x

A utilidade dos relatórios contábeis como meio de informação no processo de tomada de decisão

RESUMO Este artigo apresenta a importância dos relatórios contábeis como um meio de informação, bem como a sua importância no processo de tomada de decisão,

03/04/2006 00:00:00

105,7 mil acessos

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp

RESUMO

Este artigo apresenta a importância dos relatórios contábeis como um meio de informação, bem como a sua importância no processo de tomada de decisão, demonstrando o futuro da contabilidade na empresa. Entretanto, irá evidenciar a importância da informação e do conhecimento do profissional para a tomada de decisão através dos relatórios e dos serviços contábeis, para o sucesso das empresas, pois, é fundamental que o profissional dos serviços contábeis e os proprietários das empresas passem a utilizar a informação contábil nas decisões do dia a dia dos negócios, sendo que, para isso, os usuários devem estar cada vez mais capacitados para dar respostas aos questionamentos feitos pelos empresários.

Palavras-chave: Relatórios Contábeis. Informação. Tomada de Decisão.

1. INTRODUÇÃO
A Contabilidade, através de seus relatórios, permite ao usuário identificar a estrutura patrimonial de qualquer empresa, por obter inúmeras informações importantes e necessárias. Neste sucinto trabalho que tem como objetivo principal, a preocupação do conhecimento da contabilidade como um sistema de informação formal e estruturado, tendo como um dos objetivos principais o fornecimento de informações para o controle do patrimônio, avaliação de desempenho e a tomada de decisão. Os relatórios, emitido pela empresa, permitem ao publico avaliar a situação em que ela se encontra, verificando a qualidade da gestão que os usuários utilizam na mesma.
Evolutivamente deixou-se de praticar a contabilidade formada pelo conjunto de informações que se tinha na época e pela intuição do empresário, que era o executor de todas as ações do negócio, para se conviver com a dinâmica das informações verificadas nos relacionamentos comerciais. "A contabilidade originou-se da necessidade de se controlar o patrimônio dos empreendimentos econômicos e mensurar os resultados obtidos a partir do gerenciamento". (FIGUEREDO, 1997, p. 59) Historicamente, o desenvolvimento contábil veio para responder às necessidades empresariais. Cabe ressaltar que a contabilidade originou-se como um sistema de informação que tinha o proprietário do patrimônio como seu único usuário.
Segundo Iudícibus (1995, p. 20) "O objetivo da Contabilidade praticamente permaneceu inalterado ao longo dos anos; as mudanças substanciais verificaram-se nos tipos de usuário e nas formas de informação que têm sido demandadas". A contabilidade faz parte do cotidiano operacional das empresas. Devido às mudanças no mundo empresarial, torna-se cada vez mais essencial no desenvolvimento desta, como ferramenta auxiliar no gerenciamento das decisões. Portanto, a contabilidade exerce papel fundamental no processo decisório.

2. CONTABILIDADE
A contabilidade, através de seus relatórios, evidencia a importância da informação e do conhecimento de usuários das empresas de serviços contábeis, para buscar o sucesso. Sendo de fundamental importância que o usuário dos serviços contábeis e os proprietários de empresas passem a utilizar a informação contábil nas decisões do dia a dia dos negócios, sendo que, para isso, devem estar cada vez mais capacitados para dar respostas aos questionamentos e estes devem confiar mais nas informações geradas sobre o seu negócio nos contextos internos e externos.
Tendo como base esse tema, salientamos a importância da contabilidade como um meio de informação neste contexto bem como a sua importância para o desenvolvimento das empresas no processo decisório.

A contabilidade está vinculada às mudanças sociais que ocorrem ao longo dos anos e que a cada nova mudança exige-se da contabilidade nova postura na divulgação das informações geradas, visando suprir os anseios de informações requeridas pelos seus usuários. Não resta dúvida que o cumprimento da missão da Contabilidade tornou-se mais difícil de ser alcançado, já que cada usuário deseja um conjunto específico de informações que possam suprir seu modelo decisório. (IUDÍCIBUS, 1995, p. 21)

Objetivamos ainda, demonstrar os horizontes da contabilidade e como seus dados auxiliam a administração de recursos econômicos e financeiros na tomada de decisão. Visa demonstrar como a contabilidade consiste em um completo sistema de geração de informações; pois além de abranger o gerenciamento financeiro, gerenciamento de resultados, também possibilita aos seus usuários obter a evolução patrimonial da empresa.
O usuário de contabilidade está apto para atuar na área econômica e financeira, através do desenvolvimento de um sistema de informações que proporcione uma visão ampla, com base nos dados da contabilidade, que facilite o posicionamento dos empresários numa empresa, desde o aspecto operacional até o estratégico.
Os relatórios associado ao aconselhamento do negócio pelo usuário é uma necessidade básica de qualquer empresa, tal como as grandes organizações, que permitem ao gestor tomar decisões, acompanhar a rentabilidade, comparar com o seu setor de atividade e controlar os seus objetivos. Assim, têm-se a informação necessária para crescerem e serem rentáveis.

2.1 Relatórios Contábeis
No atual cenário, deve-se estabelecer um modo de gerar informações que satisfaça as necessidades dos diversos usuários, conscientes de que estes necessitam de segurança e confiabilidade nas informações contábeis. A mais resumida e organizada demonstração de dados apurados pela Contabilidade é o Relatório Contábil, que expõe aos usuários da contabilidade os principais fatos registrados por aquele setor em determinado período. São distintos em obrigatórios e não obrigatórios os relatórios são conhecidos também como informes contábeis. (MARION, 2003, p. 39)
Os relatórios contábeis obrigatórios são: Balanço patrimonial, Demonstração do resultado do exercício, Demonstração de lucros ou prejuízos acumulados e Demonstração das origens e aplicações de recursos. A estrutura das demonstrações contábeis deve contemplar a maior quantidade de informações, evidenciando o que for considerado importante para a tomada de decisões e a prestação de contas não sendo interessante divulgarem-se informações de pouca utilidade ou alguns relatórios que possam vir a confundir os usuários externos (bancos, governo, acionista minoritário, etc.).
Os relatórios contábeis não obrigatórios, evidentemente, são aqueles não exigidos por lei, o que não significa que sejam menos importantes. Há relatórios não obrigatórios imprescindíveis para administração e para tomada de uma determinada decisão.
Sendo assim, a função básica do contador é produzir informações úteis aos gestores, administradores, executivos, organizações, pessoas físicas, entidades sem fins lucrativos e etc, que, por sua vez, se apóiam no sistema de informação para fornecer componentes, e para que se possa gerir bem o negócio. Utilizam-se dessa ferramenta para servir como apoio na tomada de decisão e, com isso, alcançar os objetivos planejados, pois o que se constata na maioria das falências de empresa é a má gerência nas decisões tomadas sem dados confiáveis.

A contabilidade é o grande instrumento que auxilia a administração a tomar decisões. Na verdade, ela coleta dados econômicos, mensurando-os monetariamente, registrando-os e sumarizando-os em forma de relatórios ou de comunicados, que contribui sobremaneira para a tomada de decisões. (MARION, 2003, p. 23).

Não devemos esquecer que o sistema contábil é composto por pessoas, tecnologias e procedimentos denominados de sistemas, além de dados, informações e conhecimentos. Este é o fator que coleta e transforma dados em informação. O principal recurso de um sistema de informação contábil é o ser humano, pois possibilita que outras pessoas utilizem o sistema para planejar, pesquisar e compartilhar conhecimentos.

3. Tomada de decisão
Evidentemente, o processo decisório decorrente das informações apuradas pela Contabilidade não se restringe apenas aos limites da empresa, aos administradores e gerentes, mas também a outros segmentos: Investidores, Fornecedores de bens e serviços de crédito, Bancos, Governo, Sindicatos, outros interessados.
Vivemos um momento em que "aplicar os recursos escassos disponíveis com a máxima eficiência!" tornou-se, dadas às dificuldades econômicas, uma tarefa nada fácil. A experiência e o feeling do gestor não são mais fatores decisivos no quadro atual; exigi-se um elenco de informações reais, que norteiam tais decisões. E essas informações estão contidas nos relatórios elaborados pela Contabilidade.
Para tomar a decisão correta é preciso estimular as idéias e atitudes que visem à otimização do processo, seja ele operacional ou administrativo. Com tal eficiência e eficácia, cada departamento saberá o que está acontecendo e, por conseqüência, irá se preparar para uma resposta à altura, para a tomada de decisão central, assim como a empresa em um todo. A crítica construtiva pode alcançar objetivos quase inatingíveis para a gerência autônoma maximizando toda a comunicação e incentivando a participação de todos. È lógico pensar que qualquer decisão é dada pelo conhecimento do que se precisa decidir e o porquê, mas é preciso salientar que as informações, além de justificar a tomada de decisão, habilitam a empresa a fazer o que é certo, pois sintetizam a sua real situação. "As políticas são iguais de raciocínio que dão a direção e o sentido necessários para o processo de tomada de decisões repetitivas e são planejadas para assegurar a congruência de objetivos" (NAKAGAWA, 1993, p. 52).
Só se pode exigir de quem tem condições de oferecer o máximo possível. Isto explica o porquê de se esperar tanto da Contabilidade, pois é dela que virão informações que gerarão enorme influência na tomada de decisões de uma organização.

Freqüentemente estamos tomando decisões: a que hora iremos levantar, que roupa iremos vestir, qual o tipo de comida iremos comer, a que programa iremos assistir, qual trabalho iremos desenvolver durante o dia etc. Algumas vezes, são decisões importantíssimas: o casamento, a carreira, a aquisição de casa própria, para exemplificar.
Evidentemente, essas decisões mais importantes requerem cuidado maior, analise mais profunda sobre os elementos (dados) disponíveis, sobre os critérios racionais, pois uma decisão importante mal tomada pode prejudicar toda uma vida. (MARION, 2003, p. 23)


A utilização das informações fornecidas pela Contabilidade faz as decisões gerenciais serem de extrema importância para a sobrevivência da própria empresa e que irão auxiliar a tão esperada tomada de decisões. Deve-se procurar, então, o foco, o que é importante para a tomada de decisão.
Quase sempre, a tomada de decisão pelos gestores se baseia num sistema de informação que é onde são processados os dados e transformados em informações contábeis de modo a deixá-los sob a forma de demonstrações financeiras e relatórios gerencias para serem utilizados por todos os usuários de contabilidade.

4. CONCLUSÃO
Observando o contexto do artigo conclui-se que a contabilidade é importante para que os gestores sejam auxiliados na tomada de decisão. Assim, a contabilidade tem muito que colaborar, no intuito de continuar se aperfeiçoando para prestar cada vez mais informações úteis a respeito de toda a vida da empresa através dos relatórios contábeis.
A contabilidade é um dos mais importantes aliados para os gestores, tornando-se fundamental àqueles que tratam de questões financeiras ou estratégicas. É, portanto, não apenas o início da administração, mas uma parte fundamental, fonte importantíssima de informações, tão necessárias à tomada de decisão. Como administrar não é algo fácil, é preciso de auxílio para a correta tomada de decisão, e é onde entra o apoio da contabilidade com os relatórios. Estes relatórios contábeis auxiliam nas decisões não rotineiras, ou decisões difíceis de serem tomadas, a fim de conseguir alto rendimento em questões como avaliações e julgamentos dos próprios gestores para, então, alcançar as metas planejadas.
Cabe ressaltar alguns aspectos para posteriores aprofundamentos, tais como: utilização de sistemas de informação para viabilizar e auxiliar no processo decisório e adequação dos usuários de contabilidade para com as necessidades e produção das empresas.


THE UTILITY OF THE COUNTABLE REPORTS AS HALF OF INFORMATION IN THE PROCESS OF DECISION TAKING

Summary
This article presents the importance of the countable reports as a way of information, as well as its importance in the process of decision taking, demonstrating the future of the accounting in the company. However, it will go to evidence the importance of the information and the knowledge of the professional for the taking of decision through the reports and of the countable services, for the success of the companies, therefore, is basic that the professional of the countable services and the proprietors of the companies start to use the countable information in the decisions day to day of the businesses, being that, for this, the more able users must be each time for giving to answers the questionings made for the entrepreneurs.

Word-key: Countable reports. Information. Taking of Decision.


REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
FIGUEIREDO, S. Teoria e Prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1997.
IUDÍCIBUS, S. Manual de contabilidade. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1995.
MARION, J. C. Contabilidade Empresarial. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2003.
NAKAGAWA, M. Introdução à controladoria: conceitos, sistemas, implementação. São Paulo: Atlas, 1993.
SÁ, A. L. Teoria da contabilidade. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

Carlos Roberto Gonçalves Selva
Graduando em Gestão em Sistemas de Informação
Faculdade de Tecnologia de Roraima
E-mail: carlos.selva@gmail.com

VER COMENTÁRIOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.