MOMENTO CONTÁBEIS

Tabela de IR sem reajuste | Revisão no EPC | Piso salarial da sua categoria

Contábeis o portal da profissão contábil

21
Sep 2018
11:20

Economia

Financiamento Coletivo Para Campanhas Eleitorais

Grande novidade nas eleições de 2018, financiamento coletivo pode ajudar muito nas campanhas, mas é necessário ter apoio de profissional habilitado para não se complicar nas regras do TSE!

26/06/2018 09:05

1.087 acessos

Eleição Contabilidade Eleitoral

Uma grande mudança na legislação que trata da arrecadação de recursos e prestação de contas eleitorais foi a permissão e a regulamentação de um novo modelo de arrecadação de recursos por parte do candidato.

A resolução nº 23.553 de 2017, que dispõe sobre a arrecadação e os gastos de recursos por partidos políticos e candidatos e sobre a prestação de contas nas eleições, finalmente regulamentou o uso de financiamento coletivo para campanhas eleitorais.

Em seu art. 22 a resolução estabelece que as doações de pessoas físicas e de recursos próprios somente poderão ser realizadas, inclusive pela internet, por meio de:

 

I - transação bancária na qual o CPF do doador seja obrigatoriamente identificado;

II - doação ou cessão temporária de bens e/ou serviços estimáveis em dinheiro, com a demonstração de que o doador é proprietário do bem ou é o responsável direto pela prestação de serviços;

III - instituições que promovam técnicas e serviços de financiamento coletivo por meio de sítios da internet, aplicativos eletrônicos e outros recursos similares.

 

O mesmo artigo também estabelece que as doações financeiras de valor igual ou superior a R$: 1.064,10 (mil e sessenta e quatro reais e dez centavos) só poderão ser feitas através de transferência eletrônica, aplicando-se também este limite a doações sucessivas realizadas por um mesmo doador em um mesmo dia.

Se o financiamento coletivo for adotado como meio de arrecadação de recursos em campanha eleitoral alguns requisitos devem ser atendidos, estes requisitos estão nos incisos do art. 23 e os principais são:

 

I - cadastro prévio na Justiça Eleitoral pela instituição arrecadadora, observado o atendimento, nos termos da lei e da regulamentação expedida pelo Banco Central do Brasil, dos critérios para operar arranjos de pagamento;

II - identificação obrigatória, com o nome completo e o número de inscrição no cadastro de pessoas físicas (CPF) de cada um dos doadores, o valor das quantias doadas individualmente, forma de pagamento e as datas das respectivas doações;

III - disponibilização em sítio eletrônico de lista com identificação dos doadores e das respectivas quantias doadas, a ser atualizada instantaneamente a cada nova doação, cujo endereço eletrônico, bem como a identificação da instituição arrecadadora, devem ser informados à Justiça Eleitoral, na forma por ela fixada;

IV - emissão obrigatória de recibo para o doador, relativo a cada doação realizada, sob a responsabilidade da entidade arrecadadora;

VI - ampla ciência a candidatos e eleitores acerca das taxas administrativas a serem cobradas pela realização do serviço;

IX - movimentação dos recursos captados na conta bancária "Doações para Campanha";

X - observância dos dispositivos da legislação eleitoral relacionados à propaganda na internet.

 

A arrecadação de recursos através de financiamento coletivo ficou liberada aos pré-candidatos a partir de 15 de maio do ano eleitoral, mas a liberação dos recursos fica condicionada ao cumprimento de três requisitos:

 

I - requerimento do registro de candidatura;

II - inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) ;

III - abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira de campanha;

 

Se o registro da candidatura não for efetivado as entidades arrecadadoras deverão devolver os valores arrecadados aos doadores.

Outro ponto referente ao financiamento coletivo que merece a devida atenção na hora da prestação de contas é que as doações deverão ser lançadas individualmente pelo valor bruto na prestação de contas de campanha eleitoral, e as taxas cobradas pelas instituições arrecadadoras deverão ser consideradas despesas de campanha eleitoral.

Por fim, é importante lembrar que mesmo o financiamento coletivo sendo uma maneira eficiente de arrecadação de recursos, é fundamental para os candidatos e partidos políticos possuir uma assessoria  capaz de fazer com que a arrecadação ocorra de acordo com a legislação vigente e que tudo seja informado de maneira correta aos TREs e ao TSE. 

MATÉRIAS RELACIONADAS

Receba Novidades

receba novidades sobre o site e o fórum de contabilidade em seu e-mail

x

CADASTRE-SE
GRATUITAMENTE

e faça parte da maior
comunidade contabil
da internet brasileira

x

Faça parte da maior
comunidade da internet
brasileira
, e receba nosso
conteúdo gratuitamente

CADASTRE-SE GRÁTIS

ENVIAR

Ao se cadastrar, você aceita os termos de uso do portal Contábeis.

CADASTRE-SE COM AS REDES SOCIAIS

x

OLÁ ROGÉRIO

vocÊ sabia que você pode
enviar artigos pelo site ?

x

digite seu email ao lado
para receber a senha
em sua caixa de entrada.

RECUPERAR MINHA SENHA

ENVIAR
x

Parabéns!

Veja os próximos passos
para aproveitar tudo o que
preparamos para você.

x

Cadastro efetuado com sucesso !
Enviamos para seu e-mail os procedimentos para confirmação de seu cadastro.
Ele será concluído depois que você fizer a confirmação via e-mail.

Caso não tenha recebido:

* Aguarde mais alguns minutos.
* Verifique sua pasta de spam (ou lixo eletrônico).
* Solicite o reenvio da mensagem de confirmação clicando aqui.

Prezados(as) senhores(as), o Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussoes dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro. Ao acessar este site você concorda com os Termos de uso.

Site desenvolvido por
Julio Guimarães | Rogério César