x

ARTIGO TRIBUTÁRIO

Quais fornecedores uma consultoria tributária costuma ter e como selecioná-los

Um empreendedor tributário que trabalha em parceria com outros profissionais tende a potencializar a qualidade do seu serviço.

07/12/2023 13:30:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Quais fornecedores uma consultoria tributária costuma ter?

Quais fornecedores uma consultoria tributária costuma ter e como selecioná-los Foto: Andrea Piacquadio/Pexels

Na minha trajetória como empreendedor tributário, auxiliei diversos profissionais na mesma proporção na qual também fui amparado. Pude comprovar, na prática, que neste ramo todos nós trabalhamos de maneira colaborativa, acrescentando ao projeto parte do nosso conhecimento e, em conjunto, construindo o sucesso.

Ainda assim, escolher os parceiros do seu negócio exige muita atenção. Você precisa contratar profissionais capacitados, pessoas que acrescentem ao seu trabalho e complementam as habilidades técnicas que te fazem falta na busca de bons resultados.

Para isso, existem alguns métodos que ajudam a selecionar os profissionais mais capacitados para cada função. Aplicando-os corretamente você consegue chegar em um alto patamar de qualidade e entregar resultados cada vez melhores para seus clientes.

Compartilho neste artigo as três principais lições que aprendi com mais de 20 anos de mercado, e me ajudaram a escolher os melhores profissionais para estarem ao meu lado. Mas antes, vamos conhecer quais são as funções desses parceiros estratégicos.

Os principais parceiros dos empreendedores tributários

Principais aliados dos empreendedores tributários, os contadores executam a parte burocrática do negócio. Organização dos impostos que a empresa pagou nos últimos anos, relações de entradas e saídas, conferência da lista de fornecedores e clientes, além de toda parte documental financeira e patrimonial, são as responsabilidades básicas deste parceiro.

Na gestão de um negócio de recuperação tributária, o papel do contador será o de preparar o cenário ideal para uma análise de qualidade. Pois, para que possa analisar o histórico de taxação da empresa, alguém precisa buscar essas informações dentro da organização.

Contanto, para executar sua função de maneira satisfatória, busque um contador parceiro detalhista e que possa confiar. A organização contábil de uma empresa é fundamental para o empreendedorismo tributário funcionar. Sem ela, fica muito mais difícil instaurar um processo efetivo de análise e contestação de taxação, o que prejudicará a trajetória do seu negócio.

No processo de recuperação tributária é extremamente necessário o respaldo de um advogado especializado na área. Assim, você garante uma atuação totalmente alinhada com a legislação.

Processos jurídicos já tendem a ser muito complexos e, quando envolvem questões tributárias, essa complexidade aumenta significativamente. Por este motivo, o ideal é encontrar um profissional que tenha especialização na área. Desta maneira, ele terá mais facilidade para lidar com todos os detalhes da tramitação, agilizando a operação.

Além disso, este profissional será a face jurídica do negócio, realizando o envio de informações aos órgãos de tributação, a representação da empresa perante às instituições e organização de todo processo legal. 

Para colher corretamente todos os dados da empresa e organizá-los de maneira que facilite sua leitura e interpretação, é necessário contar com a colaboração de um profissional que conheça as ferramentas corretas. Esse colaborador é o analista de dados, que tem sido fundamental no setor de tecnologia das empresas e, no empreendedorismo tributário, é igualmente importante.

O analista de dados ficará responsável por colher e organizar todas as informações de mercado e tributárias, organizando um banco de informações completo. Ele ainda promove a construção de estratégias mercadológicas que contribuem para otimizar a eficiência e assertividade do projeto.

Quando o profissional ainda domina questões de programação, ele poderá auxiliar construindo o sistema que armazenará esses dados. Se bem integrado aos setores de planejamento e jurídico, essa plataforma será de extrema utilidade!

Esse profissional, como o próprio nome já diz, ocupa o setor financeiro. Será ele o responsável por analisar as oportunidades de mercado e avaliar junto ao empreendedor tributário (ou seja, você) as condições que devem ser aproveitadas ou não.

Além disso, o consultor financeiro auxilia na estruturação do orçamento e colabora na identificação de restituição de crédito tributário.

Na minha experiência, posso afirmar que encontrar uma condição econômica bem estruturada facilita bastante na identificação de possíveis taxações equivocadas. Se as finanças estão organizadas, o processo de recuperação tributária é muito mais rápido. 

Você pode até estranhar, mas toda boa gestão começa com um bom comunicador. Seja para lidar com a empresa internamente, se conectar com o mercado ou construir boas argumentações em processos de recuperação tributária, o comunicador cumprirá o papel de fundamentar esta ponte.

Com um bom comunicador ao seu lado, você conseguirá desenvolver um plano de comunicação efetivo, que torna a sua marca mais conhecida no mercado. A empresa terá muito mais sucesso, inclusive nas negociações de recuperação tributária, se for mais assertiva nesta área!

Como selecionar os melhores do mercado

1 - Procure profissionais com experiência em tributação

Seu primeiro critério de avaliação deve ser a experiência prévia em tributação. Se o profissional já realizou projetos neste setor, mesmo que não diretamente ligados à recuperação tributária, a tendência é que ele se adapte de forma muito mais rápida e apresente bons resultados a curto prazo.

Nem sempre temos tempo hábil de realizar a imersão de um profissional na área corretamente. Desta forma, é fundamental firmar parcerias com quem já entende da área, e utilizar o período de adaptação para focar em outras questões, como alinhamento de cultura, adiantamento de algumas atividades ou, até mesmo, com o processo de adaptação ao negócio.

2 - Busque indicações com outros empreendedores

Indicação de mercado é outra forma de garantir qualidade para a contratação do seu time de parceiros. Já existem muitos profissionais nos cargos que citei acima trabalhando no meio do empreendedorismo tributário. São pessoas com bastante experiência e know-how para ajudar a estruturar o seu negócio. Você só precisa achá-las.

Portanto, converse com outros colegas empreendedores e busque contatos com profissionais referenciados. Construir uma rede de networking é uma das modalidades mais fáceis de encontrar bons parceiros. Por isso, não abra mão deste recurso, principalmente se você ainda estiver no início.

3 - Faça um processo seletivo breve, porém efetivo

Por ser uma área em franco crescimento, a demanda por novos profissionais é muito alta. Portanto, são muitos empreendedores e empresas buscando atrair esses talentos, que muitas vezes optam não por quem paga melhor, mas sim por quem contrata mais rápido.

Dito isso, te aconselho a não desenvolver processos seletivos muito longos. Ou, caso prefira formar uma parceria sem a modalidade de contratação de serviço fixo, não demore para revelar seu interesse ou desinteresse em contar com o profissional. Todo encurtamento que puder prover às fases de negociação serão muito bem vindas.

Ainda assim, processos seletivos curtos não significam que são mal feitos ou ineficientes. A saída é buscar dinâmicas simples e diretas para entender se o profissional entregará o que você necessita. 

Ao invés de gastar tempo discutindo melindres da trajetória dele, por exemplo, pergunte quais são as referências profissionais do candidato e já parta para a análise de fit de valores, perspectivas de mercado e testes técnicos. Desta forma, você apura rapidamente e eficientemente!

Leia mais sobre

O artigo enviado pelo autor, devidamente assinado, não reflete, necessariamente, a opinião institucional do Portal Contábeis.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.