x

FÓRUM CONTÁBEIS

CONTABILIDADE

respostas 16

acessos 204.300

Contabilização - Importacao mercadorias

Erika

Bronze DIVISÃO 2, Assistente Tributário
há 14 anos Quarta-Feira | 2 abril 2008 | 11:08

Olá, estou com dúvidas qto aos lançtos de importação de mercadorias para revenda de uma empresa lucro Real.
Os valores dos tributos que constam da DI são pagos pelo Banco (II,IPI, Pis e Cofins ). As despesas com despachante também, incluindo o ICMS. Porem na NF estão incluidos os impostos e o vr do frete e seguro que contam na DI. Como fazer esses lançtos ? Como fica a baixa dos fornecedores com esses valores inclusos ?
Obrigada

Josué Alves

Bronze DIVISÃO 4, Encarregado(a) Contabilidade
há 14 anos Segunda-Feira | 7 abril 2008 | 21:21

Olá Erica

Em primeiro lugar, o valor dispendido para desembaraço aduaneiro, seja os impostos ou a despesas aduareiras, são registradas da seguinte forma:

Pelo Desembaraço da Mercadoria

D: Adiantamento para Importação
C: Banco Conta Movimento

Quando emitidas as NFs

D: Estoque
D: Impostos a Recuperar
C: Importações em Andamento

Pelo Encerramento do processo

D: Importações em Andamento
C: Adiantamento para Importação

Pelo Fechamento do Cambio

D: Importação em Andamento
C: Banco Conta Movimento

Josué Alves
Portal Contabeis

Erika

Bronze DIVISÃO 2, Assistente Tributário
há 14 anos Terça-Feira | 8 abril 2008 | 23:03

Oi Josué, obrigada por seua resposta.
Mas no meu caso alguns valores já vem importados diretamente da escrita fiscal, Exemplo:

D- Mercadorias
C- Fornecedores

D- IPI a recuperar
C- Fornecedores

Estou lançando da seguinte maneira, que não sei se é a correta:

D- Importação em andamento ( valores da DI - IPI, Pis, Cofins, II e taxa Siscomex / ICms - guia)
C- Banco

D- Fornecedores
C- Importação em andamento - transferencia

D- Impostos a recuperar ( ICMS, PIs, Cofins )
C- Mercadorias _ ( Na apuração dos impostos )

Erika

Bronze DIVISÃO 2, Assistente Tributário
há 14 anos Terça-Feira | 8 abril 2008 | 23:20

Continuando...

No pagto do Contrato de Cambio, faço a conversaõ do dólar ref. ao vr da mercadoria sem o seguro e o frete e a variação cambial
D- Fornecedores
C- Banco
C - variação cambial

E ainda fica na conta FORNECEDORES, exatamente o valor do frete e seguro em dólar, convertido na data da DI, que
acredito, seja somente para cálculo do Imposto de Importação.

Se alguem tiver alguma solução, agradeço
_

Gabi

Bronze DIVISÃO 4, Contador(a)
há 12 anos Segunda-Feira | 26 outubro 2009 | 14:44

Olá, confira novamente seus lançamentos na conta de adiantamento, o frete e seguro em dólar, convertido na data da DI, está incluso nos pagmentos que a despachante fez, inclusive os comprovantes fazem parte do processo que lhe é entregue por ela. Se o fornecedor não está fechando tem lgm lançamento errado na conta do adantamento. D= fornecedor e C= adiantamento.

Mariana Fernandes da Silva

Bronze DIVISÃO 2, Contador(a)
há 11 anos Segunda-Feira | 29 novembro 2010 | 17:44

Quando der entrada na NF vou creditar a conta Importação em Andamento, que só será fechada quando eu receber a Fatura do Despachante Aduaneiro. A pergunta é, se a conta Importação em Andamento é do Ativo Circulante, ela poderá ficar com saldo negativo nessa situação?

Moderador

Claudio Rufino

Moderador , Contador(a)
há 11 anos Terça-Feira | 30 novembro 2010 | 08:23

Mariana Fernandes da Silva.

Quando der entrada na NF vou creditar a conta Importação em Andamento, que só será fechada quando eu receber a Fatura do Despachante Aduaneiro. A pergunta é, se a conta Importação em Andamento é do Ativo Circulante, ela poderá ficar com saldo negativo nessa situação?

A conta de "Importação em Andamento" é sem duvida alguma do ativo circulante e seu saldo não poderá ser credor.

Notar que após todo o processo de importação houver sido concluído você deverá debitar a conta correspondente a operação de importação (se mercadorias ou ativos) e creditar importação em andamento.

Ps...

Aproveite o ensejo e faça uma pesquisa no banco de dados do Fórum, já existe material em abundância que trata desse assunto.

Sds.

Empresário, seja prudente, contrate profissional habilitado
Professor de Contabilidade
http://www.fcscontabeis.com.br
http://www.facebook.com/fcscontabeis
http://professorclaudiorufino.blogspot.com/

Mariana Fernandes da Silva

Bronze DIVISÃO 2, Contador(a)
há 11 anos Terça-Feira | 30 novembro 2010 | 09:45

Claudio, ao final do processo essa conta será zerada, mas se o processo não terminar no mesmo mes, eu terei que fechar o mês com essa conta (IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO) com saldo credor, tudo bem isso na sua opinião?

Mariana Fernandes da Silva

Bronze DIVISÃO 2, Contador(a)
há 11 anos Terça-Feira | 30 novembro 2010 | 10:43

Claudio, a contabilização exposta na segunda postagem desse tópico é a seguinte:
Pelo Desembaraço da Mercadoria

D: Adiantamento para Importação
C: Banco Conta Movimento

Quando emitidas as NFsD: Estoque
D: Impostos a Recuperar
C: Importações em Andamento
Pelo Encerramento do processo

Quando do recebimento da Fatura do Despachante
D: Importações em Andamento
C: Adiantamento para Importação

Pelo Fechamento do Cambio

D: Importação em Andamento
C: Banco Conta Movimento

Esta contabilização sugere que na entrada da nota seja creditada essa conta, e somente quando eu recebo a fatura do despachante aduaneiro com o fechamento do processo, então irei debitar esta conta.

Moderador

Claudio Rufino

Moderador , Contador(a)
há 11 anos Terça-Feira | 30 novembro 2010 | 13:31

Mariana Fernandes da Silva, vamos lá entender um pouco sobre importação em andamento, alías comece pela teoria e depois aplique na prática, aproveite e faça uma cópia desse material e tenha em suas pastas de traballho.

O valor do custo de importação dos bens compreenderá o valor de aquisição acrescido das despesas com transporte e seguro até o estabelecimento da pessoa jurídica, os gastos com o desembaraço aduaneiro e os tributos devidos.

Todavia, não devem ser incluídos no custo, os impostos recuperáveis mediante crédito na escrita fiscal. Significa que na importação de matéria-prima para industrialização ou de mercadoria para revenda, salvo disposição em contrário, tanto o ICMS quanto o IPI não serão agregados ao custo, pois ambos serão recuperáveis.(RIR/99, art. 289)
Valores Integrantes do Custo.

O custo a ser atribuído aos insumos ou mercadorias para revenda adquiridos no mercado externo é composto por todos os gastos incorridos desde a data da assinatura do contrato de câmbio (tais como fretes, comissões, seguros, impostos não recuperáveis, tarifas aduaneiras, etc.), até o efetivo desembaraço aduaneiro dos bens. Todos os gastos efetuados e relativos à importação devem ser agregados a uma conta específica e transitória intitulada "Importação em Andamento". Quando os bens importados (mercadorias ou matérias-primas) forem desembaraçados, será efetuado o registro no almoxarifado do importador, mediante transferência do saldo final da conta transitória para a conta definitiva de "Estoques de Mercadorias ou Matérias-primas" no Ativo Circulante.

As mercadorias e matérias-primas importadas devem ser avaliadas mediante conversão da moeda estrangeira pela taxa de câmbio (valor de venda) vigente na data do desembaraço aduaneiro.

As variações cambiais passivas ocorridas até a data do desembaraço aduaneiro serão registradas como custo na conta de "Importação em Andamento". A partir da data do desembaraço aduaneiro devem ser registradas como despesa operacional, mediante obediência ao princípio contábil da competência.

Quanto ao IOF Incidente Nas Operações de Câmbio
Os impostos não recuperáveis pagos por ocasião da importação de insumos ou mercadorias para revenda, devem compor o custo de aquisição a ser atribuído aos mesmos.

Contudo, em relação ao IOF incidente sobre tais operações, a legislação do Imposto de Renda admite que, a critério da pessoa jurídica, esse imposto (IN SRF nº 131/80):

a) seja considerado como acrés cimo ao custo de aquisição do bem; ou

b) seja registrado como despesa tributária, computada na determinação do lucro real no período em que ocorrer o pagamento, ou seja na liquidação do contrato de câmbio.

Neste tópico observaremos um, passo a passo ou se preferir um SELF SERVICE, os registros contábeis correspondentes a uma operação de importação de mercadorias e matérias-primas.

CONTABILIZAÇÃO:

Pelo registro dos gastos com a obtenção da Guia de Importação e a contratação de seguro:

D - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)
C - CAIXA/BANCOS C/ MOVIMENTO (Ativo Circulante)

Pelo registro do preço de aquisição dos bens, constante da Fatura de Importação:

D - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)
C - FORNECEDORES ESTRANGEIROS (Passivo Circulante)

Pelo reconhecimento da variação cambial antes da chegada das mercadorias ou matérias-primas:

D - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)
C - FORNECEDORES ESTRANGEIROS (Passivo Circulante)

Pelo registro dos gastos com impostos não recuperáveis, taxas e serviços aduaneiros incidentes sobre a operação:

D - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)
C - CAIXA/BANCOS C/MOVIMENTO (Ativo Circulante)

V - Pelo registro dos valores relativos ao imostos recuperáveis conforme a legislação de regência:

D - IPI A RECUPERAR (Ativo Circulante)
D - ICMS A RECUPERAR (Ativo Circulante)
D - PIS A RECUPERAR(Ativo Circulante)
D - COFINS RECUPERAR(Ativo Circulante)
C - CAIXA/BANCO C/MOVIMENTO (Ativo Circulante)

Pela transferência do saldo da conta "Importação em Andamento" para a conta definitiva, em face da entrada das mercadorias/matérias-primas no estabelecimento:

D - ESTOQUE (Ativo Circulante)
C - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)

Pelo reconhecimento da variação cambial sobre a dívida após a chegada das mercadorias:

D - VARIAÇÃO MONETÁRIA PASSIVA (Conta de Resultado)
C - FORNECEDORES ESTRANGEIROS (Passivo Circulante)

Pela liquidação do contrato de câmbio:

D - FORNECEDORES ESTRANGEIROS (Passivo Circulante)
C - BANCOS C/MOVIMENTO (Ativo Circulante)

Pela apropriação do IOF incidente sobre a liquidação do contrato de câmbio admitindo-se que a empresa tenha optado pela apropriação como despesa tributária:

D - DESPESAS TRIBUTÁRIAS (Conta de Resultado)
C - CAIXA/BANCO C/MOVIMENTO (Ativo Circulante)

PS...

No banco de dados do Fórum temos material que retrata muito bem a forma contábil das importações em andamento.

Bons estudos.

Empresário, seja prudente, contrate profissional habilitado
Professor de Contabilidade
http://www.fcscontabeis.com.br
http://www.facebook.com/fcscontabeis
http://professorclaudiorufino.blogspot.com/

Igor Ramos Miguel

Iniciante DIVISÃO 3, Contador(a)
há 11 anos Quinta-Feira | 24 fevereiro 2011 | 01:20

Prezados,

Gostaria de estender um pouco mais o assunto com uma dúvida.

Quando fazemos o lancamento da variação cambial na condição,

"Pelo reconhecimento da variação cambial antes da chegada das mercadorias ou matérias-primas:

D - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)
C - FORNECEDORES ESTRANGEIROS (Passivo Circulante)" ,

dá-se a enteder que estamos tratando de uma variação cambial passiva, correto.?.

Mas caso a variação cambial seja ativa, como devo proceder?

É permitido realizar o lançamento dela em

D - FORNECEDORES ESTRANGEIROS (Passivo Circulante)
C - IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO (Ativo Circulante)

ou deve-se registrar a variação ativa como receita financeira e oferecê-la a tributação?

Pedindo desculpas por misturar um outro assunto, estaria variação ativa seria tributada também pelo Pis e Cofins?

Ariane Paula Devechio

Prata DIVISÃO 1, Analista Fiscal
há 9 anos Quinta-Feira | 2 agosto 2012 | 08:41

Pessoal Bom dia!

Trabalho em um escritório de contabilidade no qual tenho um cliente que faz importação e exportação.
Além dele fazer isso para a empresa dele, ele importa, ele revende (sei que os lançamentos a serem feitos são esses em cima, desse tópico)

A minha dúvida é na hora de contabilizar quando um cliente dele pede para ele fazer o processo de desembaraço e afins...
é feito todo o processo, só que ele não tem gastos, quem vai pagar tudo é o cliente dele.
Os lançamentos não podem ser os mesmo...

Alguém tem algo parecido?

Agradeço desde já.

Ariane Paula Devechio
Contabilista
ariane.devechio@hotmail.com


'Mergulha no que te dá vontade. Que a vida não espera por você.'

Renato Jr. Oliveira

Bronze DIVISÃO 2, Analista Contabilidade
há 9 anos Domingo | 17 fevereiro 2013 | 16:20

Srta. Daniela R. Machado, o professor Claudio Rufino foi bem claro dizendo que impostos recuperáveis não serão agregados ao processo de importação, por isso esse lançamento abaixo que você mencionou não existe.

D - Impostos a Recuperar
C - Importações em andamento

Daniel Victor de Melo

Bronze DIVISÃO 2, Assistente Contabilidade
há 8 anos Sexta-Feira | 11 outubro 2013 | 15:19

veja o seguinte que o antigo contador fez:

os valores de seguro,frete,armazenagem, impostos de importacao (II ,pis e cofins) o adiantamento ao despachante ele debitou tudo importacao em andamento.

quando o despachante prestou contas ele creditou o valor.

quando a nota chegou na empresa ele debitou estoque e creditou fornecedores a pagar

depois ele creditou o saldo que tinha em importação em andamento e debitou o fornecedores a pagar.

quando foi fechado o cambio de pagamento, ele debitou fornecedores e creditou banco a "diferença" ele lançou como variação cambial.

lembrando que a empresa não faz debito e credito no contábil de impostos, e sim depois que sai a apuracão que é lançado no contábil, por isso em nenhum momento falei sobre impostos a recuperar.

ele jura que esta correto, mas o valor de variação ficou enorme,
gostaria da opinião de vocês.

att

Obrigado desde já!

grato!
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.