Contábeis o portal da profissão contábil

27
Jun 2017
10:55
você está em:

Conteúdo » Notícias

A sociedade precisa viver

De acordo com o IBGE, 2016 fechou com 12,3 milhões de desempregados. O preocupante dado decorre principalmente do fraco desempenho da indústria e da fragilidade do quadro político. A discussão relacionada à redução das receitas governamentais

postado 07/02/2017 07:53:39 - 459 acessos

De acordo com o IBGE, 2016 fechou com 12,3 milhões de desempregados. O preocupante dado decorre principalmente do fraco desempenho da indústria e da fragilidade do quadro político. A discussão relacionada à redução das receitas governamentais e à falta de corte nos gastos públicos leva a uma situação de dúvidas com relação à melhora na economia e reversão do cenário. Ressalve-se a queda da inflação em 2016 para 6,29%, propiciando a redução da Selic para 13% ao ano, na reunião do Copom de janeiro último.

A reversão do desemprego depende de uma série de situações, como investimentos por parte do governo em obras estruturais (logística), melhor gestão dos preços administrados, estímulos na redução dos juros e flexibilização dos tributos, inclusive com parcelamentos, para dar viabilidade às empresas. Apenas medidas pontuais, como a liberação do seguro desemprego, não ajudaram a aquecer a economia.

O importante, independentemente das ações governamentais, é que os desempregados busquem alternativas para a sua manutenção temporária em épocas de crise. É fundamental, ao menos, ter a possibilidade, mesmo trabalhando de modo informal, que haja a possibilidade de trabalho remunerado e que possa haver a manutenção das condições mínimas de vida com dignidade.

Algumas dicas são importantes, principalmente para quem busca recolocação, ou reemprego:

1º) Não esperar somente o recebimento do seguro desemprego. Ao ser comunicado da demissão, é preciso manter a cabeça fria para ter a condição de pensar em alternativas que possam viabilizar o seu retorno à atividade.

2º) Se não conseguir vaga de emprego em sua área de atuação, procure em outra área que se sinta confortável, mesmo que, temporariamente, tenha de reduzir a base salarial. O ego não pode ser maior do que a necessidade.

3º) Não deixe de fazer cursos de qualificação profissional, principalmente dentro da sua área, para manter-se atualizado. Gastar nesse momento com educação pode inviabilizar a sustentabilidade, mas existem diversos cursos gratuitos, inclusive via internet, que podem melhorar sua qualificação e ajudar em uma nova proposta de emprego.

4º) Busque alternativas domésticas, como fazer comida congelada, salgados, bolos, bombons, corte de cabelo e tratamento de unhas, venda de cosméticos diversos, serviços de limpeza e jardinagem, transporte de passageiros etc. Muitas dessas atividades são informais, mas podem ser transformadas em formais e colaborar para manutenção da vida.

5º) Muitos não dão valor a determinados serviços, mas hoje ainda estão em alta as funções de cuidadores de idosos, crianças e até passeio com cães.

A questão não é menosprezar, mas fazer uma atividade que possa gerar remuneração e manter as condições mínimas da vida em época de crise. Muitos empreendedores nasceram nesses momentos e descobriram vocações que, se não estivessem em crise, não conseguiriam atingir os projetos efetuados.

*Reginaldo Gonçalves é coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Santa Marcelina (FASM).

Fonte: Portal Dedução

Notícia enviada por

ACOMPANHE NOSSAS NOTÍCIAS

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

TOP ENVIO DE Notícias

Consulta de NFes direto da Sefaz Com download automático de XMLs de NFes e NFSes, DANFes e mais

20% de desconto nos primeiros 6 meses! Descontos especiais para escritórios contábeis.

conheça mais

Facebook


Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso. Página carregada em 0.06 segundos.

Site desenvolvido por
Julio Guimaraes | Rogério César