x

Tecnologia

Contabilidade por um fio?

Diante de tantas notícias e especialistas falando sobre o fim da carreira do contador, te convido a ler esse texto que explica melhor esta fase e que não podemos nos deixar abalar. As oportunidades se abrem e devemos estar preparados para aliar tecnologia

08/04/2019 09:03:35

11.909 acessos

Contabilidade por um fio?

Eu não serei a primeira a falar sobre o tema, mas é uma coisa que ainda hoje, pessoalmente, me incomoda muito.

Tudo começou em 2017, quando participei de duas palestras sobre – IA Inteligência Artificial e nas duas mencionou-se “as profissões que vão acabar” até 2030 e que até 2050 novas profissões existiriam.

Mas vou pedir a você que lê este texto, que seja bem crítico, e deixe seu comentário!

Existem muitos estudos sobre essa previsão e de fato em alguns lugares já é real.

Veja a reportagem aqui.

Na lista feita pela PWC em 2017, constam as seguintes profissões:

(Vejam que em algumas eu deixei a justificativa dos especialistas e vejam bem as datas!)

1) Piloto de avião > Quando a profissão será automatizada: entre 2025 e 2030

2) Anestesista > Quando a profissão será automatizada: 2025

3) Analista de investimento > Quando a profissão será automatizada: 2023

4) Engenheiro de software >Quando a profissão será automatizada: 2027

5) Contadores e auditores > Quando a profissão será automatizada: 2030

Justificativa dos especialistas: “dois movimentos complementares devem impactar estas profissões: digitalização dos processos e aumento no uso de Blockchain. Contadores ainda estão envolvidos com tarefas que podem ser automatizadas em grande escala sendo a brasileira Contabilizei um exemplo de disrupção nesta área (a startup é considerada a empresa contábil mais inovadora do mundo segundo a Fast Company). Além disso, com as criptomoedas e registro de operações em Blockchain, o conceito de contabilidade desaparece, visto que todas as transações são públicas e tecnicamente impossíveis de serem fraudadas. O mesmo vale para auditores”.

6) Headhunter e recrutador (RH) > Quando a profissão será automatizada: 2023

7) Assistente jurídico > Quando a profissão será automatizada: a partir de2020

8) Repórteres e jornalistas > Quando a profissão será automatizada:entre 2022 e 2025

9) Analistas financeiros > Quando a profissão será automatizada: 2027

Justificativa dos especialistas: “analistas capazes de avaliar as contas e as finanças de uma empresa já foram considerados indispensáveis pela sua capacidade de identificar tendências que poderiam causar impacto significativo no negócio em um piscar de olhos, permitindo ajustes temporais de estratégia ou portfólio que poderiam gerar bilhões em economia. Mas analistas humanos não conseguem mais competir com softwares de análise financeira que usam inteligência artificial e que podem ler e reconhecer tendências em dados históricos para prever movimentos futuros de mercados.”

10) Corretores de seguro e analistas de risco > Quando a profissão será automatizada: entre 2020 e 2025

Justificativa dos especialistas: “a quase totalidade do que corretores de seguro e analistas de risco fazem hoje já pode ser feito por computadores utilizando big data e machine learning. Realização de cotações, cálculos de prêmio e custos de apólice, avaliação de riscos individuais e coletivos, ganham em eficiência e robustez, em termos de base de dados de referência, quando softwares parametrizáveis colocam nas mãos do segurado as possibilidades de simulações e contratação dos seguros de forma automatizada. E, à medida em que novas ferramentas incorporem inteligência artificial, o processo decisório na realização de um seguro será completamente automatizado, tornando os profissionais em questão obsoletos.”

Porque eu trouxe novamente o tema?

Nada contra a tecnologia, ela realmente nos ajuda a simplificar as operações, no caso da Contabilidade, é inegável como o papel da inovação está sendo fundamental na execução dos processos e aumento da produtividade/tempo.

Apenas tenho uma ressalva bem grande.

Primeiro quero colocar em pauta o termo Contabilidade. A contabilidade é uma área muito extensa, que abrange muitas responsabilidades e tudo deve estar embasado legalmente, se você está pensando que a contabilidade é apenas calcular guias, gerar balanço, entregar declarações ou assinar documentos, então, você não sabe o que é Contabilidade!

O que me assusta, é ver tantos empresários, nos dias de hoje, com tanta informação disponível na internet ainda não compreenderem o papel do contador e da contabilidade.

É até difícil organizar tudo o que quero dizer, mas vamos por os pingos nos “is”.

Um erro de conceito faz com que as pessoas acreditem em fantasias, e com a Contabilidade não é diferente e imagino que muitas profissões também sofram algum tipo de “ignorância”.

A ideia que as pessoas fazem da contabilidade online é tão infantil a ponto de achar que não é necessário ter um contador, e vão pagar muito mais barato, porque está tudo automatizado.

A questão aqui é: o que pode ser automatizado?

Até para refletirmos o que nos incomoda sobre “Inteligência Artificial” na Contabilidade.

Se pensarmos em serviços simples como resposta imediata vamos ter a facilitação de integração entre sistemas, exemplo: arquivos de extratos bancários, integração de XMLS, BPO Financeiro, Importação de Dados da Folha de Salários, Importação de Arquivos SPED/Sintegra, todas essas formas de compartilhamento e integração de dados, servem para auxiliar a contabilidade nas conciliações, fechamentos, apurações e declarações.

Mas o que é online para você?

Primeiro temos que deixar claro a diferença entre ONLINE e DIGITAL.

E para explicar de forma prestativa vou deixar um link de um material muito bem escrito pelo Prof. Roberto Dias Duarte aqui.

O senso comum ou expectativa:

A ideia é que o “robô” que já está parametrizado, receba as informações desses dados eletrônicos e efetue todas as operações de escrituração e apuração dos tributos a pagar, e o “governo” não precisa mais receber as obrigações acessórias (aquelas que relatam, todas as movimentações e operações, e informam tudo o que a fiscalização precisa saber sobre o que está ocorrendo com a empresa), portanto, tendo a falsa impressão que não precisam de pessoas para operar sistemas ou analisar qualquer operação “sob o enfoque do contribuinte”, pois todos já são super-parametrizados para isso.

Realidade:

Na prática e no mundo real você recebe os arquivos de integração com os registros de todos os documentos da empresa, que alguém ou uma ferramenta vai lá e “importa” para o sistema, esses dados ficam numa tela de “pré-lançamento” onde o analista por sua vez confere e se estiver ok, salva como correto.

Esse lançamento que já está no sistema também fica “pré-conciliado” para que o analista faça a conferência e “homologue” na contabilidade para a apuração final.

E não falamos nenhuma vez de obrigações acessórias e cumprimento da legalidade, que não tem nada a ver com o processamento das informações.

Aliás a responsabilidade da inserção desses dados documentais é da empresa e não do contador/contabilidade. É a mesma coisa que dizer que o médico tem que tomar o remédio para você já que paga a consulta. Faz sentido?

Portanto o termo correto para esse caso seria “digital”.

Agora vamos voltar a justificativa: 

5) Contadores e auditores > Quando a profissão será automatizada: 2030

Justificativa dos especialistas: “dois movimentos complementares devem impactar estas profissões: digitalização dos processos e aumento no uso de Blockchain. Contadores ainda estão envolvidos com tarefas que podem ser automatizadas em grande escala sendo a brasileira Contabilizei um exemplo de disrupção nesta área (a startup é considerada a empresa contábil mais inovadora do mundo segundo a Fast Company). Além disso, com as criptomoedas e registro de operações em Blockchain, o conceito de contabilidade desaparece, visto que todas as transações são públicas e tecnicamente impossíveis de serem fraudadas. O mesmo vale para auditores”.

Digitalização de processos: Quando falamos em digitalização dos processos, logo vem em mente a importação e integração de dados. Meu ponto de vista em relação a tecnologia se usada de forma correta, será muito útil no futuro da profissão contábil, essas ferramentas agregam valor à profissão. O contador até então, metade de seu tempo é destinado a operar em retrabalho, digitando informações que já estavam prontas em seu cliente. Com o uso correto das ferramentas é possível importar e integrar esses dados, mudando todo o foco do contador, tirando sobre ele o trabalho operacional maçante e trazendo para o novo cenário a “análise dos dados” e proporcionando “qualidade” nas informações registradas e entregues ao fisco.

Porém para que o cenário acima tenha êxito é necessário que o empresário esteja apto a participar das mudanças e que não tenha medo da tecnologia. É preciso desmistificar esse monstro da inteligência artificial para nossa população empresária. Fazer entender que o trabalho do contador não vai diminuir e sim tomará outra forma, a qual também se faz necessário.

Por esse motivo a partir do novo cenário, é fundamental que o contador esteja mais próximo de seu cliente para múltiplos treinamentos e assessorá-lo na tomada de decisões. O que me leva a um raciocínio rápido …..e me faz pensar nas empresas de contabilidade que são “100% digitais”.

Será que estão influenciando seus clientes de maneira correta na tomada de decisões? Como será a qualidade nas informações desses dados prestados pelas empresas? Como será a consultoria? Existe uma ligação interpessoal? Como a fiscalização está observando meus dados? Será que não estão criando um passivo para essas empresas, na geração de multas e descumprimento de obrigações?

Deixo essa reflexão para as pessoas que pensam que a profissão de contador irá se extinguir e que só um sistema fará tudo isso. 

Continuando: “Além disso, com as criptomoedas e registro de operações em Blockchain, o conceito de contabilidade desaparece”.

Tive que frisar e separar essa parte porque é até difícil de processar. Quando ele fala que o “conceito de contabilidade desaparece” é nítido o desconhecimento. Contabilidade não é um “conceito”. As empresas precisam saber como está sua saúde financeira e identificar os números de seu negócio, isso se faz necessário para que o empresário consiga se planejar e investir. Diante disso, é indispensável a orientação de um profissional contábil. É ele que tem o conhecimento que irá sustentar as informações e garantir as operações dentro da empresa, informações essas indispensáveis para a tomada de decisões.

E continuando “…visto que todas as transações são públicas e tecnicamente impossíveis de serem fraudadas. O mesmo vale para auditores”.

Sério? Então todas as empresas do mundo vão migrar para o Blockchain e não existirá outra opção. E não haverá mais contabilidade só por causa disso?

Sabemos no entanto, que Criptomoedas é uma realidade, não dá para negar que veio para ficar. Mas é preciso ter cautela em certas afirmações para não se gerar histeria no mercado. Falta muito para se tornar “popular” e até mesmo aprimorar a legislação para regulamentar tudo isso. Não podemos esquecer que por trás de toda essa tecnologia existe um embasamento legal, normas e regras a cumprir. Não podemos fechar os olhos e fingir que tudo isso caiu por terra, precisamos nos preparar para a tecnologia sim, mas também não esquecer da legalidade das operações executadas por nossos clientes. Se focarmos apenas na tecnologia, poderemos estar gerando um passivo em nossos clientes de forma irreversível.

Por fim, a afirmação de que “Público não é fraudado” não dá para ser comentada, por razões óbvias!

E é óbvio também que não dá para comparar realidades tributárias entre Brasil e qualquer outro país. Até mesmo, porque imagino que seja muito difícil encontrar um país com tanta complexidade em sua legislação tributária (para cada cidade, estado e união, existe uma norma diferente e com inúmeras exceções para cada tributo). E a cada semana existe uma preocupação de que tudo tenha mudado, pois as alterações são constantes.

Eu não gosto de usar exemplos de como “Lá nos EUA é assim…” parece bordão! Mas sou obrigada a fazer isso…

Nos EUA, os empresários veem a contabilidade como uma solução estratégica para suas empresas, o contador é considerado um “partner”, alguém essencial ao seu negócio, como se fosse a figura de um “vice-presidente” de tal a sua importância. Decisões de alto escalão somente são tomadas com a chancela do contador. E aqui?

É assustador ouvir um empresário dizer que não entende nada de números, notas, tributos e obrigações que “isso é coisa de contador e que contador só serve para gerar boletos para a empresa pagar”. Precisamos mudar esse paradigma. O contador vai muito mais além do que apenas cumprir com uma obrigação principal e acessória.

São essas situações que me fazem refletir e temer, de como as coisas se generalizam (ou deixamos que isso aconteça), e eu tenho que usar um texto cheio de metáforas e exemplos para me fazer entender, quando deveria ser óbvio o papel e a importância do contador.

E ser digital é ter mais oportunidades de mercado agregando mais valor ao cliente. Pense nisso!

Este texto foi escrito por Saska Lins e por Luciana Borges da VELEV Contabilidade Digital.

MATÉRIAS RELACIONADAS

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL

cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.