x

ARTIGO TRABALHISTA

Consultoria tributária: como agregar valor para as empresas?

Neste artigo, o especialista explica a importância da consultoria tributária para aumentar a lucratividade e a legitimidade das empresas.

08/06/2023 13:30:04

  • compartilhe no facebook
  • compartilhe no twitter
  • compartilhe no linkedin
  • compartilhe no whatsapp
Consultoria tributária pode agregar valor à empresas

Consultoria tributária: como agregar valor para as empresas?

Sem dúvida, a própria complexidade do sistema fiscal brasileiro torna a consultoria tributária um diferencial para qualquer empresa. Afinal, diferente do que alguns pensam, é impossível fugir dos impostos, mas otimizá-los é sempre uma possibilidade. 

Para isso, no entanto, é preciso acompanhar constantemente as mudanças na legislação tributária, identificar incentivos fiscais e adequar o planejamento estratégico às necessidades e particularidades de cada companhia.

Na prática, essas são as principais atribuições de um consultor tributário, mas o serviço não para por aí. Principalmente considerando a alta competitividade no mercado de consultoria, que leva as empresas a buscarem por serviços cada vez mais integrados. 

“Como assim, Anderson?”, você pode estar se perguntando. E eu te respondo: leia este artigo até o final e descubra como uma consultoria tributária pode se tornar ainda mais relevante ao aumentar o escopo de serviços que agregam valor para os negócios.

Complexidade tributária: um panorama sobre o Brasil

Desde que a Constituição Federal foi promulgada, em 1988, o sistema tributário brasileiro determinou leis, decretos e instruções normativas para distribuir competências fiscais a nível federal, estadual e municipal.

Nesse meio tempo, essa legislação tem passado por uma revisão contínua, não apenas para atender às demandas sociais, mas também para aumentar a competitividade das empresas que compõem a nossa economia, o poder de consumo da população e os investimentos externos no país. 

Atualmente, a abrangência e complexidade tributária do sistema brasileiro impacta em todos esses fatores. 

De acordo com o estudo Doing Business, do Banco Central, as empresas brasileiras gastam um total de 1.501 horas por ano para declarar impostos. Enquanto a média da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE),  fica em torno de 159 horas anuais.

Não à toa, a carga tributária brasileira corresponde a, aproximadamente, 33% do Produto Interno Bruto (PIB). Os dados levantados pelo Instituto de Pesquisa de Economia Aplicada (IPEA), mostram que para o setor industrial esta carga é ainda maior, chegando a 46,2%. 

Como a consultoria tributária pode ajudar?

Diante desse cenário, a consultoria tributária pode ajudar a otimizar o tempo gasto pelas empresas com as obrigações tributárias. Além disso, pode garantir maior sustentabilidade financeira ao antecipar possíveis riscos e estruturar um planejamento estratégico a longo prazo. 

Nesse sentido, existem dois tipos mais comuns de consultoria tributária:

  • Consultoria Tributária Preventiva 

A ideia deste tipo de consultoria  é elaborar um planejamento tributário para prever possíveis riscos e identificar oportunidades de recuperação de crédito e incentivos fiscais. Para isso, os especialistas fazem uma auditoria interna, analisam a documentação contábil e organizam os processos futuros de declaração. 

  • Consultoria Tributária Corretiva

Nesse caso a complexidade é maior, visto que a consultoria tributária é acionada após a identificação de uma irregularidade fiscal. Sendo assim, os especialistas precisam agir rapidamente para solucionar o problema, retificando e ajustando os cálculos entregues ao fisco. 

Recuperação de crédito

Quais outros serviços agregam valor à consultoria tributária?

Assim como um drone, os consultores tributários têm de mapear a área estudada sob uma perspectiva 360º. Em outras palavras, identificar serviços sem os quais a área tributária não avança dentro de uma empresa. 

Isso não significa que você precisa ser especialista em tudo, mas é possível abranger áreas correlatas e que também poderiam se beneficiar da especialidade de um consultor tributário. Por exemplo:

  • Planejamento estratégico e financeiro

Ao estudar a contabilidade de uma empresa, também é possível diagnosticar falhas na estratégia utilizada para equilibrar os balanços orçamentários . Por isso, a partir de uma análise cuidadosa de viabilidade, o consultor também pode recomendar processos que ajudem a aprimorar a gestão financeira da companhia.

  • Reestruturação empresarial

Eventualmente, empresas passam por processos de reestruturação empresarial, como fusões, aquisições e cisões. Nesse contexto, ter um consultor tributário avaliando as estruturas societárias, analisando os riscos e benefícios fiscais e elaborando planos de integração, separação e suporte pode ser uma grande vantagem.

  • Consultoria Regulatória

O mesmo vale para todas as regulamentações governamentais - mesmo aquelas que não envolvem a área tributária. O consultor tributário pode traçar planos para ajudar as empresas a cumprirem leis trabalhistas, ambientais e contábeis, por exemplo.

  • Treinamento e capacitação

Outro grande diferencial, que agrega muito para a sustentabilidade da empresa a longo prazo, é o serviço de capacitação. Os consultores tributários podem oferecer treinamentos para os colaboradores, a fim de que eles estejam aptos a acompanhar os processos contábeis e regulatórios no dia a dia. 

Em outras palavras, encontre a área com a qual você mais se identifica e diversifique os serviços que sua consultoria oferece. Além de se destacar em relação a outros profissionais do mercado, você vai reforçar a legitimidade do seu trabalho, agregando mais valor aos seus clientes.

Leia mais sobre

O artigo enviado pelo autor, devidamente assinado, não reflete, necessariamente, a opinião institucional do Portal Contábeis.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ARTICULISTAS CONTÁBEIS

VER TODOS

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.