x

Empresarial

A responsabilidade do contador de ensinar seus clientes ou futuros clientes de sua importância e de sua categoria profissional

É de extrema importância esse assunto, visto que o Fisco, profissionais de outras atividades, empresários e até mesmo funcionários na área contábil, mesmo sem querer, acabam por desvalorizar nossa categoria profissional.

17/12/2018 17:03:19

2.851 acessos

A responsabilidade do contador de ensinar seus clientes ou futuros clientes de sua importância e de sua categoria profissional

É de extrema importância esse assunto, visto que o Fisco, profissionais de outras atividades, empresários e até mesmo funcionários na área contábil, mesmo sem querer, acabam por desvalorizar nossa categoria profissional.


É nossa responsabilidade atuarmos como Professores, Consultores e Empresários a todo instante, durante toda nossa carreira profissional, bem como procurarmos nos atualizar constantemente, porque a concorrência desleal ou não, a cada dia cresce mais.


Para nossos clientes que não sabem o que se passa na rotina de um escritório contábil, isso pode passar totalmente despercebido, porque se não ensinarmos o nosso valor, o quanto trabalhamos, quanto lemos diariamente sobre novas leis, decretos, artigos, consultas, etc, para que o mesmo esteja sempre em uma forma melhor de tributação e com mais lucros, todo esse serviço não servirá de nada, porque ele procurará o mais barato, sem pestanejar. Coloquemo-nos no lugar deles, se o seu contador só te liga ou envia mensagem/e-mail quando chega o dia de enviar os impostos, é assim que você o verá, um mero emissor de impostos. Nós sabemos que isso passa bem longe do tanto de cálculos, planilhas, programas/sistemas contábeis, bem como a conferência final, transmissão das declarações, verificação de notas fiscais e demais documentos fiscais que possam interferir na apuração, temos que adequar para que tudo seja feito da forma mais alinhada possível. 


O Governo (Fisco) além de nos encher de obrigações acessórias a todo momento, também a cada dia nos desvaloriza mais, como vemos no caso do MEI, que vivem dizendo que o contribuinte pode fazer sua própria contabilidade, e que o contador não é necessário, mas sabemos que não é assim, e tudo isso é apenas uma forma de arrecadarem com multas por falta de entrega de obrigações acessórias que os mesmos sabem que o contribuinte não terá a competência e habilidade suficiente para fazer, por ser leigo no assunto. O MEI não é obrigado a declarar mensalmente ao SIMPLES, porém, é necessário o controle mensal do faturamento, envio da SEFIP/GFIP, manutenção da Contabilidade para apontar Lucros ou Despesas, e se realmente é benéfico a manutenção neste regime, e aí que entra o trabalho do Contador Consultor, o Contado Professor, o Contador Empresário, que deve mostrar ao seu cliente ou não é cliente que é realmente necessário à continuidade e regularidade da empresa, bem como seu crescimento.

 

Os Profissionais de outras atividades, empresários e até mesmo funcionários da área contábil também tem uma bela parcela de culpa na desvalorização da categoria, porque constantemente desmerecem todo o nosso trabalho e tempo dispensado aos processos diários. Alguns tentam fazer por conta o serviço, e ao conseguirem chegarem no mesmo objetivo, de forma errada, acham que é a forma certa, que o serviço é fácil, e que não é necessário pagar alguém para fazer o mesmo. É como em uma conta de matemática que aprendemos na escola, não dá pra fazer ajustes, é direto ao ponto, faz-se da forma certa e chegará ao resultado, faz-se da forma errada e mesmo achando que está certo, no final você bomba na matéria.


Exemplo disso são algumas contabilidades digitais, que cobram valores irrisórios, e fazem o contribuinte acreditar que tudo está previsto nesse valor de mensalidade, fazendo assim que o mesmo nos veja como abusadores financeiros, quando na verdade, o serviço prestado por estes não é nem 20% do que fazemos, e em muitos casos o cliente volta ao nosso escritório porque descobre que nada estava sendo feito da forma correta, mas dá o braço a torcer quando dizemos que para regularizar todo o problema gerado, custar-se-á um valor significativo.


Ensinemos também ao nosso cliente, desde a abertura, e de forma constante, que mesmo que ele "não emita notas", "sem movimento" ou esteja "inativo" durante qualquer período, não deve de forma alguma ficar sem um contador responsável por transmitir as declarações mensais, escriturações fiscais e anuais de sua empresa que mesmo zeradas de informações, devem ser entregues, e que isso tem um custo que cobre justamente o custo de não ser multado futuramente. Ensinemos também a eles que a empresa abrir, mas estar de portas fechadas (de forma física), não significa que a empresa foi encerrada de forma legal, com o registro dos devidos cancelamentos de inscrições, regularizações em todos os órgãos e conselhos, bem como a finalização da contabilidade, e que por isso o que foi explanado no início deste parágrafo era também necessário, para que quando encerrasse a empresa, não tivesse sustos com multas e outras autuações por erros ou ausência de entrega das obrigações contábeis /fiscais / legais.

 

Por isso, devemos ensinar a todo dia, nossa responsabilidade e importância, porque se não o fizermos, ninguém o fará, e a cada disputa desleal entre nós, somos só nós que perdemos, por isso devemos nos unir em prol da categoria, em prol de nosso crescimento, em prol de nossos clientes, para que tenhamos um futuro ainda mais próspero.

 

Meus sinceros agradecimentos a quem puder ler e refletir sobre o assunto!!





 



MATÉRIAS RELACIONADAS

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL

cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.