x

ARCABOUÇO TRIBUTÁRIO

As mudanças do arcabouço tributário e suas consequências para as empresas e seus planejamentos

É preciso acompanhar de perto, e analisar as consequências em todo o planejamento empresarial e também no pessoal.

14/02/2024 20:30:01

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
As mudanças do arcabouço tributário e suas consequências para as empresas e seus planejamentos

As mudanças do arcabouço tributário e suas consequências para as empresas e seus planejamentos Foto: Enzo Muñoz/Pexels

Todos ansiavam pela reforma tributaria. Há anos a mesma estava em processo de estudos, pelas casas do congresso, no entanto sempre foi protelada com os mais diversos argumentos, apresntados pelos responsaveis destas protelações. No entanto, em força da dificuldade de se dar proseguimento a um desenvolvimento das atividades economicas e comerciais, cada vez mais truncadas pela complexidade operacional da legislação tibutária vigente, em comparação com as demais economias mudiais, não havia outra alternativa a não se promover a mesma.

As alterações prmovidas, ao meu ver foram necessarias, e profundas, pois mexeram para valer mesmo, em todos os tributos, bem como nas formulações de composição e cálculo dos mesmos. Porém, o tempo de implantação da mesma e suficiente, para os prováveis ajustes que irão ocorrer, pois somente vendo na realidade  do funcioanamento e operacionalidade das mudanças e, que  se poderá avaliar realmente a eficácia de tais mudanças e, evidentemente, serão feitos os ajustes  que se tornarem necessários, para se alcançar os objetivos e metas almejados e planejados, não só no sentido arrecadatório dos governos nos três âmbitos, mas, principalmente, nos resultados econômicos e comerciais de desenvolvimento nacional, pois o objetivo principal é o desenvolvimento da economia nacional como um todo e a competividade no mercado mundial é grande, e um dos fatores, diria o principal, se refere a carga tributária embutida nos custos de nossos produtos e comodites, que dificulta nossa expansão econômica, não só no aspecto interno como, e principalmente, no externo. Os países que disputam mercados internacionais oferecem tais condições de competividade, exatamente em seus custos tributários competitivos.

Os gestores das empresas, dentro de suas expectativas, com as referidas alterações, devem rever suas estratégias de planejamento, e de execução do mesmo, pois as mudanças afetarão indubitavelmente todas as premissas levantadas anteriormente com relação aos custos e aos resultados de suas iniciativas. Da mesma forma o governo em seus três níveis: federal, estadual e municipal. A partir dos primeiros estudos de análises das alterações ocorridas e da operacionalidade das mesmas. Então, poderão,com base nas análises efetuadas dos resultados planejados em funçao do planejado,  e os resultados reais obtidos, refazerem suas projeções e reformular as estratégias naquilo que efetivamente o resultado conseguido ficou com desvio do determinado no planejado. O governo federal fará os ajustes dele para manter o planejado da arrecadação, da mesma forma o estado e o  municipio e, logicamente, as empresas através de seus gestores, atentos as variações aocorridas, em virtude destas mudanças.Portanto, todos devem estar ligados e atentos a todas as novidades, as quais serão apresentadas conforme o andar dos processos e procediemntos  operacionais.

As recomendaçoes, abrangem vários aspectos, com os quais se devem redobrar os cuidados, principalmente com a composiço dos custos das empresas, não só os custos diretos, mas com os indiretos também, pois, como mexeram em varios aspectos tributarios, na tributaçao federal, estadual e na municipal, e nas regras em geral, é preciso estar atento, na composição dos custos indiretos, que sofrerão, também, acréscimos, derivados da reforma. Determinados tributos terao regulamentaçao dos municipios, e os prefeitos autonomia em determinar valores, por exemplo, o IPTU, dependendo do municipio e da atividade da empresa em seu território.Enfim, a recomendação é ter uma assessoria com suporte suficiente para cobrir toda a malha tributária que será apresentada, bem como a complexidade da mesma.  A fase de transição e implantação, bem como as alterações de ajustes que serão feitas certamente, para se atingir as metas traçadas pelas autoridades do poder público.

Uma das principais queixas dos empreendedores, tanto os nacionais como os estrangeiros, de uma forma geral, é a complexidade do sistema tributário brasileiro. É complexo e caro de se administrar, tanto para o governo, como para os contribuintes, de um modo geral. Dai a dificuldade de se criar novos negócios, pois esse aspecto e avaliado pelas grandes empresas estrangeiras, bem como as nacionais tambem, que, por vezes em função dessa carga tributária, preferem buscar novos mercados e paizes com menor complexidade e custos.Isso tudo porque a composiçao de seus custos , tem que levar em conta tais custosnão só dos tributos em si mesmo, mas na alta complexidae que exige profissionais habilitados e muitas horas de trabalho em muitos casos desnecessárias, devido a repetição de informações e dados, tamanho o número de documentos e normas de interpretação a serem obedecidas pelos contribuinte. A parte burrocratica consome muitas horas, seja para se atender aos inúmeros procedimentos, seja para atender as mais variadas exigencias, em sua grande maioria repetitivas.

Tenho firme convicçao que essa reforma, quando concluida plenamente, tornará o nosso pais em pé de igualdade de competitividade com os demais, que apresentam um sistema evoluído, e que trará muitos beneficios para todos nós brasileiros que sonhamos com um país forte economicamente e socialmente, com prosperidade para todos que trabalham com o objetivo de prosperidade, para todos da naçao.

Abraço forte a todos , e boa leitura, e otimas reflexões sobre o conteúdo do presente artigo.

Leia mais sobre

O artigo enviado pelo autor, devidamente assinado, não reflete, necessariamente, a opinião institucional do Portal Contábeis.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.