x
2020-07-06T18:53:17-03:00

FÓRUM CONTÁBEIS

CONTABILIDADE

respostas 10

acessos 86

Bem móvel de pessoa física para a empresa

há 4 semanas Segunda-Feira | 6 julho 2020 | 18:53

Boa noite. Um empresário está passando um bem pessoal (motocicleta) para o nome da empresa. Como deve ser o procedimento para dar entrada neste bem visto que não há nota fiscal desta "aquisição" pela empresa? Incidiria algum imposto? Essa empresa é Simples Nacional. Fico no aguardo. Desde já agradeço.

há 4 semanas Segunda-Feira | 6 julho 2020 | 23:56

Boa noite Caio, bom pelo que você passou trata-se de uma doação de imobilizado, nele deve constar o valor contábil e o valor avaliado (valor justo e valor de mercado), do bem. O lançamento contábil do bem deve ser pelo valor avaliado (valor justo ou valor de mercado).

há 3 semanas Quarta-Feira | 8 julho 2020 | 09:18

Bom dia Fernando. Mais uma vez obrigado pelo esclarecimento. Mas ainda não consigo entender como esse empresário pessoa física possuidor desse bem, ao vendê-lo para a própria empresa, irá emitir nota fiscal? Entendo que no momento da aquisição por ele, foi sim emitida uma nota fiscal em nome dele pela empresa vendedora. Agora, como pessoa física vendendo para pessoa jurídica, como ficaria? É isto que quero entender. Se puder me ajudar, agradeço imensamente.

há 3 semanas Quarta-Feira | 8 julho 2020 | 09:31

Bom dia!

Vamos lá, primeiramente você deve desvincular a figura da pessoa física da pessoa jurídica para que o raciocínio seja mais fácil, esqueça que quem está vendendo é o dono da empresa.

Quando uma pessoa física vende para uma pessoa jurídica, a melhor forma de fazê-lo é através de uma Nota Fiscal Avulsa, emitida diretamente no site da Sefaz.

Caso não consiga, em último caso emita uma DANFE de entrada, colocando a tratativa no campo de informações complementares.

Consultor Especial
há 3 semanas Quarta-Feira | 8 julho 2020 | 12:04

Bom dia a todos.

O documento válido na operação de venda é o documento de transferência do veiculo (aquele verde) e não a NF, pois se for assim eu vendi meu carro a uma pessoa e teria que emitir a NF.

Agora o documento de entrada do bem na empresa é a NF de entrada avulsa (se esta empresa não for contribuinte do ICMS) .

Sobre a tributação: o ideal é consultar o Sefaz de seu Estado com relação ao ICMS e no caso da PF deve-se apurar se houve Ganho de capital, lembrando que no caso da PF não há o que se falar em depreciação.

Outro ponto importante: a pessoa compra (exemplo hipotetico) um veiculo em 2017 por R$ 1000,00 e em R$ 2020 o vende pelos mesmos R$ 1000,00. A não ser que seja um veiculo histórico, ou oriundo de um colecionador (em ambos os casos deve-se haver registro no Detran); fica meio estranha esta operação é bom orientar ao cliente sobre este procedimento.

att

Contador CRC MG 106412/O - Perito Contábil CNPC 087 - Avaliador Imobiliário CNAI 23358
Avaliação de empresas e processos de transferência societária;
Especialista em 3º Setor e em fusões, cisões e incorporações;
http://www.prosperarecontabil.com.br
Atenção: não dou consultorias por telefone! Somente por e-mail ou via whatsapp (audio ou mensagem)
Consultor Especial
há 3 semanas Quarta-Feira | 8 julho 2020 | 14:17

Boa tarde William.

Sao duas situações: a primeira a venda do bem e a segunda a entrada do bem na empresa.

Venda: documento de transferência

Entrada do Bem: NF de entrada avulsa (se a empresa nao for contribuinte).

Lembrando: pessoa fisica não emite NF....

Isso é um resumo do que eu especifiquei.

att

Contador CRC MG 106412/O - Perito Contábil CNPC 087 - Avaliador Imobiliário CNAI 23358
Avaliação de empresas e processos de transferência societária;
Especialista em 3º Setor e em fusões, cisões e incorporações;
http://www.prosperarecontabil.com.br
Atenção: não dou consultorias por telefone! Somente por e-mail ou via whatsapp (audio ou mensagem)
RECEBA CONTEÚDO EM SEU EMAIL cadastrar

O Portal Contábeis se isenta de quaisquer responsabilidades civis sobre eventuais discussões dos usuários ou visitantes deste site, nos termos da lei no 5.250/67 e artigos 927 e 931 ambos do novo código civil brasileiro.