x

Tributário

Substituição tributaria no serviço de transporte no Rio de Janeiro

Os transportadores inscritos no Estado de Rio de Janeiros, quando prestarem serviço para contribuinte deste mesmo Estado, cabe ao tomador o recolhimento do ICMS não mais pela transportadora.

04/06/2018 08:58:52

3,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Substituição tributaria no serviço de transporte no Rio de Janeiro

O Decreto n° 46.323/2018, publicado no diário oficial do Estado no dia 29/05/2018, as regras de recolhimento do ICMS para os prestadores de serviço de transporte.

Com a alteração o artigo 82 do Livro IX RICMS/RJ, fica disposto que o ICMS incidente sobre a prestação de serviço de transporte intermunicipal e interestadual será pago pelo contratante do serviço, na qualidade de contribuinte substituto, quando este for contribuinte do ICMS, mediante DARJ em separado, por período de apuração, no prazo normal fixado para as demais operações, logo a transportadora não irá mais recolher o ICMS sobre suas operações, e sim quem a contratar.

A transportadora inscrita no Rio de Janeiro só irá pagar o ICMS, quando o serviço for prestado a não contribuinte do ICMS, por período de apuração, no prazo fixado pela legislação.

O CT-e para operação onde o tomador do serviço que irá pagar o ICMS, não terá destaque do imposto, devendo conter informação de que o ICMS será pago pelo tomador do serviço na qualidade de contribuinte substituto.

Já a empresa de transporte sediada fora do Estado e não inscrita no CAD-ICMS ou pelo profissional autônomo, quando prestarem serviço a não contribuinte do ICMS, deverão recolher o ICMS mediante DARJ, com indicação do número do CNPJ ou CPF do prestador no campo próprio, devendo o pagamento ser efetuado antes do início da prestação.

Ainda no caso de autônomo, a NF-e relativa à saída da mercadoria servirá para acobertar a prestação do serviço de transporte, desde que acompanhada do DARJ recolhida do referido serviço de transporte.

Na a prestação de serviço de transporte intermunicipal dentro do Rio de Janeiro entre o produtor rural e a cooperativa realizada por profissional autônomo, o ICMS da prestação será pago pela destinatária.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.