x

MONITORAMENTO

Mais da metade dos funcionários entrevistados afirmam ser monitorados no trabalho

Em nova pesquisa global do Capterra, porcentagem brasileira se mostrou mais alta do que em países como Alemanha e Canadá.

31/05/2022 18:00:01

1,4 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

Mais da metade dos funcionários entrevistados afirmam ser monitorados no trabalho Pexels

Alguns trabalhadores brasileiros indicam ter suas atividades laborais sob vigilância de suas empresas. Pelo menos é o que mostra nova pesquisa do Capterra, plataforma de comparação de softwares, que entrevistou 706 funcionários e, a partir de suas respostas, descobriu que 55% são monitorados pelos seus empregadores. Na Alemanha esse percentual chega a 22% e no Canadá, 35%. 

E isso nem parece ser novidade: 40% dos entrevistados brasileiros disseram que sua empresa já utilizava programas de monitoramento de funcionários antes das restrições decorrentes da pandemia de COVID-19 serem instauradas.

Apenas 15% disseram que a empresa implementou depois do endurecimento das restrições por conta da crise sanitária, quando muitas pessoas migraram para o regime de home office.

O levantamento foi realizado entre os dias 11 e 16 de fevereiro, contando com a participação de profissionais de empresas de todo o país. 

As três principais atividades monitoradas pelas empresas brasileiras, de acordo com os trabalhadores, são:

  1. Controle de presença (73%)
  2. Gerenciamento da carga de trabalho (51%) 
  3. Gestão de tempo (47%)

"Uma vez que a legislação determina às empresas o controle da jornada de trabalho, parece não surpreender que a principal ferramenta de monitoramento de funcionários esteja relacionada ao controle de presença", explica a analista responsável pelo estudo Marcela Gava. 

A maioria dos funcionários que são monitorados acreditam que suas empresas implementaram esse tipo de ferramenta para melhorar a produtividade (56%), o que pode estar conectado à disseminação do uso de softwares de produtividade, que aparecem em segundo e terceiro lugar entre as atividades mais rastreadas.

E, com essa nova maneira de trabalhar, os funcionários se sentiram acuados pela empresa para aceitar o monitoramento? 

Ao que os dados mostram, a maioria (63%) não sentiu nenhum tipo de pressão para aceitá-lo.

Empresas brasileiras optam pela transparência ao comunicar funcionários sobre o monitoramento

Informar os empregados da situação é uma etapa importante da implementação do sistema de monitoramento de funcionários, e as empresas têm se mostrado cientes da questão. Isso porque 91% das pessoas ouvidas disseram que foram avisadas da vigilância, de alguma maneira, por seus empregadores.  

Apenas 8% dos entrevistados não receberam nenhum tipo de informação sobre o monitoramento. Ainda assim, esse número está abaixo do percentual de países como a França, em que 17% dos funcionários relataram não terem sido avisados do sistema de vigilância.

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.