x
CONTEÚDO artigos

combater a crise

Qual a Responsabilidade do Empresario Em Tempos de Crise?

Penso que o empresario deve usar de suas forças (seu Patrimônio) para "combater" a crise, devendo solicitar apoio ao Estado quando realmente necessário.

30/03/2020 09:00:01

2,6 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Qual a Responsabilidade do Empresario Em Tempos de Crise?

A vida em sua essência é feita de responsabilidades, de desafios e de decisões. Desde cedo, ainda quando criança, somos obrigados a fazer escolhas em que muitas vezes temos que renunciar algo.

Em meio aos diversos instrumentos que temos para tomar decisões, somos levados a fazer uso da RESPONSABILIDADE. 

Somos donos de nossas decisões. 

Para ser mais especifico falo da responsabilidade do empresário, independentemente de seu porte.

Em momentos de crise como se assiste nos dias de hoje, o empresário tem sobretudo uma responsabilidade sem tamanho com seus colaboradores, afinal, é dele (empresário) a responsabilidade de manter pelo menos o salário de seus empregados em dia. 

Atualmente estamos diante de uma situação complexa em nosso cenário econômico. O governo editando medidas que tendem a promover redução de salários e outros proventos dos trabalhadores. Se essas medidas são corretas ou não, nesse momento não poderia opinar, no entanto, creio ao menos que seja necessária uma reflexão mais aprofundada do assunto. 

Mas porquê?

Vejamos: 

Embora “empresariar” seja uma atividade de risco, não deveria o Governo de forma imediata editar medidas como fez com a MP 927/2020. Antes disso, por que não consultar os 3 últimos anos de Declaração de Imposto de Renda da Empresa (pelo menos as maiores), afim de verificar se esta auferiu lucro, prejuízo, se fez distribuição, qual foi o tamanho do resultado da Companhia nesses últimos anos.

 Afinal, insisto, temos responsabilidades. Na mesma medida em que o colaborador/funcionário tem suas responsabilidades (das mais diversas), o empresário também tem as suas. 

Em momentos como esse a Companhia deve usar seu PATRIMONIO (especialmente seus direitos) para o cumprimento de seus compromissos. 

Evidentemente seria uma decisão complicada para qualquer empresa, mas é necessário usar das ferramentas já existentes para em seguida contar com a ajuda do Estado. 

O que me parece, quem paga a conta mais uma vez é o “Contribuinte Final” o Cidadão Comum. 

Governo, consulte a evolução Patrimonial das companhias para só depois oferecer o suporte que porventura necessitar. 

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.