?

E quando você deu início da produção:
D - Estoque de Produto em elaboração...30.000
C - Estoque de MP......................20.000
C - Salários...........................10.000

Zerou o Custo incorporando ele no valor do estoque de produto em elaboração?

Bruno dos Santos
Contabilista
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 10:40:45
Isso mesmo Bruno.

o Salário da Produção é um Custo da empresa. Como custo, ele deve ser incorporado ao valor dos estoques, portanto ele deve ser transferido para o estoque (zerando-o nesse momento) e volta para o Resultado da Cia (CPV) somente no momento da venda.

O mesmo será feito com Depreciações, Energia Elétrica, Aluguel, etc...

Walter Oliveira.
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 11:00:06
A primeira parte eu compreendi, agora se não for pedir muito deixa eu entender as outras etapas.

1- A provisão de mão de obra deverá ser feito no momento do fechamento da folha de pagamento?

2- Os outros custos como água, aluguel da área de produção e etc deverão ser zerados igualmente o salário no inicio da produção dos produtos?


Se tiver algum link, que explique eu agradeceria, pois conforme vou aprendendo certas coisas outras duvidas vão surgindo

Bruno dos Santos
Contabilista
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 17:26:44
Sim Bruno,

no próprio mês de cada item deve-se transferir para o estoque, pois esses valores de Custos só devem afetar o resultado quando o produto for vendido. Enquanto não, os custos devem ser estocados.

Walter Oliveira.
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 19:27:19
Muito Interessante... em todo meu tempo de curso nunca aprendi que os custos com salários, aluguei e etc só seriam afetar o resultado na venda e não no mes que ocorreram.

Mas eu não posso sempre que iniciar uma nova produção lançar os custos cheios mencionados acima novamente... como deverá ser feito os custos fixos, variaveis, diretos e indiretos? Rateio?

Bruno dos Santos
Contabilista
Danillo Assis Souza

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 19:37:01
Olha, isso realmente não é tão simples assim.
veja bem..
CPV= TOTAL DE CUSTOS

para apurar isso, deve haver um tratamento melhor de alocação dos custos, ou seja, identificar os custos de fabricação e, se necessário for, ratea-los.
ou seja, tem que observar melhor os custos.
Nisso entra uma série de coisas. alguns que lembro. criterio de rateio, identificar os custos entre directos directos , fixos ou variáveis; e as particularidades da empresa, bem como o produto.
A grosso modo, todos os custos envolvidos no processo de fabricação são alocados a conta do CPV.
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 19:40:56
Ainda bem que onde trabalho não tem nenhuma empresa de fabricação.

Mas mesmo assim tenho vontade de aprender mais sobre todos os ramos contabeis. Onde posso encontrar melhores informações? O ideal seria exemplos que mostrassem tanto A contabilidade de Custo junto com a Escrituração contabil

Bruno dos Santos
Contabilista
Danillo Assis Souza

Usuário Novo

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 19:47:14
Acrescentando,
a mão de obra, nem sempre faz parte dos CPV. Apenas a mão de obra envolvida na fabricação. Assim sendo, não entra no CPV mão de obra de vendedor, de administrador, comissões de vendas, aluguel ja loja,... somente a da produção, como "mão de obra direta", maquinas, insumos, aluguel da fábrica, matéria prima, etc
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 19:51:34
Sim eu sei que no CPV só vão os custos e não despesas. Mas para mim era feito do seguinte modo:

D salario mão de obra direto (custo)
C Salario a pagar


E na Demonstração do Resultado do Exercicio iria ter:

Receita de Vendas X
(-) CPV
(-) Salarios Mão de obra


Mas realmente não faz sentido, agora preciso saber como funciona os lançamentos contabeis de cada passo: compra > Em elaboração > Produto acabado > Apuração de Estoque

Bruno dos Santos
Contabilista
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quarta-Feira, 9 de janeiro de 2013 às 23:08:06
Obviamente e esclarecendo um pouco mais o modelo apresentado por mim antes, a primeira coisa a se fazer é separar CUSTOS e DESPESAS. A mão de obra, energia, depreciação, etc... que se referir a despesa, será debitada no Resultado e ali permanecerá, já o que for Custo deverá ser apropriado aos estoques dos produtos, efetuando-se a transferencia para o Estoque dos produtos.

Essa apropriação deverá ser feita conforme critérios plausíveis e consistentes. Dentre todos esses custos, o que for Direto, apropria-se diretamente aos produtos e o que for indireto deverá ser estabelecidos critérios de rateios que apresentem menor arbitrariedade para o custeamento dos produtos.

O exemplo apresentado anteriormente era meramente didático e demosntrando somente a contabilização, de onde um valor sai e pra onde vai. Isso considerando que a separação entre Custo e Despesa já havia sido estabelecida e que os cálculos de quais valores iriam pra onde tamém ja estivem prontos.

Nesse exemplo didático foi considerado apenas 1 produto em elaboração, mas poderiam ser vários e os valores deveriam ser identificados para cada item.

Walter Oliveira.
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quinta-Feira, 10 de janeiro de 2013 às 08:18:11
Walter você é professor de Técnico Correto? Teria algum livro sobre o assunto que eu poderia me aprofundar melhor? Envolvendo Contabilidade de Custo e Lançamentos contábeis?

Bruno dos Santos
Contabilista
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quinta-Feira, 10 de janeiro de 2013 às 08:34:14
Olá Bruno,

existe uma vasta literatura a respeito do assunto e um dos mais clássicos, é Contabilidade de Custos (Editora Atlas), do prof Eliseu Martins. Também gosto do livro Custos: Análise e Gestão do Evandir Megliorini, editado pela Pearson Prentice Hall.

Walter Oliveira.
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Quinta-Feira, 10 de janeiro de 2013 às 08:41:35
Grato. Esses livros focam também na escrituração ?

Bruno dos Santos
Contabilista
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Quinta-Feira, 10 de janeiro de 2013 às 08:50:06
O do Eliseu Martins sim, já o do Evandir Megliorini não foca nessa contabilização, mas te dá um bom entendimento dos custos de uma empresa.

Walter Oliveira.
Douglas Faria

Usuário Novo

postada em: Sexta-Feira, 11 de janeiro de 2013 às 14:59:54
ola boa tarde walter, esta por curiosidade olhando a pergunta sobre custo,
quando voce mencionou lançar o salario junto ao estoque , isso não elevaria o valor do estoque , ao inves não seria melhor onglobar o valor do salarios dos responsaveis pela produção no caso(um diretor ou gerente industrial) no custo da produção.?
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Sexta-Feira, 11 de janeiro de 2013 às 15:20:03
Olá Douglas,

o salário que deve ser incorporado ao estoque é somente aquele relacionado à produção (fundionários do chão de fábrica, gestores de produção, manutenção da fábrica, etc...) Mas a lógica é justamente alocar o valor ao estoque, evitando que ele seja demonstrado no Resultado.

O Princípio da Confrontação da Receitas e Despesas, orienta que todas as despesas/ custos devam ser reconhecidas quando a receita referente a elas tenha acontecido E vice-versa, logo somente quando o produto é vendido (gera-se receita com o produto) a despesa/ custo necessario para se ter aquele produto deve ir para o resultado (baixa-se o estoque e lança no CPV)

Veja que o CPC 16 - Estoques diz que a mão de obra, faz parte do Custo do Estoque (Custo de Transformação)

11. O custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis junto ao fisco), bem como os custos de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros
itens semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição. (Nova Redação dada pela Revisão CPC nº. 1, de 8/01/2010)

Custos de transformação
12. Os custos de transformação de estoques incluem os custos diretamente relacionados com as unidades produzidas ou com as linhas de produção, como pode ser o caso da mão-de-obra direta. Também incluem a alocação sistemática de custos indiretos de produção, fixos e variáveis, que sejam incorridos para transformar os materiais em
produtos acabados. Os custos indiretos de produção fixos são aqueles que permanecem relativamente constantes independentemente do volume de produção, tais como a depreciação e a manutenção de edifícios e instalações fabris, máquinas e equipamentos e os custos de administração da fábrica. Os custos indiretos de produção variáveis são aqueles que variam diretamente, ou quase diretamente, com o
volume de produção, tais como materiais indiretos e certos tipos de mão-de-obra indireta.


Att e bons estudos

Walter Oliveira.
Douglas Faria

Usuário Novo

postada em: Sexta-Feira, 11 de janeiro de 2013 às 16:49:04
ok , obrigado pois tinha essa duvida comigo e não tive como demonstrar a um cliente nosso,
obrigado
Bruno dos Santos

Usuário Estrela Nova

postada em: Sábado, 12 de janeiro de 2013 às 11:58:42
No Caso se Custo de serviços Prestados, não havendo estoque. Os custos indiretos/diretos serão lançados de qual forma:

Na apropriação da mão de obra:
D- Salários (custo)
C- Salarios pagar

Na apuração do CSP
D - CSP
C - Salários

É isso?

Bruno dos Santos
Contabilista
Rodrigo dos Santos

Usuário Novo

postada em: Sexta-Feira, 12 de abril de 2013 às 15:50:02
Boa tarde

Pesquisei em vários tópicos aqui no fórum, mas ainda não consegui tirar algumas dúvidas sobre o assunto, se alguém puder me ajudar ficaria muito grato.

Para facilitar o entendimento, vamos supor que tenha uma matriz e uma filial.
A matriz apenas fabrica e transfere todos os produtos produzidos para filial, assim, a matriz chega no final do mês e não tem nenhuma receita (pelo menos direta), ou seja, as receita de vendas fica apenas na filial.

Vamos supor que a matriz transfira R$ 100.000,00 em Produtos Acabados para a filial (a empresa é do Simples Nacional, então vou desconsiderar impostos na transferência), a contabilidade é descentralizada e faço da seguinte forma:

Na Matriz

D - C/C Filial
C - Produtos Acabados - 100.000,00

Na Filial

D - Produtos Acabados
C - C/C Matriz - 100.000,00

A minha principal dúvida vem quanto ao custo...
No meu entendimento devo fazer da seguinte forma:

Na Filial

D - CPV
C - Produtos Acabados (estoque) - 100.000,00

E na matriz como fica?
Todas as despesas e custos ficam na matriz, os custos serão zerados (no momento da contabilização dos produtos em transformação/acabados), mas as depesas não, então desse modo ficaria sempre no prejuízo... Fica assim mesmo ou tem algum procedimento diferente?
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Sexta-Feira, 12 de abril de 2013 às 16:30:19
Boa tarde Rodrigo,

as despesas que ficarão na matriz são somente aqueles referentes à atividade da matriz, pois o que for relativo à produção, como você bem disse, é apropriado à produção, sendo transferido para a Filial.

Se a matriz não possui nenhuma fonte de receita, ela apresentará resultado deficitário mesmo e a Filial apresentará resultado lucrativo (se for o caso). Porém para todos os efeitos ambas as empresas "são uma única empresa" (único CNPJ) . Ao se consolidar a posição patrimonial e o resultado delas, o resultado ficará apresentado adequadamente.

Att.

Walter Oliveira.
Rodrigo dos Santos

Usuário Novo

postada em: Sexta-Feira, 12 de abril de 2013 às 16:49:59
Muito obrigado Walter, de momento tirou todas minhas duvidas.
Sandra Dias

Usuário Iniciante

postada em: Segunda-Feira, 2 de dezembro de 2013 às 23:16:11
Caros,

Lendo o tópico surgiu a seguinte dúvida: para empresas que não tem a contabilidade integrada, como fazer a apuração do CPV (baixando matéria prima/produtos acabados) com base legal?

Grata pela ajuda

Sandra Drummond
postada em: Domingo, 11 de maio de 2014 às 10:35:41
Olá companheiros

Estou vendo este tópico e em dúvida quanto à salários para o CPV.... Gostaria de entender este conceito de Mão de Obra Direta e Mão de Obra Indireta.... Como explicado nas contabilizações deste tópico, estes salários podem ser alocados ao estoque até o momento da venda dos produtos??? podem ser os dois ou não?

André Alves
Contabilidade
Telmo Biehl

Usuário 4 Estrelas de Prata

postada em: Domingo, 11 de maio de 2014 às 19:23:45
olá, achei muito bom a abertura desse tópico, conheço os livros acima citados, em especial a excelente obra do professor elizeu martins, todavia desejo recomendar a leitura da última edição do livro "contabilidade de custos" de osni moura ribeiro, pois neste livro, de uma didática bem simples nos fornece uma riqueza de informações, inclusive c/um modelo de plano de contas contábil completo, faz-nos envolver em todo o processo produtivo d' uma indústria.

boa noite!
Walter José de Oliveira

Usuário 5 Estrelas

postada em: Domingo, 11 de maio de 2014 às 21:54:03
Boa noite André Felipe,

tanto a Mão de Obra Direta, quanto a Indireta podem E DEVEM ser alocadas ao estoques dos produtos, mas para isso tais gastos da empresa devem claramente serem classificados como CUSTO, como já explicitado nesse tópico mais acima.

Mas para esclarecer primeiramente temos gastos com Mão de Obra. Se essa Mão de Obra for consumida nem virtude fabricação dos produtos da empresa, ela será CUSTO, caso seja uma Mão de Obra fora da Produção, será DESPESA.

Daí pensando unicamente na Mão de Obra que seja CUSTO, a empresa pode ter gastos com Mão de Obra com o Operário, que estará lá no chão de fábrica, manipulando e fabricando os produtos, bem como pode gastar com o Supervisor da Fábrica. Veja que o salário dos dois são gastos em virtude da Produção, logo os dois são CUSTOS. Porém temos que o Operário trabalha diretamente com os Produtos (ou com algum dos produtos) da entidade, por isso o gasto com ele é classificado como Mão de Obra DIRETA. Já o Supervisor, não está diretamente em produto algum, ele nem "encosta a mão" em produto algum para que eles sejam fabricados. Seu gasto existe para que a fábrica mantenha em operação normalmente. Assim, se ele não esta diretamente em um produto ou outro, seu gasto será classificado como Mão de Obra Indireta.

Então digamos que podemos ter:
Custo com Mão de Obra Direta......Operário (vai para o estoque) (quando vender vai para o resultado)
Custo com Mão de Obra Indireta...Supervisor de Fábrica (vai para o estoque) (quando vender vai para o resultado)
Despesa com Mão de Obra...............Pessoal do Setor Financeiro (vai direto para o Resultado)

Att.

Walter Oliveira.

Você precisa ser cadastrado para responder mensagens

Quem participa

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Receba Novidades


Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

POSTS RELACIONADOS

ACOMPANHE NOSSO PORTAL FACEBOOK

facebook.com/portalcontabeis

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários e visitantes deste site, tudo nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Página carregada em 1.06 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César