AO VIVO

15h Operação Lava Jato: a rastreabilidade e repercussões das informações contábeis - Edgar Madruga

Contábeis o portal da profissão contábil

16
Aug 2018
16:20
DIA 13 SEGUNDA

O Maior Evento Online Brasileiro de Contabilidade

Gratuito 100% online

VEJA AS PALESTRAS DE HOJE

DIA 13 SEGUNDA

13 a 17 de agosto de 2018

www.conbcon.com.br

O Maior Evento Online Brasileiro de Contabilidade

100% online Gratuito
Marcelo Voight Bianchi

Marcelo Voight Bianchi

Gestão Empresas Contábeis

Empresa Contábil: Um Grande Negócio do Século XXI

Divane Alves

Divane Alves

Normas Contábeis

Normas Contábeis - Surgimento e Aplicação

Fátima Roden

Fátima Roden

Tributário e Trabalhista

Alterações a partir de 2018 em relação ao ISS e ISS fixo no Simples Nacional

Gilberto Cunha

Gilberto Cunha

Empreendedorismo

Quero comprar de você

Fernanda Rocha

Fernanda Rocha

Empreendedorismo

Contabilidade Consultiva: o Caminho da Riqueza e da Prosperidade

Adriano Vermolhem

Adriano Vermolhem

Gestão Empresas Contábeis

Marketing Digital na prática para Escritório Contábeis

Gabriel Manes

Gabriel Manes

Tecnologia

Como conquistar produtividade, satisfação do cliente e crescimento

Domingos Vasco

Domingos Vasco

Tributário e Trabalhista

Aspectos Legais e Gerais do eSocial

Vanildo Veras

Vanildo Veras

Empreendedorismo

Excelência ou sorte, eis a questão

Cláudio Miranda

Cláudio Miranda

Formação Profissional

Turnover de pessoal e qualidade de vida no trabalho nas Empresas de Auditoria Externa

Gilmar Duarte

Gilmar Duarte

Gestão Empresas Contábeis

Honorários Contábeis: Segredos da precificação

Mauro Negruni

Mauro Negruni

Tributário

Resultados do novo modelo da DCTFWeb

Alizete Alves

Alizete Alves

Tributário e Trabalhista

16:00 - eSocial - Impactos e ações para uma entrega de sucesso

Rogério Fameli

Rogério Fameli

Gestão Empresas Contábeis

Marketing Digital de Performance e Captação de Clientes de Contabilidade

Christiano Santos

Christiano Santos

Normas Contábeis

CPC/IFRS 17 Contratos de Seguros

Isis Abbud

Isis Abbud

Empreendedorismo

Contadores conseguem inovar?

Vinicius Roveda

Vinicius Roveda

Tecnologia

Transformação do mercado contábil: de 2015 a 2020

Fernando Almeida

Fernando Almeida

Formação Profissional

Como elaborar um projeto de pesquisa?

José Luiz Fondacaro

José Luiz Fondacaro

Tributário e Trabalhista

Fim do Emissor do Cupom Fiscal - E Agora?

Simoní Pechebela

Simoní Pechebela

Tributário

Código GTIN validação e obrigatoriedade aplicada a NF-e e NFC-e

Paulo Vaz

Paulo Vaz

Gestão Empresas Contábeis

Contabilidade Digital e on-line: Aspectos de Estratégicos

Hélio Donin

Hélio Donin

Tecnologia

Contabilidade e as ferramentas tecnológicas da atualidade

PERDEU AS PALESTRAS DE ONTEM? CLIQUE AQUI

MAIS PALESTRAS DE HOJE

« »

Tributário

Melhoria na arrecadação vai bancar redução de tributos

Maia admitiu que a renúncia fiscal pode ser maior do que a inicialmente prevista

28/05/2018 08:58

2.701 acessos

tributos redução de tributos

É a fonte de recursos apontada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para compensar a perda de R$ 14 bi decorrente do fim do PIS/Cofins do combustível

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está de olho na melhoria da arrecadação federal para ser usada para bancar o fim do PIS/Cofins que onera o preço do óleo, conforme proposta aprovada nesta quarta-feira (24) pelos deputados.

Segundo a Receita, depois dos bons resultados de janeiro e de fevereiro, a arrecadação federal deverá encerrar 2018 com crescimento de 3% a 4% acima da inflação, a maior expansão real desde 2013, quando cresceu 4,1% acima da inflação oficial.

Maia admitiu que a renúncia fiscal pode ser maior do que a inicialmente prevista. Ele havia calculado que seria de R$ 3 bilhões, mas reconheceu o erro e divulgou nota ampliando o valor para R$ 9 bilhões.

Já a Receita Federal faz as contas em R$ 14 bilhões e aponta que a reoneração não vai  cobrir a eliminação do PIS/Cofins.

“O governo estimava no final do ano passado ter uma receita de R$ 3 bilhões e alcançou R$ 30 bilhões”, exemplificou Maia.

A isenção do PIS e da Cofins sobre o óleo diesel até 31 de dezembro de 2018 foi aprovada ontem pelo Plenário da Câmara, como parte do projeto que retoma a contribuição previdenciária de 20% sobre a folha de pagamento de empresas de diversos setores da economia.

Bravata

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), que voltou de Fortaleza para Brasília, depois de ter sido alvo de críticas por parte de líderes dos caminhoneiros, defendeu que nada se faça por “bravata” ou “protagonismo” em plena crise e defendeu o entendimento.

Mais além foi a líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS), ao apontar que Maia levou a Câmara a aprovar um projeto, sem levar em conta a Lei de Responsabilidade Fiscal.

“A lei exige que quando se elimina um imposto deve ser apontada a fonte do novos recursos

Irresponsabilidade anterior

Para Maia, em resposta,  irresponsabilidade foi governo aumentar PIS/Cofins para diesel, gasolina e etanol em julho de 2017.

“Estamos querendo ajudar a resolver o problema. O governo vai dobrar sua arrecadação só no diesel até julho e tem previsão de arrecadação extra de royalties, participação especial e bônus este ano na ordem de R$ 12 bilhões a 14 bilhões, isso apenas para o governo federal”, disse Maia.

Mudanças no Senado

O projeto aprovado na Câmara poderá ser votado no Senado nesta sexta-feira, uma raridade na história do parlamento brasileiro.Ou na próxima semana. Mas com alterações, o que levará a proposta de volta à Câmara, que se não as mudanças estará levando o texto para o veto presidencial.

Para O deputado Beto Mansur (MDB-SP), um dos vice-líderes do governo, a Câmara votou de maneira irresponsável a redução a zero de Pis/Cofins para o diesel. “É lógico que agora o Senado vai refazer essa votação feita na Câmara ontem”, alertou Mansur, segundo o Câmara  Notícias.

“O PIS/Cofins atende a sociedade como um todo, vai dinheiro para saúde, para educação e diversos setores. Então o governo não tem condições de ter uma isenção ou deixar de arrecadar 15,8 bilhões de reais até o final do ano”, disse.

A bomba do ICMS

Nesta sexta-feira, o presidente Michel Temer se reúne com secretários estaduais de Fazenda para avaliar a incidência do ICMS nos combustíveis, sem ter combinado antes com  o líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), que abraçou  a redução do ICMS assinando proposta sobre o tema com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), da oposição.

Presença estranha

Por causa desse jogo duplo do líder do governor, o senador oposicionista João Capiberibe (PSB-AP), tirou sua assinatura que iria complementar as 41 necessárias para protocolar o projeto de resolução do Senado a respeito de alíquotas máximas do ICMS nos combustíveis.

Ao DCI, o senador disse que não retiraria mais a sua assinatura e que o motivo de tê-la retirado, em um primeiro momento, foi a presença do nome senador Romero Jucá como autor da matéria.

“A presença do líder do governo é estranha. Ele não tinha que estar apoiando um projeto de outro parlamentar como solução para o problema. Se ele é líder do governo, tinha que vir com uma solução do problema direto do governo e não embarcar em uma solução de alguém da Casa”, disse. “De preferência uma solução que não onere os Estados, e a perda do ICMS onera os Estados”, completou.

“Eu acho que pode haver uma crise grave entre Estados, o governo e o Legislativo, sim, em função das decisões que podem ser tomadas agora. A crise energética é responsabilidade da União, do governo, não dos Estados, apesar de precisarmos de uma regra para o ICMS. Temos que trabalhar sem descanso para resolver essa crise, até sábado e domingo”.

Por: Abnor Gondim

Fonte: DCI - SP

Enviado por

Marcelle Luperini

Marcelle luperini

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César