x

Psicologia Contábil

Com as constantes mudanças ocorridas com o passar dos anos no mundo dos "business", destacamos como uma das maiores, ou seja, aquela que mudou

26/01/2004 00:00:00

37.847 acessos

Com as constantes mudanças ocorridas com o passar dos anos no mundo dos "business", destacamos como uma das maiores, ou seja, aquela que mudou definitivamente a vida do Indivíduo Empresário e Gestor; a alta tecnologia aplicada à informação.
Logicamente podemos apontar inúmeros pontos positivos e altamente de sucesso, assim como ocorrências tais quais, não foram tão significativas na vida do ser executor da mão-de-obra bruta.
Quem não lembra do método "arcaico contábil", denominado "slipagem". Muitas empresas utilizavam este método, algumas ainda o utilizam hoje mesmo que ultrapassado no mercado atual. A tecnologia chegou para desbancar canetas, papel, aglomerados de formulários e também antigos guarda-livros. Profissionais que passavam durante período integral de serviço transcrevendo valores para papéis, perderam posto no mercado. A evolução fez com que facilidades fossem lançadas e empregos, por falta de preparo, perdidos. O avanço tecnológico trouxe maior escassez de oportunidades, ou seja, trazendo-nos uma maior exigibilidade da qualificação na mão-de-obra.
Surgiram novos postos no mercado, imprescindívelmente com uma alta exigibilidade intelectual e dentro destes novos postos o contador ganhou espaço muito importante no ciclo empresarial. Apesar disso ainda vê-se muito a existência de profissionais na área retraídos, que acham que sua convivência é possível somente com máquinas, com papéis; são indivíduos que possuem comportamentos de forte resistência a mudanças e inovações.
É necessário que haja uma maior empregabilidade da Psicologia nos cursos de Ciências Contábeis. Números não são tudo e sim a compreensão e interpretação na Ciência Contábil por aqueles que a executam.
A Contabilidade de hoje desenvolve atividades sempre visando o maior conforto e saúde para a vida empresarial, assim como: analisar a área de custo, a área gerencial, ou seja, sempre mantendo o enfoque em lucratividade e controle para a empresa.
Baseado nesta realidade, chegamos a crer que a contabilidade é somente a expressão de números e de cifrões, quando na verdade para chegarmos a qualquer tipo de resultado, deveremos primeiro manter um contato direto com o ser humano, com o cliente principalmente, ou seja, como exigir um extrato bancário por exemplo, ou discutir sobre o resultado final de um demonstrativo, tudo envolverá comunicação, entendimento.
O contador do novo milênio tem que estar preparado para este tipo de comunicação mercantil, preparar-se psicologicamente para enfrentá-lo sem medo.
Não fala-se muito do Contador na área de Recursos Humanos, e sim, mais na área Fiscal, Contábil e tecnicamente no Departamento Pessoal, talvez pela falta de uma psicologia aplicada com maior rigor em sua fase de preparação.
O principal enfoque deste trabalho será demonstrar que o Contador do novo milênio deverá estar preparado para enfrentar um setor de Departamento Pessoal assim como o de Recursos Humanos de uma empresa, para administrar o fator psicológico de seus colaboradores e não deixando somente a cargo de "administradores" o desenvolver deste segmento, demonstrar que a profissão vai além daquilo que já existe, desenvolver e demonstrar que tem a capacidade de criar mais oportunidades no mercado globalizado.

Uma nova visão - Ao chegar na empresa em seu primeiro dia como novo Contador, o sujeito se depara com inúmeras pessoas, pelas quais, jamais havia visto na sua vida. Sua primeira atitude é a de procurar seu novo ambiente para alocar-se e começar então o trabalho, mas não, pois as apresentações, conhecimento do local, conversas com a diretoria estão por vir, tudo isso é uma tortura, notada na respiração e olhar aterrorizado de um novato em seu primeiro dia.
Se você identificou-se com este tipo de comportamento, cuidado, sua carreira está prestes a chegar ao fim. A timidez e a retração expressada através de um olhar, ou até mesmo de um simples caminhar, demonstram medo e desmotivação. Com isto seu primeiro dia pode ser o começo do último dentro de uma organização.
A comunicação é de extrema importância nessas horas, comportamento sereno, demonstrar tranqüilidade sendo sempre muito objetivo nos pontos de vista. As inovações estão chegando dia após dia, então, não seja mais um ser incomunicável e de aparência frágil demais. O novo contador é um pouco de administrador para tratar com seus clientes, é um pouco de advogado na frente de um Fiscal da Receita Federal, também um psicólogo no Departamento Pessoal e Recursos Humanos dentro da empresa. Aquele que não estiver enquadrado dentro destes novos padrões atuais, está perdido literalmente.
O desenvolvimento dentro dos Recursos Humanos em uma empresa é muito importante, pois nele, o Contador acostumado somente com números, lidará com sentimentos, com seres humanos diretamente, tanto com aqueles que ingressam na empresa, como também, aqueles que dela partem.
A psicologia organizacional tem sido pouco focalizada pelo meio contábil, e sim, mais divulgada e estudada na área de Administração em RH, mas sabemos que, o profissional que desenvolve atividades dentro de uma só empresa, precisa estar preparado não só de técnicas de desenvolvimento no setor Fiscal, Contábil e Departamento Pessoal, mas também preparado para desenvolver atividades relacionadas ao comportamento do ser humano. A partir do momento que este profissional conseguir distinguir a diferença total entre o comportamento humano e o das máquinas, tudo ficará mais fácil. Esta compreensão não é assimilada da noite para o dia, pois, aqueles que no mercado já estão, baseados em um método antigo, sofrerão perante a mudança, até com um certo teor de resistência no começo, após esta fase perceberão o quanto estavam atrasados...
A adaptação a nova forma de visão é necessária, e o profissional deverá estar preparado para isto, procurar inteirar-se sobre os diversos assuntos da atualidade, palestras nas áreas de RH, estudar a psicologia no contexto empresarial de forma gostosa e tranqüila, para melhor compreende-la para então aplica-la.
O contador deve encarar com um maior ímpeto e técnica o estudo de uma Psicologia Organizacional, para fins de compreensão do comportamento humano dentro de uma entidade.

A Psicologia Organizacional - A Psicologia Organizacional é vista no meio empresarial como a área que trata das prevenções, desenvolvimento e saúde mental do colaborador em seu local de trabalho. Tem como função facilitar e conscientizar o papel dos vários grupos que compõem uma entidade, considerando a subjetividade dos indivíduos, sem perder de vista sua inserção no contexto mais amplo da organização, desobstruindo também os canais de comunicação, promovendo um maior envolvimento de todos.

O Contador e a Psicologia Organizacional - Devido a acessibilidade mais direta com a Gestão e conhecimento em real time da saúde financeira da empresa, o Contador será o " meio de campo " na integração entre Gestores e Colaboradores, facilitando o canal de comunicação dos grupos e hierarquias da entidade.

Objetivos de uma Psicologia (Contábil) Organizacional - A aplicação desta psicologia através de um profissional da área contábil, viabiliza com maior êxito as mudanças dentro de uma organização, devido ao fato do profissional saber a real situação da empresa em todos os aspectos. Um profissional direcionado apenas ao enfoque da Psicologia, estaria desprovido da situação global da entidade.
Os principais objetivos desta Psicologia estão baseados em Planejamento e Estratégia para detectar a disfunção comportamental empresarial e suas insatisfações.

Contador ou Psicólogo?

Com certeza você deve estar se perguntando? Não seria melhor então contratar os serviços de um psicólogo? Ou, será que o contador irá dar conta de todo os tópicos salientados anteriormente e mais suas obrigações rotineiras de praxe?
A ênfase principal deste trabalho é fazer com que todos que o apreciem, principalmente contadores, cheguem a conclusão de que realizar todas as tarefas abordadas é possível. Logicamente que é necessário para que isto aconteça existir uma formação sólida e uma vontade imensa de querer entender o comportamento humano. Como já frisei, o contador será a pessoa mais certa porque conhece por inteiro a vida da organização, já o psicólogo, se contratado, nem tanto, ou melhor, quase nada!
Com a presença e convivência do indivíduo Contador dentro da entidade, facilita principalmente a comunicação entre colaboradores, chefias e suas insatisfações.
Um exemplo básico de insatisfação e de resolução rápida diante de uma questão "Psicológica Contábil" é o da remuneração exigida pelo colaborador x empresa. Se esta reclamação for dirigida a um psicólogo, certamente ele não conhecendo globalmente a saúde financeira da empresa, procurará a "tapar o sol com a peneira" diante do colaborador, dizendo, que a empresa está passando por um momento difícil, somente isso...como já ouvimos... Quero deixar claro que não estou desmerecendo o trabalho desenvolvido por um profissional da psicologia, muito pelo contrário, são excelentes profissionais que dedicam suas vidas a ajudar outros seres, mas não tendo informações suficientemente persuasivas para a resposta e exigência do colaborador, farão com que falte a convicção do porquê da baixa remuneração paga, gerando até mesmo dúvidas na cabeça daqueles que não estão preparados para assimilar a situação atual da entidade, chegando até mesmo em pensar que o baixo salário é devido a motivos pessoais da gestão para com eles. Isto fará com que os mesmos trabalhem desmotivados, pois não sabem o porque de sua baixa remuneração, apenas sabem que a empresa esta mal! Porquê ?! Será que realmente está mal?
Se a ocasião fosse esclarecida por um profissional com fácil acesso a Gestão e vida da empresa, tudo se tornaria mais fácil, pois o contador iria detalhar os motivos pelos quais o salário do colaborador estaria baixo, iria salientar ao trabalhador tópico a tópico o porque da situação e isso iria fazer com que visse que não seria uma má vontade da empresa, e sim, uma fase em que a entidade precisa de ajuda, onde ele mesmo, o colaborador, poderia ajudar a solucionar.
Esse exemplo é um dos mais clássicos do quanto seria importante o trabalho de um contador na área que desenvolva a psicologia dentro de uma organização, o Recursos Humanos.

Vamos esquecer um pouco os cifrões e pensar um pouco mais nos valores que cada um que os possuem tem!!!!

Rodrigo Freitas (Técnico Contábil, CRC/RS 70.097 - Graduando em Ciências Contábeis/ UNISINOS).

MATÉRIAS RELACIONADAS
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.