x

FÓRUM CONTÁBEIS

CONTABILIDADE

respostas 8

acessos 179

Conta Caixa alta como faço para resolver?

Victor Santiago

Prata DIVISÃO 2, Assistente Contabilidade
há 1 semana Segunda-Feira | 7 outubro 2019 | 15:18

Boa tarde prezados amigos,


Existe a seguinte situação em algumas empresas aqui. Eu realizo o lançamento contábil do movimento de acordo com a documentação recebida dos clientes, logo em seguida importo o extrato bancário e faço a conciliação, porém ocorre o seguinte, existem transações de saídas no extrato bancário que não consigo identificar devido a não ter o documento que comprove as transações sendo que esses valores de saídas ficam assim registrados no Livro Razão:

D - Caixa
C - Bancos
Hist: Vlr. ref. a saque conf. extrato bancário

Devido a esses lançamentos a Conta Caixa fica altíssima, como faço para resolver essa situação uma vez que solicitamos as nossos clientes os documentos e os mesmos não tem nenhum documento que comprove a transação bancária ou existem pagamentos sem nenhum comprovante para que eu possa retirar esse valor da Conta Caixa?

Posso reclassificar esses valores em outras contas de Ativo, como por exemplo lançar em contas do Intangível, Adiantamento a Sócios, Provisões trabalhistas, enfim alguma outra conta que me faça reduzir esse valor da Conta Caixa?


Reclassificar o lançamento anterior registrado no Livro Razão citado acima deste modo:

D - Contas do Intangível (Marcas e Patentes)
C - Bancos
Hist: Vlr. ref. a Marca ABC

Ou,

D - Provisões de Contingências Trabalhistas
C - Bancos
Hist: Vlr. ref. outras provisões

Ou,

D - Adiantamento a Sócios
C - Bancos
Hist.: Vlr. ref. a adiantamento para João de Jesus



Posso reclassificar esses valores para Conta de Resultados?

D - Despesas Serviços Prestados por Terceiros
C - Bancos
Hist.: Vlr. ref. a pagamento de boletos conf. extrato bancário

Porque no extrato bancário muita das vezes tem um título descrito, desta forma coloco no histórico o que estiver escrito no extrato. Posso fazer essa reclassificação assim?

Na minha opinião não acho correto colocar em contas de Ativo em nenhuma que eu coloquei acima prefiro lançar no resultado, porém tivemos essa discussão aqui e gostaria da opinião de vocês.




Desde já agradeço a todos.

Rodrigo Melero

Ouro DIVISÃO 1, Contador(a)
há 1 semana Segunda-Feira | 7 outubro 2019 | 17:16

Prezados

Boa tarde

Em primeiro lugar, a contabilidade deve refletir as transações realizadas efetivamente pela empresa. Se uma transação está sendo contabilizada como saque sem a mínima evidência de que foi isso que aconteceu creio que esteja ocorrendo, no mínimo, uma falha de comunicação entre contador e cliente.

Minha sugestão é reunir estas transações em uma conta do ativo chamada "Valores a Identificar" (com esse nome mesmo, pra chamar a atenção e não deixar virar exercício com esse tipo de pendência) e ao final do processamento enviar o razão desta conta ao cliente para que ele possa informar o que houve e permitir assim a correta classificação na contabilidade.

Espero ter ajudado

Att.

Rodrigo Melero
Contador e consultor no centro de serviços RTD Accounting e articulista no blog +ContabilNet
E-mail: forumcontabeis@rtdaccounting.com.br
Visite: http://maiscontabilnet.blogspot.com.br

"As pessoas boas devem amar seus inimigos." (Don Ramón - Seu Madruga)

Victor Santiago

Prata DIVISÃO 2, Assistente Contabilidade
há 1 semana Segunda-Feira | 7 outubro 2019 | 18:00

Rodrigo Melero boa tarde,

Entendo também que deve fazer esse levantamento para passar para o cliente em seguida, porém foi condenado aqui essa Conta "Valores a Identificar" e daí surgiram as ideias para mover esses lançamentos para outras contas de ativo, sendo que eu sugeri reclassificar para contas de resultado e deixar o histórico conforme o extrato bancário.

Enfim, algumas outras ideias serão bem-vindas e se tiver embasamento em algum CPC melhor ainda.

Matheus Alves

Prata DIVISÃO 2, Contador(a)
há 1 semana Segunda-Feira | 7 outubro 2019 | 18:09

Boa tarde,

não há porque lançar em uma conta para futura conferencia com o empresário, porque ele sabe muito bem do que se refere esses valores, a maioria são gastos pessoais, mistura de contas/empresas, enfim, se for fazer dessa forma só dará mais trabalho para o contador, e um trabalho que de nada valerá.

Nos casos em que isso acontece (que são muitos), dependendo do valor eu lanço em Despesas Não Dedutíveis (R).

Rodrigo Melero

Ouro DIVISÃO 1, Contador(a)
há 1 semana Terça-Feira | 8 outubro 2019 | 10:01

Matheus

Bom dia

Quanto a sua fala

a maioria são gastos pessoais, mistura de contas/empresas, enfim, se for fazer dessa forma só dará mais trabalho para o contador, e um trabalho que de nada valerá.
O motivo para a valia deste trabalho se encontra na sua própria fala pois, como você mesmo falou, a maioria das transações é de fato gastos pessoais, mistura de contas/empresas (ressaltando que isso por si só não justifica classificação em despesa). 

Porém dentre a minoria que não é isso, podem existir transações que são justificáveis - muitas vezes até transações-chave dentro da empresa - cujo desdém pode acarretar em graves consequências para a empresa e para a contabilidade.

Att.

Rodrigo Melero
Contador e consultor no centro de serviços RTD Accounting e articulista no blog +ContabilNet
E-mail: forumcontabeis@rtdaccounting.com.br
Visite: http://maiscontabilnet.blogspot.com.br

"As pessoas boas devem amar seus inimigos." (Don Ramón - Seu Madruga)

Edson Carlos Musial

Bronze DIVISÃO 4, Micro-Empresário
há 1 semana Terça-Feira | 8 outubro 2019 | 11:05

Caro colega Victor.
Seu problema é com certeza o problema da maioria dos contabilistas onde o empresario mistura na conta bancaria o movimento da empresa com seus gastos pessoais. Não há como acertar contabilmente este tipo de problema, acho eu... Logicamente esta empresa que está com caixa altissimo "ficticio" em contra partida deve também ter Lucros acumulados altissimos e também ficticios, (ou seja não existem nem o dinheiro nem o lucro). Poderia contabilmente ser feita uma distribuição de lucros aos socios em contra partida do caixa e aí tanto a conta caixa como a conta de lucros teriam seus valores reduzidos. Mas aí vem a pergunta:-
Como distribuir um lucro que na realidade não existe e que será pago com um dinheiro que também não existe? Como por exemplo a empresa distribuir ao socio um valor tipo R$.200.000,00 em dinheiro? Logicamente este dinheiro não está na gaveta ou no cofre da empresa. Se na realidade houvesse este numerario com certeza o mesmo estaria no banco. Acho ainda que o menos mal é apresentar os balanços de acordo com a documentação que o empresario enviou ao escritorio e acho que cabe ao empresario justificar ao fisco, quando for pedido, o que significam os valores dos valores sacados do banco e  que não tem documentação para justificar na contabilidade. Tentar maquiar a contabilidade por desmandos do empresario acarreta um enorme risco ao profissional, podendo o mesmo ser processado por fraude contabil. O empresario tem que ter a consciencia de que pessoa juridica é uma coisa e pessoa fisica é outra coisa, mas isto já é uma utopia... Quem sabe daqui a 100 anos....Abraço

Matheus Alves

Prata DIVISÃO 2, Contador(a)
há 6 dias Quinta-Feira | 10 outubro 2019 | 11:46

Bom dia Rodrigo Melero,

não estou desdenhando da movimentação financeira feita pelo empresário, não quis passar dessa forma.... porém, 90% dessa movimentação é sim gastos pessoais que citei antes, e digo isso por ter a comprovação.

Já o lançamento em Despesas Não Dedutíveis é a única forma que tenho de separar, mesmo que seja uma pequena parcela desses gastos, sem inflar o Caixa e sem influenciar em apurações de impostos, em caso de RPA.

RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.