x

A contabilidade por prazer, quem paga as contas?

A contabilidade como um “sacerdócio”.

07/10/2013 21:53:19

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
A contabilidade por prazer,  quem paga as contas?

Ao ler um comentário postado em uma lista de discussão, fiquei a analisar o que de fato esta pessoa estava se referindo ao criticar que os profissionais não viam a contabilidade como um “sacerdócio” e sim visando só o lucro financeiro.

Pois bem, entendo que  se fizer uma pesquisa séria, irão descobrir que a grande maioria entrou na contabilidade como segunda opção, por já estar trabalhando em escritório, ser uma faculdade mais barata e de mais amplo campo de retorno financeiro. A contabilidade concebida por   Luca  Pacioli (para quem não sabe foi teólogo,  dentre outras profissões), criou a contabilidade “moderna” poética e vigente até hoje em alguns aspectos. A contabilidade se modernizou mais ainda, exigiu dos profissionais formações específicas em diversas áreas dentro do contexto contábil, principalmente nas áreas de tributos e planejamento, vasta necessidade de investimento pessoal, aprendizado, tempo e estrutura, não sobrou tempo para ficarmos só na contabilidade “poética” infelizmente.


Vejo todos que entram nesta área visando, o crescimento financeiro , acompanhado de um crescimento profissional e o bem-estar familiar e isto em nossa área não se faz com poema, até os atuais educadores são em sua maioria consultores, não vivem somente de ministrar aulas.

Para se destacar e sobreviver  mata-se um leão por dia,  essa é a nossa realidade, portanto senhores: guarda livros, teóricos, profissionais contábeis de autoajuda, arregacem as mangas da camisa e incentivem o aprendizado profissional, divulguem materiais de aprendizado, isto que precisamos,  pois o que vejo hoje são pessoas que viajam em discussões teóricas e infindáveis  blá , blá, blá sem colocar o lado prático da coisa, com isso quem sabe não possamos ter mais profissionais devidamente preparados sobrando tempo para o estudo do “sacerdócio” contábil.        

Leia mais sobre

O artigo enviado pelo autor, devidamente assinado, não reflete, necessariamente, a opinião institucional do Portal Contábeis.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.