x
CONTEÚDO artigos

Estudo de viabilidade: testando o seu negócio

Uma das grandes dificuldades do empreendedor - principalmente de pequeno porte - é o planejamento do negócio em todas as suas etapas. Aliás, são muitos os

07/07/2005 00:00:00

5,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Uma das grandes dificuldades do empreendedor - principalmente de pequeno porte - é o planejamento do negócio em todas as suas etapas. Aliás, são muitos os empresários que têm excelentes idéias de negócio, projetam um produto de primeira, mas se perdem no que chamam de burocracia. É nesse ponto que o empreendedor precisa de ajuda para vencer com galhardia essa importante etapa do seu negócio. Uma boa consultoria poderá ajudá-lo na elaboração do projeto, ou escudo de viabilidade, ou plano de negócio, como queiram chamá-lo. Esta ferramenta se aplica à implantação de novas empresas, novas linhas de produtos ou aquisição de novos negócios e no planejamento anual ou pluri-anual. Empresas de qualquer porte ou setor de atividade necessitam desses projetos: micro ou grandes empresas; indústria, comércio, serviços, transportes, turismo, ou qual outro setor.
O campo de aplicação é imenso, assim como imensas são as necessidades do empreendedor. Por exemplo, um grande projeto agropecuário ou uma pequena granja avícola e de suínos; uma grande agroindústria ou uma cooperativa de produtores ou de serviços; um grande frigorífico ou um pequeno abatedouro; uma fábrica de confecções ou um pequeno ateliê; uma loja de departamentos ou uma pequena loja de bairro; um estaleiro naval ou uma pequena serralharia; uma empresa de navegação ou uma pequena frota de lanchas; uma empresa de aviação comercial ou uma pequena empresa de transporte rodoviário de cargas; uma empresa de transporte coletivo ou uma pequena frota de táxis; uma indústria de sucos concentrados ou uma pequena fábrica de polpa de frutas; uma indústria de calçados ou um pequeno artesanato; uma indústria de cervejas e refrigerantes ou um pequeno alambique de cachaça artesanal; um centro de serviços automotivos ou uma pequena loja de autopeças ou de material elétrico; uma siderúrgica ou uma pequena fundição; uma montadora de tratores ou uma pequena fábrica de implementos agrícolas; uma fábrica de motocicletas ou uma pequena montadora de bicicletas; uma fábrica de conservas ou uma pequena processadora de peixes; um grande projeto hoteleiro ou uma pousada na praia ou na montanha; uma indústria metalúrgica ou uma apequena oficina de galvanoplastia; uma indústria de massas e biscoitos ou uma pequena panificação; ou um supermercado, uma fábrica de laticínios, uma torrefação de café, uma pizzaria, o leque é imenso. As necessidades vão desde a concepção da idéia até sua materialização através de um roteiro que será um guia seguro para as atividades. Este é o caminho.
O plano de negócio - ou estudo de viabilidade - é o roteiro que constitui o planejamento da empresa, já constituída ou a ser criada. Tem as respostas certas para as perguntas do empreendedor. Mostra em detalhes como é (para empresa existente) ou será a empresa a ser criada, quem são os empreendedores, quais os produtos, quais os clientes, o processo tecnológico de produção, estrutura de gerenciamento, investimentos necessários, capital de giro, projeções financeiras para fluxo de caixa, receitas, despesas, custos e lucros, ponto de equilíbrio e tempo de retorno do investimento.
Trata-se de uma ferramenta consagrada, utilizada em todo o mundo por grandes e pequenas organizações. É um instrumento de diminuição de riscos, minimizando possíveis erros. O plano estuda se um negócio ou produto é viável sob todos os aspectos, antecipando resultados. É muito eficaz na relação empresa x mercado, por se tratar de um conjunto de informações elaboradas de forma organizada, destacando-se os aspectos mais importantes do empreendimento: a empresa, sua missão, metas, sócios, gerentes e estratégias, seus produtos, serviços, benefícios para a economia e para comunidade, mercado e clientes, patrimônio e vida financeira realizada e projetada.
O plano de negócio gera informações privilegiadas, identifica oportunidades e ameaças e facilita as decisões que o empreendedor deverá adotar para se tornar bem sucedido. Permite condensar informações obtidas no mercado e torná-las úteis para sensibilizar parceiros, investidores e fornecedores de capital. Além dos resultados projetados, sua utilidade se estende a várias aplicações estratégicas e operacionais, como: alavancar e prospectar novos negócios ou novas filiais; negociar a empresa com possíveis investidores; comunicar-se com o público interno e com a sociedade em geral, clientes, fornecedores, governo e instituições financeiras.
Em resumo, o plano de negócio será um mapa com o roteiro de viagem e todas as coordenadas para o empreendedor viajar com segurança no mar tempestuoso dos negócios. Será o "mapa da mina". A existência se softwares específicos, irá acelerar o processo, obtendo maior exatidão dos dados processados e dos resultados apurados, em oposição aos métodos empíricos tradicionais. O produto será um projeto melhor apresentável, elaborado segundo critérios técnicos, rigidamente exato e muito mais confiável. Isto significará maior segurança para o empreendedor. Com um adequado projeto, o empreendedor terá em mãos um completo estudo de viabilidade de um negócio que poderá proporcionar excelentes resultados, se bem administrado. Todo risco deve ser medido. Nos negócios não se deve atirar no escuro; o empreendedor que assim agir poderá ser vítima do seu próprio tiro.

Carlos José Pedrosa
Maceió, AL
cjpedrosa@ig.com.br

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.