x

IA

Tropa de elite tecnológica: uso da IA no board de conselheiros

Buscando aumentar produtividade e resultados empresas já utilizam a inteligência artificial para gerir a alta cúpula

03/02/2024 17:00:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Tropa de elite tecnológica: uso da IA no board de conselheiros

Tropa de elite tecnológica: uso da IA no board de conselheiros

O board de conselheiros refere-se ao grupo de indivíduos que compõem o conselho de uma organização, como uma empresa ou uma entidade sem fins lucrativos. O conselho de administração desempenha um papel crucial na orientação estratégica, na supervisão e na tomada de decisões de alto nível para a organização. A formação do conselho pode variar de acordo com a estrutura da empresa e as leis e regulamentações locais. Geralmente, um board é composto por indivíduos com diferentes formações, experiências e profissionais que conseguem trazer visões diferenciadas para a mesa na hora da tomada de decisão. 

Entretanto, esses mentores por serem muito apostos, como por exemplo, os profissionais mais voltados para o lado comercial que possuem como objetivo final o aumento das vendas e os profissionais mais direcionados para a cultura organizacional que geralmente possuem objetivos intangíveis como awareness de marca e outros. Muitas vezes, saber gerir e concatenar esses objetivos é uma grande questão para as empresas de grande porte. 

IA como catalisador de performance nos boards

A inteligência artificial (IA) pode desempenhar um papel significativo na organização e gestão dos interesses individuais dos membros de um board de conselheiros, proporcionando eficiência, transparência e suporte à tomada de decisões. 

São algumas das utilizações da inteligência artificial para a melhora da performance do board: análise de perfil e competências, com a utilização de algoritmos de IA para analisar os perfis, habilidades e experiências individuais de cada membro do conselho e identificação de lacunas de competências e sugestões para a formação de comitês específicos, com base nas habilidades dos conselheiros, plataformas de colaboração assistida por IA com a utilização de plataformas de colaboração equipadas com recursos de IA para facilitar a comunicação entre os membros do conselho, plataforma para avaliação de desempenho individual entre outras.

Segundo o advogado societário, Dr Eduardo Brasil comenta sobre o uso da IA na gestão da eficiência dos conselhos nas empresas: “Ao integrar a IA na gestão dos interesses dos membros do board de conselheiros, as organizações podem promover uma governança mais eficiente, transparente e personalizada. Isso pode resultar em reuniões mais produtivas, tomadas de decisões mais informadas e um alinhamento mais forte com os objetivos estratégicos da empresa. É crucial, no entanto, garantir que a implementação da IA respeite a privacidade e a ética, e que as decisões finais continuem a ser tomadas pelos humanos com base em julgamento e valores”, afirma o advogado especialista em direito societário.

Conforme a aplicação das ferramentas em IA crescem, também crescem os questionamentos por parte dos executivos sobre como lidar com os dados internos da organização. Muitos deles são altamente sigilosos, por se tratarem de informações de propriedade intelectual e segredos de negócios. 

Uma pesquisa recente da EY revelou que 77% dos executivos concordam que a IA generativa exigirá mudanças significativas em sua governança corporativa para gerenciar questões de ética e privacidade, por exemplo, um estudo também da EY de 2022 descobriu que apenas 35% das organizações têm uma estratégia de governança para IA.

Leia mais sobre

O artigo enviado pelo autor, devidamente assinado, não reflete, necessariamente, a opinião institucional do Portal Contábeis.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.